resumo

 

 

É de extrema importância, que também os profissionais não pertencentes à área contábil, principalmente os administradores, possam se conscientizar do real valor do controle contábil para o sucesso das organizações em tempos de globalização da economia. Eis a principal tendência da evolução contábil: a harmonização internacional. Quais as perspectivas quanto à harmonização internacional das normas contábeis e quais suas implicações na economia mundial fazem parte do atual debate da ciência da contabilidade. Os principais influenciadores do processo de harmonização são os Estados Unidos, com sua hegemonia política e econômica; e a União Européia com seu modelo de integração cultural. A disputa de forças entre esses dois poderosos agentes pode atrasar o desenvolvimento das ações, criando inclusive, a idéia de que a harmonização contábil internacional seria utópica. O Brasil pode, e deve colaborar com a contabilidade. Tanto o Mercosul, quanto as demais uniões econômicas, devem se esforçar para diminuir os entraves do processo. Apesar dos pesares, a contabilidade segue seu rumo. Haverá ainda futuramente um consenso para a criação de normas contábeis internacionais, visto que, do modo como está, a comunicação entre países por meio de demonstrações contábeis mostra-se cada vez mais onerosa. Mesmo com todos os problemas existentes, pesquisas e discussões devem continuar. Até porque, se a globalização é um processo irreversível, então, a harmonização de normas contábeis internacionais é algo inevitável.

 

Palavras-chave: contabilidade internacional, harmonização e mercado de capitais.  

 

 

 

 

 

STEFFEN, Angela Marcia. O papel da contabilidade internacional na economia: desafios e perspectivas da harmonização contábil. Curitiba: FACINTER, 2005.