Impacto Agroambiental: perspectivas, problemas, prioridades

James Terence Coulter Wright
Luiz José Maria Irias
Tarcízio Rego Quirino

impacto.gif (14279 bytes)

Impacto Agroambiental – perspectivas, problemas e prioridades, elaborado pelo professor James Wright em co-autoria com pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente, de Jaguariúna/SP, Luiz José Maria Irias e Tarcízio Rego Quirino, é um livro que retrata o impacto, as perspectivas, problemas e prioridades da agropecuária sobre o meio ambiente brasileiro. Foi subsidiado a partir dos resultados de uma ampla pesquisa realizada junto a 135 especialistas da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), instituições universitárias, agências federais e estaduais de pesquisa, empresas privadas e organizações não governamentais.

Ao longo dos treze capítulos, os autores discorrem sobre as tendências e cenários para os próximos seis anos, quais são as relações da agropecuária com o meio ambiente e os aspectos da globalização que influenciam o sistema agropecuário. A publicação também traz a análise sobre a imagem do Brasil na mídia, agenda, tecnologia e linhas de pesquisa prospectadas para o setor. As questões sobre educação e treinamento e os desafios a serem enfrentados nessa área são dois outros temas que também integram a obra.

O estudo prospectivo sobre as tendências e cenários até 2005, apresentado no capítulo 3, é um dos pontos altos do livro. Segundo os autores, tanto as prospecções como a identificação de possíveis rotas de transição entre a situação atual e uma situação ideal são extremamente importantes para a definição de estratégias setoriais positivas, em prol da qualidade ambiental. O resultado do levantamento mostrou que a maioria dos especialistas brasileiros consultados (71%) concorda com a opção que conceitua a agricultura sustentável como "uma agricultura que contemple, simultaneamente, as dimensões econômica, ecológica e social, segundo atributos (não exclusivos) de produtividade, estabilidade e eqüidade".

Outra importante análise apresentada na publicação diz respeito as estratégias de pesquisa e desenvolvimento tecnológico inerentes ao setor. Na avaliação dos autores, devem ser estratégias com flexibilidade suficiente para atender às necessidades da sociedade em qualquer cenário agroambiental que venha a se configurar. Ainda segundo eles, a pesquisa nessa área deve priorizar temas como a qualidade dos produtos agropecuários, a proteção à saúde do trabalhador rural e o desenvolvimento de produtos voltados para as faixas de média e baixa renda.

A integração econômica no Mercosul, a definição das políticas ambientais das empresas, a competitividade internacional das agroindústrias e o uso racional de insumos, são também aspectos de especial interesse para a pesquisa tecnológica do cenário.

Dados apresentados no livro mostram que 75% dos especialistas consultados concordam quanto a futuras mudanças de hábito dos consumidores brasileiros, entre elas, procura por produtos agropecuários de boa qualidade, a preços medianos pelos padrões internacionais e padrões médios de produção. Mas os autores apontam que o consumo não será predominantemente de produtos de alta qualidade, livre de agrotóxicos, com preços mais elevados e com os padrões de exigências que estarão vigorando no primeiro mundo; nem tão pouco será de produtos de qualidade final irregular e a preços baixos. "As mudanças esperadas vão em direção à redução do uso de agroquímicos (mas provavelmente não a sua total abolição, à boa qualidade dos produtos agropecuários e a maior acessibilidade dos preços", avaliam.

Quanto aos impactos ambientais da agropecuária, outro destaque da obra, esses podem ser mais ou menos negativos dependendo de fatores de produção e do modo como esses fatores são usados. A projeção que os autores fazem para os próximos dez anos é que os impactos negativos mais importantes da agropecuária brasileira serão causados pelo uso inadequado do solo (conforme concordância de 82% dos pesquisados), pelo uso de agentes químicos, como agrotóxicos, fertilizantes e corretivos (74%), pelo desmatamento para fins agrícolas (59%) e pelo uso de recursos hídricos (46%).



Impacto Agroambiental: perspectivas, problemas, prioridades.
Autores: James Terence Coulter Wright, Luiz José Maria Irias, Tarcízio Rego Quirino.
Editora Edgar Blücher , São Paulo, 1999, 184 páginas.

Contato com os autores:
(11) 870-0137 ou 818-848
jtwright@usp.br

1