TEXTOS SELECIONADOS

Maii. 23. hor. 6 post meridiem. Mortlak.

Por Alan Moore


Esse texto é uma contribuição de Moore à exposição John Dee, realizada em 1997, na Jago Gallery, em Shoreditch. Ele é uma colagem de palavras, criada com trechos de frases dos trabalhos de John Dee e colados em novas e estranhas estruturas de sentenças e parágrafos.

Relativo a um novo sistema de navegação: Agora a pedra está cheia de vapor branco. De repente, parecia sair do meu oratório uma criatura espiritual, igual à Barthlet Grene, que queimava e caminhava, aparentemente para lá e para cá por entre as chamas, porém, não mostrava seu rosto. E agora parece a mim que, com seus dedos, ele está moldando, do topo das chamas, um livro inteiro, coberto com três polegadas de musgo à cabeça. Ele não possuía fechos; esse é o plano.

Partimos, cada um para sua própria cama, onde encontrei minha esposa desperta, tomando conta de uma coisa em uma corrente: um coisa feia como um demônio. Sentindo-me solitário, lhe falei então, Jane, vejo que não há nenhum outro remédio, mas como foi dito em nossa união, isso precisa ser feito.

Em seguida, ela caiu, lamentando-se e tremendo durante um quarto de hora. De repente, pareceu sair de meu oratório uma criatura espiritual, igual a Rainha Elizabeth, uma bonita menina de sete ou nove anos de idade. Ela mesmo rapidamente retirou sua luva e estendeu sua mão para beijar. Ela trazia consigo um pequeno livro em sua bolsa. Ela apontou para uma imagem no livro: um homem igual a Barthlet Grene, que queimava em um globo ardente de minha altura, acompanhado por algumas centenas de bonecos, meus indelicados compatriotas! Ó ingratos compatriotas! Ó dementes, volúveis, maldosos e desdenhosos compatriotas!

Aqui, sua Majestade, a Rainha, para meu grande consolo, desfez de suas vestimentas, e ela, completamente nua, também mostrava sua vergonha à Edward Kelly: Ele está novamente aqui. Ele senta-se em uma cadeira de cristal, com o livro em seu colo, e uma vara em sua mão direita, e o frasco de vidro em sua mão esquerda. Autor da morte. Em um rolo de papel, como a extremidade de um tapete, está escrito que nós dois tivemos nossas esposas de tal maneira que poderíamos usá-las em um templo construído com óleo vermelho. Depois do jantar, como Edward Kelly, ali estava eu, sozinho, onde pequenas criaturas de alto cúbito apareceram para ele. Suas faces assemelhavam à ouro ardente que pareciam rezar em um idioma estranho, enquanto dizem, Essa é uma Cidade que eles chamam Webley. Essa é Beudley. Essa é Mortimers Clybery. Essa é a despovoada Wenlock. Essa é Ludlow. Essa é Stanton Lacy. Mas as mulheres repugnaram totalmente esta última doutrina.

O livro encontra-se suspenso no ar. Edward Kelly vê nele um menininho nu. Agora ele está transformando-se em água, a qual encontra-se envolvida com sangue, não vindo de meu fundamento, porém um pouco, como uma picada de alfinete sobre a pele. Você nunca deveria usar artigos de vestuário mas do que uma única vez, nem o livro. Ele liberou muito fogo de sua boca, como uma cortina branca enrugada. Agora, ele está na pedra. Os planetas e as estrelas fixas penduram-se em seu pescoço através de um cordão azul. Eu ouço um barulho maravilhoso, como muitas montanhas caindo. É como se possuísse penas de vômito em seu pescoço, e contempla, eu não sofrerei com nenhuma criatura feminina entrando nesse lugar. Nem de coisas que sejam abertas até você ter revelado às suas esposas: Cosmografia. Helicosofia. Menandia. Hipogeidia. Zografia. Arquimastia. Seja paciente, porque lhe falei que seria tedioso. De que homem é você?

Depois disto uma coisa apareceu como uma branca coroa de cristal, nua por todos os ângulos: Edward Kelly. Ele está novamente aqui, ajoelhado e rezando com sua vara suspensa; com uma Bíblia sobre seu pescoço, como um doutor; com seu cabelo escasso, como a extremidade de um tapete, e o nome do Senhor será teu guardião, Ó Cidade. E como ele alcançou a fornalha, ali surgiu uma grande luz, como se tivesse havido uma janela na parte de trás dessa fornalha. Em certo momento, ele disse, com todos seus dentes flamejantes, que Terra! Que Pessoas! Que modos!

Agora eu sinto uma coisa raivosa em minha cabeça, e deixo-te uma escuridão como um círculo de nuvem sobre O IMPÉRIO BRITÂNICO . Tudo desapareceu, e a pedra parece limpa.


VOLTAR

 

 

 

 
 
 
1 1