AFOGADOS DA INGAZEIRA - PE
O município de Afogados da Ingazeira teve sua origem na fazenda de criação, denominada "Barra da Passagem", segundo alguns, ou na fazenda da "Misericórdia", segundo outros, nome este que lhe teria sido dado por Frei Ibiapino. Os registros oficiais fazem referência à primeira dessas fazendas.

O proprietário da fazenda Barra da Passagem, Sr. Manoel Francisco da Silva, construiu no ano de 1836, uma capela, sob a evocação do Senhor Bom Jesus dos Remédios. Assim, como quase a totalidade das fazendas, das aldeias, dos povoados, das vilas e das cidades brasileiras, aquela fazenda nasceu sob o signo da fé Cristã Católica, com a sua capelinha, encimada pela cruz de Cristo. A fazenda prosperava, transformando-se numa comunidade de considerável importância, quando ocorreu um fato que sugeriu a mudança do seu nome.

Um casal que tentava atravessar o Rio Pajeú, na ocasião de uma de suas enchentes, foi traído pela fúria das águas, vindo a falecer, sendo os dois cadáveres encontrados sob uma ingazeira, muito abaixo do local do acidente.
Passou aquele local a ser chamado "Passagem dos Afogados" e, logo após, simplesmente "Afogados".
No dia 5 de maio de 1852, pela Lei Provincial n.º 295, foi criado o município de Ingazeira, com território desmembrado de Flores. O novo município foi instalado a 7 de janeiro de 1883 e a ele pertencia Afogados.
No dia 12 de maio de 1879, foi Afogados elevado à categoria de distrito, pela Lei Provincial nº 1403 que também transferiria de Ingazeira para Afogados, a sede do município.

O desenvolvimento de Afogados se processava, também, no aspecto religioso, e já em 21 de novembro de 1879 a sede paroquial foi transferida para esta cidade. Ocorreu que a Lei n.º 1403 foi revogada pela de nº 2761 de 5 de junho de 1883, voltando à Ingazeira a sede municipal, permanecendo em Afogados a sede paroquial. Entretanto, o distrito de Afogados prosperou de tal forma, que a Lei n.º 1827 de 28 de junho de 1884, revogou a de 1883, voltando Afogados a ser a sede do município.

No dia 1º de julho de 1909, pela Lei nº 991, o Estado deu à Vila de Afogados foros de cidade, passando a ser tratada por Afogados da Ingazeira, que prevaleceu sobre a denominação anterior, não obstante a insistência popular.
Os registros oficiais afirmam que a denominação Afogados da Ingazeira deveu-se ao fato de já existir no Recife a freguesia dos Afogados. O que prevaleceu, porém, foi o fato histórico do afogamento do casal encontrado morto sob uma ingazeira.

Este episódio contribuiu para que o município tivesse o nome de Afogados da Ingazeira, conforme registra o decreto-lei n.º 235, de 9 de dezembro de 1938. A nova cidade prosperou, crescendo e contribuindo para que muitos dos seus antigos distritos se emancipassem, alcançando foros de cidade, graças ao trabalho fecundo do seu povo em atividades das mais diversas na agricultura, na pecuária, no comércio, na indústria, no campo profissional, na administração, na cultura, na política e no governo municipal.

A Comarca foi criada pela Lei n.º 1260 de 26 de maio de 1877.

 
 
www.afogadosdaingazeira-pe.com.br
1