NOÇÕES DE HOMEOPATIA



Considerando que os remédios não agem pela massa, porém pela energia que neles é desenvolvida pela técnica estabelecida por Hahnemann, ao fazer as suas dinamizações, é preciso dar algumas noções, embora sucintas, sobre a referida e bem fundamentada técnica, como ainda sobre a origem desses medicamentos ou melhor das substâncias empregadas, antes de ser planejada o seu uso.

Para se chegar à dinamização dos remédios, resultante da aplicação da Primeira Sublei (Doses Mínimas), Hahnemann criou a sua técnica que, explicaremos a seguir. Sendo a origem dos remédios encontrado nos três reinos da natureza, vegetal principalmente, mineral e animal, foi preciso estabelecer duas maneiras de preparar os nossos remédios: uma para os sólidos ou insolúveis e outra para os líquidos. Para os liquido e os solúveis na água, age-se da seguinte maneira: toma-se uma parte da substância, na mais baixa concentração, geralmente a chamada "tintura mãe" ™, e mistura-se com nove partes de água puríssima, bidestilada (escala decimal criada por Hering, onde fazemos uma menor diluição e maior sucssões) ou então, conforme fazia Hahnemann, uma parte da mesma tintura para noventa e nove partes da mesma água (escala centesimal) que é a mais empregada. Feita essa diluição, agita-se contra as paredes do vaso que a contém, um certo número de vezes, nunca inferior a cinquenta e com esta simples operação, dá-se uma espécie de desdobramento da energia curativa dessas substância, fato que Hahnemann, somente podia comprovar em face aos maravilhosos resultados que obtinha em sua clínica. Animado com esses resultados, ele foi aumentando, cada vez mais, o número dessas diluições sucessivas, chegando a atingir diluições incompreensíveis e inexplicáveis para a sua época, quando apenas se admitia o átomo como partícula final da matéria. Hoje temos os prótons, os íons, os elétrons, portanto fomos muito além do mesmo átomo e dessa forma, podemos vislumbrar alguma explicação plausível para a fenômeno real das nossas dinamizações, incontestáveis na prática médica. Assim sendo uma dinamização centesimal, escala que Hahnemann adotou de forma definitiva, o mesmo acontecendo com a maioria dos homeopatas modernos, quer dizer a mistura e sacolejamento, no própria vidro, de uma parte, digamos uma gota ou um grama, da tintura-mãe, ou da dinamização anterior com 99 Partes de água puríssima e bidestilada.Para as substancias sólidas ou insolúveis na água, Hahnemann valeu-se de uma substância considerada quimicamente inerte, ou seja a lactose e repetiu a mesma operação, que ele chamou de trituração até a quarta vez.

O processo é o seguinte: mistura-se uma parte da substância sólida ou insolúvel com noventa e nove partes de lactose, divide-se essa mistura em três Partes iguais toma-se a primeira que é depositada em vasilhame de porcelana e continua-se a operação de trituração Pelo menos durante 20 minutos: junta-se a essa mistura a segunda parte e repete-se a mesma operação, isto é, triturando e raspando as paredes do vasilhame com a espátula de aço durante vinte minutos: juntar-se finalmente a terceira e última parte, prosseguindo com a mesma técnica e durante o mesmo espaço de tempo. Teremos assim a C1, ou seja a primeira trituração centesimal. Para se obter a C2 ou seja segunda trituração centesimal, toma-se uma parte da primeira trituração e mistura-se com 99 Partes de lactose. Divide-se essa quantidade de mistura, em três partes, conforme foi feito na primeira operação, triturando-as e raspando as paredes do vasilhame ou do gral; chega-se, assim, á segunda trituração. Obtida esta, pela mesma forma de mistura com a lactose e as sucessivas triturações, chega-se á terceira trituração centesimal. Esta é a última operação, como trituração, parque daí podemos partir para à forma líquida. Entretanto, sabemos que a lactose é solúvel na água e não o seria numa diluição contendo álcool e admitindo Hahnemann que todas as substâncias, mesmo as sólidas, são solúveis na água, depois dessa desconcentração, obtida pelo método por ele empregado, ele diluiu a C3 em água, formando a c4 e daí por diante foi obtendo as demais dinamizações, conforme a mesma técnica descrita para as substâncias liquidas. A quarta dinamização tendo como veículo apenas a água, se deteriora facilmente, razão. Pela qual é rejeitada, passando-se imediatamente para a C5, tomando-se apenas uma parte da C4 (liquida) e misturando-a com 99 partes de água e álcool que é o veículo ideal para todas as dinamizações sucessivas.

Os medicamentos homeopáticas são oriundos dos três reinos da Natureza:

Entre as vegetais que são em maior número, temos a Bryonia, o Aconitum, a Belladona, o Berberis, o Lycopodium etc.

Entre os minerais temos o Aurum, o Sulfur, o Arsenicum, as Calcáreas; as Barytas; etc.

Entre os remédios de origem animal temos o Apis (Abelha) o Lachesis(veneno de cobra) a Tarantula (veneno das aranhas ou o próprio inseto triturado ou posto em maceração).

Há mais de mil remédios, agregados a Homeopatia, porém, pouco mais de trezentos foram realmente e rigorosamente estudados de acordo com as regras estabelecidas por Hahnemann, constituindo as chamadas Patogenesias. Hahnemann estudou 61 remédios, formando a lista dos Policrestos os quais completados pelos demais remédios, formam a nossa Matéria Médica, a Matéria Médica Homeopática ou seja o estudo acurado dos sintomas provocados Pelas substâncias, aplicadas nos indivíduos não doentes, em obediência á Lei dos Semelhantes que é; como se sabe, a Base Fundamental da Homeopatia.

Continuação
Principal
1