ANOTAÇÕES

As Aventuras da Liga Extraordinária - Volume II

Por Jess Nevins (jjnevins@ix.netcom.com) e diversas mãos.

Esse texto é divulgado com a permissão do Autor. Thanks, Jess!


Capítulo 1: As Fases de Deimos

Página 16

Quadrinho 3

Os sistemas de respiração usados por Gullivar e John parecem sugerir que a fábrica de oxigênio que abastece o planeta Marte pode ter sido sabotada novamente. Mas observando que Gullivar retira sua máscara de oxigênio dentro da cabana de Carter e dentro da fortaleza dos moluscos, é possível que possa haver algum problema com a quantidade ou com a pressão do gás no planeta. Os marcianos parecem lidar naturalmente com isso, mas talvez os terrestres possam necessitar de reservatórios de oxigênio, ao menos para se sentirem confortados. Uma outra possibilidade é de que as máscaras de oxigênio podem estar sendo usadas pelas forças marcianas para sobreviver aos efeitos da fumaça negra. Essa talvez seja uma das razões deles serem capazes de lutar contra os moluscos.

Outras alternativas são de que as máscaras são usadas para atravessar os desfiladeiros de Marte ou funcionam como filtros de poeira nas tempestades de areia do planeta. O que é claro é que a maioria dos marcianos parece estar adaptada ao ambiente externo de marte, com exceção dos humanos e do povo de Hither. As máscaras de Gullivar e dos Hither parecem ser ou mais simples ou feitos com tecnologia inferior quando comparadas com o capacete de vidro e metal de Carter.


Página 17

Quadrinhos 2, 3 e 4

Os monstros que Carter e alguns marcianos montam são thoats, criados por Burroughs. Ele os decreveu dessa forma:

Ao nível de seus ombros, mediam três metros; tinham quatro patas de cada lado; grandes caudas achatadas, maiores na extremidade do que na base, e que permaneciam retas quando corriam; uma boca escancarada que dividia a cabeça do focinho até seu longo e grosso pescoço.

Como seus mestres, eram inteiramente desprovidos de pêlos, mas possuiam uma cor negra excessivamente suave e lustrosa. Seus ventres eram brancos e suas patas passavam gradualmente, dos ombros e quadril até os pés, de uma cor negra para um vívido amarelo. Os pés em si eram bastante compactos e desprovidos de unhas, o que contribuia para sua aproximação silenciosa. Esse, junto com a multiplicidade de patas, era um aspecto característico da fauna de Marte.


Páginas 18 e 19

Os desfiladeiros de Marte podem ter quilômetros de profundidade. É por isso que os marcianos e os thoats estão escalando, ao invés de contorná-los. É interessante observar que escalar paredes tão inclinadas como estas só pode ser possível devido a fraca gravidade de Marte.

John Carter e os marcianos possuem elmos e lanças de aspecto greco-romano. O ícone do deus Marte/Ares é representado por sua lança e por seu elmo.

Página 21

Quadrinho 4

Usando-se o método da imagem especular para ler os diálogos dos marcianos, a tradução dos balões desse quadrinho é "Oh, fuck!", "Look out!" e "Shit!" (imagino que traduções são desnecessárias).



Podemos observar ao longo desse capítulo que os marcianos verdes são culturalmente semelhantes aos nômades árabes pré-islâmicos e os Hithers são mostrados como árabes do império otomano. Além disso, em alguns quadrinhos, Gullivar se parece com Lawrence da Arábia. Esse tipo de caracterização evidencia o nível de orientalismo encontrado na literatura da época. Assim, é razoável imaginar o motivo pelo qual Moore ter adotado essa idéia, embora Burroughs não tenha buscado esse efeito em seus livros.


Página 22

A coisa se erguendo do chão é um dos tripóides marcianos de A Guerra dos Mundos, de H. G. Wells, que os descreve dessa forma:

E esta coisa que eu vi! Como posso descrevê-la? Um mostruoso tripóide, maior que muitas casas, movendo-se rapidamente sobre os jovens pinheiros e esmagando-os em seu caminho; uma máquina de locomoção de metal reluzente, movendo-se rapidamente através de calor; cordas de metal articuladas pendem dele, e o ruidoso tumulto de sua passagem combina com o barulho do trovão. Um clarão, e, de algum modo, veio saltando vividamente com duas de suas pernas no ar, para desaparecer e reaparecer quase que estantâneamente com outro clarão, cem jardas mais próximo. Você pode imaginar um banco de ordenhar inclinando-se e rolando violentamente junto ao chão? Essa foi a impressão que tive. Mas ao invés de um banco de ordenhar, imagine uma grande estrutura mecânica em forma de tripóide....

Vista de perto, a coisa era inacreditavelmente estranha, pois era insensato que uma mera máquina se movesse dessa maneira. A máquina tinha longos, flexíveis e reluzentes tentáculos (um dos quais agarrou um jovem pinheiro) que balancavam e emitiam ruídos metálicos sobre seu estranho corpo. Escolheu seu caminho e movimentou-se rapidamente por ele, e o capuz de bronze que possuia se movia de um lado para o outro, inevitavelmente sugerindo a imagem de uma cabeça olhando ao seu redor. Atrás da estrutura principal, havia uma grande massa de metal branco, parecida com uma gigantesca cesta de pescador, e que esguinchava sopros de fumaça verde das juntas de seus membros quando o mosntro passou por mim.


Página 23

Quadrinhos 1-4

Em A Guerra dos Mundos, os marcianos usaram a fumaça negra a que Carter se refere para atacar um grande número de seres humanos.

Quadrinho 5

Os dois marcianos estão dizendo, em inglês*, algo como:

Marciano da esquerda:
- Actually to hurts I look at them.

Marciano da direita:
- But that can't be right.

Cuja tradução em português é:

- Realmente dói quando olho para eles.

- Mas isso não pode estar certo.

*Através de nosso método da imagem especular




VOLTAR ------------- 4 DE 4

 

 

 
 
 
1 1