SINOPSES

Wild C.A.T.S


Em julho de 1995, fomos apresentados a uma grande reviravolta na vida dos WildC.A.T.S. Logo após o crossover Tempestade de Fogo com os personagens da Wildstorm, vimos o que é considerada a melhor fase de suas histórias. Por que? Que tal isso: Alan Moore! O genial escritor pegou a imcubência de escrever o título, elevando-o a novas alturas! As histórias não só aconteceram em um planeta, mas em dois! Durante a maior parte de sua estadia nos WildC.A.T.S, seguimos as aventuras dos novos WildC.A.T.S, mais sanguinários, na sua tentativa de erradicar o crime das ruas e as revelações sobre Khera que a equipe original tristemente encontrou. Todas estas emoções aconteceram em 14 edições nos Estados Unidos, e deram novo fôlego a Wildstorm como um todo.

Aqui no Brasil..., bem, aqui no Brasil, as histórias dos WildC.A.T.S. não foram apresentadas de maneira decente, mais cheia de interrupções. Começando pela editora Globo, que publicou as primeiras (e fracas) histórias em edições impecáveis, de papel couchê, passando para as mãos da editora Abril, que uniu em uma só edição de papel jornal, os títulos dos WildC.A.T.S. e do GEN 13, publicando a fase de histórias escritas por James Starman Robinson. Curiosa e acertadamente, a editora decidiu acelerar a publicação do crossover Tempestade de Fogo em uma mini-série de duas edições em formatinho, para começar a publicar logo as histórias de Moore. Mas este intento falhou justamente nesta fase. Foram publicada apenas doze edições da revista, mas as histórias de Moore foram lançadas em apenas seis delas, sendo que nas edições 10 e 11, a história Catfight! publicada no número 25 da edição americana, foi dividida em duas partes.

Cabe aqui uma ressalva: ao que parece, o carro chefe da revista era o GEN 13; os WildC.A.T.S. eram apenas secundários. A minha suspeita aqui é que a história Catfight! poderia ter sido publicada numa única edição, mas não o fizeram. Mas na última edição (número 12), DUAS histórias do GEN 13 foram publicadas, roubando o espaço dos C.A.T.S.. Assim ficamos sem ver mais uma das histórias da série escrita por Moore, que poderia ter ido até a história Catcall! (da edição americana #29). Simplesmente lamentável...

Após a segunda interrupção, surgiu uma luz no fim do túnel, graças a iniciativa da Mythos Editora de continuar o trabalho da Abril, no mesmo formato (papel jornal). Como tudo que é bom dura pouco, infelizmente só foram publicadas três edições, e a editora alegou problemas contratuais que impediam a publicação da revista (imagino que o principal motivo foi a baixa vendagem mesmo...).

Assim só foram publicadas aqui no Brasil, apenas oito das 14 histórias escritas por Alan Moore. Como parece que nunca mais vamos falar do restante, decidi fazer uma pequisa na Rede e lançar a sinopse de todas as histórias que Moore realizou para os WildC.A.T.S., na tentativa de amenizar a decepção dos fãs aqui no Brasil.

As sinopses das edições ainda inéditas no Brasil dos WildC.A.T.S. de Alan Moore mostram que as histórias estavam cada vez melhores, e o desfecho na última história escrita por Moore é simplesmente espetacular. Confira!


HISTÓRIAS PUBLICADAS NO BRASIL

WildC.A.T.S. #21---WildC.A.T.S. #22---WildC.A.T.S. #23---WildC.A.T.S. #24

WildC.A.T.S. #25---WildC.A.T.S. #26---WildC.A.T.S. #27---WildC.A.T.S. #28


HISTÓRIAS INÉDITAS NO BRASIL

WildC.A.T.S. #29---WildC.A.T.S. #30---WildC.A.T.S. #31

WildC.A.T.S. #32---WildC.A.T.S. #33---WildC.A.T.S. #34


VOLTAR

 

 

 
 
 
1 1