Entrevista com Duff Mcagan
 
Duff Mckagan

Você pode nos contar o que anda fazendo?  
Bem, como eu disse antes, estou em uma nova banda. Somos eu, Mark 
Lanegan, Mike Johnson e um baterista de Seattle. Amanhã mesmo nós 
estaremos gravando alguma coisa. Mark, Mike e eu estamos 
improvisando algo com uma bateria eletrônica. Ele é o baterista do New 
American Shame. Esse é um projeto o qual Mark e eu estivemos 
planejando por um bom tempo, e é a primeira vez que eu conto isso pra 
alguém, pois era uma espécie de segredo. Houve até mesmo um rumor no 
MTV News o qual negamos, porque não queríamos que ninguém 
soubesse. Quando você estáno ramo da música você precisa manter 
algumas coisas como uma surpresa, pra que as pessoas digam "Wow, 
esse e esse cara juntos!". Apesar de que a verdade é que o fato de virmos 
de diferentes bandas não nos afeta. Nós já nos conhecíamos, pois viemos 
do mesmo lugar e crescemos ouvindo a mesma música - The Saints, Bad 
Company, Stranglers, e eu podia ir longe falando das nossas influências 
em comum. Eu escrevi um novo trabalho, "Beautiful Disease", e quando 
estava prestes a ser lançado a Geffen foi absorvida (nota: foi comprada 
pela Interscope Records) e as prioridades mudaram, então no fim o disco 
não foi lançado, e nunca o será. De qualquer maneira, Mark adorou 
algumas das músicas. Talvez tudo isso estivesse destinado a acontecer. 
Nós vamos gravar três sons daquele álbum, então agora mesmo estamos 
trabalhando nas músicas. Como com o negócio do Neurotic Outsiders, o 
que nunca foi nada muito sério para nenhum de nós. Nós nunca 
ensaiamos as músicas com o Neurotic. Nós apenas as escrevíamos em 
cinco minutos ou Steve Jones já tinha elas feitas. Nós não estávamos 
num esquema 24/7. Isso é o que estamos fazendo agora.  

Há alguma gravadora interessada em você?  
Não, mas nós temos um bom gerente. Nós vamos gravar uma demo e 
tocar ao vivo como todo mundo faz. Mas nós iremos gravar uma demo 
que ninguém vai poder rejeitar, escolheremos qualquer gravadora que 
quisermos. Essa é a idéia, dominar o mundo e tudo o mais (ri). Estou 
muito feliz de estar trabalhando em algo que vai me redefinir para o 
público. Agora mesmo eu sei quem sou em minha vida pessoal, e digo 
isso porque é muito importante, desde que por um longo tempo eu não o 
soube. Você está naquela banda enorme, o Guns N' Roses, e não tem 
muito tempo pra perder consigo mesmo, e sem isso você acaba perdido. 
Isso talvez soe dramático, mas é a verdade. É terrível! A principal 
preocupação é o vício em drogas, álcool e toda a merda restante. Aquilo 
quase me matou. É um assunto sério! Então, acredito que nesses últimos 
anos o Neurotic Outsiders me ajudou com a minha vida pessoal, porque 
eu tive aquela válvula de escape que era realmente uma diversão. Mas no 
fim aquilo não me definiu por inteiro. Eu estava tocando com o meu ídolo 
e nós tocávamos rock'n'roll! Aquilo me transformou numa criança de 32- 
33 anos de idade. Eu era o garoto e me sentia bem. Ótimo!  

Você pode descrever como vão soar suas novas músicas?  
Nosso objetivo é soar tão bom quanto Pink Floyd em "The Wall". Vai soar 
como "The Wall" do Pink Floyd? Não! Todos sabem como soa a voz de 
Mark Lanegan e as trevas que ela esconde. Tudo isso estará lá, mas a 
respeito das composições, é aí que eu e Maek Johnson entramos. As 
músicas são orientadas para lugares onde Mark teria facilidade de se 
sentir atraído. As influências em comum são as mesmas, como Burt 
Bacharach, Bad Finger, e a lista continua.  

Qual sua opinião sobre "Believe In Me" quando você o ouve hoje?  
Eu acho que foi um disco pessoal. Acho que aqui fui eu tentando 
consertar minha vida pessoal, e na verdade não foi um álbum completo. 
Foi mais como um diário. Eu não sei se vocês já sabem disso, mas 
enquanto estávamos em turnê eu estava escrevendo músicas e uma coisa 
levou à outra.  

Enquanto você estava em turnê com o Guns N' Roses...  
É, uma coisa levou à outra e um cara na Geffen sugeriu que eu gravasse 
um disco. Foi um passo grande a ser dado, porque aquelas eram músicas 
realmente pessoais. Acho que é um bom retrato da minha vida naquela 
época. Se eu lançaria aquele disco hoje? Sem chance! Mas eu estou 
orgulhoso do mesmo pelo que é, por muitas razões. Foi o meu disco do 
Johnny Thunders.  

Quando deixou o Guns N' Roses você se juntou a Steve Jones para formar 
o Neurotic Outsiders. Como surgiu a idéia?  
Eu ainda estava no Guns quando a idéia começou a tomar forma, mas nós 
eramos preguiçosos. Eu ia ao lugar onde praticávamos, eu e Matt 
tocávamos por um tempo, mas ninguém mais aparecia. Slash estava 
tendo problemas com Axl e, bem, vocês já conhecem a história. Axl 
finalmente apareceria por volta das 4 da manhã, oh bem, foda-se! Eu 
percebi que não queria mais esperar até as 4 da manhã para ensaiar. 
Minha vida havia mudado. Eu não vou falar merda de ninguém, todos tem 
suas razões para o que fazem. Eu apenas me tornei um pouco mais 
razoável, e acho que sempre o fui, mas agora eu levo isso a sério. Eu faço 
o que digo, e digo o que penso. Eu não diria "Ok, tudo bem cara, eu vou 
engolir isso de novo". Não. Eu encarei e disse que sem chance, aquilo não 
era justo... se acontecesse mais três vezes eu estava fora. Bem, 
aconteceu. Então Jonesy (Steve Jones) e eu estivemos praticando e 
fazendo algumas apresentações, porque o Guns não fazia nada. We 
tocávamos no Viper Room todas as segundas à noite. Era demais! Nós o 
fizemos por caridade. Um tempo depois, tivemos uma proposta para um 
disco. Claro que o nosso interesse não ia tão longe, mas assim que você 
tenta manter algo quieto as gravadoras começam a aparecer de todos os 
cantos, subitamente. Nós não queríamos gravar um disco, mas finalmente 
dissemos "Porra, Maverick, faça-nos uma boa proposta!" Eles disseram 
"Hey, vocês não precisam sair em turnêm nós sabemos que cada um de 
vocês tem suas próprias coisas para fazer. Então nós dissemos que tudo 
bem e fizemos o disco. Eu adoro aquele álbum! Eu iria trabalhar com 
Steve Jones e ele é meu amigo. Nós quisemos fazer alguns shows, o que 
é algo que eu espero poder fazer por um longo tempo. Acho que os fãs da 
banda perceberam do que se tratava a coisa toda. Foi algo o qual fizemos 
uma vez e por um certo tempo, então não havia nenhuma pressão 
envolvida.  

Você teve alguns problemas de saúde em 1994. O que aconteceu 
exatamente?  
Eu havia desistido das drogas e me juntei com minha banda pra uma 
turnê Européia. Eu não usava mais drogas, mas bebia como um louco. Eu 
sempre precisava de um coquetel na minha cama quando acordava no 
meio da noite, senão me sentiria horrível. Eu queria parar com tudo 
aquilo mas não pude. Depois da Europa eu fui ao Japão e daí de volta para 
casa. Eu havia comprado essa casa em Seattle, o lugar onde fui criado. Eu 
estava deitado em casa quando senti essa dor pungente. No momento eu 
achei aquilo estranho, apesar de que pra ser honesto, eu sentia dor o 
tempo todo, eu estava realmente fodido! Mas desta vez a dor começou a 
aumentar e ficou tão insuportável e durou tanto tempo que eu nõa podia 
nem me mover. Nem mesmo pra ligar pro 911. Felizmente um amigo meu 
apareceu, e eu o ouvi dizendo "Hey, onde você está?" lá embaixo, quando 
ele entrou. Eu não podia nem mesmo gritar que estava escada acima, mas 
ele veio até o meu quarto, me achou e me levou ao hospital. Meu 
pâncreas havia explodido e uma quantidade enorme de toxinas estava 
correndo pelo meu estômago. Quando esse tipo de coisa acontece, um 
monte de gente morre, mas não foi o meu caso. Eu podia contá-los sobre 
a expriência toda no hospital, mas vocês não iam querer ouvir os 
detalhes.  

Aposto que isso fez você reconsiderar um monte de coisas.  
Bem aquilo teve que acontecer. É a única maneira de fazer você parar. Eu 
me vi no hospital todos todos aqueles tubos e o caralho a 4. Aquilo 
mudou a minha vida completamente. Foi como "Hey, você pode estar 
orgulhoso de estar aqui, você não morreu. Você fez um monte de louras, 
e você não está morto. Era o fim que lhe esperava, mas não aconteceu. 
Você está aqui por algum motivo". Agora eu estou aproveitando uma 
segunda vida. Bom, acho que o álbum no qual estamos trabalhando 
também é uma boa razão pra continuar vivo.  

Quando você estava realmente mal, alguém do Guns N' Roses ou seus 
outros amigos tentou ajudá-lo?  
Slash. É, Slash, meu amigos em Seattle e minha família estavam lá.  

Você teve um grupo de pessoas o apoiando, não teve...  
É, eu sou o mais novo de oito irmãos, então minha família esteve comigo 
no hospital. Foi muito bom que Slash também esteve lá. Ele e eu, nós 
passamos por algumas coisas juntos. Somos como irmãos.  

Então hoje você está sóbrio e se mantém limpo...  
Oh sim. Eu deixei de fumar e estou enjoado de ver as coisas indo tão 
bem. Besteira! Não, é sério, estou muito feliz. Como na noite passada, 
estivemos trabalhando até tarde da noite e às vezes eu posso dormir por 
volta de 4 horas e me sentir bem quando eu acordo. Se eu estivesse 
bebendo ou coisa do tipo, não poderia. Provavelmente eu não teria ido 
dormir no fim. Eu não pensaria que tenho uma entrevista ao meio-dia, eu 
apenas diria "foda-se!" e ficaria acordado a noite toda. Eu não poderia 
dirigir até aqui para a entrevista. Tudo vai se acumulando. Eu não poderia 
fazer uma porção de coisas, como vocês tirarem algumas fotos.  

Você até mesmo voltou à escola para entrar numa faculdade.  
Eu estou realmente empolgado com isso! Eu estou voltando à escola. Eu 
levei um ano e meio num curso em administração de negócios. Nós 
vendemos um monte de discos e fizemos muito dinheiro, mas ninguém no 
Guns teve o seu diploma. Eu não sabia como funcionavam e quais os elos 
do mercado, ou outros termos financeiros. Foi tudo parte da reconstrução 
da minha vida e de achar um novo rumo para tomar. Então eu estou de 
volta à escola e sou um estudante brilhante, nada além de A's. É 
realmente divertido! Se você já está nos 30, é melhor tirar um A ou então, 
por que diabos você está lá? Eu estou ficando muito agradecido pela 
escola.  

Você tem um diploma?  
Não, não tenho diplomas. Eu parei por causa do disco "Beautiful Disease" 
para a Geffen, que deveria ter sido lançado, e eu estava ensaiando com a 
banda para que pudéssemos sair em turnê. Então tudo terminou.  

Mas você ganhou bastante conhecimento.  
Bastante. Sim.  

Para qual escola você foi?  
Faculdade Santa Monica. Bem impressionante. Eu fui para o período 
noturno. Pessoas de 18 anos de idade estavam chocadas de me ver por 
lá. Todos diziam, "Nós não contaremos a ninguém que você está aqui!" 
Foi demais, uma experiência maravilhosa.  

Agora você está entre L.A. e Seattle. Você tem saudades da vida noturna 
em Los Angeles quando está em Seattle?  
Eu não estou mais muito interessado na vida noturna. Eu tive tanta vida 
noturna quanto centenas de pessoas juntas. Minha vida noturna está 
resumida aos meus shows, é noite o suficiente pra mim. Vez ou outra eu 
vou conferir uma banda, como o Screaming Trees quando eles tocaram no 
Viper Room. Quando um amigo está tocando, eu normalmente apareço.  

Muita gente diz que o clima em Seattle é muito depressivo, pois chove 
muito, e isso combinado ao uso de drogas influenciou a música de bandas 
como Soundgarden, Alice In Chains ou Nirvana.  
Eu não penso assim. Há uma cena musical muito forte lá, e a razão é bem 
simples. Desde que chove muito você tem que ensaiar em porãos escuros 
e você gasta um bom tempo tocando porque não pode sair e pegar algum 
sol, ou ir à praia ou jogar tênis ou golfe ou seja lá o que for. Então você 
apenas toca. Amplificadores soam diferente em um ambiente muito 
úmido. Tudo soa diferente. Além disso, em Seattle você não sente a 
pressão "pop" como em L.A., coisas como "nós temos que compor um hit 
pra conseguirmos contrato com uma gravadora". Não existem gravadoras 
em Seattle. Então as pessoas basicamente escrevem para si mesmas. Elas 
apenas tocam e as pessoas vão assistir às bandas, e é assim que elas 
influenciam umas às outras. É um mundo a parte. Eu adoro estar lá. Não 
parece nada depressivo para mim. Chris Cornell ama Seattle.  

Sua carreira começou muito antes de todas essas bandas sequer 
existirem. Como você trilhou um caminho diferente indo até L.A. e se 
juntando a 
uma banda como o Guns N' Roses?  
Soundgarden, esses caras já estavam por aí. Havia um monte de heroína 
em Seattle quando eu estive tocando em bandas de Punk Rock de 1979 a 
1984. Heroína rolava por todos os cantos e todo mundo era um junkie. 
Não havia clubes pra se tocar, nada! Era uma daquelas épocas em sua 
vida em que se deve fazer uma escolha. Eu tive que escolher entre ficar 
em Seattle ou me mudar para Hollywood atrás de uma chance. E foi o que 
fiz. Eu me mudei pra um apartamento, e Izzy morava bem do outro lado 
da rua. Boom! Nós formamos uma banda. Daí tudo começou. Foi estranho 
pra mim, porque quando eu conheci Steven Adler ele estava ouvindo 
W.A.S.P. e eu nunca os ouvi. Ele estava chocado, ele pensou "wow! Essa 
música é demais!". Eu conhecia outras bandas como Mötley Crüe e Ratt. 
Eu não ouvia apenas Punk Rock, eu também ouvia Prince e outros 
gêneros de música. Izzy parecia mais comigo, ouvindo Thunders, Hanoi 
Rocks, Aerosmith ou qualquer outra coisa. Steve e Slash estavam mais 
ligados ao Metal. Axl gostava do Nazareth. Mas todos eles eram loucos 
pelo W.A.S.P., eles amavam aquele álbum '(Animal) Fuck Like A Beast'! 
Eles (o Guns)eram roqueiros de verdade. Quando nós tocávamos, eu 
pensava "Hey, isso é rock de verdade!". Nós formamos a banda, mas as 
influências eram 
muito diversas... Nosso primeiro show com a formação completa foi em 
Seattle, abrindo para o The Fastbacks. Inicialmente nós nos 
considerávamos mais uma banda de Punk Rock e todos nossos shows 
eram aberturas para bandas como Tex and the Horseheads, The Dickies, 
Social Distortion andthe Chilli Peppers. É como as coisas mudaram. Se eu 
tivesse ficado em Seattle, quem sabe o que teria acontecido. Talvez eu 
tivesse terminado no Soundgarden. Nunca se sabe.  

Há uns dois anos você gravou um álbum com o 10 Minute Warning, sua 
banda antes de se juntar ao Guns N' Roses. Como você veio a se juntar de 
novo a eles?  
Eu vou contar a vocês o que aconteceu. Stone Gossard veio à minha casa 
em L.A. na época em que eu estava envolvido com o Neurotic. Muita 
gente diz que o 10 Minute Warning influenciou sua maneira de tocar 
guitarra. Os caras do Soundgarden, por exemplo. Kim Thayil diz que o 10 
Minute Warning foi sua maior influência. Nós éramos uma espécie de 
"reis do trash" em 1983. Stone disse que ele nunca teria começado a 
tocar guitarra se não fosse por minha causa. Nós temos a mesma idade e 
tudo o mais. Então Stone disse "Você gravaria um álbum? Eu lhe pago pra 
isso." Era uma história diferente, eu havia acabado de deixar o Guns e 
estava no Neurotic, então eu disse que o ligaria. E eu liguei, a banda 
apareceu e nós gravamos uma demo. Mas o nosso cantor estava numa 
penitenciária federal à aquela altura, e ele não sairia de lá por um bom 
tempo, então nós precisamos procurar por um cantor diferente.  

Por que ele estava na prisão?  
Roubo a banco. Não apenas um, mas muitos. Então nós achamos esse 
cara, Christopher, e aí o Sub Pop se envolveu. Nós todos terminamos na 
mesma sala e os caras estavam tipo "Vamos nessa, vamos tocar". Muitos 
anos se passaram, como 12 ou algo assim, e foi muito divertido. Era como 
algo divertido mais uma vez, mas sem um traço de amargura. Eu adorei 
aquilo. E o pessoal no Sub Pop também!  

Uma semana atrás você esteve no Japão, tocando com Izzy. Vocês 
tocaram algum som do Guns N' Roses, ou apenas o material de Izzy?  
Nós tocamos 'Attitude', que não é uma música do Guns N' Roses, mas nós 
a fizemos popular. "Popularizada pelo Guns N' Roses" (fala num tom de 
brincadeira).  

Como foi tocar com seu velho companheiro Izzy?  
Demais! Nossa amizade é realmente sólida. Aliás, quando meu pâncreas 
foi pro saco Izzy também telefonou. Nós sempre fomos amigos e nossa 
amizade está além da música. Nós passamos por muita coisa juntos. Eu 
toco nos seus discos, o que normalmente não leva mais do que dois dias. 
É algo como "Aqui está a música, toque, obrigado". Para este último disco 
eles quis ir para longe e fazer alguns shows comigo. Nós estivemos 
ensaiando em Hollywood por uma semana e aí ele quis fazer alguns 
shows, que foram realmente divertidos. Foi muito fácil! No Japão todos 
estavam chocados à nossa volta, vendo nós dois juntos. Foi excitante. 
Nós estamos gravando um novo álbum em duas emas. Rick (Richards, 
guitarra) está vindo de Atlanta e Taz (Bentley, bateria) virá de Dallas. Os 
mesmos caras que estiveram no Japão. Nada além disso - as coisas são 
bem fáceis com Izzy. As músicas não são muitos difíceis na verdade, elas 
são baseadas nas boas e velhas raízes do rock. É o que gosto no Izzy. 
Acho que ele está mantendo algo essencial - raízes do rock. Elas estãe;o 
lentamente sendo deixadas de lado e ninguém parece estar fazendo o que 
ele faz. Ele mistura 
country e rock and roll, e é bom nisso.  

Quando Izzy deixou o Guns N' Roses, ele supostamente o fez pelas 
mesmas razões as quais você o fez - porque o Guns estava virando uma 
grande máquina de dinheiro. Isso é verdade? (Duff concorda). Você pode 
nos dar algo a respeito e por que o Guns N' Roses virou toda essa 
máquina de dinheiro?  
Se você dá muito a alguém como Axl... Vamos colocar as coisas dessa 
forma: se todos à sua volta estão sempre respondendo "sim" por anos, se 
tudo é reduzido a "sim, sim, sim", então na sua relação com outras 
pessoas, se alguém diz "não" você acha que aquela pessoa está errada. 
Você vai mandá-lo se foder! Você está nessa banda desde o começo, e 
então subitamente tudo se torna autocrático, apenas porque uma pessoa 
está rodeada de pessoas dizendo sim para tudo. Não é legalmente uma 
autocracia, mas há apenas uma pessoa pensando que é a sua própria 
banda. Bem, então, fique com a sua maldita banda! Apenas um não pode 
mais lidar com isso. Eu amo todos e cada um dos membros do Guns N' 
Roses, e esse sentimento não irá acabar. Eu faria qualquer coisa por eles, 
sem me questionar. Mas as pessoas mudam. Então, o que eu pude fazer? 
Ficar puto e ganhar rios de dinheiro? Pra mim, fazer música não está 
orientado a ganhar dinheiro. Se você está nessa pelo dinheiro, você está 
nessa pela razão errada. Você nunca fará boa música, eu te digo.  

Quando você deixou a banda, como tudo aconteceu? Você disse que 
estava fora, você disse que precisava conversar... ?  
É, apenas conversa, sentar e conversar. Eu lhes disse que havia mudado. 
Disse a eles que se precisassem de ajuda, eles precisariam apenas ligar 
pra mim. Eu disse a Axl que essa era sua banda, ele ignorou a todos e 
trouxe seu melhor amigo para a banda. Eu não pude tocar com ele. Paul 
Huge, esse era o cara! Ele é um amigo de Axl, um daqueles que dizem 
sim.  

Por que você não pôde tocar ao lado dele?  
Cara, você não pode estar no Guns N' Roses de um dia para o outro. 
Aquela é uma banda de verdade. Você toca guitarra?  

Não.  
Bem, imagine que eu e você crescemos juntos e que você é o meu melhor 
amigo. OK, eu estou no Guns N' Roses e eu digo a todos que você vai 
entrar na banda. "OK, Slash, Axl, Matt, caras, esse cara está na banda". 
"Duff, você tem um minuto?" "Não, ele está na banda" "Bem, não. Todos 
na banda tem que votar, Duff, então sem chance!" "Vá a merda, esse cara 
está na banda! Eu não vou fazer nada a não ser que ele esteja na banda". 
"OK, sabe de uma coisa? Nós vamos tentar e tocar com ele, já que você 
está tão interessado nisso... Hey Duff o cara não pode tocar" "Não me 
importo" "Bem, isso não é muito razoável..." "Não me importo". À essa 
altura, o que você faria? Eu cheguei a um ponto onde não podia nem mais 
olhar para ele (Paul Huge). Seu eu estivesse em tal situação, se eu fosse 
o amigo se juntando à banda, eu diria "Hey caras, vocês se deram muito 
bem sozinhos, eu não estou fazendo progresso nenhum. Hey, Duff, valeu 
pela oferta, mas eu estou acabando com a sua banda." Mas ele não disse 
isso.  

Até então, quando vocês estiveram trabalhando com o material novo, 
como soava?  
Não havia material. Não havia nada. Nós não tocávamos. Nós tentávamos. 
Matt e eu tocávamos. Era legal quando Slash juntou-se a nós por uma 
semana. Até quando Zakk Wylde e Slash tocaram juntos, havia alguns 
sons nos quais ouve uma progressão natural e eles eram bem rock. Você 
pode imaginar, eram sons realmente pesados. Tão pesados quanto eu 
gosto deles!  

Como foi trabalhar com Zakk Wylde por esse pequeno tempo?  
Eu gostei bastante. Ele é um grande cara. É o cara mais engraçado que eu 
conheço! Você não consegue fazer nada senão gostar dele. Eu trabalhei 
com ele e ele é um gênio. Quando ele se senta no piano e começa a tocar, 
ele pode trazer lágrimas aos seus olhos. Quando ele tinha 18 anos ele era 
algo como o campeão do Estado dele no piano.  

Você mantém contato com Steven Adler? Ninguém parece saber o que ele 
anda fazendo atualmente.  
Bem pouco. Steven causou muito dano a si mesmo. A única coisa que 
você pode fazer pelo cara é chorar por ele... É difícil falar com ele às 
vezes. Ele ainda é o mesmo cara, mas há um monte de coisas que o 
mudaram para sempre.  

Ele está fazendo qualquer coisa musicalmente?  
Não.  

O que você sente quando escuta "Use Your Illusion" hoje?  
Eu acho que são discos incríveis, e foi uma honra tocar em álbuns como 
esses, por causa dos diferentes estilos que os sons apresentam. Eu gostei 
de fazer parte daquilo.  

Aquela turnê foi realmente única, porque na primeira parte da mesma a 
banda estava tocando em estádios músicas que ninguém havia ouvido 
antes. Como foi tudo isso?  
Foi estranho. Tudo começou porque Axl ou alguém disse "hey, nós vamos 
tocar músicas do novo disco que vai sair em um mês ou dois. Que tal?" E 
todos nós dissemos "Legal!". As pessoas agradeceram por aquilo 
também, porque foi algo como "hey, nós somos os primeiros a ouvir 
essas músicas". Então eu acho que foi bom. Nós éramos apenas uma 
banda tocando.  

Qual sua opinião sobre "Get In The Ring"?  
Sabe, eu escrevi uma parte dessa música. O título era "Why do you look 
at me when you hate me", e era sobre a imprensa escrevendo merda a 
nosso respeito. Bem, por que vocês escrevem sobre nós se na verdade 
vocês nos odeiam? Eu poderia das os nomes daqueles que nos odiaram. 
Por que a imprensa não contrta outras pessoas pra escrever sobre nós, 
ao invés de bater na gente? Por que eles tem que escrever sobre nós? Eu 
era muito idealístico e eu pensei que o mundo havia mudado. Você 
precisa de um bocado de energia negativa consigo para escrever tanto 
sobre alguém que você na verdade odeia.  

Izzy disse que ele não entendeu porque Axl chegou ao ponto de 
mencionar nas músicas os jornalistas os quais ele odiou...  
A música era uma espécie de piada, e tudo começou com aquela música. 
Então Axl levou para o lado pessoal. Ele pensou que seria uma boa idéia. 
Mas definitivamente, se existem pessoas podres que devem ser tratadas 
como podridão, quem se importa? Pro inferno com eles!  

À essa altura a banda lançou alguns vídeoclipes bem elaborados de sons 
como "Estranged" e "November Rain" que alguns dos fãs antigos odiaram 
porque neles a essência selvagem do Guns estava perdida.  
Eu acho que eles levaram nossa música à América "redneck", como nós 
dizemos por aqui.  

Durante aquela época, você gostou de fazer aqueles vídeos? Ou eles 
foram idéias mais de Axl ou da gravadora?  
Eles foram todos idéias de Axl, mas existem cinco caras numa banda e 
todos tem uma opinião. Na época, eu acho que a gravadora tinha medo de 
nos dizer pra não fazê-los. Eles viram o que estava acontecendo, mas 
quando você está gerando tanto dinheiro ninguém lhe diz o que você 
deve fazer. Oh bem, está feito e minha opinião é, se dependesse de mim 
nós nunca teríamos feito aqueles vídeos. Mas não estava em minhas 
mãos.  

Especialmente você, vindo de um cenário punk.  
É, toda aquela merda sobre a limusine e tudo o mais. Ora cara, não 
mostre sua maldita casa e limusine! Você vai alienar todos os seus fãs! Os 
fãs do nosso primeiro disco eram todos "rednecks", punks e roqueiros. 
Nós estávamos nesse nível das ruas e subitamente todos estavam 
trazendo seus pais aos nossos shows. Como em "November Rain". Eu 
amo aquela música, mas o vídeo... Elite, nós viramos elite.  

Qual a sua lembrança do incidente de St. Louis, quando Axl se meteu 
numa briga com alguns Hell's Angels durante um show, saiu do palco e o 
lugar de transformou num campo de batalha?  
Aqui foi algo estúpido. Eu não vou comentar isso porque eu não quero ser 
negativo. Aconteceu e foi ridículo. Pessoas se machucaram e aquilo me 
deixou muito puto. Eu não posso gostar de pessoas se machucando 
durante um show. Aquilo foi besteira! Foi uma das piores noites, como o 
showem Donington onde aqueles garotos morreram. Aquilo foi horrível.  

Depois de deixar o Guns N' Roses, você chegou a tirar férias?  
Eu estava trabalhando no meu disco, "Beautiful Disease", todos os dias, 
seis dias por semana. Foi o que fiz. Eu saí em Agosto e trabalhei no álbum 
de Agosto a Janeiro. O disco estava marcado para ser lançado em 12 de 
Fevereiro daquele ano. O pessoal da banda, que estariam comigo na 
estrada, depois do disco não ter sido lançado disse "Foda-se, vamos fazer 
a turnê de um jeito ou de outro". Nós fizemos a turnê sob o nome Loaded, 
e foi algo como uma turnê punk, sempre em clubes punk, e eu me diverti 
muito, algo que eu realmente precisava fazer. Eu me casei no fim de 
Agosto. Então eu comecei com o 10 Minute Warning antes de trabalhar 
com Mark. Nós escrevemos cerca de 30 músicas e então chegamos ao 
presente. Então eu nunca pensei em parar de trabalhar e dizer "Hey, eu 
vou tirar alguns meses pra descansar" porque eu não posso. Eu não 
posso simplesmente parar em casa.  

Você até mesmo tocou com Slash no Slam Dance Festival. Como foi 
aquilo?  
Muito divertido. Matt trabalhou na trilha sonora de um filme e ele 
arranjou todas músicas e seus músicos. Eucantei uma música e Slash 
tocou guitarra. Eu não sei se vocês viram o filme, é um filme independe e 
de baixo orçamento que foi aceito para o Sundance Festival. Então nós 
fomos e tocamos na festa do filme. Éramos apenas nós, nos soltando, 
tocando e nos divertindo.  

Você gosta da banda do Slash, o Slash's Snakepit?  
Sim, é o Slash, você sabe. Ele é divertido. Seu bateris é muito bom. Eu 
não escutei o disco. Ele não me deixaria escutá-lo. Acho que ele tem 
medo de mostrá-lo para mim. Ele não o mostraria para Matt também. Eu 
não tenho nem idéia do que se trata a coisa toda. Eu lhe perguntei se era 
merda ou algo. Ele disse que não. Ele tinha medo do que nós poderíamos 
ver a dizer a respeito.  

Desde que saiu do Guns N' Roses, você esteve em contato com Axl?  
Uma ou duas vezes.  

O seu relacionamento é bom?  
Eu não sei se é para ele. Eu não sei. Eu acho que Axl está realmente puto 
comigo agora. Eu acho que ele está ficando mais e mais puto. Na primeira 
vez em que vi ele, tudo pareceu correr bem, mas parece que as coisas 
mudaram.  

Axl é como a Greta Garbo de hoje. Há um bocado de mistério ao redor 
dele, ninguém viu uma foto dele em anos, exceto por aquela foto da 
polícia de quando ele foi detido em Phoenix. Ninguém sabe nada sobre a 
música que ele está fazendo e há um bocado de mistério ao redor de sua 
persona. Qual sua opinião sobre isso?  
Coisas estranhas acontecem quando você se torna famoso. Isso acontece 
e as pessoas são afetadas de maneiras diferentes. Eu não tenho uma 
resposta para você. Eu tenho muitas opiniões e eu sei muitas coisas a 
respeito disso, mas eu não estou as explicando. Eu não o vou. Ele está lá 
para responder. Se ele lança um álbum e o mesmo é bom, ele estará bem. 
Ele está muito assustado a respeito disso tudo. Eu acredito nessa 
situação em que você precisa sair de casa por um tempo para ver o que 
está acontecendo. Afaste-se, viva. Ou faça o que você tem que fazer, mas 
tenha certeza do que está fazendo. É assim que eu penso. Se você 
continua se enganando e continua fazendo as mesmas coisas, você vai 
acabar se dando mal. O Guns nunca foi desse jeito. Nós fizemos o que 
tivemos que fazer, e nós não temos um nome pra isso. É apenas 
rock'n'roll, vamos nessa! Deixe que 
os outros o enquadrem numa categoria.  

Depois de muitos anos longe, você acha que há qualquer chance dos 
membros originais do Guns N' Roses se reunirem algum dia para um 
álbum ou uma turnê? Você o faria se lhe oferecessem?  
Se é algo democrático entre nós cinco, é algo algo que eu adoraria fazer. 
Não há muito tempo atrás nos ofereceram diversos shows para começar o 
novo milênio na austrália. Mas não há chance de tudo ser como nos 
velhos tempos. As coisas mudaram.  

Que tipo de música você tem ouvido hoje em dia?  
Eu gostei do novo disco do Bush. Não é exatamente novo, já saiu há uns 
dois meses agora. Foo Fighters. Eu posso ouvir de The Hellacopters até 
Dr. Dre.  

Então você é mente-aberta em seus gostos...  
Certamente, bem mente-aberta. Digo, eu até mesmo gosto de Crhristina 
Aguilera. Eu acho ela uma cantora surpreendente! Kid Rock é um bocado 
divertido. Ele é realmente um cara legal.  

Que tal Buckcherry?  
Eles são bons. Eu esperava mais daquele disco. Eu lhes dei uma chance, 
eu realmente dei. Eu acho que o cantor não é nada mau, e Keith, o 
guitarrista, é grande. Mas há algo naquele disco de que eu não gosto. Eu 
não consigo saber o quê. Eu gosto da banda, mas acho que eles podem 
fazer algo melhor. A coisa é, o disco foi lançado como se fosse a salvação 
do rock and roll! Foi o que eu tinha em mente quando o comprei. Eu 
escutei e não consegui perceber. Acho que Foo Fighters e bandas 
similares estão mais próximas de serem a salvação do rock and roll. 
Talvez o Buckcherry se rotule como a salvação do "rock-and-roll-com- 
tatuagens", eu sei lá. Eu gostaria que eles fossem melhores. Eu gosto 
deles, mas não adoro eles, apesar de que eu o gostaria. Então se eles 
estiverem lendo isso, mãos à obra para trabalhar no seu próximo disco! 
Quem sou eu pra julgar, de qualquer maneira? Eu não sei. Eu escuto 
Christina Aguilera, quem diabos sou eu pra julgar? (ri). É sério, cara, ela 
é demais, ela é demais. Eu estava em casa por uma semana quando eu 
desisti de fumar, sete semanas atrás, assistindo ao The Box. Eles tocaram 
algo como os dez ou vinte singles mais cotados. Cara, eu realmente 
gostei daquilo. Quase tudo era hip hop. Sabe de outra banda da qual eu 
gosto? Slipknot. Eu acho que eles são bem engraçados. E eu gosto 
também de um monte de outras bandas underground. Eu gosto de música 
em geral.  

Finalmente, você poderia nos contar quais são as suas músicas favoritas 
do Guns?  
Eu não sei, há muitos sons dos quais eu gosto. Por anos "My Michelle" foi 
a música a qual eu mais adorava tocar, mas perto do fim da turnê dos 
Illusions minha favorita era "Pretty tied up''. 
 





http://geocities.yahoo.com.br/danirokeira