fernanda super girl 2                :)  <<<  .....................................................___________________... =^..^=...__________________... =^..^=...___________________... =^..^=...___________________... =^..^=..._________________    
         ...SURTOS...
 
  Serial Killer
   
 

  O Enredo

  A historia e a seguinte, a mãe do Ricardo sofreu um acidente de carro e entrou
  em coma, quando ele tinha 5 anos, o pai não suportou a pressão e começou a jogar
   e beber, levava mulheres, prostitutas para casa, batia nelas e reprimia a criança.
  O pai visitava a mãe em coma freqüentemente, muitas dessas visitas ele não deixava o
  garoto entrar no quarto. Sofria muito com a perda da mulher e delirava que ela realmente
  estava presente, e consciente.
  O menino escutava o pai chorar e xingar a mulher, pelo lado de fora do quarto, sentado no
   chão do hospital, sentia que ele poderia bater nela a qualquer momento.
  A cena se repetia, e as crises eram cada vez mais fortes, os médicos ja tinham proibido o
  pai de visitar a mulher por 2 meses, mas ele sempre conseguia voltar com a desculpa de não
  afastar o filho da figura materna. Tinha épocas em que ele se acalmava, não gritava, tudo
  que se ouvia era um silencio profundo que durava 30, 35 minutos, e logo ele chorava em
  silencio.
  O garoto sempre via a mãe primeiro, o pai o empurrava para dentro do quarto, mostrava a mãe,
   e falava: "da um beijo na tua mãe moleque", o garota sentia medo, a mãe estava morta,
  parecia estar pelo menos, ele sentia culpa por sentir medo. Os lábios de Dolores estavam
  levemente azulados, mas não mortos, diferente da expressão de quando dormia, ela não
  parecia estar em paz, sua expressão era fechada, quase que contraída.
  O garoto beijava aquela mãe em coma e era posto para fora do quarto. Ele não lembrava
  muito da mãe antes do acidente.
  Os anos passaram o pai se tornava mais e mais agressivo, mas sempre se controlava no
  hospital, os médicos ja não visitavam a mãe com freqüência e as enfermeira não demonstravam
  a menor esperança de que ela acordasse.
  Depois de dois anos tentando ele conseguiu levar a mulher para casa, com ajuda dos amigos e
  o apoio do hospital que tinha total interesse em liberar aquele leito, ele montou a
   aparelhagem nessesaria para a mulher na cama do casal.


      Os dias   Por um longo tempo as cenas de violência e sexo, pararam, o homem estava obcecado pela
  mulher no quarto, nesse momento ele ja não tinha mães emprego estava aposentado e vendia
  as coisas da casa para sobreviver. O garoto estava magro e com 7 anos de idade, tinha
  problemas na escola e não tinha muitos amigos. Apenas o Daniel , mais conhecido como Daniel
   sebosos, um garoto que não se encaixava nos padrões normais de beleza, tinha com 7 anos,
   59 k com a altura media da idade, no rosto muitas marcas de feridas e as que não sumiram
  da catapora do ano passado. Cabelos Ruivos e crespos, e sardas que se misturavam com as
  marcas, sempre vestia o mesmo suster azul e tinha fama de fedorento.
  Ricardo era um menino, normal, estava mais magro, mas não era feio, cabelos castanhos lisos
  que ele cortou sozinho e que ficou desparelho na franga, tinha um olhar triste e era
  extremamente quieto, as criacas da turma o batizaram de boca, pois ele nunca falava com
  ninguém somente com os professores e com o Danial seboso, sempre em tom baixo envergonhado.
      A escola era publica, os professores quase nunca iam, e quando iam ficavam em reunião do
  sindicato para organizar a próxima greve.
  Ricardo ia de ônibus escolar para a escola, que ficava no mesmo bairro da sua casa, seu pai
   nunca ia ate a escola. Quando chegava em casa, fazia a lição e via TV ate dormir, seu pai
  estava sempre no quarto, onde ficava com sua mãe desde que esta saiu do hospital.
  As visitas dos amigos foram se tornando mais raras, ate que inexistentes, o pais voltou a
   beber e gritar. Alucinava que ela estava lhe traindo, ameaçava o filho como se ele fosse
  cuplice do adultério da mãe.
 


  OS PAIS
 
  O nome dela era Dolores, Dolores Silva da Bela , este era seu nome de solteira, se casou
  aos 20 anos, com o Roger Strum Guter catarina desgarrado, que era colega de trabalho do
  seu pai . Eles moraram por 20 anos em Pelotas onde a família quebrou, perderam quase tudo,
   menos o sobrenome. Depois da morte dos pais de Dolores, se mudaram para Porto Alegre, para
   tentar uma vida nova, ele não era formado tinha experiência em datilografia e um portunhol
   que aprendeu comprando pancho no chuy, o que não serviu para nada na busca de um novo
  emprego na capital.
  Dolores era dona de casa, ficou gravida logo que chegaram em Porto Alegre, Roger sustentava
  a mulher e pagava o aluguel de um apartamento no Menino Deus fazendo bico e trabalhos
  temporários. A vida em Porto Alegre não foi tudo aquilo que se esperava, nunca mais eles
  viveriam os aurios tempos de bonança que tiveram morando com o velho Pedro Silva da Bela,
   pai de Dolores em Pelotas.
  Roger arrumou um carro e passou a trabalhar de taxista, se envolveu com drogas e trafico,
   vendia e distribuía a droga pela cidade. Chegou a viajar para Riveira para buscar uma
   carga que tinha parado por la. Mas não durou muito, pois Dolores descobriu e o proibiu de
   fazer aquilo.
  Ricardo nasceu em Porto Alegre em 1966, era um lindo bebe. Dolores estava em êxtase,
  passava os dias amando aquela criaca, Roger se sentia abandonado, tinha ciúmes do
  bebe pois Dolores passou a direcionar toda a sua vida para Ricardo, como se não
  tivesse tempo para isso, e ela realmente não tinha.
 


  O acidente
  Ricardo estava fazendo 5 anos de idade, Roger chegava em casa tarde e sempre muito bêbado,
   Dolores fazia salgadinhos para
  ajudar nas despesas, usava o carro de Roger para fazer as entregas pela manha enquanto ele
  dormia, Ricardo acordava tarde e esperava amaes, tentando não fazer barulha para não
  acordar o pai.
  Era uma terça feira quando Dolores entraria em seu sono profundo, ela bateu o caro no
  cruzamento da ipiranga com a silva so, o carro se chocou com um poste quando tentou
  desviar de um motoboy que se atravessou na frente do carro, bateu no poste com muita
  forca exatamente no lado do motorista. Assim, como vcs ja sabem ela entrou em coma.
  E passou a residir no quarto 256, segundo andar do Hospital da Santa Casa.
 


  O trauma
  Ricardo nunca havia levado amigos para casa, nem teria quem convidar, e mesmo o Daniel
   não convidaria, tinha vergonha da mãe.
  Ao chegar percebeu que o pai não estava em casa, ficou assustado sempre tinha alguém em
   casa, sua mãe nunca ficava sozinha, quando o pai naum estava em casa chamava um enfermeiro,
   que tinha um cheiro ruim para ficar com Dolores.
  Procurou o pai pelo apartamento, mas nada. Resolveu entrar no quarto da mãe, Dolores estava
   desfigurada como nunca, tinha sangue no colchão perto de suas pernas, ela tinha um tipo de
   sujeira encardida no pescoço e dobras dos braços, sua pele estava ressecada e ela estava
   perdendo cabelo. Ricardo deitou ao lado da mãe, era a primeira vez na sua vida que ele
   ficara tanto tempo com ela, ficou deitado na cama por alguns minutos, queria tocar a mãe,
  mas não tocou.
 


  O fim da infância
  Roger morreu no Hospital Espirita de Porto Alegre 5 anos depois, foi acusado de manter um
  cadáver em casa, estupro e maus tratos contra a mulher e o filho, alegou insanidade e foi
  internado. Roger Strum Guter aos 43 anos se jogou do topo do prédio sem deixar carta de
  adeus.
  Ricardo acordou na manha do outro dia no instituto de menores, e três dias depois estava
  em uma casa de adoção. Ficou sabendo que sua mãe ja estava morta a 2 meses, e que seu pai
  esteve preso. Ricardo nunca foi adotado.
  Ricardo recebia apenas duas visitas, o Enfermeiro de sua mãe que tinha um cheiro estranho
  e Daniel. Os pais de Daniel nunca apareciam, apenas deixavam e buscavam o filho.
  Daniel deixo de visita-lo em menos de uma ano. Uma vez que outra mandava um cartão de
  natal sem endereço no remetente.
  Com 14 anos Ricardo ganhava dinheiro cortando a grama e arrumando as coisas da escola,
  pagava com o trabalho a comida e o quartinho que ficava. A escola era católica ele
  rezava todos os dias e limpava a capela todas as sextas.
  Tomas era o nome do enfermeiro, foi ele que fez com que Ricardo conseguisse vaga na escola
  de enfermagem do estado.
  Tomas era um homem idoso e sábio, tinha consciência dos problemas que Ricardo tinha
  passado, e era o único apoio que o Ricardo teve. Mas Tomas ja não tinha a energia
  nessesaria para cuidar de Ricardo, o que os unia era a preocupação de Tomas com aquele
  garoto, mas nunca passou disso, Tomas não era um homem rico, bem pelo contrario tinha
  grandes problemas econômicos, muitas vezes ja havia deixado de visitar Ricardo por não
  ter dinheiro para o ônibus, nunca deixou Ricardo se aproximar, nunca conversaram muito,
  nem sobre o passado nem sobre o futuro.
  Tomas sabia as marcas que Ricardo guardava, e por isso tinha tanta dificuldade em
  deixa-lo.
       
 
 
 
       
     
     
 
   
  nilo
  terra
  plug
  deff reclame

                1