O Site
- Inicial
- Contato
- Enquete
- Arquivo de news
- Fan-Fics
- Fan Arts  
- Quem é Harry?
- Nomes em Latim
- Livro de visitas
Hogwarts
- J. K. Rowling
- Hogwarts
- Animas Fantasticos
- Ministério da Magia
- Fotos Variadas
- Livros
- Feitiços
- As Casas
- Mapa do Maroto
- Personagens
- Hogsmead
- Artefatos
- Professores
- Beco Diagonal
- Lugares 
- Literatura Bruxa
PEDRA FILOSOFAl
- Fotos
- Bastidores
- Elenco
- Pôsters
Wallpapers
- Os Trailers
- Cusiosidades
CÂMARA SECRETA
- Fotos
- Pôsteres
- Elenco
- Set filmagem
- Bastidores
- Cenas cortadas
- Wallpapers
- Trailers
- Premiere
- Reportagens
Prisioneio de Azkaban
- Elenco
- Cenarios
- Bastidores
- Novidades
Daniel Radcliffe
- Fotos
- Biografia
- Daniel no teatro
- Seus Filmes
- Viagens Pelo mundo
- Entrevistas
Emma Watson
- Fotos
- Biografias
- Entrevistas
Rupert Grint
- Biografia
Fotos
- Entrevista
Sean Biggerstaff
- Fotos
- Biografia
- Entrevista
Tom Felton
- Fotos
- Biografia
- Entrevistas
JOGOS
- PC
- Playstation
- Gameboy Advanced
- Gameboy Color

 

Nosso mas Novo aliado nessa Cruzada!!!!!

 

Sempre ha Um Comerço

 

 Autora: Thiara e Tina

  Sobre as autoras: Thiara e Tina são duas garotas  de 15 e 17 anos, respectivamente, apaixonadas por Harry Potter, Senhor dos Aneis,  animes, mangás e hqs. Esta é nossa primeira fic e espero que vcs gostem


 Sinopse:  Esta Fic narra a história do primeiro ano de Angelina Johnson em Hogwarts.

 


   Prólogo

 

Sonhos estranhos

"O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos"

 

- Quem diria que a final feminina da NBA seria tão eletrizante???? Um jogo bastante disputado entre Los Angeles Lakers e Chicago Bulls, ambos os times empatados com setenta pontos!!!! Porém a ala Elizabeth Braddock, cometeu uma falta na pivô dos Larkers, nos segundos finais do ultimo tempo. Agora vitória está nas mãos dessa nova e enorme jogadora: Angeliiiiiiiiiiiina Johnsooooooooon!- a voz de Tim Drake ecoa em cada canto das arquibancadas lotadas de fãs dos dois times.

- Mein Gott, mein freund!- exclama o outro comentarista, Kurt Wagner- Não gostaria de está na pele da Johnson! Está certo que ela tem direito de arremessar duas vezes, mas não devemos esquecer que pivôs são péssimos em lance livre, não é ??? É sua primeira partida e tudo depende dela! Espero que a Johnson faça jus ao titulo de mais nova e brilhante jogadora da NBA!!!

"Isso! Isso! Isso! Me pressionem ainda mais!" pensa Angelina revoltada "Como se não bastaste a torcida do Chicago Bulls me azarando aos berros e a do Larkers cantando vitória!".

Ela está na área conhecida como "garrafão". No seu lado esquerdo, há duas jogadoras do Chicago e uma companheira sua do Larkers. Já na sua direita, reconheceu Elizabeth Braddock, com um detestável olhar de "Já venci, sua guria irritante", e a capitã de seu time, Dinah Daillan, sussurrando algo que lembrou a Angelina uma"Avé Maria". Será possível que nem a capitã do seu próprio time confiava nela?????

A pivô dos Larkers sacudiu a cabeça e olhou fixamente para seu alvo: a cesta. Como é que poderia se sentir tão pequena???? Ela tinha quase 1,97, e era a mais alta do time!!! Ah, o que o medo não nos faz! É capaz de penetrar bem fundo de nossos corações, transformando a esperança em desespero. Desespero???? Por que esse sentimento???? Não estava sendo exagerada???Afinal, é só um jogo.....nada mais que isso...."Ah francamente! Quem eu quero enganar???? Se eu errar essa cesta, meu futuro já era! Provavelmente eu vou ser morta por esses torcedores fanáticos! Tudo bem que eu tenho 1,97, mas isso não me transforma em uma mutante capaz de parar bala no peito! E por falar em mutante, por onde será que anda o dragãozinho roxo da Kitty??? Desde que comecei a colecionar revista dos X-Men, quando tinha 11 anos, eu nunca o vi em nenhuma edição! É claro que mandei um monte de e-mails perguntando o paradeiro dele a Fernando Lopes, editor da Panini, mas ele nunca respondeu! Aquele cretino, filho duma....AI" Angelina acabara de dar um tapa em si mesma "No que diabos eu estou pensando????".

O juiz aproximou-se dela e entregou a bola em suas mãos. A pivô dos Larkers fintou por um tempo a cesta e arremessou. Agora para Angelina, tudo estava estranhamente parecido com um filme. Os torcedores gritavam nas arquibancadas, os locutores berravam em seus microfones, porém ela não ouvia nada. Era como se alguém tivesse cortado o som. E a bola de basquete transcrevia uma rota como se estivesse em câmera lenta, aproximando devagar da cesta, bem devaaaaaagar, até que.........

 

- Ela errouuuuuuuuuuuuuuuuu! Dá para acreditar na falta de sorte da Johnson??????- comentou Drake.

 

- Acho que ela quer proporcionar a todos uns minutos de suspense!- brincou Wagner.

 

"Proporcionar uns minutos de suspense??? O que ele tem na cabeça??? Eu estou desesperada e doida para acabar com isso!" pensou Angelina, a raiva agora superando o medo "Juro por Deus que eu ainda mato esses comentarista. Afinal, aposto que não vão fazer falta nenhuma!!".

 

A pivô dos Larkers passou a mão pela sua testa, para impedir que o suor frio deslizasse para seu rosto visualmente pálido. Estava suando mais agora do que quando corria pela quadra atrás da bola. Precisava se concentrar. Esquecer tudo em sua volta. Todavia, como fazer isso nesse momento???? Suas colegas do Larkers a olhavam apreensivas, provavelmente achando que fariam melhor. Seus olhos procuraram a capitã, buscando coragem, mas esta agora fazia o sinal da cruz, e olhava para o céu, implorando. As adversárias se pudessem, já teriam a matado com tantos olhares ameaçadores que lançavam (principalmente Elizabeth). A torcida do Chicago, além de amaldiçoar a pivô do Larkers por umas dez gerações, gritavam xingamentos. E os fãs do Larkers, ao invés de berrar incentivos a sua jogadora, estavam anormalmente quietos, como se cada um, individualmente, fosse palco de uma guerra: "o pavor da derrota versus a esperança da vitória".

 

Com a bola em mãos, Angelina fechou os olhos, tentando se livrar de todos os pensamentos idiotas do momento (principalmente, da musica de abertura da Sakura Card Captor, que não parava de ecoar pela sua mente). Ignorava sua maldita intuição que dizia "Você já perdeu! Já era! Desista!". Além de adorar prever os momentos mais trágicos e desagradáveis de sua vida, sua intuição vivia a atormenta-la. Para depois chatear a pobre Angelina com "eu avisei, mas você não ouviu". E o pior era que tudo que ela previa dava certo. Exceto os números da loteria, como já teve o desprazer de experimentar.

 

Ela abriu os olhos e fitou a cesta decidida.

 

- Eu vou conseguir!-murmurava para si mesma.

 

Então, ela lançou a bola e fechou em seguida os olhos. A escuridão rapidamente tomou conta de tudo. Ela parecia ter afastado da mente de Angelina todo medo e insegurança que tinha no momento. Na verdade, parecia ter acabado com tudo. Angelina não ouvia nada. Um súbito silencio reinava, mas não a incomodava. Ao contrario, Angelina se sentia livre, solta, calma..... ela tinha esquecido de tudo.....o motivo pelo qual estava lá....porque se desempenhava tanto no treino......na emoção em defender seu time favorito.... o medo da derrota..... a esperança de vencer a partida..... foram apenas alguns segundos para muitos, porém para ela parecia anos e anos....então, alguma coisa a abraçou e Angelina abriu os olhos assustada.

 

Dinah estava lhe abraçando e suas amigas corriam ao seu encontro para fazer o mesmo. Drake gritava alguma coisa em seu microfone, porém com os berros de Kurt em alemão não dava para entender nada. Os torcedores dos Larkers não se continham de tanta felicidade. Uns davam língua para os "sofredores do Chicago", outros prefiram xingar e fazerem gestos obscenos. As jogadoras adversárias estavam de cabeças baixas, não acreditando em sua derrota. Elizabeth Braddock perdera completamente a pose de jogadora experiente. Estava ajoelhada, chorando como uma criança que acabara de quebrar seu novo presente de Natal.

 

Demorou um tempo para Angelina entender o que estava acontecendo: ela ganhara. Conseguiu fazer a cesta. Los Angeles Larkers ganhou por sua causa! Sua carreira estaria segura por muito tempo e sua intuição errou pela primeira vez. Estava tão alegre que não percebeu um senhor, com mais de dois metros, aproximar-se, com um troféu na mão.

 

- Parabéns pela vitória!- disse ao lhe entregar o troféu da NBA.

 

- Obrigado - respondeu Angelina, com uma voz fraca, admirando-o. Não porque esse senhor era bonito. Ao contrário, mesmo sorrindo, ela nunca viu um sujeito mais feio. Porém, ele era considerado o melhor jogador de basquete de todos os tempos. O famoso Shaquille O’Neel, o pivô dos Larkers que marcou a história do basquete para eternidade.

 

- G...gostaria....d...d...de...di..dizer-continuou ela, gaguejando- Que é uma honra para mim conhece-lo- sorriu sem graça.

 

- Au!-exclamou O’Neel

 

- Hã............."au"?indagou Angelina.

 

- Au! Au! Au! Au!Au!- latiu O’Neel. Ele agora estava de quatro, imitando um cachorro. Angelina olhava perplexa, sem saber se ria ou chorava. "Definitivamente, era melhor rir", pensou ela enquanto dava gargalhada. O’Neel a encarou, e de repente, pulou em cima da garota e começou a lamber seu rosto!

 

- Arg!!!!Nãooooooooooooooooooooooooooooooo!-gritou Angelina.

 

Em um quarto, bastante desorganizado, cheio de pôster de jogadores de basquete,uma garota de 11 anos, acordava assustada. Em cima dela, uma cadela vira-lata se encontrava, lambendo sua face e latindo de alegria. Ela suspirou. Detestava quando Witta fazia essas coisas. Angelina colocou Witta no chão e mandou que ela fosse dar uma voltinha. Depois, juntando toda coragem que tinha, saiu de sua cama quentinha e confortável, apesar de sua preguiça resistir bravamente. Calçou suas sandálias e foi para o banheiro. Lavou seu rosto, o enxugou e olhou fixamente para o espelho.

O espelho refletiu a imagem de uma jovem, aparentando ter 12 anos, com olhos verdes e sonolentos sob cabelos castanhos e lisos, que encaracolavam nas pontas. Ela tentou forçar um sorriso, mas desistiu ao ver a expressão de lerdeza que seu rosto estava tomando. Para evitar criticar-se sarcasticamente, Angelina se dirigiu para janela. A abriu e sentiu uma brisa suave bater em seu rosto.

 

Adorava aquela sensação de liberdade, felicidade, tranqüilidade...por acreditar que ao voar, essa sensação era aumentada várias vezes, desejava profundamente ter asas....ou qualquer outro instrumento que a fizesse voar....uma vez, sonhou que estava em uma vassoura, perseguindo um rapaz com vestes verdes que também voava com auxilio de vassouras para bem longe dela.....Angelina o perseguia.....queria tomar algo que ele carregava....uma espécie de bola de basquete..... Quando contou esse sonho para sua mãe, ela, literalmente, caiu da cadeira. Angelina estranhou muito aquela reação, mas não dava muita atenção. Afinal, sua mãe não é uma pessoa normal. Angelina não sabia explicar o motivo, mas às vezes achava que sua mãe escondia algo dela.....

 

Angelina agora olhava fixamente para o seu bairro. Estava tudo calmo e silencioso como sempre. Achando a vista muito entediante, olhou para seu relógio de Sailor Júpiter em cima da cabeceira de sua cama.

 

- Sete horas da manhã. Pelo menos Witta me acordou uma hora mais tarde que costume. - lamentou ela- Acho melhor eu ir cuidar da minha vida ou vou chegar atrasada para o cinema e Érica irá me matar!!!

 

Quando acordou, Angelina não fazia idéia do que o destino lhe aguardava. Primeiro, porque não acreditava em destino e segundo porque foi algo tão inacreditável, que superava seu sonho com um O’Neel imitando um cachorro! Está certo! Isso foi exagerado....mas esse acontecimento, apesar de fantástico, não tenha sido tão engraçado. Porém, com certeza, mudará sua vida para sempre......

 

 

 

Obs da Thiara: Bom, gente este é o prologo da nossa fan fic. Espero que vocês tenham gostado. Eu sei que a Angelina que vocês conhecem por JK é bem diferente desta Angelina, mas é como eu e a Tina a imaginamos: sarcastica e corajosa. Este capítulo eu fiz sozinha, para homenagear a Tina (se bem que tá tão ruim.....¬¬'''''). Se vocês notarem algum erro de regras de basquete por favor me mandem um e-mail (eu não entendo muito bem de basquete...fiz tudo baseado pelo o que eu entendi da explicação louca de meu irmão). Qualquer crítica ou sugestão mande um e-mail para katsuragi_eva@hotmail.com! É só! Beijos!^^x

 

Obs de Tina: pois é pessoas, esta é a nossa Fic! Claro, até agora está mais pra fic da Thiara que minha, mas abafa o caso... Em todo caso, obrigada por ler até aki, por ter tido paciência de ler, claro. Espero que tenham gostado, e por favor, comentem, sim? É sempre bom melhorar com a crítica ou elogios dos outros... e nem venha dizer que está ruim Thiara, está muito bom, principalmente pq foi feito em minha homenagem....hehehe*humilde e nem um pouco se achando*rs*

No próximo capítulo eu dou o ar de minha graça e escrevo tb, espero que apreciem...

É só.

Novo capitulo postado domingo, 13 de abril de 2003 setstats 1

Uma carta inesperada





"O que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano"







Era para ser mais um dia de verão, como qualquer outro. Angelina Johnson e Érika Pêpe voltavam do shop, carregadas de compras e discutindo alegremente sobre o filme Senhor dos Anéis. O que Angelina queria realmente, era contar a sua melhor amiga sobre o sonho que teve com O'Neel essa manhã. Porém, esse assunto parecia está enterrado em algum lugar distante e obscuro de sua mente. Algo natural, pois ela acabara de assistir seu filme mais desejado na primeira sessão de estréia. E o fato do ator mais lindo que Bárbara já viu na vida, fazer o papel de Aragorn, o Maravilhoso, contribuía (e muito) para esquecer seu sonho esquisito.

Érika, como sempre, falava do elfo Legolas, sua paixão. Na verdade, Angelina tinha certeza que ela só gostava do elfo, porque ele era loiro. Érica tinha uma queda (para não dizer, obsessão) por homens loiros e de olhos azuis. Está certo que o ator não tinha olhos azuis, mas isso não diminuía a admiração que sua amiga possuía por ele. 

Quando chegaram perto da padaria, elas se separaram. Érika atravessou a rua e entrou em sua casa, enquanto Angelina, morrendo de preguiça, continuou seu caminho, descendo pela rua Pryde. 
Meia hora depois, Angelina já podia avistar seu bairro. Seria impossível, até para um energúmeno, não reconhecer aquelas casinhas perfeitamente iguais, aquelas árvores enormes e aquelas pessoas com suas vidas pacatas e tranqüilas......


Tranqüilas??? Nossa! Como ela era bondosa! Angelina duvidava se algum dia essas pessoas já tivessem ouvido falar em movimento. Ficava muito surpresa pelo fato de nenhum vizinho cometer suicídio. Se bem que isso não seria uma má idéia! Imagine só: um cadáver, policia, sirenes, carros, movimento, pessoas assustadas, os jornalista da TV...! Ah, a TV! Uma invenção maravilhosa da humanidade, feita para prender pessoas estúpidas e sem pouco raciocínio em suas casas........


Ao chegar em casa, abriu a caixa de correios e pegou as cartas que ali repousavam. Ficou extremamente desapontada quando viu que não receberá nenhuma carta.Todas eram para sua mãe, algumas eram contas e as outras, que estavam em um envelope amarelo, Angelina não sabia o que eram. Acreditava que sua mãe fizera uma assinatura de revista sobre modas, mas com vergonha de assumir (ou quem sabe, não querendo ouvir nenhuma piadinha sarcástica de sua filha) pedira para ser entregues em envelopes amarelos.


Quando adentrou em sua casa, deixou as cartas em cima da mesa e decidiu tomar um sorvete, afinal, não havia nada melhor para se refrescar em dias quentes. Gostaria profundamente de esperar sua mãe, mas em horas de desejo, Angelina seguia o seu velho lema: "Cada um por si, e Deus por todos". Não que realmente fosse seu lema, porém é sua melhor justificativa.


Após servir-se, Angelina rumou para sala, com seu copo excessivamente cheio de sorvete, a fim de assistir alguma coisa na TV, por mais idiota que seja, para se distrair. Por sorte, passava um episódio de Smallville, um seriado legalzinho. Por mais atraente que o ator que interpretava Clark Kent era, não conseguiu manter a atenção de Angelina por muito tempo. Em sua terceira colherada, seus pensamentos vagavam a esmo. Tudo por culpa de um sentimento, que embora ela recusasse admitir, vinha assombra-la a cada segundo: O Medo!


Sim! Isso mesmo! Medo! Um medo chamado: Novo Colégio. Afinal, ela iria estudar com Érika em um novo colégio, graças as suas suplicas e falsas promessas ("Vou arrumar meu quarto!", "Não passarei mais que 7 horas na internet"). Sempre que ficava algum tempo sozinha, Angelina costumava se perguntar como seria sua nova escola. Não poderia ser ruim, poderia???? Tirando o fato dela ter que acordar cedo, aturar um bando de professores lecionando matérias tediosas e "queimar" vários filhinhos de papais, não tinha nada que pudesse estragar.....ou tinha???? "Ah não!" pensa indignada "Eu estou sendo ridícula de novo!"


Após terminar com o sorvete, Angelina desligou a TV e estava se dirigindo a cozinha, quando escutou um barulho estranho. A principio, pensou que não era nada, porém o barulho repetia-se, cada vez mais forte. Então, concluiu: Um ladrão! 


Assustada, pegou uma vassoura atrás da porta da cozinha e subiu a escada lentamente. Seu medo aumentou ainda mais (se é que isso era possível), quando descobriu que o barulho vinha do seu quarto! 


Ela engoliu em seco e segurou a vassoura mais firmemente. Precisava se acalmar. Se o ladrão estava no seu quarto, significava que ele não fazia idéia que ela estava em casa, ou seja, tinha uma certa vantagem. Então, se abrisse a porta subitamente e desse uma "vassourada" no "individuo", com certeza acertaria, afinal ele não a esperava. Depois, ela ligaria para policia, e pela primeira vez na vida, veria movimento no seu bairro. Um plano que ela resumiria em uma palavra: P-E-R-F-E-I-T-O! Modéstia à parte, é claro.


Angelina respirou fundo, tentando ignorar o arrepio e o suor frio que aumentava a cada instante. Abriu a porta com um chute, fechou os olhos subitamente, levantou a vassoura e a abaixou rapidamente, varias vezes. Porém, o grito de dor que esperava ouvir, não aconteceu. Juntando toda coragem que tinha abriu os olhos e ficou extremamente desapontada quando viu o seu quarto organizado como sempre (se é que podemos chamar aquela bagunça, de organizado). Na esperança de achar um bandido correndo desesperadamente no lado de fora, Angelina aproximou-se da janela. Mas, viu apenas seu bairro entediante, com aquelas casas perfeitamente normais. 


- Mas que droga! Se não era um ladrão, o que fez tanto.....-ela parou ao notar que em cima de sua cama repousava uma coruja cinzenta, bastante cansada - Quem é você?


"Ah grandeeeeeeeeeeeeeeee!" pensa a garota sarcasticamente "Como se a coruja fosse virar para mim, se apresentar e depois me convidar para dançar o tango com ela"


Angelina saiu de seu quarto, desceu as escadas bufando ("Lindooo! Um ladrão invade minha casa e eu vou para-lo com uma vassoura! Parado aí, ou eu te varro!") e guardou a vassoura no lugar que encontrou. Depois, pegou duas tigelas, uma garrafa de água e um pedaço de pão. Subiu de novo as escadas, ainda criticando-se sarcasticamente, e entrou no seu quarto. Colocou um pouco de água em uma tigela e na outra pedacinhos pequenos de pão, e entregou a coruja. Enquanto observava ela se alimentar, Angelina notou que ao lado dela, havia um envelope grosso e pesado, feito de pergaminho amarelado endereçado para "Senhorita A.Johnson, Segunda porta à esquerda", lacrada com cera púrpura com um brasão: um leão, uma águia um texugo e uma cobra circulando uma grande letra "H".

Bastante curiosa, Angelina abriu a carta e notou duas folhas de pergaminho. Pegou a primeira e leu:

ESCOLA DE MAGIA E BRUXARIA DE HOGWARTS
Diretor: Alvo Dumbledore
(Ordem de Merlin, Primeira Classe, Grande Feiticeiro, Bruxo Chefe, Cacique Supremo, Confederação Internacional de Bruxos)


Cara Srta. Johnson, 
Temos o prazer de informar que V.S.a. tem uma vaga na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Estamos anexando uma lista de livros e equipamentos necessários.
O ano letivo começa 1º de setembro. Aguardamos sua coruja até 31 de julho, na mais tardar.

Atenciosamente,

Minerva McGonagall

Diretora Substituta


Ainda pasma, Angelina desdobrou um segundo pedaço de papel e leu:

ESCOLA DE MAGIA E BRUXARIA DE HOGWARTS

Uniforme:

Os estudantes do primeiro ano precisam de:

1. Três conjuntos de vestes comuns de trabalho (pretas)

2. Um chapéu pontudo simples (preto) para uso diário

3. Um par de luvas protetoras (couro de dragão ou similar)

4. Uma capa de inverno (preta com fechos prateados)

As roupas do aluno devem ter etiquetas com seu nome.

Livros 

Os alunos devem comprar um exemplar de cada um exemplar de cada um dos seguintes:

Livro padrão de feitiços (1ª série) de Miranda Goshawk

História da Magia de Batilda Basghot

Teoria da magia de Adalberto Waffing

Guia de transfiguração para iniciantes de Emercio Switch

Mil ervas e fungos mágicos de Filida Spore

Bebidas e poções mágicas de Arsênio Jigger

Animais fantásticos e seu habitat de Newton Scamander

As forças das trevas: Um guia de autoproteção de Quintino Trimble

Outros equipamentos

1 varinha mágica

1 caldeirão (estanho, tamanho padrão 2)

1 conjunto de frascos

1 telescópio

1 balança de latão

Os alunos podem ainda trazer uma coruja OU um gato OU um sapo

LEMBRAMOS AOS PAIS QUE OS ALUNOS DO PRIMEIRO ANO NÃO PODEM USAR VASSOURAS PESSOAIS

- Essa é a coisa mais louca que já vi!- exclamou espantada. Angelina não conseguia acreditar no que acabara de ler. Será possível que exista essa escola? Como poderia ser verdade???? Ela nunca ouviu ninguém falar a respeito dela. A garota releu a carta várias vezes tentando entender algo. Porém, quanto mais lia, mais e mais duvidas surgiam em sua cabeça. Cansou-se, por fim, e decidiu guardar a carta para mostrar a sua mãe. Ela provavelmente acharia alguma explicação para essa loucura. 


- Espero que ela não tenha plantão hoje.....- desejou intimamente. Anna Christina Johnson, a mãe da Angelina, era médica o que significava muito trabalho e pouco dinheiro. Tinha vezes que ela chegava cedo em casa, outras tardes por causa de plantão que era obrigada a dar, e Angelina nunca sabia quando ela chegaria em casa (o que a impedia de aprontar alguma coisa. Imagine o suspense: você nunca tem certeza se será pega pela sua mãe ou não). 

Cansada de tanta loucura (como se não bastasse aquele estranho sonho com O'Neel), Angelina resolveu aproveitar que já passará das duas e conectou na internet. Encontrou sua amiga Katherine, uma garota apaixonada por X-Men, e contou para ela sobre a carta estranha. A reação da garota foi outra: começou a xinga-la. Angelina já esperava por isso. Afinal, sua amizade com a Katherine era assim: sincera, pacata e amável. Uma prova disso estava nos seus apelidos carinhosos: Vaquinha Orgulhosa (que Angelina deu a Katherine, quando descobriu que ela era fã de Lince Negra, uma personagem dos X-Men, cujo o apelido e o nome, traduzidos, formavam "vaquinha orgulhosa") e Monstra (apelido que Katherine deu a Angelina, pois ela gosta de Danielle Moonstar). Não querendo ficar para trás, Angelina começou a esculhambar sua amiga, com seus comentários sarcásticos. E assim passou a tarde se divertindo.

Quando deu oito da noite, os latidos de Witta anunciaram a chegada de Christina. Angelina despediu-se de sua amiga, desligou o computador, pegou a carta estranha e desceu a escada (ignorando o fato da coruja está dormindo em sua cama, esperando a resposta dela). Entrou na cozinha e começou a esquentar o jantar enquanto sua mãe tomava um bom banho. Quando tudo estava pronto, deu seu costumeiro grito de "Tá na mesa! Se demorar eu como tudo!", e sentou. Não demorou muito e sua mãe juntou-se a ela.

O jantar deveria ser igual aos demais, Angelina contando sobre seus jogos de RPG pela net, enquanto Christina falava do seu dia cansativo no Hospital. Porém, três coisas o tornavam especial: a carta estranha, o filme do Senhor dos Anéis e é claro, seu sonho com Shaquille. Angelina optou por contar sobre o filme. Deixou a conversa ficar cheia de hobbits, magos, anões, elfos, cavaleiros, orcs e outros seres estranhos.

- Hum.....-começou ela 

- O que foi?- indagou Christina. Conhecia muito bem sua filha e sabia que quando ela usava seu "hum...." significava que aprontou alguma

- Sabe......hoje de manhã.....eu recebi uma carta estranha- continuou Angelina 

- Eeeeeee?- perguntou sua mãe, com um estranho brilho nos olhos. Ao ver esse brilho nos olhos dela Angelina lembrou como sua mãe andava estranha nas ultima semanas. Viva cantando músicas de seu tempo e quando Angelina perguntava o que foi ela respondia: "breve, breve, você saberá". Será que isso tem alguma ligação com a estranha carta????? Não.....isso era impossível!

- Estranha não só pelo que tinha escrito nela.... Mas também a forma com que a recebi....-a garota pegou a carta e entregou a mãe. Angelina começou a contar como recebeu a carta, omitindo, é claro, a parte do ladrão, da vassoura e das perguntas idiotas. Para sua surpresa, Christina não parecia assustada, surpresa ou irritada. Ao contrario, lia a carta com naturalidade e um certo....orgulho?? 

- O mais estranho.....-continuou a menina- é que a coruja.....ainda está lá em cima....como se....estivesse esperando minha resposta....parece que foi muito bem treinada!

- Claro que foi bem treinada!- explicou a mãe- pertence a Hogwarts!

- Como?

- Angel, minha filha, você é uma bruxa! - disse Christina, como se isso explicasse tudo.

- Hã.....acho que exagerei no sal.....-comentou Angelina, espantada.







Obs da Thiara: Saudações! Bom, acho bom deixar isso bastante claro para o depois não falarem "vc não disse": ESSA FIC MOSTRA ANGELINA COMO EU E A TINA IMAGINAMOS! É CLARO QUE ANGEL DA J.K. NÃO É ASSIM! UMA PROVA DISSO É QUE ELA MAL APARECE NOS LIVROS DE HARRY POTTER (TINA, POR FAVOR, NÃO ME MATE! ISSO É A MAIS PUUUUUUUUUURA VERDADE). Pois bem, eu e a Tina imaginamos a Johnson assim: sarcástica, corajosa e divertida. Vocês vão dar muitas risadas com as besteiras que ela pensam (quem será que ela lembra, hein Tina?rs). Espero sinceramente que vocês gostem. Lembrem-se: criticas, sugestões e ideias são bem-vindas!^^x 

Obs de Tininha: Hello people!!(Vou fingir que não lí o seu comentário sobre a importância da Johnson nos livros do Harry...) Eu, definitivamente, a-d-o-r-o esta Angelina.... Não sei, mas acho que seja pelo fato dela se parecer tanto comigo...*pensativa* Tirando a altura e o talento para basquete, se bem que eu sempre fui boa em basquete, só nunca era chamada pros jogos do time do colégio pela minha altura de pintor-de-rodapé, mas fazer oq, né??
Espero que vc's tenham gostado, esperamos comentário e lembrem-se: A vida pertence akeles que acreditam na beleza de seus sonhos!!*nada haver falou só por falar mesmo*
Bjokas!!^*^

Capítulo II

  O Mistério do sótão

 

   

 

"Nada há de encoberto que não venha ser descoberto, nem oculto que não venha ser revelado"

 

 

- Mas você é uma bruxa!- afirma Christina, pela décima primeira vez.

 

 

- Ah claro! Claro! E o Homem-aranha se veste de preto e combate o crime em Gothan City!- respondeu Angelina, pela décima primeira vez.

 

- Eu estou falando sério, Angelina Johnson!!

 

- Eu também! Por isso tenho que avisá-la que o Pato Donald não poderá comparecer ao nosso jantar, pois o Pluto comeu seu chapéu!

 

- Ok! Você precisa de uma prova!- falou por fim Christina.

 

Ela tirou de sua bolsa, uma varinha, que parecia um pedaço de pau, muito mal cuidado, apontou para os copos e a Peps na pia e disse alguma coisa que Angelina não conseguiu entender. Então, os copos e a garrafa de refrigerante voaram em direção da mesa, onde pousaram. A garrafa abriu sozinha e encheu os dois copos de refrigerante.

 

BAM!

 

Angelina acabara de cai da cadeira.

 

 

- Os c..c.copos...voaram....e....e..e....-gaguejou espantada.

 

- Acredita em mim agora?- perguntou Christina, com uma voz doce que, definitivamente, não combina com o sorriso cínico em seus lábios.

 

- É claro que não! Sabia que havia fantasmas aqui, só não esperava que eles saíssem do sótão toda vez que você balançasse esse pedaço de madeira!- disse Angelina. Ela estava se referindo ao sótão da casa, um local que vivia trancado, porém fazia muito barulho. Quando criança acreditava que fossem fantasmas. Agora mais velha, ela tinha certeza que eram ratos. Como nunca tivera a mínima curiosidade de entrar lá (e o pavor de haver ratos no lugar), Angelina simplesmente ignorava aquela parte da casa.

 

- Por Merlin! Como pode existir um ser humano tão cabeça dura???-espantou-se Christina.

 

-Ah! É genético! Puxei a minha mãe!-devolveu.

 

- Hum......acho que eu vou lhe colocar com um penteado igual á da Lince Negra dos X-mens. Quem sabe assim você aprende a não duvidar de sua mãe......- falou Christina, balançando ameaçadoramente sua varinha.

 

- Ok! Ok! Ok! Eu acredito! Mas…….por que você não me contou???-perguntou Angelina, meio irritada.

 

- Bom, já que eu tinha casado com um trouxa como seu pai.....trouxa é como nós bruxos chamamos as pessoas não bruxas- Christina acrescentou rapidamente, ao ver a expressão intrigada de sua filha- havia uma possibilidade de você nascer sem poderes mágicos. Imaginei, que se isso acontecesse, você iria ficar desapontada, por isso não mencionei nada a respeito....

 

- Ah grande! Muito obrigado!- agradeceu Angelina, com um tom nada convincente.

 

- Ora, não me culpe por ser uma mãe maravilhosa que se preocupa com sua filha e ter receio de causar algum trauma nela.

 

- Nossa! Que humilde!

 

- Mas, eu deixei pistas para você descobrir que sou uma bruxa. Se você parasse de pensar em basquete, uma vez na vida, e olhasse a sua volta, teria descoberto que sou uma bruxa.

 

- Ah claro! A questão é: como?? Olhando em volta e esperando que uma coruja aparecesse e me contasse???

 

- É claro que não! Será que você nunca achou estranho esses envelopes amarelos que recebo todo dia?- Christina agora abria um dos envelopes e jogou na mesa. Passaria normalmente por um jornal comum se não fosse duas coisas: o título Profeta Diário (que espécie de idiota colocaria um nome desses?) e as fotos que não paravam de se movimentar. Angelina ficou admirando o jornal por alguns segundos, quando lembrou que precisava soltar um de seus comentários sarcásticos para sua mãe. Afinal, ela a iludiu esse anos todos!

 

- Uuuuuuuu! Claro! Atenção: se sua mãe recebe envelopes amarelos todo dia, tome extremo cuidado, pois significa que ela é uma bruxa!-falou como uma aeromoça em serviço- E não se esqueçam de apertar os cintos!

 

- E o sótão???- perguntou Christina, ignorando o comentário de sua filha e lhe lançando um olhar frio- Será que nunca em sua vida você desconfiou do sótão?????

 

- Desconfiei sim! Sempre suspeitei que tinham RATOS E A SENHORA, COM SUA PREGUIÇA, DEIXAVA PARA LÁ!

 

- Deus! Por que me deste uma filha tão insuportável?- perguntou Christina, enquanto se levantava.

 

 

- Para onde a senhora vai?

 

- Para o sótão! Tem umas coisinhas lá que quero te mostrar, se é claro, não perder a cabeça com seus comentários ridículos e lhe lançar um feitiço para dormir.

 

- Uieeeeeeee! Que meda! Minha mãe é a bruxa de Blair!- respondeu Angelina e a seguiu.

 

 

Era evidente que Angelina ainda não perdoara a mãe. Ela a enganou esses anos todos. Está certo que a desculpa dela era boa, mas isso não justificava. E além do mais, Angelina estava se sentindo idiota. Por que nunca desconfiou do seu sótão???? Como não foi perceber que fantasmas não existem????? Por que não notou que deveria ter centenas e centenas de ratos para fazer tanto barulho????? Por que, se ela tinha uma imaginação tão fértil, não desconfiou que sua mãe era bruxa???

 

Por está tão absorta em seus pensamentos durante o percurso, Angelina acreditou que chegou muito rápido no sótão. Na verdade, pensou que sua mãe tinha feito algum feitiço de "Abracadabra" e tornado o caminho mais curto.

 

-Alorromora - Christina tirara sua varinha e apontavva para porta que abriu sozinha. Ela entrou e sua filha, bufando, a seguiu.

 

O sótão era o lugar mais estranho que Angelina viu em toda sua vida. Tinha várias caixas no chão e três armários . O primeiro contendo livros, de diversos tamanhos e cores, com títulos absurdos como "Como dominar um espírito agourento", "Lobisomens: homem ou lobo?", "Quadribol através dos séculos". Na segunda estante, a garota viu frascos e mais frascos com coisas nojentas que a Angelina só sabia o que continham graças às etiquetas que sua mãe colocou. E no ultimo repousavam os objetos mais esquisitos do mundo, como um objeto que parecia um pequeno pião, vestes vermelhas com emblema de leão, Snap Explosivos, bola de cristal, entre outras coisas mais absurdas.

 

- Bem vinda ao Sótão Mágico!- disse Christina gentilmente

 

- Sótão Mágico????-repetiu Angelina.

 

- É! Que tal o nome?- disse Christina sorrindo abertamente.

 

- Sinceramente, até "batcaverna" soa melhor que "Sótão Mágico".

 

 

- Mas você é insuportável, hein?- o sorriso se dissipando do seu rosto, franzindo levemente a testa.

 

- Obrigado! Eu faço o que posso...

 

Enquanto sua mãe procurava alguma coisa nas caixas no chão, Angelina resolveu examinar cada objeto um por um. Ela se interessou por uma bola de gude grande, que parecia cheia de fumaça. Assim que pegou, ele emitiu uma luz escarlate, e Angelina, assustada e pensando que tinha quebrado, devolveu imediatamente o objeto a prateleira. Também chamou a atenção da Angelina um pequenino pião de vidro.

 

- O que é isso, mãe?

 

- É um "bisbilhoscópio" de bolso, querida. Dizem que quando tem alguma coisa suspeita por perto ele acende e gira.

 

Mal Christina disse isso, o objeto começou a girar na mão da Angelina emitindo um brilho intenso! A garota exlamou algo como "Uau!", até sua mãe desiludi-la profundamente:

 

- Mas, não se empolgue! É só uma porcaria que vendem a bruxos turista e não é confiável!!! Ah achei! Ai que saudades da minha meninha!!!- exclamou Christina, abraçando e beijando uma vassoura muito velha com o cabo torto. Era evidente que perdera muitas palhas, e as que sobraram estavam muito tortas.

 

Angelina fez uma cara nem um pouco agradável. “A saúde mental dela está ficando cada vez pior... onde já se viu beijar e tratar com tanto carinho uma vassoura?? Se é que este negócio seja mesmo uma vassoura...”-pensa Angelina incrédula ao ver sua mãe quase embalar como um bebê aquele amontoado de teia de aranhas e gravetos velhos.

 

 

- Que troço é esse?- perguntou Angelina.

 

 

- Troço???? Como você ousa chamar a Nimbus 1500 de troço???

 

 

- "Nimbus 1500"?

 

- É! A melhor vassoura da minha época!

 

- Puxa.... Não imaginava que a senhora fosse tão velha.

 

- Puxa..... Sempre quis saber como você ficaria com o cabelo da Lince!

 

- Tá bom! Foi uma brincadeira! Mas..... Para que a vassoura?

 

- Para voar!- respondeu Christina, como se fosse a coisa mais óbvia do mundo- E é nesta belezinha aqui-ela lançou um olhar de admiração a sua vassoura- que você aprenderá a voar......

 

- .....que nem uma banheira- completou Angelina. Então, era por isso que o bisbilhoscópio agiu daquela forma. Queria alertar Angelina da loucura que sua mãe pretendia obrigá-la fazer.

 

- Como você consegue ser tão ridícula?

 

- Desculpa..... Eu ainda não perdoei minha mãe por ter escondido de mim que era bruxa. Sabia que eu poderia transformar esse bairro em algo que valha a pena morar??????

 

- Ai..ai- suspirou Christina- Se você fizesse isso eu levaria uma multa do Ministério da Magia, por uso Indevido de Magia.

 

- Vocês tem um Ministério?

 

- É claro!- confirmou Christina, com uma normalidade que Angelina achou muito anormal.

 

- Que loucura......mas.....mãe......para quê você tem uma vassoura?

 

- Eu já disse: para voar!

 

 

- Eu sei..... Mas voar para quê???? Ou não me diga que em uma noite enluarada a bruxa de Blair resolve dar um passeio pelo bairro mais pacato do mundo com sua precária e acabada vassoura velha?!

 

- Não...-Christina estava realmente perdendo a paciência- Usamos para jogar quadribol.........

 

- Quadri....o quê?

 

- Quadribol.....o melhor esporte dos bruxos.....eu era atacante do meu time......lembro-me como se fosse ontem minha primeira partida......eu estava no quarto ano de Hogwarts.....Grifinória versus Sonserina.....eu, é claro, pertencia a Grifinória.....eu peguei a goles.......passei para Emma....ela driblou dois atacantes....passou para mim.....e eu enganei perfeitamente o goleiro sonserino.....fingi que ia jogar no aro esquerdo, mas fiz no aro da direita.......e Goooooooooooooool!!!!

 

- Mãe, sem querer incomodar essa lembrança de mil anos atrás, mas já incomodando, eu não entendi absolutamente nada do que você disse.

 

-O que você não entendeu?- perguntou Christina, franzino a testa.

 

-Tudo! Grifinória....Sonserina.....Hogwarts.....Quadradabol.....

 

- É Quadribol- corrigiu Christina

 

- Que seja! Me explica!- ordenou Angelina, chateada.

 

- Ok...vamos pelo começo.....Ha muito tempo atrás, os trouxas começaram a perseguir qualquer pessoa que praticasse bruxaria...

 

- Isso eu sei! A Santa Inquisição!

 

- Pois é.....apesar deles quase nunca pegarem um bruxo verdadeiro, era muito perigoso praticar bruxaria. Então, Godrico Gryffindor, Helga HuffePuff, Rowena Ravenclaw e Salazar Slytherin construíram um castelo que chamaram de Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Esta, é dividida em quatro casas, cada uma homenageando um fundador: Grifinória, Lufa-Lufa, Corvinal e Sonserina. Cada casa, possui uma característica própria, que a difere das demais. Grifinória, minha antiga casa, possui alunos valentes e nobres, Lufa-Lufa, alunos que acreditam na amizade de bondade("ou seja, idiotas"-pensou Angelina), já a Corvinal é a casa dos inteligentes e de mentes abertas("ou insuportáveis, para os íntimos") e a Sonserina, na minha opinião a pior casa, de pessoas com grandes ambições.

 

- Ok....e o que é Quadradabol?

 

- O melhor esporte bruxo. Cada time possui sete jogadores: três atacantes, dois batedores, um goleiro e um apanhador. Há no jogo, quatro bolas: dois balaços, uma goles e um pomo de ouro. Está me acompanhando?

 

- Mais ou menos!- disse Angelina meia tonta.

 

- Esta é uma goles- Christina pegou uma bola vermelha do armário e jogou para sua filha, que pegou com facilidade, pois estava acostuma com os "passes" de basquete.- Como você vê, é muito parecida com uma bola de basquete. Os artilheiros têm que pegar essa bola e faze-la atravessar uma dos três aros do campo. Quando isso acontece, o seu time ganha dez pontos. Como vê, parece basquete.

 

- Tirando o goleiro, o apanhador, os tais batedores, as três outras bolas e, é claro, os três aros e a vassoura! Sim! Parece basquete!

 

- O goleiro -continuou Christina, ignorando a filha -impede que os atacantes consigam fazer gols. E os batedores, rebatem os balaços, que são bolas maciças que tem como objetivo derrubar os jogadores dos dois times.

 

- E o apanhador serve para pegar os jogadores acertados pelos balaços??- perguntou Angelina, com uma voz fraca, com medo da confirmação de sua mãe.

 

- Oh não! Os apanhadores pegam o pomo de ouro, uma bola minúscula, do tamanho de uma noz, muito rápida. Por isso, o apanhador tem que ser muito leve. Quando apanham o pomo,encerra-se a partida e o time do apanhador ganha 150 pontos, o que dá praticamente a vitória.

 

- Nossa!- exclamou.

 

- E tem outra coisinha que gostaria de te dar - comentou Christina, se aproximando da estante de livros. Ela apanhou um livro, de capa verde, onde se via dois bruxos, montados em vassouras, perseguindo o pomo, e o entregou a sua filha.

 

- Chama-se Quadribol Através dos Séculos. Um excelente livro que explica tudo que você precisa saber sobre Quadribol.

 

- Obrigado! Mas eu sei ler.- disse indicando as letras garrafais que estavam acima dos jogadores.- Hãããã........ Mãe??

 

- Diga?

 

- Você poderia me dizer o que faz tanto barulho aqui?

 

- Ah claro! Eu já estava esquecendo dele!

 

- Ele quem?

 

Sem dar atenção para sua filha, Christina assobiou. Levou alguns minutos, e uma coruja das torres com uma pena na cabeça formando um topete, e entrou pela janela altiva e pousou em seu braço.

 

 

-Filha, quero lhe apresentar Elvis, minha coruja! Elvis, esta é minha filha!

 

O queixo de Angelina caiu. Então, era uma coruja que fazia tanto barulho. De onde ela tirou essa idéia de ratos ou fantasmas????? Ficou uns minutos calada e depois comentou:

 

 

- Elvis??? Por que esse nome?

 

- Ah! É porque eu adoro o cantor Elvis!-respondeu Christina, corando.

 

- E depois reclama de minhas músicas!!

 

- Mas as minhas musi.....Meu deus! Já é meia noite! Como tempo passa rápido quando estamos nos divertindo! Angel, querida, está na hora de você ir para cama.

 

Angelina, a principio, não gostou muito da idéia. Queria ficar mais no sótão, descobrindo o máximo que podia sobre bruxos e seus objetos. Porém, Christina não deixou. Afirmou que ela precisava descansar, pois no dia seguinte, elas iriam ao Beco Diagonal comprar material escolar. Depois de muitos protestos, Angelina aceitou ir dormir se levasse Elvis para seu quarto e Christina concordou.

 

Quando já estava na sua cama quentinha, Angelina resolveu ler "Quadribol através dos séculos" (ignorando o fato da coruja de Hogwarts está dormindo na cabeceira de sua cama). Como ainda não estava acostumada com os livros dos bruxos, ela sempre se assustava quando as fotos que se moviam. Sem perceber, Angelina adormeceu lendo. Ela teve um sonho estranho, cheio de balaços, vassouras, goles, apanhadores, batedores, goleiros, atacantes, corujas e varinhas...mas nada que superasse seu sonho com O’Niel.

 

Obs da Thiara: Sim eu sei! A época em que se passa a história de "Harry Potter" não há filme de Senhor dos Aneis passando. Mas, achei interessante adaptar Angelina Johnson para nossa época. Sobre o "lembrol" ele acendeu porque Johnson estavam tão interessada nas coisas de bruxas que esqueceu a coruja de Hogwarts estava esperando a sua "resposta". Gosto muito desse capítulo, porque quando Angelina se junta a sua mãe é quando temos as melhores piadinhas e queimadas! Mas, sinceramente, não vejo a hora de trabalhar com Cho....^______^ Pessoal, por favor,  mande-nos e-mails com sua opinião a respeito da fic!! Eu e a Tina aguardamos a sua participação!

 

Obs de Tininha-chan: Uuuuuuhhhhhhooooouuuu!! Cuidado!! A minha mãe é a Bruxa de Blair!!!!*idiota*  Bom pessoas, eu até hoje estou esperando comentários via e-mail, vamos ajudar ok?? Influenciem a ajudem duas jovens escritoras a escrever melhor e atender aos seus desejos para melhor agradá-los, ou então, sofram as conseqüências da minha mãe.... a Bruxa de Blair!!!!XD

 

 

Capitulo IV

A guia do Beco Diagonal

 

 

            "A mudança pode ser nossa amiga ou inimiga. Se tiveres medo dela e evitá-la, inimiga se tornará. Se tiveres coragem de encará-la e aproveitar e aproveitá-la, sua amiga ela será"

 

 

 

            Pela primeira vez, em onze anos, Angelina não acordou com os latidos de Witta. Plagiou o sono pesado de Érika e acordou as dez da manhã. Lavou seu rosto e sorriu ao ver o livro "Quadribol através dos Séculos". Então, era verdade! Ela era uma bruxa!! Tentou imaginar a expressão na cara de Érika quando lhe contasse o que lhe aconteceu ontem. Mas, foi agora que Angelina deu-se conta da realidade: Érika!! Estudavam juntas na mesma escola desde que usavam fraldas! E agora, iam se separar...

            "Deus!" pensou a garota "Estou ficando melosa demais!"

            Decidiu deixar o problema francês "PêPe" para mais tarde.Notou que a coruja de Hogwarts já não estava no seu quarto, e concluiu que sua mãe deve ter ficado com dó da pobrezinha e a despachou de volta com a resposta.

            Resolveu que iria mandar um e-mail a Katherine, explicando o que lhe aconteceu. Não teria muito problema nem sentiria muita saudade de Katherine, afinal elas não se conheciam pessoalmente.

            Passados alguns minutos, o e-mail já estava pronto:

 

                                   Querida vaquinha,

 

            Como vai??? A produção de leite?? Está bem??? Estou enviando-lhe um e-mail para lhe contar uma novidade: eu sou bruxa! Isso mesmo! Bruxa! Aquela carta estranha que recebi ontem foi um convite para estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts (chique, não?*rs*). As aulas começam 1° de setembro e provavelmente não poderei encontrar com você na net até minhas férias de verão, pois não tenho um laptop, e mesmo que tivesse, duvido que eles permitam objeto de trouxas como você.

 

            Por favor, não me mande um e-mail dizendo que ficará feliz e chorará por dias por causa da tamanha felicidade, POIS IREI LHE LANÇAR UM FEITIÇO!!!!

 

            Bom, eu tenho que ir agora. Daqui a pouco irei com minha mãe ao Beco Diagonal, para comprarmos meu material escolar!^-^

 

            Beijinhos,

 

                        Angelina Johnson

 

Obs: tenho uma idéia de como podemos nos falar, porém não vou lhe contar! :-P

            Após enviar o e-mail e desligar o computador, Angelina resolveu tomar café. Como de costume, sua mãe acordara cedo para ir trabalhar e fizera o favor de largar seus pratos e talheres sujos para a filha lavar. Porém, desta vez deixou um bilhete, avisando que depois do almoço, elas iriam ao Beco Diagonal.

            Depois do café, mesmo levando horas e horas pensando, Angelina não conseguiu arranjar nenhuma desculpa para Érika. Teria que contar a verdade da melhor e única forma que sabia: improvisando!! Então, Angelina pegou o telefone e discou o número de Érika, preparando-se para ouvir um monte de palavrão em francês. Érika Pepe Moura, era francesa. Angelina nunca soube o motivo dos pais delas terem se mudado, quando ela ainda era um bebe, para Inglaterra.

            O telefone chamou algumas vezes, até que uma voz conhecida falou:

            - Alô?

            - Érika, sou eu! Angelina!

            - Ah, oi! Tudo bem?

            - Tudo ótimo e com você?

            - Hum.....também....apesar de umas surpresinhas que aconteceram ontem.

            - Que surpresas, PêPe?

            - Hum......por que você me ligou?- Angelina notou que a amiga mudou drasticamente de assunto. O que poderia ter acontecido?

            - Porque aconteceu algo magnífico comigo e quis te avisar.

            - O que foi, Angel?

            - Me conte o que você queria falar depois eu digo!

            - Ah não! Você primeiro!

            - Você!

            - Você!

            - Ok! As duas! Ao mesmo tempo....um....dois...e...três!

            - Vou estudar em uma escola de bruxaria!-falaram juntas

            - Sério?- espantaram juntas.

            - Sério!- confirmaram juntas.

            - Que maravilha!- exclamou Angelina quebrando o coro.

            - É mesmo, Angel! Por um momento pensei que você iria me matar! Afinal, prometemos estudar juntas no mesmo colégio!

            - Eu idem!

            - Mas eu levei um susto! Imagine: num dia você acreditava ser uma garota normal. No outro, descobre que seus pais são bruxos! OS DOIS, Angel!

            - Entendo como se sente. Minha mãe é bruxa. Só me contou ontem!

            - Tia Chris é bruxa????? Uau! Incrível!

            - Não acho.....não quando ela me ameaça de lançar um feitiço que deixe meu cabelo igual ao de Lince Negra!

            - Que pesadelo! Arg! Mas....você vai ter dificuldade lá, certo?

            - Hã?

            - Ora, nós vamos para Academia de Magia Beauxbatons, que fica na França!

            - Não! A gente vai para Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

            Durante alguns minutos as duas ficaram caladas. Então, Érika disse:

            - Parece que vamos para escolas diferentes....

            - Brilhante dedução!-falou Angelina.

            - Não devemos ficar chateadas com isso! Podemos mandar cartas por corujas!

            - É mesmo! O Elvis vai adorar...

            - Elvis????

            - Minha coruja...- e Angelina começou a contar sobre a forma que recebeu a carta misteriosa,o Elvis, o sótão, enquanto Érica resolveu comer alguma coisa bem gostosa como de costume.

            Quando Christina chegou em casa, deu uma bronca na filha, pois ela passara mais de duas horas no telefone e ainda não estava pronta para ir ao Beco Diagonal. Meia hora mais tarde, as duas saíram de casa para almoçar. Depois pegaram o metro para Londres.

            Depois de muito caminharem e discutirem sobre Quadribol, as duas entraram em um barzinho com porta preta, que se fosse num dia qualquer, Angelina nem perceberia que existia. Na verdade, nenhum trouxa que passava pela frente parecia perceber o "Caldeirão Furado", o que na opinião dela, era muito estranho. Então, ela lembrou que sua mãe era bruxa e provavelmente aquele lugar deveria ter sido enfeitiçado.

            Por dentro, o barzinho era muito escuro e miserável. Havia muitos bruxos com chapéus e capas, conversando alegremente. Christina acenou para o velho dono do bar e guiou sua filha para um pequeno pátio murado, na saída, onde não havia nada exceto uma lata de lixo e um pouco de mato.

            Christina bateu três vezes com a ponta da sua varinha. E o tijolo que tocou estremeceu, torceu-se. No meio apareceu um buraquinho que foi se alargando cada vez mais. Um segundo depois se viram diante de um arco muito grande, que abria para rua de pedras irregulares, que serpeava e desaparecia de vista.

            - Uau!-exclamou Angelina, quando atravessaram o arco, e quando este encolheu instantaneamente e virou uma parede sólida, ouviu-se um "bip" estridente.

            - Mais um AVC...- Christina parecia aborrecida -Tanto tempo para alguém enfartar e isso acontece justamente agora? Quando eu vou com a minha filhinha ao Beco Diagonal? Bom, mas são os ossos do ofício, não é mesmo?

            - Aham...- disse Angelina completamente absorta em observar as pessoas fazendo compras, os estranhos objetos a venda e os seus, mais estranhos ainda, vendedores.

            - Angelqueridatome -disse apressadamente Christina, colocando na mão de Angelina três moedas diferentes e uma pequena chave de ouro.- Vá a Gringotes e retire de meu cofre o que precisar, mas não abra um rombo muito grande na minha conta, tudo bem? Ah! Antes que eu me esqueça, asmoedasdeourosãogalões,17siclesdepratafazemumgaleão, e29 nuquesdebronzeumsicleeonúmerodomeucofreé427. Entendeu?

            -Ahhh...-Angelina parecia ter saído de uma montanha russa, totalmente tonta.

            - Ótimo, sabia que ia entender! Encontro-te no final do dia e comporte-se!-disse Christina aparatando em seguida.

            - Será que você podia repetir a parte dos nicles, suques e garbeões? Mãe? Ah! Ótimo! Ela sumiu! Como foi que fez isso? -Angelina olhava em volta, era um mundo totalmente diferente do seu, e ela estava perdida, totalmente perdida.- Ah! Grande! "Esqueceram de mim 4! Estrelando a linda (e nem um pouco convencida) Angeliiiiiina Joooooohnsooooooooon, breve em todas as salas dos cinemas londrinos!"

            Percorrendo os olhos pelas pequenas ruelas de pedra, Angelina pareceu esquecer a perigosa situação em que se encontrava. Vendo o mundo bruxo pela primeira vez, ela não se sentiu mais deslocada, ao contrário, nunca tinha se sentido tão bem, sem levar em conta que estava totalmente perdida.

            Distraindo-se com uma bruxa que fazia compras em uma loja que vendia, basicamente, coisas nojentas e de mau cheiro, acabou se esbarrando em alguém.

            - Desculpa!- disse Angelina, enquanto ajudava a garota a recolher seus livros que tinham se espalhado pelo chão.

            Levantando e entregando os livros que tinha conseguido recolher, ela finalmente pousou seus olhos sobre a garota. Era alta, tão quanto Angelina, cabelos curtos e castanhos, olhos igualmente castanhos, pele morena e incrivelmente, não parecia estar brava ou raivosa por quase ter sido atropelada, ela estava até sorrindo. O que mais chamava a atenção de Angelina eram as roupas dela, uma blusa do Nirvana (a famosa banda de rock), calça jeans rasgada e um tennis muito surrado, deveria ter pelo menos uns 7 anos, contrastando com a fivelinha rosa de cabelo da Hello Kit. Algum desvio de personalidade, concluiu Angelina.

            - Tudo ok! Isso acontece!- respondeu a garota, sorrindo mais.

            - Aaaaaaah!- exclamou Angelina que agora se distraia com a capa do livro que estava na mão da garota. Um bruxo loiro, de cabelos ondulados, olhos azuis e com um sorriso mais branco que Angelina já vira. Se o visse no mundo dos trouxas, Angelina com certeza acharia que ele era um ator. Ele soltou um beijinho para ela, e apontou para cima onde havia um titulo em letras douradas: "Férias com bruxas malvadas".- Esse seu livro parece ser.....hã........interessante!

            - Ah claro! É muito interessante! Conta a história de um bruxo famoso e lindo que foi obrigado a morar em uma casa cheia de bruxas sacanas, tá ligada?

            - Eu diria que não, na verdade devo estar em Stand By...

            A garota riu mais ainda (se isso for possível) e lançou um olhar a Angelina como se a avaliasse. Alguns segundos depois perguntou:

            - Você deve ter vivido no mundo dos trouxas, não é? Está perdida?

            - Está tão na cara assim é?

            - Bom, é praticamente impossível existir uma garota do mundo bruxo que não saiba quem é Gilderoy Lockhart!

            - Então esse é o nome do indivíduo sorridente da capa do livro?- Angelina não percebeu a careta de desgosto e decepção que o bruxo fez quando descobriu que a garota não o conhecia.

            -É! E o meu é Alice Spinnet - a garota estendeu a mão para Johnson.

            -Eu sou Angelina Johnson - apertando fortemente a mão da garota, notando que as unhas dela também estavam pintadas de rosa -hã...Prazer!-sorrindo por fim.

            -Então, Johnson, quer uma guia para o Beco Diagonal?? É baratinho! Só uns 17 sicles!

            -Ah! Claro! -Angelina olhou para a mão, tinha apenas 3 moedas- Bom, eu só tenho essas três, serve?- oferecendo o galeão, o sicle e o nuque a Alicia.

            A garota olhou para as três moedas em sua mão, depois para o rosto de Angelina aguardando sua resposta, e novamente para as moedas e balançou a cabeça.

            - O que foi, Spinnet? É muito pouco?

            -Não, amiguinha. Primeiro era uma brincadeira. Segundo você pagou mais do que devia. E terceiro, como você conseguiu essas moedas se você é do mundo trouxa? Tem algum parente bruxo????

            - Hã...Tenho...Minha mãe é bruxa! Mas fez o favor de me deixar sozinha aqui...

            - Não está mais sozinha! Eu estou aqui -e a garota sorriu -Vamos fazer compras juntas - a garota agarrou o braço de Angel e a puxou.

            - Certo...Mas...Hã.....Vou conseguir pagar tudo só com essas três moedinhas?

            - Não tem problema! Qualquer coisa a gente assalta a loja!

            - Tá...E essa chavezinha serve para quê?- perguntou Angelina, mostrando a chave dourada.

            - Para abrir o cofre em Gringotes...peraí!- Alicia pegou a chave - Sua mãe tem uma conta em Gringotes, amiguinha?

            - Hum...Sim...Ela comentou algo do gênero antes de me abandonar neste mundo frio e cruel....

            - Então descobri qual vai a nossa próxima parada: G-R-I-G-O-T-E-S! O maravilhoso, incrível e fantástico banco dos bruxos!!!

            - Ah! Claro! Boa sugestão...

            - Claro que foi boa! Ou por que você acha que me ofereci para ser sua guia???????

            - Falta de dinheiro? Inflação??? Crise na mesada?

            - Não! Solidariedade!!!!

            -E por que cobrou??

            - Amiguinha este é um mundo capitalista! Não há solidariedade, sem cobrar algo em troca!

            - Ah claro! Que estupidez esquecer disso!

            - Vamos nos apressar, amiguinha! Quanto mais cedo pegarmos o dinheiro, mas cedo iremos gastar.

            - Hum...ok!- respondeu Angelina, seguindo Alícia pelas ruas de pedras. "É! Pelo visto arranjei uma nova amiga!!!" pensou a garota, feliz por não ter que descobrir as coisas por conta própria, algo que sua intuição afirmava que seria um desastre completo.

 

 

            Obs da Thiara: Então, pessoal??? O que acharam??? Tão gostando?? Espero que sim, já que vocês não dão sua opinião e nós temos que adivinhar tudo... Bom, sobre a Alícia, como é outra personagem tão insignificante como a Angelina Johnson, eu e a Tina tivemos que dá uma personalidade própria. A escolhida dessa vez foi Naiane, uma amiga minha de colégio tão "maluca" como a Alícia. Espero que vocês tenham gostado dela!^^x

 

            Obs de Tininha-chan: Bom pessoas, é isso. Mais um capítulo... e mais uma vez eu venho pedir que alguém se compadeça de nós e COMENTE!! Só mais uma coisinha, quem tiver alguma sugestão, pode mandar pro meu e-mail também... o dito cujo é tina_soryu@yahoo.com.br.  O próximo capítulo é um de meus favoritos... Angelina e Alicia indo a Gringotes e depois comprando o material escolar para Hogwarts... Muitas cenas hilárias e pensamentos idiotas de nossa heroína vos aguardam!! Até lá...=^-^=


Continua.......