/Cristian  

 

Boomer¨

"They don´t lie with you in bad and joined when you´re dreamin..." by Darren Hayes


Entrevista de Cristian Boomer à Revista Curious

Em entrevista exclusiva a revista Curious, Cristian Boomer revela “sou cruel nas minhas vinganças”, “, não gasto minha energia à toa com pessoas que não valem a pena”, “Aprendi a falar inglês jogando MK, ResidentE vil” e “cansei de ser aquele cara certinho que as pessoas achavam que seria um exemplo a seguir”. Confira nessa entrevista reveladora

Curious: Vamos começar do início! Quando e onde você nasceu?
Cristian Boomer: Sou Natural de Balneário Camboriú, nasci no Hospital Santa Inês no dia 15 de novembro de 1983, um dia bem chuvoso.

Curious: 15 de novembro? Então um escorpiano? Dizem que as pessoas que nascem nesse período são bastante geniosas. Você se considera genioso?
Cristian Boomer: A maioria das pessoas diz que sou um cara fácil de conviver apesar de não me considerar tanto assim, sou um pouco diferente da maioria dos escorpianos, sou um cara calmo, amigável, e pacífico, geralmente as pessoas gostam de mim assim que me conhecem, aqueles que não vão com a minha lata a princípio geralmente mudam de opinião mais tarde e chegam até a me pedir desculpas por terem me taxado de arrogante. Já com aquelas pessoas que acham que sou bobo e querem abusar da boa vontade e da bondade, costumo me demonstrar verdadeiramente escorpiano, sou cruel nas minhas vinganças, mas para isso a pessoa precisa ter realmente pisado no meu calo, não gasto minha energia à toa com pessoas que não valem a pena.

Curious: Vinganças? Nossa! De vinho ao vinagre! Mas você não acredita naquele ditado que diz que a vingança não vale a pena?
Cristian Boomer: Acreditei durante muito tempo, mas só no período que eu não tinha personalidade, hoje vejo que as simples vinganças não valem a pena. Elas não podem ser impulsivas, geralmente demoro a me vingar e às vezes até percebo que não vai valer a pena, mas quando elas são calculadas... Na real a vingança é um prato que se come pelas beiradas, tem gosto amargo porém compensador. Acho que posso considerar isso não só um comportamento de escorpianos, mas também de escorpiões, eles são quietos e evitam a briga, mas quando são atacados imobilizam a presa com as pinças e depois injetam a peçonha! Isso realmente me fascina! Acho que se tratando de comportamento animal esse é o que mais me identifico.

Curious: Gosta de escorpiões então?
Cristian Boomer: Sim! Eu os adoro, eles têm personalidade forte e são exóticos.

Curious: Algum outro animal exótico que você gosta?
Cristian Boomer: Sim, adoro dinossauros desde bem pequeno, sempre colecionei miniaturas de dinos e comprava revistas tanto de dinossauros quanto de invertebrados, na época me especializei no assunto (risos). Quando tinha aproximadamente 12 anos comecei com uma fascinação por tarântulas, até cheguei a criar uma escondida da minha mãe e irmã, eu a deixava dentro do guarda-roupa e a alimentava com insetos e presunto, mas prefiro que elas fiquem no habitat natural, não gosto da idéia de tirar a liberdade de um animal. Já tive um iguana também, esse passeava comigo até no supermercado, todos olhavam e muitos tinham medo, o nome dele era Tile, em homenagem ao personagem Reptile do Mortal Kombat.

Curious: Você gosta de Mortal Kombat?
Cristian Boomer: Adoro! Esse é o único jogo de luta que gosto, não só por ser o primeiro com gráficos reais desde MK2, mas porque existe toda uma história cabível para cada personagem, a história é baseada em uma fusão da terra com outro mundo e um torneio para impedir isso, nossa!! Isso é ótimo!

Curious: Qual o personagem que você mais gosta? Tem algum outro jogo que você goste?
Cristian Boomer: Adoro o Sub-Zero, ele é misterioso, frio e calculista, assim como eu às vezes, amo a Sindel, gosto de todos os ninjas, as roupas deles são perfeitas, gostaria de trocar uma idéia com os estilistas dos games e dos filmes do MK. Quanto a outros jogos que gosto, sou viciado em Resident Evil, aquele clima de suspense com terror em todos os cenários me deixam extasiado, a história também vejo que é algo possível, genes alterados, ficção científica, mutações! E sem contar que tem Milla Jovovich nos filmes. Gosto de Tomb Rider também, não é tão possível, mas gosto da Lara e da Angelina Jolie em seu papel. Em geral aprecio o trabalho dos Costume Designers que vestem personagens de games.

Curious: Sim, inclusive você chegou a mencionar que gostaria de conversar com os estilistas do MK. Ouvi dizer que você também já deu seus primeiros passos como estilista. O que você já produziu?
Cristian Boomer: Nossa! De onde vocês tiram essas informações?!! (Risos) Na verdade não comecei ainda, gostaria muito de já ter começado. Como tenho interesse pelo assunto acabo fazendo algumas coisas. Já estampei algumas t-shirts para mim, customizei roupas minhas e de alguns amigos, coloquei um brilho a mais em roupas básicas e fiz ajustes em roupas da minha mãe, mais nada.

Curious: Não seja tão modesto Cristian! Já vimos seus desenhos, seus croquis de moda são verdadeiras artes. Por que não fala um pouco deles? Como aprendeu a desenhar?
Cristian Boomer: Não sou um expert em croquis, sempre fui dedicado aos trabalhos de artes na escola desde muito pequeno, na primeira série fiz um mosaico com a imagem de um tiranossauro que  foi para uma exposição artes no Japão, fui escolhido entre os primários das escolas públicas para representar SC. Meu interesse por artes cresceu desde então. Aprendi a desenhar aos 10 ou 11 anos, assim que comecei a gostar de MK, queria desenhar os personagens do game, comprei revistas do tipo “aprenda a desenhar seu herói” e peguei a manha. Depois que comecei a me interessar por moda comecei a observar os croquis em revistas e tentei aplicar as técnicas de desenho de heróis em croquis, mas são coisas diferentes, tanto que a princípio tudo que eu conseguia fazer era desenhar Kitana com roupas mais fashion por exemplo, agora posso dizer que crio algumas coisas no papel, adoro moda exótica, gosto de desenhar mais naquele estilo passarela, que são aquelas roupas que as pessoas geralmente não teriam coragem de usar no dia-a-dia. Todos dizem que tenho dom para isso e que sou muito criativo, ainda pretendo fazer faculdade de Designer de Moda, mas às vezes penso que seria mais interessante fazer uma outra faculdade antes.

Curious: E você já tem algum curso que gostaria de fazer além de Moda?
Cristian Boomer: Mais ou menos. Quando eu estava no ensino médio, era o aluno que tirava as melhores notas em Inglês, meu professor da época disse que sou quase autodidático para isso e falou que eu devo fazer faculdade de Letras e me especializar em Inglês, mas ignorei o que ele disse na época. Agora concordo que tenho facilidade e sou autodidático, tanto para desenho quanto para inglês. Aprendi a falar inglês jogando MK, Resident Evil e assistindo filmes com áudio e legenda em inglês e isso me facilitou bastante, quando iniciei no curso de inglês entrei no level four, ou seja, eliminei quase a metade do curso.

Curious: Você se considera um “Nerd” por causa dessa capacidade e de ter sido esse bom aluno?
Cristian Boomer: Não, agora não mais, até me acho meio irresponsável na verdade, até a oitava série eu era muito aplicado, depois comecei a trabalhar e a conhecer pessoas e baladas, desde então as coisas mudaram, quando comecei a conhecer a vida na prática vi que acabamos nos “estragando” mais do que na teoria. Mas a vida ensina muito mais por ela mesma. Hoje posso dizer que mantenho alguns valores e me desfiz de outros. Cansei de ser aquele cara certinho que as pessoas achavam que seria um exemplo a seguir, aliás, acho isso meio hipocrisia, cada um tem que ser o que é e o que tem vontade de ser, não creio que eu deva seguir os passos de alguém ou que alguém deva seguir os meus, no máximo tirar inspiração em alguém que você admira.

Curious: Então quem você admira? Quem é a fonte de sua inspiração?
Cristian Boomer: Com certeza a pessoa que mais admiro no mundo é minha irmã Kelli, ela sempre foi uma pessoa equilibrada e dedicada em tudo o que fez na vida. Minha mãe sempre me questiona por que não sou igual à minha irmã, gostaria muito de ser como ela, mas não sou. Sou eu mesmo e mesmo com essas qualidades e tantos defeitos que eu tenho me amo assim, e muitas pessoas me admiram e se inspiram em mim, tenho certeza disso, para essas pessoas só digo uma coisa: Meus pêsames! (Risos) Brincadeira, não acho que isso seja tão ruim assim! (risos). Voltando à questão de ter me considerado um nerd, acho que isso me ajudou quando eu era mais novo, mas acabei esbarrando com coisas que fizeram eu começar a viver, me divertir, isso também compensa bastante. Acredito que se eu tivesse continuado sendo aquele certinho nunca teria sido feliz, nunca teria me divertido como fiz desde meus 17 anos.

Curious: Aos 17 anos você começou a sair?
Cristian Boomer: Sim, foi aos 17 que comecei a trabalhar, conhecer pessoas e a sair para baladas, acho que foi um pouco tarde ter começado minha adolescência somente aos 17. Quando criança eu sempre fui muito quieto e sozinho, não tinha amigos, até jogava ludo comigo mesmo. Acredito que por isso estimulei muito minha criatividade, sempre jogando jogos difíceis no videogame, desenhando e criando. Na adolescência não foi muito diferente, até meus 15 ou 16 nada mudou na minha vida, depois as coisas aconteceram, era muita informação ao mesmo tempo, fiquei muito confuso e acabei buscando um refúgio nas drogas! (Risos) Estou brincando, sou parcialmente careta em relação a drogas, tanto que quando comecei a sair para baladas me decepcionei ao ver a quantidade de pessoas usando aquelas coisas que na época eu nem sabia o que era. Hoje não posso dizer que nunca experimentei nada, mesmo porque considero o próprio álcool uma droga, já bebi bem poucas vezes e experimentei anfetaminas, odeio quando pessoas usam maconha ou fumam cigarros perto de mim.

Curious: Foi esse o motivo que fez você parar um pouco de ir para boates?
Cristian Boomer: Esse foi um dos motivos, odeio chegar em casa e sentir o cheiro de poluição na roupa, mas fora isso já estou saturado de sair todos os finais de semana. Gosto de sair às vezes mas chega uma hora que você começa a adquirir outros valores. Eu achava que nunca ficaria assim, me enganei. Mas não é por isso que deixo de ouvir músicas de baladas, em casa ouço vários CDs de tribal, house e alguns de trance.

Curious: Esses são os únicos estilos musicais que você gosta?
Cristian Boomer: Não, eu gosto também de pop rock internacional, tenho alguns artistas que me fazem bastante  cabeça, gosto muito do trabalho da Madonna, coleciono CDs e remixes dela; sou fã do Darren Hayes, que é o rapaz que cantava no Savage Garden, ele é meu cantor predileto, agora em carreira solo ele faz um estilo menos rock e mais pop, continuo apreciando sua voz; Björk é uma de minhas prediletas, gosto da sua voz irregular e de seu estilo exótico, tanto nos clipes quanto nas músicas; Sarah Brightman é a cantora de ópera pop que aprecio, nunca gostei muito desse estilo, mas ela é demais; as irmãs Enya e Moya Brenam também estão nos meus porta CDs, gosto de new age para relaxar; o rock das t.A.T.u. faz meu sangue correr mais quente, amo ouvir suas vozes; os remixes do DJ Victor Calderone me deixam em euforia, não posso ouvir um que começo a pular, assim como versões do Hex Hector e Nissin Offer, este último conheci há pouco tempo quando estava ouvindo uma música da Maya, que por sinal também tem uma “puta” voz. Praticamente nada de nacionais.

Curious: Percebe-se que você se dedica a isso, já pensou em ser DJ?
Cristian Boomer:
Gostaria de aprender, seria legal ver uma galera pirando ao ouvir meu som, até já faço umas edições de músicas, inserção de vozes nas batidas e outras coisas, nada profissional nem com boa qualidade.

Curious: E nessas jornadas já conheceu alguém especial?
Cristian Boomer: Conheci muitas pessoas especiais, tanto na balada quanto fora dela, muitas pessoas que fizeram alguma diferença na minha vida.

Curious: Mas quando perguntei isso estava me referindo a alguém para o coração.
Cristian Boomer: Ah! Sim, já conheci, mas geralmente fora de baladas.

Curious: Importa-se de falar sobre sua vida amorosa?
Cristian Boomer: Sim me importo! Desculpe.

Curious: Ok, vamos falar de sua vida profissional então?
Cristian Boomer: Manda aí!

Curious: Conte sobre seus trabalhos, o que aprendeu com eles, onde e como foi cada um deles.
Cristian Boomer: Comecei a trabalhar durante alguns meses na cooperativa da escola na época do ensino médio, mas nunca recebi pelo que fiz, meu primeiro trabalho foi numa lanchonete do Bob´s, era pesado mas muito divertido, era o melhor sorveteiro da época, trabalhei com divulgação de pontos turísticos e depois 3 meses em um restaurante, logo vi que alimentação não era muito a minha praia. Passei para supermercado, só 3 meses. Fui convidado a participar de uma ONG que fazia prevenção a DSTs, Era chamado Projeto H.S.H. Cidadania, fiquei durante 3 anos, trabalhava com amigos e isso foi ótimo para mim, abri minha cabeça e conheci pessoas legais, paralelamente iniciei nas Lojas Americanas, no departamento de CDs, DVDs e eletrodomésticos, durante 2 anos via meu salário se transformando na minha coleção musical. Passei pela Colcci de Balneário Camboriú e de Itajaí, adorei a experiência, sempre nas melhores festas e conhecendo pessoas bacanas, também acrescentei bastante conhecimento na área da moda. Já fui Personal Life Stile de um grande amigo que de tanto apreciar meu trabalho me convidou para morar junto com ele, por fim um aprendeu com o outro. Atualmente além da minha primeira atividade também trabalho com acessoria de Cris Floriano que é praticamente o Giovane Bianco catarinense.

Curious: Bem, acho que é tudo. Em nome da revista Curious quero agradecer pela sua paciência e em nome de todos te parabenlizo por ser essa pessoa que esbanja simpatia por todos os cantos que passa.
Cristian Boomer: Que nada! Assim você me deixa encabulado! Faz parecer alguém de extrema importância! (Risos)

Curious: E é para muita gente, você sabe disso! Muito Obrigado!
Cristian Boomer: De nada! Eu quem agradeço!








Copyright © 2006 Cristian Boomer - Designed by Alexandre de Oliveira
1