CRISE OBRIGA PRODUTOR A VENDER LEITE POR R$ 0,14

     Os produtores de leite do Estado reuniram-se ontem na Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul (Famasul), para tomar medidas em relação aos preços produto leite. Na reunião foi discutido o baixo preço, principalmente na região norte do Estado, onde os produtores vendem o leite para a indústria por R$ 0,14, ou seja, 67% abaixo do preço médio comercializado em janeiro de 2005, que era de R$ 0,42.

     A coordenadora da Câmara Setorial do Leite, Adriana Mascarenhas, cita que são vários os fatores que contribuem para a redução no preço do leite: a queda do dólar, o foco de febre aftosa e o baixo consumo interno. Adriana explica que há dez anos o mercado consumidor do Estado está estagnado, além de perder espaço para outros produtos, como os sucos e o leite provenientes da soja. "Existe a necessidade de uma campanha de marketing para elevar este consumo. A cadeia vem atravessando um período difícil. Tivemos reunião hoje pela manhã (ontem) com a Associação das Indústrias para resolver o problema", comenta Adriana.

     Segundo ela, uma das reivindicações das indústrias foi a redução do ICMS, considerado um dos mais altos do País. O pedido é que passe de 6% para 3%. Em São Paulo e no Rio Grande do Sul, a alíquota é zero; Mato Grosso, 0,36% e Goiás, 2%. Também foi solicitado que ocorra acompanhamento mais frequente da pauta fiscal, para que não haja distorções. Já na parte de infra-estrutura, a melhoria das estradas, que estão em situação precária. Estas medidas (pauta fiscal, estradas e ICMS) terão efeito positivo sobre a redução dos custos do leite para a indústria e que poderão ser repassados ao produtor.

     Penalidade - O diretor da Famasul, Ademar da Silva Júnior, frisa que "estamos vivendo uma crise de abundância: o setor leiteiro cresceu, muitos entraram na atividade, tivemos preços bons nos últimos dois a três anos. O produtor acreditou, investiu em pastagem, vacas e agora pagamos pela nossa eficiência". Além disso, Ademar Júnior explica que neste período de chuvas, a vaca que produzia de dois a três litros, agora produz de cinco a seis litros. "Esse aumento na produção, em vez de nos ajudar, prejudica".



Correio do Estado - 28/06/2006
Notícia adaptada pela equipe
da Nitro Design

1