ÉTICA E MORAL

ÉTICA E MORAL

1 – NOÇÃO

·    Moral: latim: costumes, conduta.

·    Ética: grego: costumes, conduta, caráter.

          Etimologicamente as palavras possuem o mesmo significado; porém, conceitualmente diferem:

·    Moral: conjunto de regras indicadoras do bem a ser feito e do mal a ser evitado, para que a sociedade viva em harmonia e o indivíduo encontre a felicidade.

·    Ética: e a discussão, o debate, sobre as regras; a análise dos princípios que reagem a moral. É a filosofia da moral.

 
2 – O ATO MORAL
                O ato moral tem sua essência no íntimo do indivíduo. O ser humano está condenado a decidir, a todo o instante de sua vida, o que fará ou que ação desenvolverá no instante seguinte. E decide segundo alguns valores, éticos ou religiosos, imediatamente assume, realiza e apresenta sua conduta, que estará enquadrada dentro da moral ou imoral, dependendo do social em que vive.

                O homem a todo o momento decide sua ação, decisão que é pessoal e intransferível; e é nossa decisão que instala o ético e o moral.
                A primeira característica do ato moral é a sua universalidade: existe em todo os lugares e em todos os tempos, sempre esteve presente na vivência humana; possivelmente uma das primeiras ações humanas foi a criação das regras, para a convivência tornar-se aceitável. Os homens admitiram a existência de valores morais, distintos dos valores materiais, e se sentiram sujeitos a regras morais, distintas das leis físicas, e que enunciaram um ideal de conduta.
                Em segundo lugar, o ato moral é de natureza social, pois se refere às relações entre indivíduos, e suas soluções afetam não só o sujeito que decide, mas também outras pessoas que sofrem a influência de tais decisões. Ainda, não é o indivíduo que cria sua moral, quando nasce já está inserido em uma rede de relações com regras já elaboradas e seguidas, a ele basta assumi-las ou quebrá-las.
                A moral é histórica, conforme as mudanças ocorridas nas sociedades.
                (surgimento de novas mentalidades, aparelhos e instrumentos tecnológicos, carreiras profissionais, etc) aparecem ou desaparecem regras da conduta.  Apesar de existirem regras de duração milenar.
                Há uma influência geográfica na moral; povos das montanhas possuem regras diversas dos povos litorâneos.


3 – ÉTICA E FILOSOFIA

                A moral é a regra que norteia o ato humano; já a ética é a discussão, debates, questionamento dessas regras, são a analise dos princípios que baseiam a moral, é, portanto a filosofia da moral.

                A filosofia da moral é essencialmente dependente da filosofia geral, da concepção que cada um tem do mundo e do homem.
                O moralista está sempre de posse de conceitos, inclusive filosófico, que ele não discute em moral.
                Assim, ética é filosofia; e a moral pode estar ligada, a religião ou a ética.


4- ÉTICA E RELIGIÃO

                Praticamente existe dificuldade em distinguir a moral da religião.

                Em primeiro lugar, por causa da opinião popular que julga que a religião é a mesma coisa que moral.
                Em segundo lugar, por causa da íntima relação entre ambas.
                Sendo a religião “um protesto contra a miséria real”, impõe ao homem uma conduta moral ou uma passividade diante das injustiças na esperança de receber como prêmio a felicidade na vida futura (foi justamente neste sentido que Marx denominou a religião “ópio do povo” e a colocou entre as grandes alienações humanas, ao lado da alienação filosófica e política), ou de combate às injustiças como algo que se opõe ao plano de Deus sobre o mundo, como vem ensinando o cristianismo pós-conciliar, mais conforme suas origens. Assim o cristianismo que, durante séculos, ofereceu o fundamento moral aos sistemas econômicos-sociais dominantes (escravidão, feudalismo, capitalismo), vê surgir em seu seio, nos tempos modernos, pelo menos a partir da Rerum Novarum de Leão XIII (1891), uma tendência que o leva a solidarizar-se com as forças que lutam para a transformação do mundo.
                Em terceiro lugar, as morais que regem a conduta da maioria das pessoas são religiosas.
                Nas religiões politeístas encontramos a moral unida à religião.
                Nas religiões superiores, monoteístas (chinesa, hindu, judaica, muçulmana, cristã) o dever moral é concebido muitas vezes como serviço a Deus, a religião ordena a observância da moral.
                Contudo, moral e religião são coisas diferentes. As religiões não apresentam um sistema de moral, mas limitam-se apenas a imprimir certas orientações a vida.
                De outro lado, a moral não tem sua origem na religião, mas é anterior a ela. Durante milhares de anos, o homem primitivo viveu sem religião, mas não sem algumas normas morais.
                O preceito religioso refere-se às relações do homem com Deus, e é por Ele imposto. O preceito moral corresponde ao homem considerado em si mesmo, sem levar em conta nada mais que a sua própria realidade. Neste sentido, preceito moral distingue-se também do preceito social, imposto pelo meio social, a fim de que o indivíduo seja aceito pelo meio em que vive.


5- ÉTICA E DIREITO

                Ambos estão intimamente relacionados, pois estudam as normas da conduta humana, visando, por meio da regulação das relações humanas, assegurar certa coesão social.

                De outro lado, distingue-se claramente. Abordando o comportamento humano sujeito a normas e leis, o Direito compreende as normas externas e coercitivas; requer um aparato estatal capaz de impor a obrigação de norma jurídica passando inclusive sobre a vontade individual.

                As normas da moral são internas, isto é, se impõem pela convicção interna dos indivíduos e não pela coerção.

                Se as normas morais forem cumpridas formalisticamente, sem convicção interna, não podemos falar de atos moralmente bons. A mesma coisa não podemos afirmar de um ato jurídico, pois a interiorização da norma, essencial ao ato moral, não o é ao ato jurídico.
                A esfera da moral é muito mais ampla que a jurídica. Enquanto o Direito regula as relações humanas que são mais vitais ao Estado e sociedade (o Direito não regula o amor, a amizade, a solidariedade), a esfera da moral compreende praticamente todos os tipos de relacionamento e comportamento humanos.
                Resta observar ainda que o Direito se expressa por uma codificação formal e oficial (lei), enquanto que a moral não possui tal aparato.
                Poderíamos dizer que o Legal é a parte da moral que é aceita, oficializada e regulamentada pelo Estado, tornando-se Lei e, portanto todos somos obrigados a cumpri-la, sob pena de sanções.


CONCLUSÃO

                A conduta humana, embora una, possui diversos aspectos: social, jurídico, religioso, político etc. A ética estuda precisamente o aspecto moral, isto é, o da responsabilidade do homem pelos seus atos.

Professor Éder de Haro Petrechen



ESQUEMA

    1 - Noção:   - etimologicamente :  - moral: - conduta , costumes (latim)
                                                    
- ética:   - conduta,  caráter (grego).
   
                                              - conceitualmente:  - moral:  regras da conduta.
                                                 
- ética:  reflexão, discussão, sobre a moral.

                             Ética e moral dizem respeito:
                                    -        
a ação, conduta, humana.;
                                    -        
ao fazer certo e \errado;
                                    -        
ao bom e mal comportamento.

    Moral: conjunto de regras indicadoras do bem a ser feito e do mal a ser evitado, para que o indivíduo seja feliz e viva em      harmonia na sociedade.
   
Ética: - é o esforço reflexivo que os humanos fazem para encontrar as razões, os princípios, os critérios, as referências, a partir dos quais eles admitem como boas as regras de conduta.
                          
- é  a parte da filosofia que investiga o fato de, toda e qualquer,
sociedade humana ter regras de conduta.
                           -  investiga se as regras de conduta são mesmo algo necessárias e porquê.
                           - é a consciência da moralidade e da moral.

   
2 - Ato moral:         - é  íntimo do indivíduo;
                                 - o humano esta condenado a decidir:
                                                 - pessoal;
                                                 - intransferível;
.                                                - faz, realiza, executa:    - certo e errado;
                                                                                     - bom e ruim;
                                                                                     - deve e não deve;
                                                                                     - obrigado ou não
              - características:    - universalidade:  - tempo  e  espaço;
                                                                         - valores: materiais diferentes das morais;
                                                                         - regras e leis: físicas diferentes das morais.
                                             - social:  - a conduta individual afeta o social;
                                                            - já nascemos inseridos   numa rede de relações.
                                             - histórico: ocorrem mudanças ao longo dos tempos
                                             - geográficas: mudam conforme o local.

    3 - Ética e Filosofia:            ação, conduta, fazer
                                      
ética                          religião
                                 razão humana                fé, místico

    4 - Ética e Religião :

                            Há dificuldade em distingui-las:
                       
·        popularmente  ética = religião;
                        ·        existe uma íntima ligação entre ambas;
                        ·        moral que rege a conduta da maioria das pessoas é religiosa;
                        ·        no politeísmo a moral é unida a religião;
              Religião:
                        ·        protesto contra a miséria desta vida;
                        ·        propõe sempre dois tipos gerais de conduta:
                                                    ·        passividade:  = alienação;
                                                        
                         = vida futura como prêmio;
                                                                                 = propicia os sistemas dominantes.
                                                   
·        combate: = transformação do mundo;
                                                        
                   =  exterminar as injustiças, que se opõem ao plano de Deus;
                                                                           = busca de sistemas de vida mais justos (?)
               Moral e Religião são coisas distintas:
                           
·        a religião não impõe um sistema de moral;
                            ·        religião imprime certas orientações (moral) para a vida;
                            ·        a moral é muito anterior a religião.

   
                                            Religião             =  homem e Deus (orientado pela divindade).
                                               Preceito social   =  homem e a sociedade.
                                               Preceito moral   =  homem em si mesmo.
                                               Ética                 =  homem refletindo sua conduta.

    5 – Ética  e  Direito: 

 Direito:  = comportamento humano sujeito a normas e leis;
              
=  normas externas e coercitivas;
              
=  requer um aparato estatal;
              
=  estão além da vontade do indivíduo;
              
=  Lei, é uma regra moral reconhecida pelo Estado;
              
=  regula as relações mais vitais para o Estado.

 
Moral: = comportamento humano em toda sua extensão e plenitude;
           
=  normas internas e convictas;
           
=  requer a consciência da pessoa;
           
=  são aceitas e assumidas  pessoalmente;
           
=  a Lei constitui  uma pequena parte da moral;

           
=  regula todas as relações  e atos  humanos.

            Atividades Humanas                                    moral e ética
                    social
                    religiosos
                    político                                                 conduta
HOMEM        jurídico                                              comportamento
                    estético                                            responsabilidade
                    científico
                    biológico
                    cognitivo


           

Professor Éder de Haro Petrechen

1