Poesias Etográficas

 

 

Final de AMOR

 

Dor mais intensa certamente é,
A do sonhador que perdeu a Fé.
A mais cruel dor o infinito vazio,
Da solidão do desamor e, no cio.
Do consciente horizonte perdido,
Amor amado, não correspondido.

A dor de se gritar e, ficar calado.
Dor do apaixonado, abandonado.
A dor de não poder ir nem voltar.
Nem partir nem sonhar nem ficar.

D
or e, desesperado coração aflito.
Ao ver seu amor sumir no infinito.
Sem conseguir esquecer em vão...
Promessas loucas e, morta paixão.


Esta é dor sempre
cruel e Intensa.
O viver com uma saudade Imensa.
Dor de apenas, relembrar alguém.
Faz é sentir a dor de ser ninguém.
Nada se compara com a cruel dor.
Inesperado não, o unilateral amor.

Toda dor frente a esta dor é nada.
Porque da alma é eterna ilimitada.
 Mas é difícil evitar este flagelo Dor.
Deixando o coração cego e, mudo.
É semente que, não germinou flor,
Vivendo segundos e, eterna Ilusão!
 Porque o sonhar em AMAR é Tudo. 
E, é nada sem uma grande Paixão.
 
 
 

 

 

Gostou deste Poema?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor.  Através do seu E-mail
ou
 MSN.
 
      http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po28.htm


Edvaldo Feitosa
( Direitos autorais reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - nº 180859 *







    Poema      29

Home Page 2

 Home Page 1

Poema       27

E-mail
 


 

 

1