ANOTAÇÕES

As Aventuras da Liga Extraordinária - Volume II

Por Jess Nevins (jjnevins@ix.netcom.com) e diversas mãos.

Esse texto é divulgado com a permissão do Autor. Thanks, Jess!


Capítulo 1: As Fases de Deimos

Página 12

Quadrinho 1

Em Lieutenant Gullivar Jones..., o herói aprende o idioma marciano através da transferência telepática feita por um dos marcianos amistosos. O gigante de quatro braços que fala com Jones é um dos marcianos de Edgar Rice Burroughs. Burroughs escreveu onze romances sobre as aventuras de John Carter em Marte. O primeiro deles, Under the Moons of Mars, foi publicado na All-Story Magazine entre Fevereiro e Julho de 1912. Quando adultos, os marcianos de Burroughs têm quatro metros e meio de altura e carregam longas lanças (algumas com 12 metros). Burroughs os descreve assim no livro:

Não há pêlos em seus corpos, que são de uma intensa cor verde-amarelada. No adultos, como logo aprenderia, essa cor é de um verde oliva mais profundo e é mais escura nos machos do que nas fêmeas. Além disso, as mãos dos adultos não são tão desproporcionais quanto às dos jovens.

A íris dos olhos são de um vermelho-sangue, iguais as dos albinos, e as pupilas são negras. Os globos oculares em si são muito brancos, da mesma forma que seus dentes, Estes proporcionam uma aparência mais feroz à um semblante já terrível e amedrontador, enquanto suas presas encurvam-se para cima terminando em pontas afiadas que, nos seres humanos da Terra, estariam localizadas ao nível dos olhos. A brancura dos dentes não é a mesma do marfin, mas como a mais alva e brilhante [porcelana] da China. Contrastando com o fundo escuro de sua pele oliva, suas presas se mostram de uma maneira mais impressionante, fazendo com que essas armas apresentem uma aparência singularmente formidável.

O objetivo de Moore na série era juntar e retratar os vários planetas Marte fictícios em uma única realidade. As versões de Marte escritas por Arnold e Burroughs são os dois primeiros exemplos.


Página 13

Quadrinho 2

A cena onde Gulliver se aproxima do acampamento dos marcianos verdes, com centenas de dentes à mostra através do vale, parece ser uma homenagem à Lawrence da Arábia.


Página 14

Quadrinho 3

Gulliver Jones está cumprimentando John Carter. Carter, como mencionado acima, foi criado por Edgar Rice Burroughs e estreou em Under the Moons of Mars em 1912. Carter foi um veterano da Guerra Civil nascido na Virgínia e que foi transportado para Marte em 1866 através de raios zeta (ou através de uma projeção astral, se preferir). Em Marte, tivera várias aventuras, chegando a se tornar não somente príncipe (jed) e Rei (jeddak) de Marte, como o Jeddak dos Jeddaks, Lorde Guerreiro de Barsoome. Ele veio a se casar com Dejah Thoris, uma princesa marciana.


Página 15

Quadrinho 1 e 2

O Povo de Hither é formado por marcianos amigáveis com os quais Gulliver Jones veio a se reunir em Lieutenant Gullivar. Eles possuem uma aparência humana, como pode ser visto no quadrinho 2 da página 17 e em outros lugares.

Varnal, a cidade verde
, pertence a uma série de romances ambientados em Marte, escrita por Michael Moorcock, sob o pseudônimo de Edward P. Bradbury. Ele escreveu Warriors of Mars (1965), Blades of Mars (1965) e Barbarians of Mars (1965), uma trilogia de histórias sobre Michael Kane, um professor de física do Instituto de Pesquisas Especiais de Chicago que transportou a si mesmo para Marte, ou Vashu, durante o período cretáceo da Terra, algo em torno de 65 a 110 milhões de anos atrás. Assim, Kane viajou do futuro para o passado de Carter e Jones.

Varnal é a capital de Vashu e lar de Shizala, o amor de Kane. A trilogia de Moorcock é uma homenagem à Edgar Rice Burroughs, e as similaridades entre Kane e John Carter e entre Shizala e Dejah Thoris são propositais. Na série de Kane, ele é oriundo de Negalu, o terceiro planeta do sistema solar.

Quadrinho 3

Podemos ver claramente nesse quadrinho (bem como no no quadrinho 2 da página 26) que os olhos de Gullivar Jones são completamente azuis – não somente a íris, mas também a parte visível do globo ocular, que é levemente azulada – principalmente quando comparados com os olhos de Carter. Talvez Moore tenha imaginado o herói nos mesmos moldes do personagem Atreides/Maud'dib da série Duna, escrita por Frank Herbert.

Quadrinho 4

Os Sorns pertencem a trilogia espacial de C.S. Lewis (para maiores detalhes, veja as anotações da página 24, quadrinho 1).

A palavra "molusculo" é usada adequadamente por Carter para descrever os marcianos de A Guerra dos Mundos (1898). No livro, eles são descritos dessa maneira por H. G. Wells:

Mas, olhando, repentinamente vi algo se agitando nas sombras, bilhões de movimentos acizentados, uns sobre os outros, e dois discos luminosos - como olhos. Então algo parecido como uma pequena cobra cinza, com o diâmetro de uma bengala, se contorceu no ar à minha frente - e depois mais um.

Senti um repentino calafrio. Uma mulher atrás de mim gritou bem alto. Me virei um pouco, ainda mantendo meus olhos fixos no cilíndro, de onde agora outros tentáculos se projetavam, e comecei a forçar meu caminho de volta à borda da cratera. Vi o assombro dar lugar ao terror nos rostos das pessoas ao meu redor. Ouvi exclamações indistintas de todos os lados. Houve um movimento generalizado de recuo. Vi um vendedor lutando para ficar na borda da cratera. Me encontrei sozinho, e vi as pessas do outro lado da cratera fugindo, Stent entre eles. Olhei novamente para o cilíndro e um terror desgovernado tomou conta de mim. Fiquei petrificado e atônito.

Uma grande massa redonda e acizentada do tamanho, talvez, de um urso, se arrastava vagarosa e dolorosamente para fora do cilíndro. Quando alcançou a luz, ela reluzia como couro molhado.

Dois grandes olhos negros que me encaravam nervosamente. A massa que os emolduravam, a cabeça da coisa, era arredondada, e tinham, se é que posso dizer, uma face. Havia uma boca sob os olhos que tremia e ofegava e gotejava saliva. Toda a criatura suspirava e pulsava convulsivamente. Um esguio apêndice tentacular agarrou-se na borda do cilíndro, enquanto outro agitava-se no ar.

Aqueles que jamais viram um marciano vivo mal podem imaginar o horror de sua aparência. A peculiar boca em forma de V com seu pontudo lábio superior, a ausência de uma testa e de um queixo, o incessante tremor de sua boca, os tentáculos de Górgona, a tumultuosa respiração de seus pulmões em uma atmosfera estranha, a evidente dificuldade e dor de seus movimentos devido a grande energia gravitacional da Terra - acima de tudo, a extraordinária intensidade de seus imensos olhos - era no mínimo vital, intensa, inumana, deformada e mostruosa. Havia algo de fungóide na sua oleosa pele marrom, algo na desajeitada deliberação de seus movimentos indizívelmente sórdidos.



Quadrinho 5

O uso do termo "lesmas alienígenas" implica que os marcianos de Wells não são nativos de Marte (veja a anotação da página 21, quadrinho 3). Moore usa na edição original a palavra inglesa "leeches", cuja tradução mais correta para contexto da história seria "sanguessugas". Em A Guerra dos Mundos, há um trecho que descreve os marcianos como alienígenas que retiram o sangue dos humanos com uma seringa e injetam em si mesmos. Acredito que Moore estava sendo literal ao usar a terminologia "leeches". Veja abaixo esta passagem de A Guerra dos Mundos:

É estranho como eles podem parecer para um ser humano; todo o complexo aparato do sistema disgestivo, que mantém a massa de nossos corpos, não existe nos marcianos. Eles eram cabeças - meras cabeças. Não tinham nenhuma entranha. Eles não se alimentavam, muito menos digeriam. Eles retiravam o sangue fresco de criaturas vivas e injetavam em suas próprias veias. Eu mesmo vi isso acontecendo... Mas, sensível como sou, não posso descrever até onde resistiria se continuasse a observação. Basta dizer que, o sangue de um animal ainda vivo, na maioria dos casos, um ser humano, era retirado através de uma simples pipeta e canalizado para um recipiente...

Nos textos originais de Burroughs, nada de realmente ruim acontece com a princesa Dejah Thoris, esposa de John Carter. O que Gulliver Jones diz, no entanto, implica que algo realmente aconteceu a ela. A cronologia interna dos livros de Burroughs nunca foi completamente resolvida. A expressão de Carter talvez pudesse ter algo a ver com os eventos ocorridos em Thuvia, Maid of Mars (1916) e The Chessmen of Mars (1922). O primeiro ocorre entre 1888 e 1898, e fala sobre Carthoris - filho de Dejah Thoris e John Carter - e sobre Thuvia, uma princesa marciana. O segundo ocorre entre 1898 e 1917. Dejah Thoris não aparece em Thuvia, Maid of Mars, mas aparece em The Chessmen of Mars, aparentemente, com a saúde perfeita. Esse poderia ser mais um daqueles casos onde Moore usa de licensa artística e desvia-se do texto original. No entanto, é provavel que a ausência de Dejah Thoris seja devido ao seu longo aprisionamento no Templo do Sol entre os eventos de The Gods of Mars e Warlord of Mars. The Gods Of Mars termina com Deja Thoris sendo aprisionada por duas mulheres marcianas em um quarto, o qual não estaria acessível durante um ano marciano - cerca de dois anos terrestres. A última coisa que John Carter vê é uma das mulheres, Phaidor, tentando assassinar Deja Thoris enquanto a outra mulher, Thuvia, tenta salvá-la. John Carter sofre um período de prolongado tormento temendo que sua esposa esteja morta. É bastante razoavel que esse período corresponda ao do ataque dos marcianos de H. G. Wells à Terra.

Também há uma outra possibilidade. A Princesa de Marte menciona um intervalo de 10 anos após o casamento de Dejah Thoris e Carter e seu inesperado retorno à Terra ao fim do livro. Burroughs não diz muito sobre esses anos, exceto que o filho deles nasceu nesse período. Como a cronologia das histórias de Barsoom é bastante vaga, os eventos ocorridos no volume II da Liga podem ter ocorrido próximos do fim do intervalo de 10 anos do livro.

Quadrinho 6

Quando John Carter tira uma peruca para colocar seu elmo de batalha, vemos que ele é careca. Não estou familiarizado com os livros escritos por Burroughs, mas se levarmos em conta que ele chegou adulto em Marte, em 1866, então teria aproximadamente sessenta anos durante os eventos descritos nesse volume da Liga Extraordinária. Essa é uma idade onde não é incomum que os homens tenham pouco ou nenhum cabelo.

Carter é um aulto-proclamado adorador de Marte/Ares, o deus grego/romano da guerra; é por isso que ele se despede de Gullivar desta maneira.



VOLTAR ------------- 3 DE 4

 

 

 
 
 
1 1