Produção e Compreensão do Texto


EMENTA:

Teorias da Cognição: cognitivismo, conexionismo, enatismo, sócio-cognitivismo. Teorias cognitivistas, com ênfase nos conceitos de esquema, modelo mental, protótipo. Teorias sócio-cognitivistas. Modelos cognitivistas e sócio-cognitivistas da leitura e da escrita. Ensino da leitura e da escrita.

 

BIBLIOGRAFIA:

BAZERMAN, C. Handbook of research on writing: history, society, school, individual, text. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2007.
BAZERMAN, C; PRIOR, D. (Eds.) What writing does and how it does it: an introduction to analyzing texts and textual practices. New Jersey: Lawrence Erlbaum, 2004.
BERKENKOTTER, C.; HUCKIN, T. N. Genre knowledge in disciplinary communication: cognition/culture/power. New Jersey, N. J.: Lawrence Erlbaum, 1995.
BONINI, A. Gêneros textuais e cognição. Florianópolis: Insular, 2002.
FIGUEIREDO, D. C.; BONINI, A. Práticas discursivas e ensino de texto acadêmico: Concepções de alunos de mestrado sobre a escrita. Linguagem em Discurso, v. 6, n. 3, Tubarão, Unisul, 2006. Número especial sobre Gêneros textuais e ensino-aprendizagem. Adair Bonini e Maria Marta Furlanetto (Orgs).
FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. 157 p.
HAUGELAND, J. C. (Ed.). Mind design II: philosophy, psychology, and artificial intelligence. Cambridge; London: MIT Press, 1997.
JOHNS, A. M. Text, role and context: developing academic leteracies. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.
KLEIMAN, A. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995.
KOPE, B; KALANTZIS, M. (Eds). The powers of literacy: A genre approach to teaching writing. Pittsburgh: University of Pittsburgh, 1993.
LEFFA, J. V. Aspectos da leitura: uma perspectiva psicolingüística. Porto Alegre: Sagra-Luzatto, 1996.

RUDELL, R. B.; et al. (Eds.). Theoretical models and processes of reading. Newark: International Reading Association, 1994.
TOMITCH, L. M. B. (Org.). Ilha do Desterro, n. 38: Critical reading, 2000.
VARELA, Francisco. Conhecer: as ciências cognitivas, tendências e perspectivas. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.


Tópicos Especiais em

Análise de Gêneros Textuais


EMENTA:

Conceituação de gênero, tipo e seqüência textuais. Perspectivas teóricas do estudo dos gêneros textuais/discursivos. A perspectiva sócio-retórica. Estudo dos gêneros comunidades discursivas específicas. O gênero em sua relação com o discurso e o processo ensino-aprendizagem.

 

BIBLIOGRAFIA:

BHATIA, V. Worlds of written discourse: a genre-based view. London; New York: Continuum, 2004.
BAZERMAN, C. Gêneros textuais, tipificação e interação. Org. por Angela P. Dionísio e Judith C. Hoffnagel. São Paulo: Cortez, 2005.
BONINI, A.; FURLANETTO, M. M. Linguagem em (Dis)curso, v. 6, n. 3: “Gêneros textuais e ensino-aprendizagem”, p. 495-517, set./dez. 2006.
DIONISIO, A. P., MACHADO, A. R., BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.
FREEDMAN, A., MEDWAY, P. (Eds.). Genre and the new rhetoric. London: Taylor & Francis, 1994.
MARTIN, J; ROSE, D. Genre relations: Mapping the culture. London: Equinox, 2007.
MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH, D. (Orgs.). Gêneros: teorias, métodos e debates. 2. ed. São Paulo, SP: Parábola Editorial, 2006.
SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. et alii. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.
SWALES, J. M. Genre analysis: English in academic and research settings. New York: Cambridge University Press, 1990.
_____. Research genres: exploration and applications. Cambridge: Cambridge University Press, 2004

 


 

 

 

 

 

 

1