O artesanato brasileiro é um dos mais expressivos e ricos do mundo. A criatividade é a marca registrada dessa arte moldada na cultura, na história e no cotidiano nacional. Além de estimular o turismo, a produção e a comercialização artesanal é uma fonte de riqueza, gerando mão-de-obra e desenvolvendo núcleos populacionais em todo o país.

Na região Nordeste se encontra o mais diversificado e original artesanato. A perícia dos tradicionais artesãos transformam matérias-primas como o barro, couro, madeira, rendas e a palha em peças artísticas de real valor.

O município de Caruaru, no estado de Pernambuco, é reconhecido pela Unesco como o maior centro de arte figurativa das Américas. A fantástica produção de seus artesãos é exposta em uma feira com 5 mil barracas. Na capital, Recife, o autêntico artesanato nordestino também é encontrado na Casa da Cultura e no centenário Mercado São José.

Na Bahia, ainda na região Nordeste, as obras artesanais surgem do barro e das rendas e do couro, simbolizando o cotidiano do homem rural e os antigos costumes urbanos. Na região Norte, a exuberante flora amazônica fornece a variada e rica matéria prima para a fabricação de panelas de barro, pilões (onde se amassa o grão de café) redes (utilizadas pelos índios para dormir), cestas, peneiras, louças de cerâmica e bijuterias.

O artesanato brasileiro integra o Pavilhão da Criatividade, que reúne a mais completa e rica coleção de arte popular latino-americana. O pavilhão, que exibe o trabalho de artistas populares e artesãos anônimos, é um setor do Memorial da América Latina, em São Paulo.


1