TEXTOS SELECIONADOS

UMAS POUCAS PALAVRAS DE ALAN MOORE SOBRE AMERICA'S BEST COMICS

Quando eu tinha oito anos, desmantelar relógios de pulso era fácil e divertido. Remontá-los, ao contrário, era quase impossível. Apesar disso, era um método eficaz de se trabalhar a criatividade: deixar coisas em pedaços e depois reuni-los novamente. Nossos primeiros cientistas, os alquimistas, descreveram esse processo pela fórmula solve et coagula, desmontar e remontar. Em tempos mais recentes, preferem-se outros termos, tais como análise e síntese, mas a idéia permanece a mesma. Quando analisamos algo, nós o fazemos em pedaços e o examinamos. Quando sintetizamos algo, nós pegamos todos os seus pedaços e os reunimos numa forma mais aperfeiçoada.

Nos últimos anos, os quadrinhos têm sido analisados e desmontados; reduzidos a pedaços e estudados sob várias posições possíveis. Cada personagem tem sido avaliado através de sua psicologia, sua política, sua natureza mítica ou sua sexualidade, dividindo o todo em componentes que são mais fáceis de examinar. A indústria dos quadrinhos tem ajudado nesse processo, separando a mistura inicial de estilos e atitudes em estritas categorias e gêneros. Situações de humor e aventura se tornavam cada vez mais subdivididas. Muitas são analisadas, mas poucas são sintetizadas. As engrenagens do relógio estão todas espalhadas na mesa da cozinha.

Agora vem a parte difícil.

A despeito da discordância de gostos em relação aos leitores e criadores, teremos uma pequena dificuldade em identificar os componentes do campo de quadrinhos que nós gostamos. Gostamos dos quadrinhos quando eles nos assustam, nos amedrontam, nos fazem rir ou nos dizem algo que não sabemos. Os adoramos por sua sensualidade e seu encanto, por sua inocência e seu charme. Amamos as grandes artes, histórias fortes e uma bela capa. Amamos os quadrinhos para adultos e as revistas infantis. Gostamos de caubóis, de cavaleiros de armadura e super-humanos; gostamos de monstros, de personagens adoráveis, de piratas, deuses e qualquer animal que use luvas brancas. Amamos os desenhos e amamos as palavras.

America's Best Comics representa um esforço honesto em coagular e sintetizar todos os elementos acima; recombinar as engrenagens dentro da caixa, na esperança que a montagem não apenas funcione, mas funcione melhor. Nós queremos comédia, romance, suspense, inteligência e beleza mesclados juntos em algo irresistível. Nós queremos imaginação desenfreada para categorias ou idéias pré-concebidas das quais "a audiência" de manias específicas possa estar a favor naquele mês. Nós queremos que o trabalho represente a mais alta qualidade possível, e para assegurar que este nível de compromisso permaneça. Nós queremos que tudo o que é de melhor nos quadrinhos esteja aqui representado.

Para este fim, o talento que recolhemos abrange o mundo dos quadrinhos do underground ao mainstream, com uma faixa de alcance que vai do sério ao satírico, do mordaz ao clássico. Seja as aventuras vitorianas exageradamente maníacas de A Liga dos Cavalheiros Extraordinários de Kevin O'Neill, os heróicos pulps de Tom Strong, por Chris Sprouse, os contos surrealistas de ciência e fantasia de Jack B. Quick de Kevin Nowlan ou o insinuante mito psicodélico da maravilhosa Promethea por J. H. Willians, nós prometemos que cada edição tentará ser a melhor possível dentro de seu campo escolhido. Nós reunimos todas as peças do relógio de pulso. Agora fica por sua conta nos dizer se ele funciona bem.

Alan Moore
Northampton, Janeiro de 1999

 

 
 
 
1 1