Reportagens 2007


A grande dúvida da Champ Car

 

Por Wallace Michel

 

Sebastien Bourdais inicia caminhada rumo ao tetracampeonato da Champ Car nesse fim de semana  em Las Vegas.

 

A grande pergunta a ser feita sobre a temporada de 2007 da Champ Car não é se Sebastien Bourdais poderá ganhar seu quarto título consecutivo. Isso é praticamente certo. A verdadeira grande questão é outra: ele vai conseguir vencer todas as 16 corridas? Isso pode parecer absurdo, mas na verdade, acaba não sendo por várias razões.

Desde 2004 este incrível francês venceu 20 de 41 corridas, e liderou 1.386 voltas. Vai para o quinto ano tendo como engenheiro Craig Hampson, com quem tem um entrosamento total. Vai completar o quinto ano como piloto da Newman Haas, equipe mais forte da Champ Car e considerada uma das melhores estruturas do automobilismo estadunidense.

Bourdais é um piloto muito técnico, que logo se sentiu a vontade no Panoz DP01. Tem em seu novo companheiro de equipe Graham Rahal de apenas 18 anos um grande obstáculo para motivá-lo a novos desafios. E mesmo assim, terá menos resistência dos adversários do que nos anos anteriores.

"Eu não sei se é somente o Sebastien que vence as corridas, só que ninguém vai conseguir chegar perto dele, pois na Champ Car não existe uma equipe que seja tão séria quanto a Newman Haas," disse um piloto que já não participa mais da série. Ele não estava fazendo média ou sendo pretensioso, mas justo. Por conta de todas as incertezas, redução dos orçamentos das equipes concorrentes, pilotos novatos e falta de conhecimento sobre o novo carro pela maioria das equipes adversárias farão as coisas serem mais fáceis para Sebastien & Companhia.

Ainda descrente? Então vamos analisar a situação dos rivais de Bourdais antes da abertura do campeonato no domingo, 8 de abril, nas ruas de Las Vegas.

Paul Tracy, juntamente com a sua equipe Forsythe, que foram os últimos a baterem Bourdais em 2003. E antes de decidir mudar para a Nascar no fim da última temporada, A.J. Allmendinger bateu Sebastien, deixando-o fora do alto do pódio por cinco vezes.

Só que Allmendinger e uma leva de experientes mecânicos foram embora da Forsythe. O dono da equipe, Gerald Forsythe, afirmou que correria somente com Tracy em 2007 a menos que aparecesse um grande patrocinador para bancar o segundo carro. A situação permaneceu inalterada até o fim de março, quando chocou a todos (inclusive Mario Dominguez) e confirmou o veterano piloto mexicano, que havia sido demitido ano passado, para correr ao menos as três primeiras provas desse ano.

Tracy, que teve uma péssima temporada em 2006, tenta juntar os cacos para voltar a ser competitivo, algo que também tem fazer Dominguez, que ano passado jogou fora uma vitória certa em Houston. Eles não entram em Las Vegas como favoritos a vitória. Já Justin Wilson, vice-campeão do ano passado, viu a Rusport, equipe pela qual pilota e tem a sede em Dever, ser vendida a Dan Pettit, e que por razões estratégicas e econômicas fez uma parceria técnica com a Rocketsports, equipe sediada em Lansing, Michigan. O triunfo solitário de Alex Tagliani na Champ Car veio com a equipe de Paul Gentilozzi em 2004 que agora irão trabalhar juntas nesse ano com o nome de Rsports.

O Team Australia pode ser a surpresa do ano. Power se destacou no fim de 2006 e seu novo companheiro de equipe, campeão da Fórmula Atlantic Simon Pagenaud, possui habilidade o suficiente para poder se adaptar rapidamente aos 750 cv da Champ Car.

A equipe PKV, que possui somente uma vitória em quatro anos, apresenta uma dupla de novatos formada pelo suíço Neel Jani, que se mostrou muito rápido na pré-temporada, e pelo francês Tristan Gommendy, que comprou sua vaga por dois milhões de dólares.

A equipe Minardi, antiga HVM, comandada pelo ex-dono de equipe da Fórmula 1 Paul Stoddart, contará com o novato Robert Doornbos e Dan Clarke, que começa o ano sem ter testado o carro novo. Enquanto isso, Nelson Philippe, que conseguiu a primeira vitória da HVM e foi um dos destaques de 2006, ficou sem equipe por não ter patrocinador e está à procura de uma vaga em outras categorias.

Eric Bachelart, que já não tem Mike Lanigan como sócio (ele se associou com a Newman Haas) de sua Conquest, confirmou no início de abril que vai competir com o novato neozelandês Matt Halliday no mínimo, nas três primeiras provas.

A Pacific Coast, a única equipe estreante para esse ano, espera ser tornar competitiva rapidamente mesmo contando com os novatos Ryan Dalziel e Alex Figge.

Na Dale Coyne os pilotos serão Katherine Legge e Bruno Junqueira, embora não tenha ocorrido nenhum anúncio oficial até o momento. Três vezes vice-campeão, Junqueira fez excelentes testes na pré-temporada pela Coyne, e agora tentará provar aos críticos e a torcida que ainda é um piloto de alto nível e um candidato as vitórias e ao título.

Sete dos 17 pilotos são novatos, e um deles poderá ser o maior obstáculo no caminho de Bourdais.

O jovem Graham Rahal, que até quatro anos atrás nunca vai sentando em um carro de corrida, ganhou cinco corridas da Fórmula Atlantic em 2006 e o respeito imediato da Newman Haas nos seus primeiros dois testes. Ele é surpreendente maduro dentro e fora do carro e será a principal estrela da Champ Car até quando a Fórmula 1 vier a sua procura.

"Para ser honesto, eu não vejo o porquê de não poder terminar entre os cinco primeiros em Las Vegas, possivelmente no pódio, ou até mesmo ganhando. Apesar de tudo, eu estou com a melhor equipe e é para vencer que eu estou aqui", disse. "Mas eu nunca dirigi um Champ Car por duas horas, assim que eu realmente não sei o que esperar", completou.

As expectativas são para que Bourdais faça o esperado e ganhe seu quarto título consecutivo. A.J. Foyt venceu 10 de 13 corridas em 1964 e a estrela francesa de 28 anos tem todas as condições de se aproximar dessa marca. Ao reivindicar esse feito ele não terá nenhum problema para ficar motivado, mesmo depois de tantas conquistas.

"Penso que não é duro encontrar a motivação quando você está em uma equipe tão dedicada e tudo lhe é dado para correr da melhor maneira. Você se estimula realmente," disse Bourdais. "Quando você ganha um campeonato, você quer dois, e assim por diante".

"Há um passo para mim que pode ser avaliado, mas temos de esperar um pouco. Pode ser a Fórmula 1, mas, de novo, quero ser competitivo e, na Champ Car, estão me dando tudo o que preciso para isso".

Tentar pará-lo é o desejo de todos dentro da Champ Car, só que a missão é muito difícil, senão impossível.

 

 

Voltar


 

Copyright© 2005 Champ Car Brasil.

1