Creative Commons License


Livros virtuais
  .: Fábrica de emoções
  .: Fragmentos de Aurora
.: Quem é an actress no show da vida?
.:Quando eu fui Nietzsche.
  .: Livre do medo ou além da paranóia
  .: O Ponto
-------
  .: Artigos/Reflexões
-------
  :.Projetos/Oficinas/Idéias
  .: 1ªTrágica vivência!
.:2ªTrágica vivência!
-------
arte-artesanato  
  .:Exposições/Instalações de arte
  .: Artesanato

-------
 
.:Página pessoal de natalicaseir
.: Contato
Links





Counter

 
 











"Prisioneiros da vida.

A vida é metafísica que é pura fé no sentido platônico e ao mesmo tempo é realização no sentido humano da palavra.
A geração da vida é a própria vida que se recria num constante círculo infinito de multiplicidades de sensações vibrantes e etéricas circundantes. A existência individual e universal faz parte da vida que caracteriza o mundo humano.
"Tudo" é o que molda o mundo humano, é aquilo que se esclarece na multiplicidade sensível e divisível do homem. Uma realidade superior apresenta-se através de uma exterioridade mais autêntica que expressa-se perpetuamente no homem..."


"...meu esconderijo, aquele canto sagrado que eu construi só para mim. Sem apêgos, nada.

Posso revelar-me hoje como um tudo, posso jurar a mim mesma que cheguei lá, aonde minha felicidade vive. O efêmero é, posso dizer, a substância primeira a ser vivida e inspirada e apresenta-se através da arte, do pensamento criativo.

A criação da substância, "do quase nada" que transforma-se no aqui e agora sendo. Sempre uma presença adequada que desfalece para eternidade que é efêmera.

Aquilo que quase nada é , é ao mesmo tempo tudo pois estabelece com os sentidos um pacto, "além do bem e do mal", que é vida efêmera.

Falar sobre uma substância primeira, é falar sobre o ponto, aquele momento de arte, efêmero que traduz o tudo na relação humana; o bem estar vivido na presença de si e do(s) outro(s), numa certeza de si e do(s) outro(s), na certeza da vida eterna em si e também no(s) outro(s).


Se for a Lei de Deus que seja então a lei dos homens...

 

 

Planejamos tudo errado, e tudo deu certo! Quem sabe a Moira...

 

Solidificamos o inefável.

 

Meus poemas voaram e se foram rumo a vitória; de vestes brancas subiram sete mares...Nadaram quatro lestes...Pra lhes ofertar a vitória do mar, do agreste, do leste...A vitória do mar..."

 

Lie Caseiro

 






Open Directory Project at dmoz.org



Mosaico de idéias e formas: montando o quebra cabeça da vida... natalicaseir
1