MAIS SOBRE OS BEE GEES

Os Bee Gees estão entre os mais importantes grupos musicais de todos os tempos. Embora seu currículo seja quase inigualável, o reconhecimento à sua contribuição tem sido muito menor do que o merecido.
Os Bee Gees venderam muito mais de 100 milhões de discos, tendo suas composições gravadas por estrelas do porte de Elvis Presley, Janis Joplin, Roy Orbison, Barbra Streisand, Nina Simone, entre muitos outros.
Isso só comprova o talento dos Bee Gees enquanto compositores. E sua capacidade de interpretação não precisa ser comprovada. Barry ou Robin Gibb individualmente já reuniriam recursos vocais suficientes para estarem entre os maiores cantores de todos os tempos. Por uma manobra da natureza que jamais se repetirá, os dois nasceram na mesma família e integraram uma mesma banda.
Formado pelos irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb, o grupo Bee Gees completaria em 2003 40 anos desde o lançamento de seu primeiro compacto, em 1963. Segundo informações da época, além de um novo álbum de estúdio, os Bee Gees estudavam a possibilidade de produzir um álbum inteiro para Celine Dion e uma trilha para concorrer ao Oscar neste importante ano de festa.
Infelizmente, não foi possível. Uma complicada cirurgia de emergência, com direito a ataque cardíaco e suspeitas de negligência médica, acabou resultando na morte de Maurice Gibb na madrugada de 11 para 12 de janeiro de 2003.
Os irmãos, que já vinham atravessando um momento de turbulência em seu relacionamento, acabaram naturalmente seguindo seus caminhos individuais, encerrando assim a trajetória de uma lenda na música pop mundial.
A partir de então, os Bee Gees entraram em uma nova fase. A fase do reconhecimento. Já passou da hora de os críticos se renderem ao óbvio: nenhum conjunto musical conseguiu se equiparar ao talento dos irmãos Gibb como intérpretes. E apenas os Beatles se equipararam em qualidade como compositores.
Por isso, os Bee Gees merecem um lugar nobre na história da música contemporânea. O tempo se encarregará de fazer-lhes justiça.

BREVE HISTÓRICO

Nascidos na Inglaterra, os irmãos Barry (1946), Robin (1949) e Maurice Gibb (1949-2003) passaram boa parte da infância e adolescência na Austrália, onde começaram a compor e cantar como profissionais. Após terem gravado seu primeiro compacto em 1963, logo esgotaram o potencial de evolução naquele país. Em 1967, já de volta à Inglaterra, assinaram contrato com o lendário produtor Robert Stigwood e iniciaram com sucesso uma promissora carreira internacional que prosseguiria por dois anos. Após uma separação entre 1969 e 1970 e um período de indefinições de 1971 a 1973, em 1974 o grupo passou a contar com a colaboração do renomado produtor Arif Mardin, que fez com que os Bee Gees retomassem o caminho do sucesso com o álbum Main Course, de 1975, que inaugurou os famosos falsetes vocais de Barry Gibb. Mesmo sem Mardin, o auge viria em 1977, com a trilha do filme “Saturday Night Fever”, que levou o grupo a quebrar dezenas de recordes da indústria fonográfica. Entre 1977 e 1979, data de lançamento do álbum Spirits Having Flown, os Bee Gees colocaram seis canções no número 1 das charts norte-americanas.
Encerrada a febre dos embalos e vítimas de um longo período de superexposição, os irmãos Gibb atravessaram a década de 80 com pouca produção própria, dedicando-se, no entanto, a produzir sucessos para nomes como Barbra Streisand, Dionne Warwick, Kenny Rogers e Diana Ross. Os álbuns solo de Barry e Robin Gibb lançados no período foram fracassos comercais. Voltaram em 1987, com o álbum ESP. Em 1989, o álbum One trouxe a banda de volta aos palcos, dez anos depois de sua última turnê.
Nos anos 90, superado o preconceito com os artistas da era disco, os Bee Gees começaram a reconquistar o respeito do público e da crítica, recebendo inúmeros prêmios internacionais, entre eles a indicação para Rock'n'Roll Hall of Fame. Em 1997, o novo álbum Still Waters foi bem recebido e chegou a ser considerado por muitos como um dos melhores em toda a carreira do grupo. De 1997 a 1999, realizam sua última turnê mundial, “One Night Only”, que resultou em um DVD que até hoje figura entre os mais vendidos no Brasil. O último álbum de estúdio, This Is Where I Came In, viria em 2001. Apagado e sem qualquer repercussão, já mostrava claro sinais da falta de sintonia entre os irmãos Gibb. Com a morte de Maurice, em 2003, os Bee Gees fecharam um ciclo de 40 anos de música, sucesso e popularidade.

ATENÇÃO


Em razão do fim das operações do geocities no Brasil, a partir de 26 de outubro o site BR GIBB será descontinuado neste endereço online.
Enquanto estudo as alternativas para a manutenção ou não deste site no ar, aviso os amigos que permanecerei postando sobre Bee Gees nos seguintes endereços:


www.flogao.com.br/beegees

E, em breve, também no twitter:
http://twitter.com/brgibb


A lista de discussões BR GIBB continua aberta e todos estão convidados
a participar:

http://br.groups.yahoo.com/group/brgibb/


Em breve, será também inaugurado um novo blog direcionado aos colecionadores brasileiros de itens raros. Aguardem.

Por enquanto, agradeço a atenção de todos os que acompanharam e apoiaram este site tosco e despretensioso nos cerca de 7 anos em que ele esteve no ar e que, em um determinado momento no tempo, foi importante e pertinente para
seus visitantes.

Para falar comigo, peço que escrevam
no e-mail

brgibb@yahoo.com.br
EDITORIAL
NOTÍCIAS
VÍDEOS
CRÔNICAS
LANÇAMENTOS
CLIPPING
BGS ALIVE
FOTOS
FRASES
ENCONTROS
TURNÊ
ESTÚDIO
BLOG
EVENTOS
COVERS
CRONOLOGIA
ESTATÍSTICAS
COMPOSIÇÕES
BIOGRAFIA
CLASSIFICADOS
LETRAS
CURIOSIDADES
AGENDA
DISCOGRAFIA
TRIBUTO
GRUPO
FÓRUM
ORKUT
FOTOLOG
ARTE
CDS
MEMORABILIA
PORTAL
INTÉRPRETES
LINKS

Fale comigo:
brgibb@yahoo.com.br
BR GIBB 2002 - 2009
Este um site não oficial, criado exclusivamente para homenagear os irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb.
As informações veiculadas aqui podem ser reproduzidas citando-se a fonte: BR GIBB.
As fotos utilizadas aqui têm apenas o propósito de ilustrar as informações e pertencem a seus autores.
Informações:
brgibb@yahoo.com.br
1