ENTREVISTAS

PRIOR

por Gary Groth

Originalmente publicada no The Comics Journal #138

Em 1990, Alan Moore deu sua primeira entrevista após mais de dois anos. Como isto foi a apenas dois anos antes de, em suas próprias palavras, revelar-me como um mágico, decidido a lançar uma ‘rede de arraste’ para ver se havia alguma pista de uma colisão iminente com o infinito.


ARTE

Eu acho que a arte tem um lugar no mundo, acho que ela é importante para o mundo, acho que é parte do modo pelo qual evoluímos. Eu acho que culturas desenvolvem-se tanto em resposta à sua arte e seus sonhos e suas aspirações quanto aos seus medos e tudo o mais que tiraniza e intimida, ficando amontoado fora delas. Há muito pouco na atual cultura humana em que eu ache que tenha algum valor, e a arte é uma das poucas coisas que valorizo e aprecio. Acho que a arte tem uma imensa importância para o mundo atual e como ele esperançosamente será no futuro.

Dicas de algumas das idéias de V de Vingança que desde então ouvi serem descritas como Thelemic (?), um tema que espero poder elaborar em outra oportunidade.



DEFINIÇÃO DE ARTE

Tenho uma definição de arte muito, muito ampla e quase funcionalmente inútil: é simplesmente qualquer coisa com a qual você se comunica criativamente. Mas acho que você tem que ter uma ampla definição de arte.

Moore posteriormente disse que magia e arte são mais ou menos parecidas.



DEFINIÇÃO DE POLÍTICA

Eu tenho uma ampla definição de o que é política. Para mim, qualquer coisa que seja um sistema de ver o mundo humano é um declaração política. Não tem que ser um tipo tradicional de declaração política. O que aconteceu em Watchmen, onde isso se tornou uma coisa que me interessou na maior parte da história - apenas uma visão do mundo como sendo uma teia de egos interconectados e desejos e ambições e acidentes e eventos fortuitos - parecia que estava dizendo algo que soasse verdadeiro para mim e parecia importante e isso é algo que expandi em Big Numbers.

Moore diria muito depois que a magia é a política definitiva.


FAMA

Mídia e fama, elas são elemento assim como água e fogo. São os elementos do século XX, os quais nunca vimos deste modo, e as pessoas que se impressionam com esse moedor de carne ainda se lançam sem qualquer preparação, sem qualquer compreensão do que é que estão lhes pedindo para enfrentar.

 

VOLTAR

 

 

 
 
 
1 1