Tradução feita por Caio Beraldo - E-mail: caioberaldo@uol.com.br
1
1 - From Hades to Earth - Delpht
FROM HADES TO EARTH

It was a dark night, silent and iced
I still remember
A cold breeze blew between
The shaded walls of the castle
Some torches resisted the winds
Silence was everything to be heard

My thoughts span when
In the shadows something
Seemed to peep
Far away, next to the dungeons row,
At the moment I looked at it
A morbid presence I saw
Safe at the same time

And I felt his eyes staring at me...
An amazing fear shivered my spine
I tried to run, but I noticed
That I couldn’t control myself anymore

Suddenly,
That death kingdom escapee
Started to walk towards me
I saw a vulgar specter is wasn’t
But a noble one in a search
For something among the living
Some peace find my soul

From Hades to Earth...
From Hades to Earth...
DE HADES PARA A TERRA

Era uma noite escura, silenciosa e fria
Eu ainda me lembro
Uma fria brisa soprou entre
As sombrias paredes do castelo
Algumas tochas resistiram aos ventos
O silêncio era tudo que se podia ouvir

Meus pensamentos giraram quando
Das sombras algo
Parecia espiar
Longe, próximo do corredor das masmorras,
No momento em que olhei para ela
Uma presença mórbida eu vi
Salvo ao mesmo tempo

E eu senti seus olhos olhando para mim...
Um medo incrível arrepiou minha espinha
Eu tentei correr, mas percebi
Que eu não tinha mais controle sobre mim

De repente,
Aquele fugitivo do reino dos mortos
Começou a andar em minha direção
Eu notei que ele não era um espectro vulgar
Mas um ser nobre à procura
De algo entre os que vivem
Minha alma encontrou alguma paz

De Hades para a Terra...
De Hades para a Terra...

1

2 - Sweet Flavour of Justification - Santarem

SWEET FLAVOUR OF JUSTIFICATION

Ye still hast in thine hearts
The remembrance of an esteemed king
Who fought against the enemies
And dedicated his whole life
To the good of the nation

Young blood became
A sea of stupidity
How many times didst I see my brother
Watching his life slowly passing away
The same life which has abandoned me?

But we canst not
Keep on living in the past
Dear friends, there is a new day coming
(And life must go on)
Into a world o cries
I wouldst lock myself
Liveth on a prayer
Till I couldst reach the light

How many times didst I see
His hands in red?
Dyed by the veins of compassion,
Eyes filled with a splendid shine.
He who hath witnessed so many bodies
On the ground

With his faithful fight the thought us that
We canst not liveth only for the day,
Because the night finishes the expedient
Today the widow hath found a friend

She still carries memories of the king.
Yet nocturnal birds sang,
Announcing a new love
For this reason today,
I’m going to marry her
And I’ll put on her arms
My strong prop.
O DOCE SABOR DA JUSTIÇA

Vós ainda tendes em vossos corações
A lembrança de um rei estimado
Que lutou contra os inimigos
E dedicou toda a sua vida
Ao bem da nação

Sangue jovem se tornou
Um mar de estupidez
Por quantas vezes eu vi meu irmão
Olhando sua vida passando lentamente
A mesma vida que havia me abandonado?

Mas nós não podemos
Continuar a viver no passado
Caros amigos, há um novo dia chegando
(E a vida deve continuar)
Em um mundo de lamentos
Eu preferiria trancar a mim mesmo
Viver em uma oração
Até que eu pudesse alcançar a luz

Por quantas vezes eu vi
Suas mãos em vermelho
Morto pelas mãos da compaixão
Olhos cheios de um brilho explêndido
Ele que havia testemunhado tantos corpos
Ao chão

Com sua luta fiel ele nos ensinou que
Nós não poderíamos viver apenas para o dia,
Porque a noite termina o expediente
Hoje a viúva encontrou um amigo

Ela ainda carrega lembranças do rei
Mesmo que pássaros noturnos cantem,
Anunciando um novo amor
Por esta razão hoje,
Eu irei me casar com ela
E eu colocarei em seus braços
Meu forte apoio

3 - The Happiness of the Queen - Voice Vignette

THE HAPPINESS OF THE QUEEN 

1

I'm about to give not only my body,

But also my soul

I swear I'll protect the gates of the kingdom

As they hast always been protected

Regrets phere art not

And clouds art smiling as thou canst see

Watch! Like a fenix, rises again

The happiness of the Queen

As having life in the kingdom,

She finally sees once more

A FELICIDADE DA RAINHA

1

Eu estou prestes a dar não só o meu corpo,

Mas também a minha alma

Eu juro que protegerei os portões do reino

Como eles sempre foram protegidos

Não há arrependimentos

E as nuves estão sorrindos, como pode ver

Olhe! Como um fênix renasce

A felicidade da Rainha

Tenho uma vida dentro do reino,

Ela finalmente vê mais uma vez

4 - Visions of the Beyond - Hammer of the Gods

VISIONS OF BEYOND 

1

Before my very eyes it appeared

(Certain night)

So alive as my bated breath

At the first moment

I couldst not believe

Insisted I hast so I waited

For the same dead hour

1

While such freezing cold

Charmed the silence,

There he was, standing clearly far away

Only a true king

Could act that way

He was the night preceding the day

1

In his eyes, chagrin oceans

Drowned his rage

His face, formerly hot like the sun

Was mantled by the virgin snow
1

Yes, he looked steadily at me

He waved his hand and
I thought I had something to say
But on the distant horizon
Which seemed so close
Dawn was breaking once again
A fearful feeling
Filled his eyes and he disappeared
As the cock crowed!
1

"My lord, if thine eyes believe that

This ghost is really thy dead father
Won't thee show thyself to him
In order to discover
The reasons of his return...
If he's a demon,
Or an angel with broken wings,
Thou shalt at least investigate, my lord
For nothing returns from the afterlife
After losing what was trust to us
Before our birth
1

So, follow us through this dark night

And take with thee thy honour

When a phantom returns, it's because

Something is coming up

And there is a rotten smell

On Denmark's ground..."

VISÕES DO ALÉM
1

À frente de meus olhos ele apareceu

Em uma certa noite
Tão vivo quanto minha respiração
Num primeiro momento
Eu não pude acreditar
Eu insisti então eu esperei
Pela mesma hora marcada
1

Enquanto um frio congelante

Encantava o silêncio
Ali estava ele, ficando claramente longe
Apenas um verdadeiro rei
Poderia agir daquela maneira
Ela era a noite que precedia o dia
1

Em seus olhos, oceanos de humilhação

Afogaram sua raiva
Seu rosto, antes quente como o sol
Estava coberto pela neve virgem
1

Sim, ele olhou fixamente para mim

Ele acenou com sua mão
E eu pensei que tinha algo a dizer
Mas no distante horizonte
Que parecia tão próximo
O dia estava nascendo mais uma vez
Um sentimento de temor
Preencheu seus olhos e ele desapareceu
Enquanto o galo cantava
1

“Meu senhor, se teus olhos acreditam que

Este fantasma é realmente teu pai morto
Por que você não se mostra à ele
A fim de descobrir
As razões de seu retorno...

Se ele é um demônio,

Ou um anjo com asas quebradas,
Tu deves ao meno investigar, meu senhor
Pois nada retorna da outra vida
Depois de perder o que nos é de confiança
Antes de nosso nascimento
1

Então, siga-nos através desta noite escura

E leve com você tua honra
Quando um fantasma retorna, é porque
Algo está acontecendo
E há algo de pobre
No reino na Dinamarca...”

5 - Villainy - Flute Vignette

VILLAINY

l

"My father's ghost carries weapons
No, things are not going well
I suspect of some villainy
Let's wait for the night to come
And until then my soul will stay calm
Even if the whole land tries to hide them
At the end, the evil acts will appear!"

VILANIA
l
“O fantasma de meu pai carrega armas  
Não, as coisas não estão indo bem
Eu suspeito de alguma vilania
Vamos esperar que a noite venha
E até lá minha alma ficará calma
Mesmo que toda a terra tente escondê-los
No final, os atos malignos irão aparecer!”  

6 - The King's Return - Krusader

THE KING'S RETURN
1
Skies that art over my head
Heaven or Hell in this emissary from?
Cheating my soul art my eyes!
How canst such resemblance exist?
1
No! Among sun and moom resemblance there is
The most correct word for what I see is
Equality
This sensation that drowns my spirits makes me
Call there Hamlet, King of Denmark, my father!
1
I do not fear for my life, because
I'm so immortal as thee
And there's no way to lose something
That doth not belong to us.
Go ahead, I'll follow thee and soon
I'll know the reasons...
Why hath the king returned...
1
Tell me, my beloved father.
What made thee rip out thy shroud
And walk once again in a world
That doth not belong to thee anymore?
1
Tell me, lord of the lords,
owner of my soul
Thou art so generous for giving me life,
Tell me what I canst do to bring thee peace
And I shalt satisfy thy will
1
Thou hast broken the walls which
Separate the worlds. Why?
Thou hast broken the peace that awaits
For us since born we wert.
1
Tell me father, I'm begging
In the name of the years
That I hast given thee
All my honest feelings

O REI RETORNOU  

1
Céus que estão sobre minha cabeça
Este emisárrio é do paraíso ou do inferno?
Meus olhos estão trapaceando minha alma!
Como pode tamanha semelhança existir?
1

Não! Por entre o sol e a lua semelhança existe

A palavra mais correta para aquilo que vejo é:
Igualdade
Este sensação que afoga meu espírito me faz 
Chamá-lo de Hamlet, Rei da Dinamarca, meu pai! 
1

Eu não temo por minha vida, pois

Eu sou tão imortal como tu

E não há maneira de se perder algo
Que não pertencera a nós
Continue, eu o seguirei e em breve
Eu saberei os motivos...
Pelos quais o rei retornou...
1

Diga me, meu amado pai

O que o fez sair de tua mortalha
E andar mais uma vez em um mundo
Que não mais pertence a ti
1

Diga me, senhor dos senhores,

proprietário de minha alma  
Tu és tão generoso por dar-me a vida
Diga-me o que eu posso fazer para lhe trazer paz
E eu deverei satisfazer tua vontade
1

Tu quebraste as paredes que

Separam os mundo. Por que?
Tu quebraste a paz que aguarda
A toso nós desde nascemos
1

Diga-me pai, eu estou lhe implorando

Em nome dos anos

Que eu lhe dei
Todos os meus honestos sentimentos

7 - The Truth Appears - NervoChaos

THE TRUTH APPEARS
1
Cursed villain, vile vulture
Even the worst carrion thou do not deserve
And thou, my lady, thou hast angel eyes
And lips ful of treason, like and old snake.
Like an old snake
The skies laugh and allow these faults.
1
Puppets in an imperfect world
We art
I’ll write on the boards,
A latent intention
That will accompany thy betrayed brother
1
I hope that the bitter
Of my acid tears
Corrodes thy soul if, as the other, it exist
And my image shalt burn day after day,
Night after night, like a demon of fire
1
Remains of thy dignity
Aborted at thy birth
Rest in peace, condemned soul, I swear
The same hand that killed thee
Will give thee peace
And thou shall has the chance
To chase it in hell or
In the vacuum that lies
Between sky and earth
1
Rest in peace, unlucky ghost
In my brain,
Mean thoughts won't exist
Just the intention of doing my obligation
And my noble heart
Doth not pump blood anymore
But count the seconds
To do such condemnation
1
"Doth anyone canst smile...
Be a villain and smile?
In Denmark, I know, this is true!"
A VERDADE APARECE
1
Vilão amaldiçoado, abutre vil
Mesmo a pior podridão tu não mereces
E tu, minha esposa, tu tens olhos de anjo
E lábios cheios de traição,
Como uma velha cobra
Os céus riem e permitem tais defeitos
1
Marionetes em um mundo imperfeito
Nós somos
Eu escreverei nos quadros,
Uma intenção latente
Que irá acompanhar teu irmão traído
1
Eu espero que o amargo
De minhas lágrimas ácidas
Corroa tua alma se é que ela existe
E que minha imagem queime dia após dia
Noite após noite, como um demônio de fogo
1
Restos de tua dignidade
Abortaram em meu nascimento
Descanse em paz, alma condenada, eu juro
Que a mesma mão que o matou
Lhe trará paz
E tu terás a chance
De caçá-la no inferno ou
No vácuo que existe
Entre o céu e a terra
1
Descanse em paz, fantasma sem sorte
Em meu cérebro,
Pensamentos maus não existirão
Apenas a intensão de fazer minha obrigação
E meu nobre coração
Não mais bombeia sangue
Mas conta os segundos
Para fazer tal condenação
1
“Alguém pode sorrir...
Ser um vilão e sorrir?
Na Dinamarca, eu sei, isto é verdade!”

8 - The Play - Guitar Vignette

THE PLAY

A theatre crew has come to Elsenor

Hamlet noticed those actors

Could help him

For besides his talking

With his father soul

He knew it could be
Just an evil spirit
The actors would serve for his cause
Because he heard once phe story
Of a criminal who
Saw a crime similar to this
And felt on his knees, confessing his guilty

A PEÇA

Um elenco de teatro veio para Elsenor
Hamlet percebeu que estes atores 
Poderíam ajudá-lo
Pois apesar de suas conversas
Com a alma de seu pai
Ele sabia que ele poderia ser 
Apenas um espírito maligno
Os atores serviriam para sua causa
Porque ele uma vez ouvira a história
De um criminoso que
Testemunhou um crime similar à este
E caiu de joelhos, confessando sua culpa

9 - A Letter to Ophelia - Vers'Over

A LETTER TO OPHELIA

1

Art thou really pure? Are thou beautiful?

If thou believe in those virtues,

Thou must fear the dawn,

For suffering rides with the wind
1

The strenght of beauty brings

A grape wine bearing rotten fruits
And indeed slaves thy soul.
Lock thyself into a convent
Condemn thyself to liveth on prayers
1

Don’t give birth to sinners as

Everybody else doth
But if thou intend to break the laws
As a gift a plague
I shalt give thee
1

Thou shouldst be pure as the ice,

Pure as the snow,
There won't hast places to
Hide thyself from the lies
If thou insist in follow this way,
Search for a fool,
Incapable to see difference
Between sun and moon
Those who hast received my warning
Know thee make
Angels into demons
1

God gave thee a face

But thou hast painted another one
For thine own greedy use
Thou hide whereof is inside
1

Walking slowly,

Thou drive men crazy
Thou and thy sweet and sublime voice
Art as charming as a mermaid
A beautiful mermaid and tuneful mermaid
1

Remember these words,

For I'll tell them only once
Shame on thine acts.
Save what's immortal

Because my body's death

Will burn only a part of sins
1

Other marriages won't happen anymore

Go and keep with thee
The remains of thy life

Thou who hast wrought

Malice into stupidity
And this play hath put me

In the role of a crazy actor

UMA CARTA PARA OPHELIA
1
Tu és realmente pura? Tu és bonita?
Se tu acreditas em tais virtudes,
Tu deves temer o nascer do sol
Pois o sofrimento anda com o vento
1
A força da beleza traz
Um vinho feito de frutas apodrecidas
E de fato escraviza tua alma
Tranque-se dentro de um convento
Condene a si mesmo a viver em orações
1
Não dê a luz à pecadores como
Todo os outros fazem
Mas se tu pretendes quebrar as leis
Como um presente uma praga
Eu devo lhe dar
1

Tu deverias ser pura como o gelo,

Pura como a neve,
Não haverá lugares para 
Esconder-se das mentiras
Se tu insistires em seguir este caminho,
Procure por um tolo
Incapaz de ver a diferença 
Entre o sol e a lua
Aqueles que receberam meu aviso
Sabem que tu transformas 
Anjos em demônios
1

Deus lhe deu um rosto

Mas tu pintaste um outro diferente
Para teu próprio uso ambicioso
Tu escondes o que há por dentro
1

Andando vagarosamente,

Tu levas os homens à loucura
Tu e tua doce e sublime voz
São tão encantadoras como uma sereia
Uma bela sereia e uma melodiosa sereia
1

Lembre-se destas palavras,

Pois eu as direi apenas uma vez
Tenha vergonha de seus atos.
Salve o que é imortal
Porque a morte de meu corpo
Irá queimar apenas uma parte dos pecados
1

Outros casamentos não mais acontecerão

Vá e mantenha com ti
Os restos de tua vida
Tu que transformaste
Malícia em estupidez
E esta peça me colocou
No papel de um ator louco

10 - Dagger of the Words - Sagga

DAGGERS OF WORDS

1

Dusky visions posses my body!

A craving on blood seduces my soul!
My tongue is like a dagger
Claiming for justice; I must hold it
1

This is part of the night

When graveyard gates
Art open
And awaiting for every soul
That walks between Heaven and Hell
1

How far canst a man go

To restore his name?
How far canst a man go?
1

Yet I couldst realize

Terrible actions that could
Cloud a bright dawn
And the sun would not shine
To see its fields full of blood
1

I will silent my savage soul

And lay down the peace deep
In my heart
Because I'm condemned by filial love
I shalt cause no evil
But for sure I'll be cruel

ADAGAS DE PALAVRAS  

1
Visões obscuras possuem meu corpo!
Um desejo por sangue seduz minha alma!
Minha língua é como uma adaga
Clamando por justiça; Eu devo segurá-la
1

Esta é a parte da noite

Quando os portões do cemitério 
Estão abertos
E esperando por todas as almas
Que andam entre o Paraíso e o Inferno
1

Quão longe pode ir um homem

Para restaurar seu nome?
Quão longe pode ir um homem?
1

Ainda eu não podia perceber

Terríveis ações que poderíam
Cobrir de nuvens um brilhante nascer do sol
E o sol não brilharia
Para ver seus campos cheios de sangue
1

Eu irei silenciar minha alma selvagem

E deixar a paz profundamente 
Dentro de meu coração
Porque eu estou condenado pelo amor filial
Eu não devo causar nenhum mal
Mas certamente eu serei cruel

11 - Prayers in the Wind - Imago Mortis

PRAYERS IN THE WIND

1
Oh, how canst I walk on Earth
Carrying on my back
The weight of a thousand men?
My acts art full of envy and greed
1

How canst a man be patient and live,

Knowing that he'll pay the price?
The justice that comes from the skies
Whence only canst enter immaculate souls
1

I wish I couldst wash my sins away

Oh skies, there's not enough rain
1

But the air I breath...

So pure, as it enters my lungs,
It takes everywhere
My inner pollution
To wash my soul,
So terrible is my crime
1

The skies may understand

Neither say a prayer I canst
What is the reason for mercy?
1
How canst the skies forgive me
If I can't understand myself?
I'm guilty
1

These vary hands

That touch my wife,
Strike my poor sister in law
These vary hands destroyed the king
And my brother, with the same stroke
1

My knees touch the cold ground,

Cheat the pain I will not
I won't leave in victory,
So I beg thee, give me death
ORAÇÕES AO VENTO
1
Oh, como poderei eu andar pela terra
Carregando em minhas costas
O peso de mil homens?
Meus atos estão cheios de inveja e ganância
1

Como pode um homem ser paciente e viver,

Sabendo que ele pagará o preço?
A justiça que vem dos céus
Onde apenas entram almas imaculadas
1

Eu gostaria de poder lavar meus pecados

Oh céus, não há chuva o suficiente
1

Mas no ar que eu respiro... Tão puro,

Enquanto ele entra em meus pulmões,
Ele leva à todos os lugares 
Minha poluição interna
Para lavar minha alma, 
Tão terrível é meu crime
1

Os céus devem entender

Eu não posso nem rezar uma oração
Qual é a razão da piedade?
1
Como podem os céus me perdoarem
Se eu não posso entender a mim mesmo?
Eu sou culpado
1

Estas mesmas mãos

Que tocam minha esposa,
Atacam minha pobre cunhada
Estas mesmas mãos destruíram o rei
E meu irmão, com o mesmo golpe
1

Meus joelhos tocam o chão frio

Eu não irei enganar a dor
Eu não partirei vitorioso,
Então eu lhe imploro, dê-me a morte

12 - Stormy Nights - Symbols

STORMY NIGHTS

1
Insanity don't has I
My measured pulse
Plays healthy notes, as yours...
1
Let's quiet the thoughts
Let's repent for our sins
Let the skies carry the guilty
And give thee back to the world
As thou came, so pure...
1

Conjure thy future

Don't spread manure on this fields
Forgive me, but as I care for thee...
1
I must say throw up the bad part
Live with the good part
And there won't be storms on thy days
1

If you just hear

Someone calling you tonight
Don't look back, protect thy heart
And try to keep thy soul
As thou did before, unsoiled...
NOITES DE TEMPESTADES
1
Insanidade eu não tenho
Meu pulso medido
Toca notas saudáveis, como o seu...
1

Vamos silenciar os pensamentos

Vamos nos arrepender de nossos pecados
Deixe os céus carregarem a culpa
E lhe devolver ao mundo
Como tu viste, tão puro...
1
Conjure teu futuro
Não espalhe adubo por estes campos
Perdoe-me, pois eu me importo com você...
1
Eu devo dizer jogue fora a parte ruim
Viva com a parte boa
E não haverá tempestades em meus dias
1

Se você apenas ouvir

Alguém lhe chamando esta noite
Não olhe para trás, projeta seu coração
E tente manter sua alma
Como tu fizeste antes, sem manchas...

13 - Hands of Fury - Keyboard Vignette

HANDS OF FURY

1
"At the Queen's bedroom,
My tongue was like a dagger,
Hidden behind the curtain,
I was held by the hands of fury,
While my incomprehension
Killed Polonium
Who tried to convince the Queen
To illuminate her son's mind"
MÃOS DA FÚRIA 
1
“No dormitório da Rainha,
Minha língua era como uma adaga,
Escondida por trás da cortina,
Eu estava preso pelas mãos da fúria,
Enquanto minha incompreensão
Matou Polonium
Que tentou convencer a Rainha
A iluminar a mente de seu filho!”

14 - Hidden by Shadows - Hangar

HIDDEN BY SHADOWS

1

About his death I'm telling the truth

I felt in the deep of my heart,

But I wash my soul
Because only shadows should crawl
A good intentioned person
Doth not hide himself
Wherefore I denounced him
At this same supper
1

Whence thou not eat, but thou art eaten

‘Tis we art hunters, nevertheless
When the darkness hit our eyes and
We come back to dust
The main dish for the worms
We become
1

They canst even

Take away my mind

But I know death
Is just a part of life
1

We use living creatures

To put on some weight
But at the end, the worms do
The same with us

There's no difference,

We art nothing but food
1

A fat king, or a thin homeless

Destined to the same table is, 'tis the end

I see on thy face

Thou hast aversion to my words
The truth is only accepted
When convenient 'tis
1

We do not accept it

When it brings changes
And I'm not saying this in order to shock
But to show that
A king canst travel to
The bowels of a homeless
1

Take it easy,

Thou will discover the old man's body
After a while, when thou follow
The stairs that lead to the gallery
ESCONDIDO POR SOMBRAS
1
Sobre sua morte estou contando a verdade
Eu cai nas profundezas de meu coração,
Mas eu lavei minha alma
Porque apenas sombras deveriam rastejar
Uma pessoa bem intencionada
Não esconde a si mesma
Onde eu o denunciei
Nesta mesma ceia
1

Quando tu não comes, tu és comido

Nós somos caçadores, apesar de
Quando a escuridão atinge nossos olhos e
Nós voltamos ao pó
O prato principal para os vermes
Nós nos tornamos
1

Eles nem ao menos podem

Levar minha mente embora
Mas eu sei que a morte
É apenas uma parte da vida
1

Nós usamos criaturas vivas

Para ganharmos peso
Mas no final, os vermes fazem
O mesmo conosco
Não há diferença,
Nós não somos nada além de comida
1

Um rei gordo, ou um magro sem-teto

Destinados à mesma mesa, este é o fim
Eu vejo em teu rosto
Que tu tens aversão às minhas palavras
A verdade apenas é aceita
Quanto é conveniente
1

Nós não a aceitamos

Quando ela traz mudanças
E eu não estou dizendo isto para chocar
Mas para mostrar aquilo
Um rei não pode viajar para
Os intestinos de um sem-teto
1

Vá com calma,

Tu descobrirás o corpo do velho homem
Depois de algum tempo, quando tu seguires
As estrelas que levam à galeria

15 - Mandate for Freedom - Torture Squad

MANDATE FOR FREEDOM

If thou hast any affect inside of thee
Thou won't think twice before...

Answering my request, however
If it's needed, I'll use my power
To impose thee my will
Scars left
By the words of Denmark
Are still flowing as a river,
Enjoy them!
I'll give thee a chance for payback
I'll send thee
To prince Hamlet lands
The son of the leader who stained...

The dignity of our loved country
That man, possessed by insanity
A rock on my way hath become,
And if there's hate inside of me...

Fury covering my mute words,
Thou know now, there's a motive
It's a disease
That doth not let my soul grow...
Doth not let my thoughts
Fly with the dawn...
Yet nothing I canst do
For the people 
Really love him with the heart and 
If I tried anything against his person 
I wouldn't lie myself on the ground

So I command thee, heal my disease
Bring down the son of the one
Who defeated thee
This letter I sign with holy seal
Preserved by your silent agreement
And I expect nothing but thy respect
Do not wait for giving me joy back
Only the prince's death shall set us free
From the rights we hast over his home

MANDATO POR LIBERDADE

Se tu tens algum afeto dentro de ti
Tu não pensarás duas vezes antes de...

Responder ao meu requerimento, porém
Se for necessário, eu usarei meu poder
Para impor-lhe minha vontade
Cicatrizes deixadas
Pelas palavras da Dinamarca
Ainda estão fluindo como um rio,
Aproveite-as!
Eu lhe darei uma chance para vingança
Eu lhe mandarei
Às terras do príncipe Hamlet
O filho do líder que manchou...  

A dignidade de nosso amado país
Aquele homem, possuído pela insanidade
Se tornou uma rocha em meu caminho,
E se há ódio dentro de mim...

A fúria cobre minhas palavras mudas,
Tu sabes agora, há um motivo
É uma doença
Que não deixa minha alma crescer...
Não deixa meus pensamentos
Voarem com o nascer do sol
Ainda que eu não possa fazer anda
Pelo povo
Eu realmente o amo com o coração e
Se eu tentasse algo contra sua pessoa
Eu não me deitaria no chão

Então eu lhe ordeno, cure minha doença
Traga-me o filho daquele
Que o derrotou
Esta carta eu assino com lacre sagrado
Preservado por seu acordo de silêncio
E eu não espero nada além de seu respeito
Não espere para me devover a alegria
Apenas a morte do príncipe nos libertará
Dos direitos que temos sobre seu lar

16 - Trap - Fates Prophecy

TRAP

  I thou loved thy father
Hither is the chance to fell thy rage
He is coming back, bringing
The problems of a tormented life

  Calm down, be kind with the man,
Wait till the final moment
Thou will disguise thy fury fighting
In the name of the King and the Queen

  For illusions fight you both will
Just to give some sense to the trap

  Vengeance hath no limits, vengeance
Whence other hath mistaken, do it right

  I'll anoint my sword with deadly poison
A simple drop shalt be enough
To cause total pain and death
This will guarantee our victory

  A poisoned chalice I'll prepare
But at the same instant he drinks
Thou hast to kill him with thy sword
It's the only way to get out by the front door

  At the end of the play, thoughts
And dry lips dived into vengeance

ARMADILHA

  Se tu amaste teu pai
Maior é a chance de sentir tua raiva
Ele está retornando, trazendo
Os problemas de uma vida atormentada

Acalme-se, seja gentil com o homem,
Espere até o momento final
Tu irás disfarçar sua fúria lutando
Em nome do Rei e da Rainha

Você dois lutarão por ilusões
Apenas dê algum sentido à armadilha

A vingança não tem limites, vingança
Onde outros erraram, faça certo

Vou ungir minha espada com veneno mortal
Uma simples gota deve ser o suficiente
Para causa dor total e morte
Isto irá garantir nossa vitória

  Um cálice envenenado eu prepararei
Mas no mesmo instante ele bebe
Tu deves matá-lo com tua espada
É o único jeito de sair pela porta principal

E no final do combate, pensamentos
E lábios secos mergulharam em vingança

17 - Good by my dear Ophelia - Eterna

GOOD BY MY DEAR OPHELIA

  Wherefore didst thou mutilate rituals?
A poor soul hath taken away her own life?
And wherefore doth my mother goes along
With hurricane eyes

  'Tis hard to believe what I see
Art not these many daggers knifed in
My body enough for my very sins?
And now, one more, mixture of
Tears, pain and blood.

  Oh dear Ophelia
Wherefore hast thou abandoned this heart?
Crazy and far away I know I was
But I had to pretend madness to act

  I never lost my reason... till now
'Tis gone, maybe in thy funeral
If I'm right thou shalt
Become an angel
With great things
Thy love I shalt protect

ADEUS MINHA QUERIDA OPHELIA

Para que você mutilaste rituais?
Uma pobre alma tirou sua própria vida?
E a razão pela qual minha mãe continua
Com olhos de furacão

Isto é difícil de acreditar, o que vi
Não são estas muitas adagas cravadas em
Meu corpo suficientes para meus pecados?
A agora, mais uma, mistura de
Lágrimas, dor e sangue.

Oh, querida Ophelia
Para que você abandonaste este coração?
Eu sei que estava louco e distante
Mas eu tinha que fingir loucura para atuar

Eu nunca perdi minha sanidade... até agora
Isto se foi, talvez em teu funeral
Se eu estou certo tu deverás
Tornar-se um anjo
Com grandes coisas
Teu amor eu devo proteger

18 - The Last Words - Tuatha De Dannan

THE LAST WORDS

  Watching this terrible scene - I am
Shivering with fear, the silence of king
My eyes see disgrace everywhere around
There's no way to return, no things to do

  You Horatio, listen to me
Tell the people my history

  "Don't be so sure my lord.
There's still a little of poison
Walk down with thee to the other side
I will!”

  The poison slowly wins my soul
Good by to my Queen, to everyone
Night comes to my eyes
And silence too
There's no way to return, no things to do

  Dear friend
As I say
Do everything...
If thou hast
Loved me
Please clean my name!

  Maybe the truth will reign on this land
Maybe someday I shall live again...

  The poison is winning my life and
Night is coming to my eyes
Nothing new from England I will listen
Yet I believe
Fortinbras shalt win the elections
Explain all the causes
And clean my name

  The rest... is silence!

AS ÚLTIMAS PALAVRAS

Observando esta terrível cena - Eu estou
Tremendo com medo, o silêncio de um rei
Meus olhos vêem desgraça por toda parte
Não há como voltar, nada a fazer

Você Horatio, ouça-me
Conte minha história às pessoas

“Não tenta tanta certeza, meu senhor
Ainda há um pouco de veneno
Andar com ti até o outro lado
Eu irei!”

O veneno vagarosamente vence minha alma
Adeus à minha Rainha, à todos
A noite vem aos meus olhos
E o silêncio também
Não há como voltar, nada a fazer

Caro amigo,
Como eu digo
Faça de tudo...
Se você tiver
Meu amado
Por favor limpe meu nome!

Talvez a verdade reinará nesta terra
Talvez um dia eu deva viver novamente...

O veneno está vencendo minha vida e
A noite está vindo aos meus olhos
Nada novo da Inglaterra eu ouvirei
Apesar de eu acreditar que
Fortinbras irá vencer as eleições
Explique todos os motivos
E limpe meu nome

O resto... é silêncio!

19 - To Be - C/ Vocais de Todas as bandas participantes

TO BE...

  (Eterna)
To be like a lamb, hast innocent eyes
(Santarem)
Of be like a wolf
Bark at the moon my remorse
(Sagga)
To be a barbarian with nothing but strenght

  (Delpht)
Be a wise man
Who hath diplomacy as a friend
(Krusader)
Or remain sober in this insane world
(Torture Squad)
To be a madman,
Speak crazy sharped words
(Hangar)
To be or not to be, that's the question

  (Imago Mortis)
Tis like being something
Without knowing tomorrow
(Tuatha de Danann)
And what is tomorrow
But a page never turned?
(Vers'Over)
Where shall we go
When we stop to be something

  (Fates Prophecy)
What will remain without the human flesh?
(Hammer Of The Gods)
Shouldst I be an angel and forgive or
(Nervochaos)
Shouldst I be death and take away the souls?
(Symbols)
To be or not to be, that's my only question

  What do I think I am,
But something that thinks?
I search deeply
In my existence
For a reason to be or not to be

  (André Matos)
Even knowing what we might not be
May come along with what me might...
That's the question! To be or not to be...

  What do I think I am,
But something that thinks?
I search deeply
In my existence
For a reason to be or not to be

SER...

(Eterna)
Ser como um cordeiro, ter olhos inocentes
(Santarém)
Ou ser como um lobo,
Latir para a lua meu remorso
(Sagga)
Ser um bárbaro com nada além de força

(Delpht)
Ser um homem sábio
Quem tem a diplomacia como amiga
(Krusader)
Ou permanecer sóbrio neste mundo louco
(Torture Squad)
Ser um homem louco,
Falar palavras loucas e afiadas
(Hangar)
Ser ou não ser, eis a questão

(Imago Mortis)
É como ser algo
Se conhecer o amanhã
(Tuatha de Danann)
E o que é o amanhã
Senão uma página nunca virada?
(Vers’Over)
Onde nós devemos ir
Quando paramos para ser algo

(Fates Prophecy)
O que irá retornar sem a carne humana?
(Hammer Of The Gods)
Eu deveria ser um anjo e perdoar ou
(Nervochaos)
Eu deveria ser a morte e levar as almas?
(Symbols)
Ser ou não ser, eis minha única questão

O que eu penso que sou,
Senão algo que pensa
Eu procuro profundamente
Em minha existência
Por uma razão de ser ou não ser

(André Matos)
Mesmo sabendo o que nós não devemos ser
Deverá aparecer o que nós devemos...
Eis a questão! Ser ou não ser....

O que eu penso que sou,
Senão algo que pensa
Eu procuro profundamente
Em minha existência
Por uma razão de ser ou não ser

1