Colunas 2007


"Coluna do Hyder" - Fabio "Hyder" Azevedo

Luar em Cleveland

 

Gil de Ferran obteve grandes conquistas na Champ Car, sendo sua vitória em 1996 uma das mais marcantes.

 

Estou escrevendo depois da etapa de Cleveland, uma das minhas favoritas no certame. É sempre legal ver o Paul Tracy vencer, já que ele foi à única estrela que acreditou na Champ Car após a partida da maioria das grandes equipes para a IRL e também que, ao contrário de alguns pilotos por aí, não existe tempo feio para o canadense. É garantia de diversão e corridas emocionantes com muitas disputas. Interessante ver que essa etapa que já passou por diversas datas e horários, sendo uma das primeiras a ter curta duração a ser realizada em horário noturno, em tardes de sábado e de volta ao tradicional domingo. O Brasil possui um bom histórico nesta pista e Emerson Fittipaldi e Gil de Ferran foram os grandes destaques nacionais em épocas distintas.


Emerson travou duelos contra lendas como Al Unser Jr., Rick Mears, Michael e Mario Andretti, entre tantos outros. Já Gil passou por uma grande frustração no ano de 1995 quando liderava a corrida, com folgas, e foi colocado para fora por uma atitude imbecil e impensada de Scott Pruett. A sua glória nesta pista ocorreu em 1996, depois de um duelo maravilhoso com o italiano Alessandro Zanardi com várias torças de posições nas últimas voltas e Gil, com carro e pneus inferiores ao italiano. Um dos momentos mais tensos de toda a temporada é aquela curva 1 - quase um grampo - aonde os carros vêm de “pé embaixo” e alguns ficam por ali mesmo, pois dificilmente não termos confusões ali. Teoricamente é uma pista fácil, mas acaba sendo bem técnica ao não apresenta muitas referencias como nos autódromos ou mesmo nas pistas de rua.

Um momento marcante de Cleveland foi em 1989 quando Emmo caminhava para o título tendo de duelar principalmente com Rick Mears. O grande diferencial em favor de Fittipaldi era o que sabia fazer modificações precisas em seu carro, deixando-o pronto para quaisquer condições de corrida. Foi uma bela vitória, não apenas do piloto, mas também pelo belo trabalho de Morris Nunn na equipe Marlboro Patrick Racing.

Gil de Ferran obteve grandes conquistas na Champ Car, porém sua vitória em 1996 foi muito interessante. Ali se via que os pneus Goodyear tinham rendimento muito inferior aos Firestone. E como a pista é propícia a acumular detritos, perder o traçado era comum, mas não se podia confiar nos compostos norte-americanos para tentar acompanhar o ritmo dos nipo-americanos. Ao contrário de 1995 onde ele tinha o melhor carro e Scott Pruett o "convidou a dançar".

Juan Pablo Montoya venceu em 1999 uma prova atípica, com muita chuva e alguns acidentes, felizmente sem gravidade, curiosos e pitorescos. Pessoalmente eu gostei muito da etapa noturna com o visual do aeroporto lembrando muito o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, de frente a baía. A iluminação ficou linda e alguns eventos, como esse, deveria ser sempre noturno. Até porque seria uma bela promoção e com um marketing diferenciado.

 

Um grande abraço fiquem com Deus e até a próxima.

 

Fabio "Hyder" Azevedo
http://blogdohyder.blogspot.com                                                                             

 

 

Torcedor do Vasco da Gama e da Associação Atlética Anapolina, fã da Penske, atualmente sou Analista de Tecnologia da Informação mas continuo apaixonado pelas corridas como nunca. Todas as semanas, falarei sobre as minhas experiências na categoria, além de contar histórias dos bastidores que poucos conhecem.

 

 

Voltar


 

Copyright© 2005 Champ Car Brasil.

1