Musas como ELAINE BAST são injustiçadas - A encantadora repórter de economia da Rede Globo é de uma beleza ímpar, sofisticada. Mas sua presença na Internet é humilhante. E, pasmem, há quem ache ela horrorosa, só porque ela não é uma turbinada de biquíni.

Gerações de mulheres em séria competição - Mulheres nascidas entre 1968 e 1973 e as nascidas entre 1978 e 1983 partem para uma disputa acirrada.

Jornalismo tem mais deusas do que concursos de "musas da praia" e sites sensuais - Esqueça as "princesinhas" do tal concurso do Fantástico. É no jornalismo que estão as melhores musas, que unem beleza e inteligência.


PREZADO INTERNAUTA

A Internet brasileira ainda está incipiente. Só nos últimos cinco anos é que seu conteúdo se tornou mais abrangente, pois até então havia muita informação, mas também havia muitos dados confusos, inexatos, que só mais tarde foram corrigidos ou desmentidos.

Quanto às musas, a situação está lamentável. Nos Estados Unidos e na Europa, apesar de muitas limitações, ainda dá para ver galerias de fotos de musas que vão além do óbvio elenco de "boazudas". Lá, mulher bonita pode ser reconhecida apenas pela beleza facial, e mulheres inteligentes podem ser musas com muita tranqüilidade.

No Brasil, no entanto, ainda predomina a mentalidade de que a Internet, quando mostra mulheres bonitas, só serve para tarados, adolescentes e machistas. Sempre aquelas mesmas musas que, mesmo longe de serem, de fato, lindíssimas, dependem sempre do uso de biquíni e do apelo sexual - ainda que com uma sensualidade forçada, artificial - para serem consideradas "mulheres lindas". Muitas mulheres aproveitaram disso para virarem hype, indo, quase sem escalas, das triviais fotos digitais dos "The Girl" e "Mister Zip" da vida ou dos comerciais de cerveja para as páginas antes sofisticadas de Cláudia e Marie Claire.

Enquanto isso, muitas musas de verdade só são citadas na Internet através de textos. Nada de foto. Isso é porque elas não fazem parte daquele universo turbinado de rapazes esfomeados e apressados, pouco inclinados a contemplar o rosto de uma bela mulher, achando que ela tem que mostrar o corpo todo, com um generoso biquíni, sob o pretexto de mostrar a musa por inteiro, mas na verdade mostrando, isso sim, que os homens preferem mais as mulheres "gostosas" do que as "belas". É muito mais fácil apreciar um traseiro volumoso do que um rosto perfeito, não é mesmo?

Mas, nesse país de bundões, criamos este site para chamarmos a atenção da opinião pública sobre essa pobreza da Internet brasileira, que não vê outra coisa senão monopolizar a rede com Tiazinhas, Feiticeiras, Scheilas e Cicarellis. O Brasil é grande e diversificado demais para se prender só a essas musas do mainstream.


O que são "cervejudas" - Durante um breve período, musas fizeram a cabeça dos jovens rapazes mais por serem boazudas do que por serem belas. O modismo gerou o hype da Daniela Cicarelli, cuja projeção tentou ofuscar musas muito mais fascinantes do que a apresentadora do "Daniela no mundo da MTV".

CLÁUDIA BONTEMPO NÃO SEGURA O TCHAN E SE MANTÉM NA LINHA - Com o rosto levemente parecido com a Scheila Carvalho, a jornalista da Rede Globo no entanto não é sinônimo de musa vulgar. Mas também ela não tem fotos na Internet.

Número de visitas desde 10/01/2004.

1