ANOTAÇÕES

V de Vingança

Livro III

Por Madelyn Boudreaux - 27 de abril de 1994.


102, 3, 1, ...in nomini patri, et filii, et spiritus sancti...


Latim, da missa Cristã: Em nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo.


104, 2, - La Voie... La Verite... La Vie.


Estas palavras são francesas, e significam, respectivamente, o caminho (ou a estrada), a verdade, a vida.


104, 3, _, Stonehenge


Um dos maiores e mais completos monumentos de pedra dispostas da Inglaterra. Sua origem e propósito são desconhecidos, mas se acredita que tenha sido ou um tipo de local de observação astrológica, ou um lugar para cerimônias religiosas, ou ambos.


105, _, _ Everytime we say goodbye...I die a little./ Everytime we say goodbye, I wonder/ why a little. Do the gods above me, who must/ be in the know think so little of me they'd/ allow you to go?

A citação é de uma canção de Cole Porter intitulada Ev’ry time we say goodbye (Toda Vez Que Dizemos Adeus), do espetáculo de Porter, Seven Lively Arts, de 1944. Porter (1891-1964) foi um compositor americano que escreveu trabalhos sinfônicos de jazz e musicais. Ele é mais lembrado por sua adaptação da peça de Shakespeare, The Taming of the Shrew (A Megera Domada), no musical Kiss me, Kate (Lax and Smith 611; Havelince 200).

Uma tradução livre para esse trecho da canção é a seguinte:

Toda vez que dizemos adeus... Eu morro um pouco. Toda vez que dizemos adeus, eu desejo saber um pouco porquê.
Será que os deuses acima de mim,
que sabem tanto de tudo, pensam tão pouco em mim,
a ponto de permitir que você se vá?


105, 2, 2, Faze o que quiseres, Eve. Essa será a única lei!

Esta é a Lei de Thelema, de Aleister Crowley, em sua publicação de 1904, The Book of the Law (O Livro da Lei). Crowley foi um controverso e mal-compreeendido mago e ocultista dos meados do século XIX e início do século XX. Ele declarou que esse livro foi ditado a ele por seu espírito guardião, um deus-demônio, a encarnação de Set, um deus egípcio, a quem Crowley chamava de Aiwas. Embora alguns interpretem a lei como permissão para fazer pura anarquia, pode na verdade significar que alguém tem que fazer o que deve fazer e nada mais (Guiley, 76).


106, 1, 1, ... Alice no País das Maravilhas.

Alice no País das Maravilhas, escrito por Lewis Carrol, foi a história infantil na qual uma jovem menina chamada Alice entra em um mundo que ela jamais poderá entender totalmente. Essa história foi tanto uma aventura para crianças Quanto um trabalho satírico (Encyclopedia Americana 577).


109, 1, 1, ... uma história de Ray Bradbury que você me leu, sobre um trigal...


A história é A Foice, do livro The October Country. O livro contém outros nove contos, e aqui no Brasil foi publicado com o nome de Outros Contos do País de Outubro.


111, 2, 1, Eu estou esperando o homem.

Esta é uma citação da canção de Velvet Underground Heroin (Heroína) sobre um viciado que espera por sua conexão que vai trazer mais de sua droga para lhe vender.


111, 3, 3, Adeus, Minha Amada (Cartaz)


Este filme de 1945, cujo título em inglês é Farewell, My Lovely, foi produzido pela RKO. Foi um dos primeiros filmes noir, um estilo caracterizado pelo violência e depravação de suas personagens, seu enredos complexos e sua fotografia sombria e de alto-contraste. Este filme foi adaptado de um romance de Raymond Chandler, e trata da procura de um detetive particular pela namorada de um ex-condenado (Halliwell 314).


116, 2, 2, Eva Perón..., Evita...e Não Chores por mim, Argentina...

Eva Perón foi a esposa de Juan Perón, antigo presidente da Argentina,de 1946 a 1952. Eva Perón, também conhecida como Evita, controlou o sindicato trabalhista, e os purgou de seus líderes, fazendo-os assim completamente dependente do governo. Ela também suprimiu grupos que a insultavam. Porém, ela era bastante querida por muitos de Argentina. Eva Perón inspirou um musical, Evita, escrito por Andrew Lloyd Webber, e encenado pela primeira vez em Londres em 1978.


118, 1, 1, ...e deu estes passos em tempos antigos...

As primeiras linhas do poema And Did Those Feets, de William Blake.


121, 2, - ...então, como podes me dizer que estas sozinho.../ ... e afirmar que o sol não brilha para ti?/ Dá-me tuas mãos e vem comigo pelas ruas de Londres./ Eu lhe mostrarei algumas coisas.../ ... que te farão mudar de idéia.

Esta pode ser uma canção real; porém, Fui incapaz de determinar sua origem ou qualquer outra informação sobre ela.


143, 2, 2, Les Miserables (cartaz)

Este cartaz pertence a Les Miserables (Os Miseráveis), uma moderna peça de ópera de Claude-Michel Schonberg, baseada no romance de Victor Hugo e encenada pela primeira vez em Londres em 1980. Fala sobre um insignificante ex-criminoso que, saído da prisão, se torna um líder revolucionário (Behr 391).


146, 2, 2, As notícias de minha morte foram... exageradas.


Esta citação é de um telegrama enviado de Londres à Associated Press por Mark Twain, escritor americano, em 1897 (Bartletts 625).


148, 3, 1, ... um funeral viking.

Os vikings enterravam seus mortos primeiro colocando o cadáver em um navio e, depois de atear fogo na embarcação, empurravam-na para dentro do mar.


151, 3, 1, Ave atque vale

Latim, que significa, como vemos no quadrinho posterior, Olá e adeus (Simpson 63, 70, 629).


E assim chegamos ao fim das anotações desta que é, sem nenhuma dúvida, uma das mais importantes HQs de todos os tempos. É óbvio que mais referências podem ser encontradas com um estudo mais apurado e demorado. Lembre-se que você também vai encontrar uma relação mais resumida destas anotações nos dois livros de V de Vingança publicados pela Via Lettera, porém algumas com mais detalhes do que as vistas aqui. Caso você conheça mais alguma referência de V de Vingança que não foi listada nessas páginas e quiser apontá-la para nós, por favor, mande-nos um e-mail, ok?

INÍCIO ------------- VOLTAR

 

 

 
 
 
1 1