LENÇOS E RUGAS

Marli Franco

Olhos marcados, trincas na pele
O rosto emagrecido o sorriso caido
A pele que lembra a palha seca
As mãos calejadas marcadas avisando
As ativas batidas da labuta.

Na cabeça ilumina o lenço antigo
Esconde a sabedoria dos cabelos embranquecidos
No corpo repousa a blusa gasta, descolorida, mas limpa
Nos ombros curvados o cansaço se equilibra
O tempo malabarista impiedoso da vida.

As inúmeras frágeis mulheres incógnitas
Dos cantos do asfalto ou campos do trigo
Nos chinelos comuns nos divergentes espaços
Apontando as empreitadas do dia que ferve
Levando na boca o sorriso com fome de esperança.

Grandes mulheres de fibra e de fé
Envelhecidas e belas modelos da vida
Musas da filosofia do sofrimento
Combatentes da garra do amor
No anonimato do olhar cego do mundo.

Penélope*M*        
E-mail

Voltar - Poetas Amigos
 

1