Considerações Mágicas Sobre a Vinda dos Senhores da Chama à Terra
Vicente Beltrán Anglada

A tradição oculta revelada através de O LIVRO DOS INICIADOS, contendo a Sabedoria dos Tempos, nos diz "que vieram envoltos em uma nuvem de fogo, rasgando os éteres e através de raios de luz".

Que significado podemos atribuir a essas afirmações ocultas? Em nosso mundo moderno, conseguiu-se fabricar mecanismos de propulsão que ultrapassam em muito a velocidade do som, que é de aproximadamente 333 metros por segundo nos foguetes espaciais, mas nenhum aparato ou mecanismo, seja qual for seu grau de sofisticação, conseguiu ser propelido à velocidade da luz, 300.000 quilômetros por segundo, com a qual, ao que parece, foram enviadas à Terra as nuvens de fogo dentro das quais viajaram os Senhores da Chama. Esse dado deve ser cuidadosamente levado em conta quando analisamos as afirmações ocultas de O LIVRO DOS INICIADOS, tratando de assimilar inteligentemente as investigações modernas sobre os chamados "discos voadores", ainda que sem cair nas excentricidades e fervor excessivo de alguns desses investigadores, que costumam ver fenômenos ufológicos e provas da existência de tais discos voadores em qualquer acontecimento estranho que possa produzir-se na atmosfera planetária.

Para o investigador esotérico dotado de intuição e clarividência nos mundos ocultos, o fenômeno OVNI, tal como é comumente considerado, ocupa somente um aspecto muito superficial em seus estudos, já que percebe aspectos dimensionais muito diferentes daqueles que os especialistas ufólogos estudam e, de certo modo, promovem. Em suas investigações, utiliza faculdades mágicas que lhe permitem "perfurar" a trama sutil que separa as três dimensões conhecidas da quarta, quinta e até sexta dimensões do Espaço, e observar ali fenômenos que, na opinião de estudiosos do tipo corrente, entram no campo misterioso do sobrenatural. No entanto, nada é mais natural e científico do que investigar os fatos que incessantemente acontecem mais além do véu das coisas conhecidas. O menos científico, nesse caso, seria negar o fato inquestionável de que, no espaço fechado aos nossos sentidos meramente físicos ocorrem maravilhosos fenômenos dos quais, ordinariamente, não temos noção, porque não temos ainda desenvolvidas as necessárias faculdades extra-sensoriais que permitem observar aqueles fatos ou fenômenos.

Para quem tenha estudado suficientemente a manifestação das leis ocultas da Natureza no homem, o fato de que um Adepto ou Mestre da Compaixão e Sabedoria possa construir para si mesmo, à vontade e graças ao domínio que tem sobre as forças dévicas que atuam no Espaço, "um corpo de luz", ocultamente chamado MAYAVIRUPA, com o qual pode movimentar-se no Espaço em velocidades incríveis, é total e naturalmente aceito, já que a velocidade conhecida é somente uma medida imposta pelo homem à sua capacidade limitada de deslocar-se por mar, por terra ou pelo ar, utilizando os vários meios de transporte, como trem, barcos, automóveis ou aviões a jato. Fora do limite das três dimensões conhecidas e impostas pela lei kármica, a velocidade adquire um significado muito diferente, que vai desde a velocidade da luz à ultra-velocidade que rege o deslocamento dos corpos sutis em outras dimensões do Espaço, uma realidade que deverá ser cuidadosamente considerada quando analisamos o processo mágico pelo qual puderam viajar para a Terra os Senhores, da Chama e, mais adiante, os Anjos Solares que imprimiram o selo da mente nos cérebros do homem primitivo.

A nuvem de fogo dentro da qual os Senhores da Chama viajaram "à velocidade da luz" - como se depreende das afirmações contidas em O LIVRO DOS INICIADOS - parece confirmar o fato de um mecanismo gigantesco em cujo interior viajaram as 105 entidades venusianas, ou Senhores da Chama, que instauraram a Grande Fraternidade de Shambala no nosso planeta. A idéia de "mecanismo", que temos intencionalmente introduzido no campo de nossas investigações ocultas sobre a Magia Organizada Planetária, pareceria asseverar o fato de que estamos de acordo com aqueles investigadores no campo da Ufologia que estudam a presença de corpos voadores, desconhecidos engenhos de propulsão ultra-rápida de procedência extraterrestre que atravessam os espaços siderais da Terra. Mas é apenas em parte que concordamos que somos visitados constantemente, e desde o início dos tempos, por esses estranhos e misteriosos corpos procedentes sabe Deus de que mundo, constelação ou galáxia, sem que ocorra ao atual investigador da ciência ufológica perguntar-se, como o faz o investigador esotérico, se não existirá, em qualquer lugar desconhecido e remoto do planeta, alguma misteriosa Vontade planetária, algum Governo Oculto ou alguma excelsa Corporação de Almas Superiores revestidas de tal Poder, e utilizando meios técnicos tão poderosos que sejam capazes de produzir no espaço planetário uma incrível quantidade de fenômenos naturais maravilhosos que a Ciência atual da humanidade é totalmente incapaz de compreender e classificar.

As investigações esotéricas vão sempre muito além das científicas, e é por esse motivo que o estudante da magia, utilizando a verdadeira ciência ou medida do natural como suporte de suas investigações, se projeta nos níveis ocultos no louvável intento de descobrir o segredo das coisas. Assim, a vinda dos Senhores da Chama à Terra "dentro de uma nuvem de fogo lançada à velocidade dos raios da luz" aparece ante esse tipo de investigação oculta como um fato muito natural e não muito difícil de realizar por aqueles experimentados Magos que, procedentes do esquema de Vênus e animados pelo fervor do eterno, "aterrissaram um dia na Ilha Branca, embalada docemente sobre o Mar de Gobi" (O LIVRO DOS INICIADOS), para instituir a Grande Fraternidade Branca, ou Hierarquia Espiritual da Terra.

Pois, do mesmo modo que um Adepto pode construir um corpo de luz ou MAYAVIRUPA e com ele deslocar-se através do espaço em velocidades incríveis, o excelso grupo dos Senhores da Chama provenientes do esquema venusiano, espiritualmente muito mais avançados que os Adeptos da Terra, podia certamente criar um gigantesco MAYAVIRUPA, ou um potente mecanismo etérico que, à velocidade da luz ou talvez a uma velocidade muito maior, lhes permitisse viajar para o nosso planeta atravessando rapidamente o espaço compreendido entre ambos os esquemas, o de VÊNUS e o da Terra, através da inevitável cadeia dos mundos. Essa idéia, que do ponto de vista esotérico entra no campo fecundo, ainda que desconhecido, das próprias leis naturais, deve ser atentamente analisada, pois do seu estudo poderiam derivar grandes conseqüências acerca do mistério permanente que envolve o grande Centro de SHAMBALLA e as incompreensíveis operações mágicas que acontecem em suas desconhecidas e impenetráveis entranhas celestes.

Uma das grandes incógnitas que o investigador esotérico que procura descobrir o segredo da Magia Organizada no nosso mundo terá para resolver será, sem dúvida, o número de Senhores da Chama, 105 no total, que, provenientes do esquema de Vênus - como afirma a tradição oculta -, vieram ao nosso planeta e criaram aquela “colônia espiritual”, se podemos assim chamar, que foi o berço da Fraternidade Branca ou Hierarquia Espiritual da Terra.

Talvez tenhamos uma das chaves mágicas para resolver essa incógnita no que nos dizem os grandes Iniciados da Terra através dos livros ocultos da Loja espiritual: "...as 105 Entidades venusianas dividiram-se em três grupos de 35 unidades espirituais cada, e esses, por sua vez, subdividiram-se em cinco grupos de sete unidades cada, para atender eficientemente as necessidades evolutivas do planeta Terra." O número sete corresponde ao sistema solar do qual tanto VÊNUS quanto a TERRA fazem parte, e o cinco é o número distintivo de VÊNUS, um planeta sagrado, o quinto dentro de seu esquema, que está percorrendo sua quinta ronda dentro de sua cadeia. Não há dificuldade alguma, então, para compreender a origem e disposição dos grupos de Entidades venusianas ou Senhores da Chama que vieram à Terra. Se se tratasse de entidades terrestres que, por disposições solares, deveriam ajudar no desenvolvimento espiritual de um planeta menos evoluído, a disposição e número dos grupos teriam variado sensivelmente, considerando-se que o número distintivo do nosso planeta é quatro, porquanto é o quarto planeta dentro do esquema terrestre e que está percorrendo sua quarta ronda dentro de uma quarta cadeia.

Seguindo na linha da tradição esotérica que oculta os verdadeiros tesouros da Magia Organizada Planetária e é o manancial silente onde bebem os investigadores espirituais dignos de tal nome, nos foi informado ocultamente que cada um dos três grupos de 35 Senhores venusianos constituiu um núcleo de poder espiritual com uma determinada missão a cumprir na organização mística do planeta, em cuja constituição, como era de se esperar, foi utilizado o mesmo sistema operante na Grande Loja Branca de SÍRIO e, por analogia, na Grande Fraternidade Branca do sistema solar, encarnando os três princípios criadores de Vontade, Sabedoria e Atividade, esotericamente descritos como SHIVA-VISHNU-BRAHMA nas grandes tradições místicas orientais e PAI-FILHO-ESPÍRITO SANTO, como é considerado nas igrejas cristãs do Ocidente. Agora, vejamos a tarefa inicial designada a cada grupo:

A - O primeiro grupo, constituído por SANAT KUMARA, o maior dos Senhores da Chama, secundado por um dos Seus discípulos em Sua própria linha de Raio e por outras 33 Entidades venusianas, tomou a Seu cargo o aspecto SHIVA dentro da organização espiritual que devia entrar em funcionamento, um aspecto que, devido às altas e fortes radiações ígneas das energias que devia canalizar, constituiu o maior dos poderes conhecidos na Terra. SANAT KUMARA arrogou-se, por direito próprio e de acordo com Sua alta e incontestável hierarquia espiritual, o Governo da Terra, sendo desde então Seu REI e SENHOR.

Seu grande discípulo, a Quem costuma-se definir ocultamente como "o primeiro Kumara" - ainda que sempre sob as ordens do SENHOR DO MUNDO -, assumiu a missão de introduzir parte dessas energias ígneas de primeiro Raio no âmago místico do reino mineral, efetuando grandes transformações no mesmo e preparando os elementos materiais segregados desse Reino, com os quais seriam construídos os corpos físicos dos seres humanos ao longo do tempo. É por esse motivo e pelo trabalho designado a esse grande KUMARA que Ele é conhecido nos grandes tratados esotéricos como "Senhor das Raças".

Conforme as eras foram se sucedendo, esse grande Senhor venusiano deixou seu cargo para um esplendente Ser espiritual da Terra, a Quem chamamos ocultamente o MANU da Raça, e passou a ocupar outro cargo mais elevado no Departamento de Governo da Terra. SANAT KUMARA, por sua vez, desligou-se de Seu compromisso inicial e passou a Ocupar o Centro Místico da Grande Fraternidade, conhecido como SHAMBALLA, servindo de união perfeita entre a Terra em sua totalidade e o Logos planetário do esquema terrestre.

B - O segundo grupo de 35 Entidades venusianas, em diferentes hierarquias ou graus de evolução espiritual, teve a seu cargo a missão de preparar a consciência astral do homem primitivo e dotar de sensibilidade o reino vegetal. A grande Entidade venusiana a Quem, em termos esotéricos, chamamos "o segundo KUMARA", vinculou Sua Vida radiante ao Anjo regente do reino vegetal e criou uma misteriosa ponte de luz que deveria conectar o reino vegetal e o plano astral da Terra às suas elevadas analogias no planeta VÊNUS. Essa união criou, por intercomunicação de energias, os "ingredientes", se podemos usar tal expressão, com os quais seriam construídos os veículos astrais dos Filhos dos homens em suas numerosas e variadas hierarquias. No transcorrer dos tempos, e à medida que avançava a acelerada evolução imposta ao planeta Terra pelas decisões solares, surgiram outras necessidades, mais elevadas, no trabalho desse segundo grupo de Entidades venusianas, e os requisitos primitivos, que tinham como objetivo "criar sensibilidade na Terra e nos homens", desenvolveram-se para outras esferas mais elevadas e foi criado, então, o Departamento de Ensinamento espiritual que, a partir daquele momento, guiaria as almas dos homens para sua verdadeira Pátria espiritual: a Casa do Pai. Atualmente esse Departamento de trabalho hierárquico está sob a direção daquele excelso Ser, "Filho do próprio planeta" - segundo a expressão védica -, que esotericamente conhecemos sob o nome de BODHISATIVA, sendo o KRISHNA dos hindus ou o CRISTO das religiões ocidentais, a Entidade espiritual que guia esse poderoso Centro de Ensinamento, de luz, de inspiração e sensibilidade.

O segundo KUMARA deixou Suas elevadas atribuições nas mãos desses grandes Iniciados, Filhos dos Homens, que haviam cumprido a Lei e desenvolvido plenamente o propósito de SANAT KUMARA aqui na Terra, e ELE ascendeu às mais altas esferas espirituais para desempenhar tarefas hierárquicas de mais excelsa e incompreensível responsabilidade.

C - O terceiro grupo de Filhos de Deus enviado à Terra pelo Logos solar assumiu a tarefa de preparar o campo de evolução dos homens da Terra. Esses já possuíam um corpo físico convenientemente desenvolvido e um veículo astral que lhes infundia uma certa sensibilidade. O passo seguinte foi introduzir as energias ígneas procedentes de SHAMBALLA no reino animal e provocar no mesmo uma série de "reações elétricas". Essas atraíram a atenção das Entidades cósmicas conhecidas ocultamente como QUINTA HIERARQUIA CRIADORA, cuja evolução se realizava no quinto sub-plano do quinto plano cósmico, denominado pelos investigadores esotéricos "A MENTE DE DEUS". Uma ulterior decisão procedente do Logos solar determinou a vinda de um enorme grupo de Entidades dessa Quinta Hierarquia, com a missão específica de dotar de mente o homem animal ou homem primitivo e as espécies animais mais desenvolvidas do ângulo da evolução do reino. Na literatura esotérica, conhecemos esses esplendentes Seres procedentes do quinto sub-plano do plano mental cósmico pelos nomes de "Filhos da Mente" ou "Anjos Solares". A cada uma dessas excelsas Entidades se denomina também, em termos teosóficos, "o Eu superior dos seres humanos".

Quando o homem da Terra, possuindo um corpo potentemente estruturado e um veículo astral em vias de rápido desenvolvimento, adquiriu "a luz da mente"; o terceiro grande KUMARA considerou que havia chegado o momento de preparar o campo de manifestação dos três elementos vitais segregados por cada um dos grandes KUMARAS. A esse campo, nascido da vontade, esforço e sacrifício dos Senhores da Chama que, procedentes de VÊNUS, decidiram ajudar na evolução dos homens da Terra, definiu-se desde o princípio como CIVILIZAÇÃO e, desde então, é o preceito básico que rege a evolução espiritual da humanidade através dos tempos.

No transcurso do tempo, e à medida que eram cumpridos os requisitos essenciais da evolução planetária, o terceiro grande KUMARA passou Suas atribuições hierárquicas a um grande Iniciado vindo do próprio planeta, e ELE, assim como fizeram os dois grandes KUMARAS que lhe haviam precedido, passou a ocupar um cargo superior no trabalho hierárquico da Terra. Desde então, o cargo de MAHACHOHAN, ou Senhor da Civilização, tem passado sucessivamente a outros grandes Iniciados da Terra e, como se diz ocultamente, "assim irá acontecendo até a consumação dos tempos", quando a humanidade atual tiver alcançado um grau de civilização e de cultura tão elevado que lhe permita passar ao quinto Reino da Natureza, o das Almas libertadas, onde a estruturação dos grupos espirituais e os métodos utilizados pelo grande Centro de SHAMBALLA serão, sem dúvida, muito diferentes dos que imperam no desenvolvimento atual da CIVILIZAÇÃO humana.

Como se pode observar, todas essas explicações sobre o trabalho desenvolvido pelos Senhores da Chama concordam com tudo que nos foi fornecido pela literatura teosófica e esotérica corrente acerca dos três principais Departamentos de trabalho hierárquico - o da Política, do Ensinamento e da Civilização -, ainda que, nas mesmas, e pelo imperativo da Magia Organizada que estamos investigando, tenhamos introduzido umas idéias relativamente novas que permitirão ao leitor inteligente intuir um campo de observação muito mais extenso, profundo e elevado.

Fonte: "Magia Organizada Planetária" (Asociación Vicente Beltrán Anglada - Barcelona, Espanha)

Início