CROSS DOCKING

CROSS DOCKING 
--------------------------------------------------------------------------------

Na corrida pelo reabastecimento mais rápido dos produtos, cada vez mais os fabricantes estão enviando os seus produtos, diretamente de suas fábricas, através dos centros de distribuição ou não, para os varejistas. Dessa forma, os fabricantes eliminam os custos de armazenamento. Com o surgimento do JIT (Just-In-Time), EDI (Eletronic Data Interchange) e ECR (Efficient Consumer) os fabricantes estão mais atentos a esta prática, mais econômica e mais rápida, de fornecimento. 

Muitos fabricantes tem notado que a embalagem e o transporte de suas mercadorias podem influênciar diretamente no sucesso de sua vendas.

CROSS DOCKING 
--------------------------------------------------------------------------------

O que é o Cross Docking ?

Cross-Docking é um método que movimenta os produtos de um fornecedor através de um centro de distribuição, ou não, sem armazenar o produto por um longo tempo, permitindo a uma companhia acelerar o fluxo dos produtos para o consumidor.

Dessa forma, cross-docking é um programa projetado para fornecer suporte à entrega de produtos aos clientes. 

No Cross-Docking ou distribuição "flow-through" , a mercadoria é recebida do fabricante através de um centro de distribuição e não é armazenada. No centro de distribuição a mercadoria é selecionada e montada em ordens de abastecimento estando apta para o uso nas lojas. O cross-docking usa mais do caminhão do que do depósito convencional. 

Cross-docking permite a administração dos centros de distribuição concentrar-se no fluxo das mercadorias , ao invés de armazená-las.

Cross-docking é altamente eficiente, no sentido de que permite o estoque viajar através de um canal de distribuição num fluxo veloz.

Portanto, cross-docking é um caminho de solução rápida sendo adotado para cortar os custos de estocagem e melhorar a satisfação do cliente, não devendo ser visto como um devaneio sobre problemas logísticos.


Como funciona o cross-doking?

Existe um grande número de áreas que precisam ser cuidadosamente visadas antes de começar uma implementação da estratégia cross-docking, pois o conceito não deve ser aplicável para qualquer operação.

Cross-docking envolve o transporte dos produtos, assim que estes estão prontos para o uso ( uma vez manufaturados ou recebidos), sem armazená-los. Em termos práticos, o cross-docking essencialmente significa que o armazém (depósito) e os centros de distribuição tornam-se mais interessados no fluxo dos produtos, se opondo ao seu armazenamento.

De acordo com Symonds Henderson, existe três métodos para realização do cross-docking.

O primeiro método (cross-docking industrial) : envolve mover, de imediato, as mercadorias de uma linha de produção, para dentro de um caminhão , para fazer a entrega. Nesse método pode variar, o produto sendo manufaturado, depois guardado temporariamente (sem ir para o estoque) para mais tarde ser transportado.

O segundo método (cross-docking centro de distribuição) : esse método possui duas variantes. Cross-docking ativo ocorre quando o produto é imediatamente enviado de um caminhão para um outro. Cross-docking mesmo dia, significa que o produto é organizado ou mantido em uma carreta por exemplo, e ser liberado no mesmo dia.

O terceiro método (cross-docking terminal) ocorre onde o produto é transportado de vários centros de distribuição para uma mistura de terminais, onde o produto é recebido, associado (combinado) e enviado para o cliente.

Operações no Cross-Docking

O conceito de cross-docking não é novo. De qualquer maneira, as vantagens com a tecnologia, significa que ela é uma aplicação para sempre alcançar níveis de eficácia.

As operações cross-docking geralmente requerem WMS (warehouse management system), incluindo a tecnologia de código de barra, rádio freqüência (RF), avanço na notificação do transporte, com o EDI (Eletronic Data Interchange), para garantir que existe troca de informação ao longo de toda a cadeia de abastecimento, desde o comprador até a venda final.

Com um sistema de informação apropriado, as operações cross-docking podem controlar volumes grandes de produtos em um espaço de tempo relativamente pequeno.

Sem os computadores , tecnologias de autenticação automática e outros tipos de equipamentos , as companhias não seriam capazes de transportar grandes quantidades de caixas ou pallets rápido o suficiente de um caminhão para o outro. Assim tecnologias modernas fazem com que o cross-docking seja praticável.

Código de Barra 
Antes de começar o cross-docking, as companhias devem etiquetar suas unidades de transporte ( por exemplo: pallets) com código de barra. Para que o cross-docking tenha sucesso é necessário também a identificação do SKU(stock-keeping unit) do produto e a quantidade do produto no pacote.

Os conveyors são geralmente projetados para acumular os produtos até que eles possam passar através dos scanners, que opera como um equipamento de seleção.

Os códigos de barra podem ser lidos pelos operários através do scanner. Os dados lidos pelo scanner são retransmitidos via radio-frequência estabelecida para um host (computador).

Se um produto não chega com um código de barra, os operários devem etiqueta-los indicando como eles são transportados por um caminhão. Se os produtos já chegam codificados, as companhias geralmente aplicam um segundo código de barra para o transporte. O sistema de computação do centro de distribuição usa esse segundo código de barra para rotear o produto para o caminhão apropriado.

O sistema de informação também pode ser uma regra crítica na operação cross-docking. O WMS (warehouse management system) agrega a tecnologia do código de barra e equipamentos de comunicações com radio frequência para administrar as informações e atividades diretas do cross-docking. A maioria dos sistemas de informação tem que ser capaz de operar em tempo real, em ordem de informação e o fluxo do produto ocorrer simultaneamente.

O uso de EDI (Eletronic Data Interchange) entre o vendedor e o destinatário facilita o cross-docking. EDI permite que o computador do vendedor mande informações para o computador do centro de distribuição orientando as atividades de cross-docking.

Material necessário 
Uma companhia interessada no cross-docking também deve escolher o equipamento certo para o controle dos materiais. O tipo das cargas a ser controlado na operação cross-docking determinará a seleção.

Como determinar o que é necessário? O volume de atividade (movimento) e a natureza dos produtos dita os tipos de transportadores (conveyors) e separadores mecânicos requeridos para o trabalho.Os transportadores por gravidade trabalham bem para produtos de baixa densidade. Mas produtos de alta densidade ou líquidos, geralmente requerem esteiras rolantes motorizadas. 

O custo dos diferentes tipos de conveyors variam largamente. 

Quem faz Equipamentos para o Cross-Docking ?

As companhias a seguir são apenas alguns dos vendedores que fornecem equipamentos necessários para o Cross-Docking.

Alvey Inc. 

Automation Inc. 

Best Diversified Products Inc. 

The Buschman Co. (parte da Pinnacle Automation Co.)

Calajan America Inc.'s

Jervis B. Webb Co.'s

Rapistan Demag's

Stewart Glapat Corp.

SI Handling Systems Inc.


Clique na figura a baixo para enviar essa página a alguém

1