A Teologia do Sofrimento

Pr. Carlos Ferreira dos Santos

  1. As vezes temos que nos defrontarmos com momentos de crise, acompanhados de dor e sofrimento e nestes momentos a grande e milenar pergunta vem a tona: "Porque Senhor?" Alguns até se aventuram a dizer: "Porque o Senhor está fazendo isso comigo?"
  2. Mas será que é Deus realmente que nos aflige com preocupações, ansiedades, desencontros, dor e sofrimento?
  3. A Teologia do Sofrimento

A primeira coisa que precisamos verificar é a seguinte: Está Deus punindo homens e mulheres, nesta vida, agora, por seus pecados? São as doenças e acidentes juízos de Deus como castigo pelo pecado?

Ao que tudo indica muita gente pensa assim. Mas até os demônios sabem que não é bem assim (Mat. 8:28 e 29)

Observe especialmente a expressão "antes do tempo". Esses espíritos malignos sabiam que o tempo do seu tormento não havia chegado. Que a punição divina pelo pecado não é neste momento da vida agora.

Esse dia vai chegar, sem dúvida. O São Pedro afirma que "os céus que agora existem, e a terra...tem sido entesourados para o dia do juízo e destruição dos homens ímpios." II Ped. 3:7)

Esse juízo, no qual os pecadores não arrependidos serão destruídos, ainda está no futuro. Por tanto biblicamente é errado afirmarmos que Deus está castigando o pecador agora.

Mas você deve está se perguntando: "Mas pastor porque então nos sofremos? Porque tantas doenças, porque tanta dor?"

Dentre as muitas causas do sofrimento, quero salientar aqui as seguintes:

  1. Sofrimento comum a toda criatura
  2. Este sofrimento atinge toda a criatura, a qual geme sob o efeito do pecado. Não só o homem, mas também os animais e a natureza em geral.

    Quando Adão e Eva pecaram, surgiram os espinhos, que devem tê-los espetado algumas vezes, fazendo-os sofrer. Quando Adão foi lavrar a terra pela primeira vez sentiu cansaço e grossas gotas de suor escorriam-lhe pela face. Daí ele entendeu o que Deus lhe havia dito: "No suor do seu rosto, comerás o teu pão."

    Adão também notou que a terra havia perdido parte de sua fertilidade, que havia surgido pragas e que ele agora precisava trabalhar mais para colher menos.

    Os animais que antes eram vegetarianos começaram a se devorar uns aos outros.

    E quando Eva teve o seu primeiro filho com dores, sem anestesia divina, entendeu as palavras divinas: "Com dor terás filhos."

    Assim, o sofrimento se tornou comum a todos, com diz Salomão em Ecle. 9:2 e 3.

  3. Sofrimento causado por escolhas erradas.
  4. Esse é o sofrimento causado pelas escolhas erradas que fazemos na vida. Deus nos concedeu livre-arbítrio, mas esse liberdade acarreta-nos também a responsabilidade, conforme diz Paulo: (Gál. 6:7)

    Por exemplo. Se o homem transgredir as leis de trânsito, ele poderá perder a liberdade e pagar uma boa multa. Se transgredir as leis sociais perderá a liberdade. Se transgredir as leis de saúde adoecerá, Se desafiar as leis da física, como a lei da gravidade, irá cair ao solo e dependendo da altura poderá perder a vida.

    Isso é o que chamamos de Lei da Causalidade, e esta é uma das lei inflexíveis que existe. Plantou, colhe. A toda causa segue-se uma conseqüência ou efeito. No entanto muitas vezes queremos acionar as causas e que Deus remova as conseqüências, mas dificilmente Deus fará isso.

  5. Sofrimento causado por catástrofes naturais.
  6. Jesus disse que antes do fim haveriam fome e terremotos em vários lugares (Mat. 24:7)

    Os terremotos, furacões, raios, inundações atingem uma pessoa sem lhe perguntar se é boa ou má. Não é verdade que atingem os maus e poupam os "bons". Como também não é verdade que as pessoas atingidas estejam sendo castigadas.

    Ilust: Um crente ao sair da igreja após o culto, foi atingido mortalmente por um raio. Alguns irmãos, muito piedosos, julgaram que ele devia Ter algum pecado oculto em sua vida, já que o castigo veio em cima, de modo fulminante. Concluíram que isso só podia ser uma manifestação da ira divina.

    Algum tempo depois na Índia um terremoto derrubou o prédio de uma missão e deixou em pé, ali perto um prostíbulo. Logo disseram que foi Satanás.

    Na Birmânia, entretanto, um terremoto destruiu uma localidade, deixando intacta apenas a casa de um cristão. E isso foi considerado um ato da providência de Deus.

    Interessante: Quando um cristão é poupado numa catástrofe ou acidente, dizemos que houve milagre, mas quando um descrente é poupado, dizemos que "vaso ruim não quebra".

    Se fosse possível provar que o cristão é sempre poupado, nos sofrimentos e calamidades, as multidões afluiriam as igrejas e aceitariam o cristianismo como se estivessem obtendo uma apólice de seguro . Com isso o cristianismo se degradaria e também o cristão, pois não teria a disciplina necessária para viver num universo regido por leis imparciais.

    A Bíblia indica que Satanás tem poder para causar catástrofes, operando através dos elementos da natureza. A experiência de Jó, que analisaremos no tópico seguinte deixa claro que Satanás foi quem fez se levantar um "grande vento da banda da casa, a qual caiu sobre os filhos de Jó e assim levando-os a morte."(Jó. 1:19)

  7. Sofrimento por causa da justiça
  8. Jesus disse; "Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça." (Mat. 5:10)

    O caso de Jó é uma boa ilustração desse fato. E o pior caso de sofrimento mencionado na Bíblia.

    Mas porque Jó sofreu? Por causa de algum pecado? Isso era o que os seus três "amigos" pensavam. Foram vê0lo a fim de consolá-lo e acabaram acusando-o.

    Satanás dissera a Deus que Jó O servia por interesse. Deus, porém, tinha certeza de que Jó O servia por amor. Deus então permitiu afligir a Jó.

    A provação é o melhor foi dura, mas valeu a pena pois perante o universo Satanás mais uma vez foi derrotado.

    E o melhor veio depois. Quando Jó orava pelos seus amigos, Deus mudou-lhe a sorte e deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra. E outros dez filhos.

    O sofrimento dos mártires pode pertencer a este grupo.

    Nós também estamos no meio desse fogo cruzado entre Cristo e Satanás, e podemos ficar feridos nesse combate, é risco que todos nós corremos, desde que o homem entregou a Satanás, de presente o domínio da Terra.

  9. Sofrimento disciplinar
  10. Aqui nós temos mais uma demonstração do amor de Deus. "O Senhor corrige a quem ama, e açoita a todo filho a quem recebe...pois, que filho há a quem o pai não corrige? (Heb. 12:6-8)

    "Eu repreendo e disciplino a todos quanto amo." (Apoc. 3:19)

    Nascemos com a tendência para o pecado, e de vez em quando precisamos de uma reprimenda, a qual, às vezes, toma a forma de sofrimento. A experiência de Saulo, na estrada de Damasco, seguida de três dias de jejum e cegueira, e talvez da visão deficiente para o resto da vida, pode também pertencer a este grupo.

  11. Sofrimento relacionado a pecados específicos.

Alguns exemplos, notadamente no V.T., não parece deixar dúvida de que a transgressão foi punida exemplarmente por Deus. Nadab e Abiú eram sacerdotes, trouxeram fogo estranho perante Deus e foram mortos. Uzá tocou a arca, desobedecendo a proibição divina e foi fulminado. Já no N.T., temos o exemplo de Ananias e Safira, os quais pecaram contra o Espírito Santo e foram punidos exemplarmente. Apesar de parecer contraditório, esse tipo de sofrimento raramente acontece hoje, pois através da história Deus já mostrou a Sua repulsa pelo pecado, e não ficará multiplicando exemplos.

Portanto repito que não se deve dizer que Deus está punindo alguém que esteja sofrendo, porque ninguém sabe em que tipo de sofrimento seu irmão está envolvido. Isso sempre será um teste de fé.

Conclusão:

  • Assim perseveremos firmes em seguir a Jesus, certos de sua proteção e cuidado, mas não esquecendo de que nosso alvo vai além de uma boa vida terrena, nosso sonho é chegar aos céus, onde não haverá mas morte nem pranto nem dor, porque as primeiras coisas são passadas. (Apos.21:4)