Tudo é possível

 

 

Tua Palavra, Pode ser Bálsamo, ou Detestável.
Portanto, Sonha - a Quimera... Mais grandiosa.
E... Pode ser infinitamente linda - como a rosa.
Ou ser como gás fétido, de odor - insuportável.

Nada perde o Universo... Jamais, eternamente.
Tudo se expande... Num ritmo eterno: colossal.
Eis o porquê... Do Bem, sempre vencer - o Mal.
Equilíbrio resulta - do contraste simplesmente.

Serás no futuro o mesmo que Tudo - apenas pó.
Poderás ser lembrado - como homem... Ou fera.
Depende de Ti receber, desaprovação ou palma.

 
Bem se tudo acabar aqui na terra morrerás é só.
Mas se houver Vida e, julgamento noutra Esfera.
Pensa no destino da tua pobre - miserável Alma.


 

 Gostou deste Poema?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor. Pelo MSN  -  ou através do seu E-mail.
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_son45.htm

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *




 

   Soneto       46

 
Home Page 2


Home Page 1


Soneto      44

E-mail
 

Site n° 1

   A pomba levará você à  Página Inicial.
 
1