Colunas 2007


"Coluna do Hyder" - Fabio "Hyder" Azevedo

As primeiras impressões

 

O suíço Neel Jani é uma das principais novidades para 2007.


Olá pessoal,
fiquei realmente satisfeito ao ver o circo da Champ Car retornar ao trabalho. Gostei de ver as equipes, as pinturas novas. Mas agora acho que a "molezinha" que o Sebastien Bourdais tinha nos últimos anos não será a mesma. Vejo que os outros participantes voltarão com tudo e não teremos, pelo menos num início, um grande desequilíbrio. Mas, como escrevi em algumas colunas anteriores, muitos acordos ainda serão costurados até o alinhamento do grid de largada em Las Vegas. De repente faltou um pouco mais de Marketing neste evento de apresentação, mas acho que novas oportunidades aparecerão.

Uma notícia triste com tudo isso foi à finalização da parceria com a Ford Motors. Não era, há tempos, uma parceria de motores ou engenharia, pois a Champ Car já possui seu próprio motor, o Cosworth. Mas esta parceria rendia portas abertas e uma segurança financeira. Mas a grande vantagem nisso tudo é que hoje o cenário da categoria é mais saudável e seguro que há anos atrás. Em 2003 o cenário sinistro e sinuoso não dava para ter um cenário sem esta “segurança” como hoje. Outras empresas estarão de olho neste famoso e histórico mercado, pois estamos falando de pelo menos, 28 anos de vitórias, tradição e muita velocidade e tecnologia.

Tenho visto que algumas possíveis montadoras poderiam estar associando suas marcas a Owrs, que é proprietária da Champ Car, e encontramos uma empresa mais valorizada, com equipes que estão retornando, um campeonato mais barato que os rivais e uma nova fase de internacionalização. A categoria estará este ano nos Estados Unidos, Canadá, México, China e retornando a Europa por Holanda e Bélgica. Acho que ainda teremos alguma inserção, pois pelo que vi no calendário, existem algumas datas abertas. E nas pistas norte-americanas, grandes centros estão sendo incluídos, pois se trata de belos pontos turísticos, como Las Vegas, Long Beach, Denver e as tradicionais Portland, Cleveland e Road América.

Enquanto aos pilotos, não há como negar que o atual herói da categoria, o francês Sebastien Bourdais é o grande embaixador para a categoria na Europa. Os agentes e membros da categoria têm de ser rápidos e aproveitar o mais rápido possível este grande talento, pois não acho que o mesmo emplaque o ano de 2008 na categoria. Se Gerard Berger já percebeu que existe um grande talento nos Estados Unidos, quem sabe o bom senso bate também na equipe Renault, que, tratando-se de um piloto francês com talento evidente, poderia estar representando um verdadeiro time francês. Mas para isso, basta que ele não precise assinar um daqueles acordos leoninos com o italiano Flavio Briatore.

Já entre os outros pilotos, creio que Paul Tracy e Justin Wilson ainda serão os adversários diretos do francês, mas temos de ver o que apresentará principalmente Graham Rahal, Neel Jani, e o Dan Clarke. O Brasil, pela primeira vez na história, passa por um momento de indefinição em relação a pilotos que disputarão a categoria, depois das péssimas atuações de Bruno Junqueira e de Ricardo Sperafico entre outros “talentos” do nosso país. Espero ainda que Roberto Moreno seja anunciado como piloto de algum time, pois sua experiência, não somente no desenvolvimento do chassi da Panoz como na própria Champ Car, poderia ser muito útil para qualquer equipe.

Bruno Junqueira sofreu um grave acidente em 2005, nas 500 milhas de Indianápolis e nunca mais foi o mesmo. Porém antes mesmo do acidente, jamais conseguiu oferecer pressão sobre Paul Tracy ou mesmo sobre o companheiro Sebastien Bourdais. Como já disse anteriormente, o único desempenho descente de Bruno Junqueira atrás do volante de um dos carros de Linconlshire em uma prova realizada no oval de Las Vegas em 2004. Não venceu a corrida, mas mostrou combatividade e lutou até a linha de chegada com o Bourdais. Aconteceram algumas mancadas na equipe de pit stop naquele dia, mas ele mostrou que estava com vontade de vencer. Leio muitos lugares, na Internet e na mídia televisiva, onde se culpa o acidente da Indy 500 pelo péssimo desempenho do piloto mineiro nas pistas, mas quem acompanhou as temporadas de 2001 e 2002 na Ganassi ou ainda no campeonato internacional de Fórmula 3000 em 2000, sabe que não foi bem assim. Ele triunfou naquele ano, mas garantiu o título com 3 vitórias no início e depois teve um desempenho irreconhecível.

Mas quem sabe ainda teremos muitas definições neste intervalo, que começo no último 23 de janeiro e vai até o alinhamento do grid para abertura da temporada.

 

Um grande abraço fiquem com Deus e até a próxima.

 

Fabio "Hyder" Azevedo
http://blogdohyder.blogspot.com                                                                             

 

 

Torcedor do Vasco da Gama e da Associação Atlética Anapolina, fã da Penske, atualmente sou Analista de Tecnologia da Informação mas continuo apaixonado pelas corridas como nunca. Todas as semanas, falarei sobre as minhas experiências na categoria, além de contar histórias dos bastidores que poucos conhecem.

 

 

Voltar


 

Copyright© 2005 Champ Car Brasil.

1