CONTEÚDO INFORMATIVO

Quem são os Beija-flores?   Triste Realidade!    Estratégias de Preservação.  
Lista de Plantas Troquilógamas.   Pessoas Empenhadas na Preservação.


QUEM SÃO OS BEIJA-FLORES?


Os Beija-flores são aves, pertencentes a família Trochilidae. São mais que 320 espécies, das quais 143 são encontradas na Colômbia.

A região dos Andes, na altura do Equador,é a que apresenta a maior concentração de espécies de Beija-flores.

Beija_flor_preto
Habitam exclusivamente o continente americano, do Alasca à Patagônia. No Brasil foram catalogadas aproximadamente 80 espécies de Beija-flores, das quais 28 foram registradas na região do município do Rio de Janeiro. Os Beija-flores são aves muito antigas. Foi encontrado um fóssil do Pleistoceno -20.000 anos- em Minas Gerais.
Beija-flor-roxo Beija-flor-de-papo-branco Beija-flor-bico-reto-de-banda-branca
Você sabia que o menor vertebrado do mundo é um Beija-flor?????? Beija-flor-de-topete O beija-flor é um campeão de voo! Voa até 100km/h. Conseguem vibrar as asas entre 50 e 80 vezes por segundo. Podem ficar parados no ar, podem também voar para trás. Voar para frente, ...para cima e para baixo então?!!! É fácil!
Um dos menores Beija-flores do Brasil é o Lophornis magnífica conhecido popularmente como Topetinho-vermelho. Ele pesa apenas 1,5 a 2,8g ! Beija_flor_topetinho_vermelho As informações contidas neste site são procedentes do livro ORNITOLOGIA BRASILEIRA de Helmut Sick - Editora Nova Fronteira - RJ - 1997.
Beija_flor_brilho_de_fogo O maior beija-flor brasileiro é o Topaza pella, conhecido como Beija-flor-brilho-de-fogo. Ele mora na Amazônia. Pesa de 13 a 18 gramas. É considerado uma espécie rara, não é fácil vê-lo na mata!

O maior beija-flor do mundo vive nos Andes. É o Patagona gigas. Ele pesa 21 gramas (aproximadamente do tamanho de uma andorinha).

Eles não param! Quando não estão procurando alimento, estão defendendo o seu território. São briguentos e corajosos.
Grande mesmo é o coração de um Beija-flor.
Chega a ser 2,5% do seu peso total.

No Homem o coração é 0,5% de seu peso.

O Beija-flor, em repouso, inspira 260 vezes por minuto!

Quando voa o coração movimenta seu sangue 100 vezes mais rápido que o do Homem.

Para manter todo esse "funcionamento" o Beija-flor consome muita energia. Haja calorias!

É por isso que eles se alimentam de néctar, de onde retiram os carboidratos necessários, e também de pequenos insetos, de onde retiram as proteínas e os sais minerais.

Eles são demais!!!!

Comem diariamente 8 vezes o peso de seus corpos!

Conseguem digerir insetos em menos que 10 minutos.

Necessitam em média 6.660 a 12.400 calorias por dia.Gastam aproximadamente 35 calorias por minuto. Para isso necessitam alimentar-se do néctar de mais que 1000 flores.

Haja flor!!!

ATENÇÃO!
Mas não são todas as flores que servem para alimentar os beija-flores!

São adequadas as que têm néctar diluído em concentração pouco acima de 20%.

Russelia_equisetiformis As plantas que possuem flores cujo néctar é adequado à alimentação dos troquilídeos são denominadas de PLANTAS TROQUILÓGAMAS
CUIDADO!! VOCÊ PODE ESTAR MATANDO BEIJA-FLORES SEM QUERER!!!!

Muito cuidado com as "famosas" garrafinhas de água com açúcar (pior ainda são as adoçadas com mel).
Quando ficam no sol fermentam e matam os beija-flores que se alimentam nelas.
Quando ficam mais que 24 horas também fermentam e matam os beija-flores de dor- de barriga.
Quando não são perfeitamente higienizadas, diariamente, criam um fungo que atacam a língua e garganta dos beija-flores matando-os pos asfixia!

Muito cuidado! É melhor plantar flores troquilógamas! São mais bonitas, são alimento natural e com elas os beija-flores não correm riscos!

          
(Aqui ainda teremos um ninho de beija-flor) Os beija-flores têm apenas 2 filhotes de cada vez. O tempo de incubação dos ovos varia, segundo a espécie, de 12 a 15 dias. Os filhotes permanecem no ninho até 30 dias.

O beija-flor pode viver de 12 a 14 anos! Estima-se que a média de vida destas aves estão em torno de 2 a 4 anos, devido a devastação de seus habitats.

Os beija-flores desempenham um papel muito importante na Natureza. São responsáveis pela polinização de milhares de flores, gerando assim milhares de frutos e sementes! Quem diria!?

Se não fossem eles teríamos menos florestas!

Os beija-flores adoram tomar banho! Qualquer "aguinha" serve: uma cachoeira, um laguinho, um regato, chuva, orvalho, regador de grama, etc, etc... (Se você tiver uma foto de um beija-flor tomando banho mande prá nós)

                           Sabemos que ainda há muito que mostrar! Participe!
Conte o que Você sabe!
Mande informações e imagens, faça deste site o "seu"site!    


       TRISTE REALIDADE


            Pasmem com os números!

No Século XIX e início do SéculoXX, na Europa e nos Estados Unidos, os beija-flores eram utilizados na indústria da moda. ...em 1.847, na França, uma certa Madame Finot confeccionava adornos para chapéus com beija-flores empalhados. No início do Século XX, em um leilão em Londres, foram vendidas 37.603 peles de Beija-flores.
...em 1.905 foram utilizados 8.000 peles de beija-flores para fazer um manto para uma senhora... Beija-flor-vermelho Em 1.930, só no mercado de Salvador, Bahia, eram vendidos centenas de couros de beija-flores.
...na mesma época, um único comerciante em Londres importou das Antilhas, em um só ano, mais de 400.000 peles de beija-flores. O beija-flor mais comercializado em Salvador era o Chrysolmpis mosquitus, popularmente conhecido como Beija-flor-vermelho.

          É!!...
Não dá pra acreditar que ainda existem beija-flores voando nos céus da América.

Só em 1.967 o Brasil proíbe o comércio de animais silvestres.

E HOJE???

Hoje mudou a forma, mas a morte continua...          

Os agrotóxicos nas plantações de abacaxi, plantas muito procuradas por beija-flores, mata-0s aos milharea!!! Os agrotóxicos nas plantações de flores e plantas ornamentais, também nos laranjais... uma tristeza!!!
Todas as plantas troquilógamas, em cujas plantações são utilizados os mais variados tipos de venenos, são responsáveis pela mortandade de grande quantidade de beija-flores. Além disso a destruição de seus habitats, a monocultura nos reflorestamentos comerciais, são também ações que inviabilizam a vida, a sobrevivência, a procriação, dos nossos lindos e úteis beija-flores.
ATENÇÃO CAXIAS DO SUL!!!

FAÇAM UMA CAMPANHA PARA QUE DEIXEM DE UTILIZAR BEIJA-FLORES NO PRATO TÍPICO DENOMINADO "PASSARINHO COM POLENTA"  Comer beija-flores é demais!!!!   ISTO É UM ABSURDO!

Até hoje a fiscalização dos aeroportos brasileiros
encontra pessoas inescrupulosas tentando embarcar,
clandestinamente, carregamentos de beija-flores para o exterior.
O passado determinou o extermínio de várias espécies de beija-flores,
os quais só conhecemos por estarem registrados
nas pinturas dos pesquisadores europeus
que vinham para a América na época do império.
Perdas irremediáveis!O presente ameaça os que restaram!
E o pior é que em uma velocidade muito maior.
Antigamente tinham que ir buscar os beija-flores na mata:
hoje destroe-se rápidamente a própria mata que lhes serve de habitat!

Os beija-flores, assim como toda a Natureza, pedem socorro.
Vamos mudar esta triste realidade!
O movimento preservacionista, a favor dos beija-flores, precisa acontecer
em todo o continente americano, para possibilitar
o aumento da população de colibris,
e também na Europa, para impedir a importação destas pequenas
aves americanas, elas não existem para morrer assim.


Estratégias de Preservação


1Embora ainda existam pessoas que persistam na captura predatória, acreditamos que a ação
da fiscalização das instituições responsáveis estejam cumprindo o papel de,
se não impedir completamente, pelo menos inibir tais atuações.
Neste âmbito compete a nós, os ambientalistas, denunciar irregularidades e cobrar uma
atuação governamental cada vez mais ostensiva e eficiente.
Para tal podemos emitir correspondência on-line para: o Presidente da República,
os Governadores, Senadores, Deputados, Vereadores e Dirigentes de Órgãos Governamentais.

Para organizar tal atividade será necessária a elaboração de uma lista de nomes com e-mail
e uma definição de datas para emissão da correspondência.
Estamos aguardando manifestações da comunidade associada para organizarmos esta ação!
Se Você tiver a possibilidade de elaborar a lista de nomes, ou sugerir alguns deles comunique-nos.

2Considerando que a perda de habitat seja, na atualidade, o maior destruidor da população de beija-flores,
recuperar os habitats deverá ser o grande objetivo deste grupo de pessoasinteressadas em sua preservação.
Considerando que os beija-flores são pássaros que podem conviver com o homem nos territórios urbanos,
poderíamos começar a nossa tarefa pela recuperação das condições de alimentação destas aves
dentro do próprio espaço das cidades. As quais seriam tratadas como nichos de preservação da espécie.
Imagine se em cada lote houver uma única espécie vegetal
capaz de proporcionar alimento para os beija-flores. Quantos lotes tem a sua cidade??
Agora imagine jardins inteiros compostos com plantas troquilógamas epraças
e canteiros centrais das avenidas ebosques urbanos....
Seria o princípio de nossa redenção! Certo?!


Para começar vamos conhecer as plantas troquilógamas!
Em seguida vamos plantar a nossa, ou nossas plantas troquilógamas,
nem que for em um vasinho na janela de nosso apartamento!
A Russelia equisetiformis é ótima para janela de apartamento e é uma das preferidas dos beija-flores.
Depois vamos dar mudas de troquilógamas de presente para todos os nossos amigos!
E vamos fazer as pazes com os nossos inimigos para que eles também plantem troquilógamas!
E mais: Vamos criar um viveiro de troquilógamas e fazer um plano de doações mensais,
ou melhor ainda, diárias!
Vamos plantar e incentivar o plantio de troquilógamas.

3Como ação de curto prazo, a educação ambiental  através da divulgação do problema e da proposta,
ora apresentada, deverá ser insistentemente difundida.
Divulgar a beijafloronline deverá ser meta de todo o associado.
Onde divulgar?
Nas escolas,
as quais poderão envolver os alunos no preparo de mudas de plantas troquilógamas
e distribuí-las nos bairros onde se localizarem;
Poderão também promover exposições sobre os beija-flores, palestras... cartazes...
enfim, utilizar o carisma dos beija-flores para fazer
um trabalho de sensibilização de seus alunos para as questões relacionadas
à preservação ambiental.
Nas Universidades,
Nas ONGs,
Nos Órgãos Governamentais,
entre os Amigos,
nas Associações de Bairros,
e
em todos os lugares onde houver a possibilidade de plantar uma sementinha.

4Aqui deixamos espaço para que Você faça a sua proposta.


Lista de Plantas Troquilógamas


ÁRVORES ORNAMENTAIS

Amherstia nobilis - amércia
Bauhinia blakeana - árvore-de-orquídea
Bauhinia fortificata - unha-de-vaca
Bauhinia variegata candida - bauínia-branca
Bombax ceiba - bombax
Brownea grandiceps - braunea-vermelha
Brownea macrophylla - braunea-laranja
Caesalpinae peltophoroides - sibipiruna
Chorisea speciosa - paineira
Callistemon salignus - escova-de-garrafa
Castanospermum australe - castanha-da-austrália
Delonix regia - flamboyant
Erythrina crista-galli - corticeira
Erythrina falcata - corticeira-da-serra
Erythrina velutina - mulungu
Erythrina verna - suinã-coral
Erythrina speciosa - suinã
Eucalyptus ficifolia - eucalipto-vermelho
Gmelina arborea - gmelina
Grevillea banksii - gravilea-anã
Grevillea robusta - gravilea
Inga iuschnanthiana - ingá
Jacaranda mimosaefolia - jacarandá-mimoso
Mimosa scabrella - bracatinga
Spathodea nilótica - espatódea
Tabebuia avelanedae - ipê-roxo
Tabebuia avelanedae vr. paulensis - ipê-rosa
Tabebuia chrysotricha - ipê amarelo
Tabebuia ochracea - ipê amarelo
Tabebuia roseo-alba - ipê branco

FRUTÍFERAS

Ananas comosus - abacaxizeiro
Carica papaya - mamoeiro
Caryocar brasiliense - pequizeiro
Citrus sinensis - laranjeira
Coffea arabica - cafeeiro
Inga marginata - ingá-feijão
Musa sapientum e hibridos - bananeira
Passiflora sp. - maracujazeiro
Punica granatum - romanzeiro
Syzygium malaccense - jambo-vermelho

ARBUSTOS

Abutilon megapotamicum - lanterna-japonesa
Abutilon striatum - lanterna-chinesa
Abutilon venosum - sininho
Acnistus arboreus - fruta-do-sabiá
Aphelandra sinclairiana - afelandra-coral
Aphelandra squarrosa - afelandra-amarela
Aphelandra tetragona - afelandra-vermelha
Bauhinia galpinii - bauínia-vermelha
Caesalpinia pulcherrima - flamboyant-mirim
Calliandra brevipes - esponjinha
Calliandra inaequilatera - esponjinha
Calliandra surinamensis - esponjinha-rosa
Calliandra tweedii - esponjinha-vermelha
Clerodendron speciosum - clerodendro-coral
Duranta repens - duranta
Fuchsia regia - brinco-de-princesa-do-mato
Fuchsia sp. - brinco-de-princesa
Grevillea banksii - gravillea-anã
Hamelia patens - amélia
Hibiscus rosa sinensis - hibisco
Hibiscus schizopetalus - lanterninha-japonesa
Holmskioldia sanguinea - chapéu-chinês-vermelho
Holmskioldia sanguinea alba - chapéu-chinez-amarelo
Holmskioldia tettense - chapéu-chinez-roxo
Ixora chinensis - ixora
Ixora coccinea - ixora
Justicia aurea - justicia amarela
Justicia magnifica - justicia-rosa
Justicia rizzinii - farroupilha
Latana camara - lantana
Malviscus arboreus - malvisco
Megaskepasma erythrochlamys - capota-vermelha
Mussaenda erytrophylla - mussaenda-vermelha
Mussaenda frondosa - mussaenda-branca
Mussaenda incana - mussaenda-amarela
Norantea guianensis - rabo-de-arara
Odontonema strictum - odontonema
Pachystachys coccinea - jacobina-vermelha
Pachystachys lutea - camarão-amarelo
Russelia equisetiformis - russélia
Sanchezia nobilis - sanquésia
Salvia involucrata - salvia-rosa
Salvia leucantha - salvia-bicolor
Salvia guaranitica - salvia-azul
Salvia splendens - salvia-vermelha
Stifftia chrysantha - diadema
Thevetia peruviana - chapéu-de-napoleão
Thumbergia erecta - tumbérgia-arbustiva

TREPADEIRAS

Campostema grandiflorum - cipó-tapiá
Clerodendon speciosum -
lágrima-de-cristo
Clerodendron splendens -
clerodendro-vermelho
Clerodendron thomsonae -
lágrima-de-cristo
Combreatum coccineum -
escova-de-macaco
Combreatum fruticosum -
escova-de-macaco
Combreatum grandiflorum -
escovinha-vermelha-de-macaco
Doxantha unguis-cati -
unha-de-gato
Ipomea horsfalliae -
ipomea
Lonicera japonica -
madressilva
Mucuna benetii -
flama-da-floresta
Mutisia coccinia - mutísia-vermelha
Mutisia sp. - mutísia-rosa
Petrea volubilis - flor-de-são-miguel
Podrana ricasoliana - sete-léguas
Pyrostegia venusta - cipó-de-são-joão
Thumbergia grandiflora - tumbérgia-azul
Thumbergia mysoriensis - sapatinho-de-judeu
Trachelospermum jasminoides - jasmim-brilhante
Wisteria sinensis - glicínia

HERBÁCEAS

Agapanthus africanus - agapanto
Aloe arborescens - aloe candelabro
Alpinia zerumbert - alpinia-branca
Alstromeria psittacina - alstroméria
Amaryllis beladona - lírio-vermelho
Asystasia spp. - asistásia
Beloperone guttata - camarão
Canna indica - beri
Cordyline congesta - dracena-roxa
Cuphea speciosa - erva-de-bixo
Erathemum nervosum - erantemo
Fuchsia hybridus - brinco-de-princesa
Gladiolus hybridus - gladíolo
Gloxinia sylvatica - gloxínia
Hedychium coccineum - lágrima-de-moça
Heliconia hisurta - bananeirinha-do-mato
Heliconia revolutta - bananeirinha-vermelha
Heliconia rostrata - bananeirinha
Helicteres sacarolha - saca-rolha
Impatiens walleriana - maria-sem-vergonha
Jasminum mesnyi - jasmim-amarelo
Justicia scheidweileri - justicia-rosa
Kniphofia uvaria - lírio-tocha
Musa violascens - bananeira-de-jardim
Pedilanthus tithymaloydes variegatus - pedilanto
Pentas lanceolata - estrela-do-egito
Ruelia colorata - ruelia-do-amazonas
Ruelia elegans - ruelia-vermelha
Ruelia makoyana - ruelia-rosa
Scutellaria costaricana - escutelária
Streptosolen jamesonii - estreptosolem
Stromanthe sanguinea - caetê-vermelho
Tecomaria capensis - tecomária
Tropaeolum majus - capuchinha-grande

Pessoas Empenhadas na Preservação dos Beija-flores


         (Aguardando foto) Augusto Ruschi, apaixonado pela Natureza, e por beija-flores em especial. Foi o primeiro a alertar para a rápida perda da população de beija-flores no Brasil. Desenvolveu um importantíssimo trabalho de estudos e pesquisas, e também experiências de preservação e reprodução da espécie em cativeiro, tendo em vista o repovoamento das matas do Estado do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

Fez grandes esforços para "repovoar" muitos lugares do Brasil com beija-flores. Em 1956 êle soltou 456 exemplares no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Além disso mandou lotes de beija-flores a muitas outras cidades. Os pássaros destinados ao repovoamento eram criados em cativeiro.

Deve-se a Ruschi a maioria das informações sobre beija-flores, desde 1933 seus trabalhos informam e alertam sobre as possibilidades de perda e extinção das espécies.

Fundou um centro de pesquisas e procriação de beija-flores atualmente denominada de Fundação Augusto Ruschi.


     (Aguardando foto) Christian Dalgas Frish,  
Exímio fotógrafo e de grande sensibilidade, especializou-se na coletânea de imagens de flores procuradas por beija-flores. Pesquisou plantas nativas e ornamentais, buscando identificar as espécies troquilógamas. Fotografou, em várias excursões científicas, inclusive espécies julgadas extintas, como o beija-flor-pico-de-espada.

 

Helmut Sick, Ornitólogo, natural de Leipzig, Alemanha, chegou ao Brasil em 1939. Viajou para o Brasil em missão científica, e logo após o seu desembarque tem início a Segunda Guerra Mundial. Por ser alemão, foi preso na Ilha Grande, onde por não poder estudar as aves, passou a estudar pulgas, percevejos, cupins, chegou a identificar onze espécies de cupins desconhecidos pela Ciência.

Depois da guerra foi liberado e contratado pela Fundação Brasil Central.

Sick estudou intensamente a avifauna brasileira, tanto amou o Brasil que naturalizou-se brasileiro. Recusou o cargo de Diretor da Seção de Ornitologia do Museu Zoológico de Berlin para ser funcionário do Museu Nacional do Rio de Janeiro.

Sick é reconhecido pela comunidade científica internacional como importantíssima personalidade dedicada ao estudo dos pássaros. Seu livro Ornitologia Brasileira, publicado pela Editora Nova Fronteira, é um profundo estudo da avifauna deste País. O capítulo dedicado aos nossos queridos beija-flores, contém um inventário completorelativo à classificação, nomenclatura e biologia, onde pode-se adquirir informações sobre suas manifestações sonoras, alimentação, modo de caçar, resíduos, hábitos, sentidos, reprodução, problemas sanitários, doenças, predação, acidentes, história, dentre outros.

Publicou mais de 150 trabalhos científicos.

Faleceu no Rio de Janeiro na manhã de 5 de Março de 1991, aos 81 anos, em completa lucidez. Carlos Drumond de Andrade, a êle se referindo, disse: Obrigado, Professor Sick, em nome dos homens, das mulheres e das aves do nosso País.

     (Aguardando foto)

 

         (Aguardando foto) Johan Dalgas Frisch, Ornitólogo, 
                           (Aguardando informações)

 

1