O texto é desenvolvido a partir da obra Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado, juntamente com registros fotográficos, datados da época em que o escritor viveu na cidade, até os dias atuais.Com esse material, são analisados o ontem e o hoje do porto de Ilhéus, comparando o texto literário e as fotografias de época do referido porto, visto que é ele (o porto) elemento da obra amadiana suscitador do interesse do leitor-turista (SIMÕES, 2002) e motivador das razões para e porque (GUMBRECHT, 1998) do trânsito turístico.São analisados os contrastes e diferenças do antigo porto em relação ao atual, suas reconfigurações e sua influência no turismo regional, levando em conta os aspectos leveza, rapidez, exatidão, visibilidade, multiplicidade e consistência (CALVINO, 1988). Em meio a isso, permeia a importância da fotografia (BARTHES, 1980) como registro histórico e referencial.

 
1