MUSICOTERAPIA


Os antigos gregos já sabiam da relação entre os chakras e os sons da escala musical. O sistema Pitagórico dá essa relação entre os chakras e os sons da escala musical, onde cada nota corresponde a um vórtice ou chakra e para cada som produzido, forma-se uma cor própria. O corpo humano é um conjunto de elementos mecânicos ressonantes. Cada órgão vibra de acordo com sua forma, tamanho e constituição, assim sendo, cada disfunção de um órgão apresenta uma alteração na sua ressonância. Isto comprovado por meio de uma emissão de estímulos sonoros, de uma freqüência análoga, sobre um determinado órgão. Desta forma, podemos deduzir a tônica fundamental de todos os órgãos que compõem o corpo humano.

O pesquisador alemão de efeitos musicais, Hans Hartmann, numa fazenda experimental em Bonn, descobriu que a produção média de ovos de cem galinhas, aumentava 45% com músicas de Brahms, Mozart e Schubert e diminuía em 80% com músicas Rock. A mesma coisa aconteceu com a plantação de um hectare -de milho, que aumentou sua produção em 30% ao longo de vários anos, tocando próximo da plantação, músicas de Beethoven e diminuindo a produção em 70% com as músicas Rock.

Outrossim, ficou cientificamente provado, que a música estimula os hormônios da glândula hipófise, que atuam na concentração e retenção visual, podendo também ressincronizar e harmonizar o organismo humano. A sua assimilação vem do sistema que sincroniza a respiração, como também a concentração e a imaginação. Portanto, expor um indivíduo a músicas ambientais ou motivacionais, faz com que diminua sua fadiga, aumenta seu rendimento no trabalho que desempenha, equilibrando seu sistema nervoso, como também a tensão sobre seus músculos fica reduzida.

Nos EEUU Steve Halpern e o Dr. Golberg, pesquisando em doentes com câncer, desenvolveram a teoria da "Sinfonia Fisiológica do Organismo", comprovando que quando o organismo humano perde seu compasso musical, se afasta do seu "biorritmo", penetrando então a doença. Em função dessa descoberta compuseram várias músicas, sendo "Spectrum Suite", a mais conhecida e usada em hospitais do Câncer nos EEUU, para sincronizar e harmonizar os organismos de doentes; também é muito eficaz no tratamento em alguns tipos de câncer, especialmente os linfáticos. Também nos EEUU o Dr. Kaplan criou o "Neurofono" um aparelho especial que mede a influência das ondas sonoras no cérebro e no sistema nervoso, demonstrando que apesar de bloqueios auditivos colocados nos ouvidos, o cérebro e o sistema nervoso continuam recebendo a vibração sonora através da pele e dos ossos. O Dr. Wilson Bryan que pesquisou sobre jovens, com 5 anos ouvindo Rock, verificou que mais de 60% deles eram obrigados a usar Prótese Auditiva.

Isto certamente demonstra que música acima de 120 decibéis, destrói o tímpano e que uma exposição de 100 minutos a músicas acima de 80 decibéis, pode levar até 36 horas para uma recuperação dos ouvidos. A música acima de 80 decibéis, influi no mecanismo eletroquímico do cérebro através da mielina, substância dos neurônios, que transmite as mensagens do cérebro a uma velocidade cerca de 523 Km/h, retardando em até 50% a transmissão.

Exemplo de Musicoterapia aplicada

- Precisando de musicoterapia, o método consiste em escutar por um determinado número de dias, por um certo tempo e a mesma hora, uma música escolhida de acordo com o problema do paciente, como a seguir: Bach - Liszt - Mozart - Beethoven - Brahms - Schubert - etc...

Obrigado pelo seu acesso...

SAÚDE, PAZ E FELICIDADE !

Qualquer comentário ou informação

Escreva para mim.

Volta ao início

1