FISIOLOGIA CARDÍACA

CICLO CARDÍACO

 

O coração funciona em harmonia com o sistema circulatório pulmonar e perfeitamente integrado temporalmente entre as 4 câmaras cardíacas. Executa a função de bomba aspirante, que como o próprio nome indica “aspira” o sangue das grandes veias para os átrios e premente que impulsiona o sangue para a pequena e a grande circulação.

A fase diastólica (bomba aspirante) é a mais longa, iniciando-se após a fase de relaxamento isovolumétrico, quando as valvas átrioventriculares (mitral e tricúspide) e sigmoidéias (aórtica e pulmonar) estão fechadas e o coração relaxado. Quando este fenômeno, que é ativo e consome energia, atinge o seu ponto máximo as pressões intraventriculares são mínimas e as valvas atrioventriculares se abrem e o sangue enche os ventrículos.

A medida que os ventrículos direito e esquerdo vão se enchendo as pressões vão aumentando até o final da diástole, quando ocorre a contração dos átrios, completando o volume ventricular e fechando-se as valvas átrioventriculares.

Após o enchimento ventricular ocorre a fase de contração isovolumétrica (0.05 seg.) quando estando a valva mitral ou a tricúspide fechada o coração se contrai, elevando bruscamente a pressão intracavitária no sentido de suplantar o valor da pressão diastólica da aorta (80 mmHg) ou da pulmonar (35 mmHg), que mantém a valva fechada, no sentido de abri-la.

A fase seguinte do ciclo denomina-se fase de ejeção (0.22 seg.) sendo dividida em duas subfases: a) contração ventricular isotônica com fase de ejeção máxima (0.09 seg.), nesta fase estando as valvas sigmoidéias abertas o sangue é vigorosamente ejetado à pequena e grande circulação; b) contração ventricular com redução da fase de ejeção (0.13 seg.)fase final da ejeção de sangue.

A última fase sistólica é demoninada de fase de relaxamento isovolumétrico (0.12 seg.),para em seguida reiniciar o ciclocardíaco.

Da análise do ciclo cardíaco observamos que durante a diástole (quando as valvas atrioventriculares estão abertas) as pressões dos átrios são semelhantes aos dos seus ventrículos correspondentes, e durante a sístole, estando as valvas sigmoidéias abertas, as pressões dos ventrículos são semelhantes as dos seus respectivos grandes vasos (aorta e pulmonar).