Poesias Etográficas

 

Fotografia


J
urava haver te esquecido - quando encontrei teu retrato no jornal.
Mesmos lábios, mesmos olhos... Imaginei para mim, o teu sorriso.
Aquele mesmo olhar de menina, ainda, o meu sonho mais original.
Á mesma imagem a prometer os sonhos de amor - o céu e paraíso.


Sinto! Foi inútil, tentar esquecer... Tudo se transformou em pesadelo.
Minhas ilusões de procurar esquecer - não mataram à tua lembrança.
Os beijos dados em outras mulheres... Foram vãos. Não esqueceram.
Oh! Compreendi - essa é a incompreensível eternidade da esperança.


Um simples recorte de jornal é para mim, toda à essência do passado.
Tudo: os sonhos mais lindos os mais ardentes impulsos dos desejos.
Tenho impressão, teu retrato. O teu sorriso - é da minha vida à chama.


Retrato não é só recordação vale o tanto que gente amou e foi amado.
Nessa felicidade infantil, eu abraço o teu retrato e... O cubro de beijos.
Nada importa - um retrato pode ser quase tudo... Quando a gente ama.

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* F. B. N. *

 Gostou deste Soneto?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor. Pelo MSN  -  ou através do seu E-mail.
http://geocities.yahoo.com.br/ed_poeta1/ref_son9.htm


 


E-mail

Soneto     10

Home Page2

Home Page  1

Soneto         8

Site n° 1

          A pomba levará você à  Página Inicial.

 


 

1