MARQUES
LETRAS DAS MUSICAS



Inaê

Inaê tua casa é no mar
Inaê tua casa é no mar
Menino que anda na praia
Ta casa é na beira do mar
Tua sorte é teu grito de guerra
Quem te guarda Inaê lá no mar
Inaê tua casa é no mar
Inaê tua casa é no mar
Vou olhando teu pai lá no barco
Tua mãe vai rezando pra ele
Vou pedir proteção Inaê
Para ele e também à você
Inaê tua casa é no mar
Inaê tua casa é no mar
Menino pequeno do alvorecer
Vai pegar tua barca dourada
Navegar lá nas ondas do mar
Ajudando a pescar Inaê
Inaê tua casa é no mar
Inaê tua casa é no mar


Mainha

Ê mainha,
É madruga eu vou pro mar
Navegando pro horizonte
No reino de Iemanjá
Coro
É maré cheia
Tempestade sem parar
Coro
Peço a Deus que me proteja
Do mistério desse mar
Coro
Peço a Deus que me proteja
Do mistério desse mar
O mandingueiro
Que chegou de velejar
Pede licença pro Mestre
Reza pra seu Orixá
A roda já está formada
O jogo vai começar
Coro
Navegando pro horizonte
No reino de Iemanjá
Nome do pai
Berimbau chama pra jogar
Coro
Roda pião de cabeça
Rasteira pra derrubar
Meia-lua e cabeçada
Você tem que mandigar


Bate batuque bate

Olha ai meia lua por cima do corpo
Navalha no rosto
A calça engomada não toca no chão
A capoeira
Bate, batuque, bate
A meia lua
Bate, batuque, bate
Rasteira
Bate, batuque, bate
Ponteira
Bate, Batuque, bate
Mandinga
Bate, batuque, bate
Berimbau
Capoeira mandinga faca de cumes
Não erra não
Olha o negro ligeiro
Derruba rasteira
Confirma a razão
Refrão
Berimbau ta tocando
A roda formando
O bom capoeira não falta não
Quer banguela
O jogo é bonito
Olha a roda da Capoeira...
Refrão


Alma da Capoeira

Berimbau ta na hora
De você dizer
Por isso eu te peço
Juro e confesso
Eu quero aprender
Berimbau, Berimbau
Me de o sinal
Me mostre o caminho
Não me deixe sozinho
Que pra descobrir
Quais são os segredos
Quais são os mistérios
Neste bailado onde o negro
Consegue dançando lutar
Berimbau, berimbau
Por favor me diga
Como é a mandinga
O segredo da ginga
Pra eu poder jogar
Berimbau, Berimbau
Alma da capoeira
É nesta brincadeira
Na dança e na luta
Que eu quero entrar
Berimbau, berimbau
Alma da capoeira
Mestre da harmonia
Marca a cantoria
Pra eu poder cantar
Berimbau, berimbau
Alma da capoeira
Só você tem a chave
Que abre a nossa mente
Pra gente sonhar


Dia de festa

É que hoje é dia de festa
Já falei que não vou me importar
Se o Batuque não sai como eu gosto
Se a morena não vai me olhar
Hoje eu quero jogar capoeira
Ver mandinga pra lá e pra cá
Essa dança essa luta guerreira
Faz meu corpo arrepiar
Brincadeira....
Brincadeira, mandinga (Coro)
No molejo do corpo
Vou mandingar
(Coro)


Seu Bimba que mandou

Toquei berimbau
O meu corpo arrepiou
Coro repete)
Bota energia na roda
Foi seu Bimba que mandou
(Coro repete)
É bamba da capoeira
É bamba da capoeiraaa...
(Coro repete)


Arco Celeste

Quando eu lembro do arco celeste
Onde o arco-íris é o berimbau
O sol é o pandeiro
E nas nuvens dou Salto-mortal
Capoeira luta nossa
Nela hoje eu sou doutor
Capoeira já virou moda
No mercado modelo lá em Salvador
Le, le, le, le, le, le
A capoeira...
Le, le, le, le, le, le
O Berimbau
Le, le, le, le, le, le
E a rasteira
Le, le, le, le, le, le
Salto-mortal
Logo está amanhecendo
Capoeira eu vou jogar
Escuto o som de uma viola
Berimbau, começa a tocar
O sangue corre na veia
O meu corpo arrepiou
Capoeira já virou moda
No mercado modelo lá em Salvador
Le, le, le, le, le, le
A capoeira...
Le, le, le, le, le, le
O Berimbau
Le, le, le, le, le, le
E a rasteira
Le, le, le, le, le, le
Salto-mortal


Capoeira balançou

A onda rolou na praia
E voltou correndo ao mar
(Coro repete)
Capoeira balançou
No role voltou a jogar
(Coro repete)
Meia-lua cortou o vento
Rasteira foi lá buscar
(Coro repete)
Segura seu moço
Deixe o corpo balançar
No toque do berimbau
Capoeira vai ter que rolar
Na cadência do atabaque
Quero ver você jogar
Capoeira balançou
No role voltou a jogar


Êh mar

Bem antes do sol raiar
Jangadeiro empurra sua jangada pro mar
(Coro repete)
Eu sou capoeira viajante da terra
E ele é Jangadeiro
É viajante do mar
Jangadeiro me ensina a velejar
E saber os mistérios do mar
Êh mar,
Balança mar
Êh mar, Êh mar
Balança mar
Êh mar, Êh mar
Capoeira me ajuda a içar a vela
E venha comigo pescar
Enquanto não chegarmos lá
Você faz o seu berimbau vibrar
Esticamos a rede e você verá
Como é fácil tirar alimento do mar
Refrão


Bahia Axé

Que bom
Estar com vocês
Aqui nesta roda
Com este conjunto
Bahia axé, axé Bahia
(Coro repete)
O vento
Que venta tão lindo
Entre os coqueirais
Isso é demais
Io ioioioioo
Ioioioo
Ioioioo
(Coro repete)
Bahia axé, axé Bahia
(Coro repete)


Marinheiro

Eu não sou daqui
Marinheiro só
Eu não tenho amor
Marinheiro só
Eu sou da Bahia
Marinheiro só
De São Salvador
Marinheiro só
O marinheiro marinheiro
Marinheiro só
Quem te ensinou a nadar
Marinheiro só
O foi o tombo do navio
Marinheiro só
O foi o balanço do mar
Marinheiro só
La vem lá vem
Marinheiro só
Como ele vem farceiro
Marinheiro só
Todo de branco
Marinheiro só
Com seu bonézinho
Marinheiro só


A onda rolo na praia

É a onda rolou na praia
E volto correndo ao mar
(Coro repete)
Capoeira balanço
No role voltou a jogar
(Coro repete)
Meia lua cortou o vento
Rasteira foi lá buscar
(Coro repete)
Capoeira balanço
No role voltou a jogar
(Coro repete)
Segura seu moço
Deixa o corpo balançar
No toque do berimbau
Capoeira vai Ter que rolar
Na cadencia do atabaque
Quero ver nego pular
Capoeira balanço
No role voltou a jogar
(Coro repete)...


Capoeira

Capoeira é manha de preto velho
Nascido no tempo da escravidão
Capoeira levou a raça negra
Ao caminho de sua libertação
Eu vou dizer a você
E digo do fundo do coração
Essa luta essa dança brasileira
Faz meu corpo vibrar de emoção
De NY ao México
Do RJ até o Japão
É no toque do berimbau viola
Seja São bento grande ou angola
Deixa o corpo rolar normalmente
Vou dizer
Ê êê
Capoeira é do povo é da gente
Ê êê
Que jeito de lutar diferente


Onça Pintada

Onça pintada
Matrinxã e mico estrela
Já descobriram o que é a capoeira
Oi Mestre Bimba que saiu de Salvador
Prá ensinar no centro-oeste
Capoeira aqui criou
Coro
Ensinou armada
Meia-lua e rasteira
Galopante e pontapé
E o tombo da ladeira
Coro
A capoeira não é mato nem cerrado
É uma luta de bailado
É uma dança guerreira
Coro
Lobo guará, jacaré se entristeceu
Quando ouviram lá na mata
Que seu Bimba faleceu
Coro
Oi Mestre Bimba
Que está num bom lugar
Tá alegre e satisfeito
Com Camisa e Abadá


Faca Tucum

Faca Tucum
Matou Besouro Mangangá Coro
Diz a história que mataram seu Besouro
Foi na Bahia, Santo Amaro em Salvador
Morreu deitado dentro de rede de corda
De nada valeu mandinga
Da traição não se salvou
Coro
Corpo fechado, magia com reza forte
Da vida não levava lição de ninguém
Cordão de Ouro
Também chamado Besouro
Hoje joga capoeira
Com os mestres do além
Coro
Dormi sonhando
Com o berimbau tocando
Vejo uma roda com Besouro e Paraná
Fico lembrando desses mestres do passado
Sinto um desejo danado
de capoeira jogar


Minha Bahia

(Coro)
O Brasil canta minha Bahia
Mais só quem sabe é quem já foi lá um dia
Ir na Ribeira
Ver regata no mar
Subir a colina sagrada
Prá Oxalá abençoar
Coro
Descendo o Carmo
A Ladeira do Pelô
Tem a Bica do Pilar
Que Santo Antonio abençoou
Coro
Em Santo Amaro da Purificação
Nasceu o maculelê
Tem Candomblé prá se ver
É terra de tradição
Coro
Já foi seu Bimba
Pastinha e Aberê
Valdemar do Pero Vaz
Popó do Maculelê
Coro
Lá na Bahia
Tem Capoeira no ar
Tem roda de mandingueiro
Lá no Grupo Abadá


Rio de Janeiro

Rio de Janeiro
Rio de Janeiro
Nessa terra capoeira
Tem roda o ano inteiro
Rio de Janeiro,
Rio de Janeiro
Coro
Quem não sai da academia
Não conhece o mandingueiro
Pra melhorar a visão do capoeira
Você tem que correr roda
Não pode marcar bobeira
Toque de angola, benguela, Santa Maria
Jogue embaixo, Jogue em cima
São Bento, Cavalaria
Coro
Reza à São Sebastião
Que é o seu santo padroeiro
Coro
Nessa terra capoeira tem
Roda o ano inteiro
Roda da Penha, Caxias e Cordovil
Tem a Barra da Tijuca
E o Quilombo em Acari
Na Capoeira, na Glória e na Central
Macaé, Rocha Miranda, no Leblon e Marechal
Coro
É de janeiro à janeiro
Tem roda o ano inteiro
Coro
Quem não sai da academia
Não conhece o mandingueiro
Coro
Pra terminar lhe digo dessa maneira
Rode mais na capoeira
Seja angola ou regional
Sangue na veia
Bata o pé com alarido
Por favor puxe um corrido
No toque do berimbau
Coro
Reza São Sebastião
Que é o seu santo padroeiro
Coro
Tem roda na Cinelândia no mês de fevereiro
Coro
Fé de janeiro a janeiro
E roda o ano inteiro


Navio Negreiro

Que navio é esse
Que chegou agora
É o navio negreiro
Com os escravos de Angola
Vem gente de Cambinda
Benguela e Luanda
Eles vinham acorrentados
Pra trabalhar nessas bandasCoro
Aqui chegando não perderam a sua fé
Criaram o samba
A capoeira e o candomblé
Coro
Acorrentados no porão do navio
Muitos morreram de banzo e de frio


Jogo de Mandinga

Ê olha o jogo que rola aí... É jogo de mandinga sim (Coro 2x)
Se você é capoeira
Venha aqui venha jogar
Solte o jogo Camarada
Para eu lhe estudar...
Coro 2x
Se você é iniciante preste atenção bem nos toques
Porque na Angola você balança, na benquela sapateia
No São Bento da rasteira OIAIA... E na Iúna você floreia...
Coro 2x
Quando você está numa roda
Entre nela e vá jogar
Só cuidado meu irmão
Para não escorregar
Coro 2xNo jogo de capoeira
Tem que ser camaleão
Porque senão meu camarada
Você vai tomar arrastão...


Benguela no Mato

Capoeira do mato cortei
De tanta benquela que eu joguei (Coro 2x)
Esse jogo cadente que eu vou lhe mostrar
Põe liberdade pairando no ar
Que soa um toque mandingueiro
Capoeira vou jogar o dia inteiro
Capoeira do mato cortei
De tanta benquela que eu joguei (Coro 2x)
O coro é de um galo pro sol que raiô
Jeito de dizer
Obrigado Sinhô
Pra essa vida que é dura, eu sei
Mas com a capoeira me libertarei
Capoeira do mato cortei
De tanta benquela que eu joguei (Coro 2x)
No quebrante do toque invés de um caxixi
Na verdade é o riacho correndo ali
Carregando pedrinhas pelo mundo
Na espera de um beco a alojar-se no fundo
Lá no fundo do peito quando vou jogar
Vira atabaque a tocar
Capoeira do mato cortei
De tanta benquela que eu joguei (Coro 2x)
E lá estou de novo a jogar
Capoeira agora à luz do luarE dormir com esta lua me põe a sonhar
Noutro dia que chega pra poder jogar
Capoeira...
Capoeira do mato cortei
De tanta benquela que eu joguei (Coro 2x)


Capitão do Mato

(Coro)
Eu vou fugirEu vou capitão do mato
Minhas mãos tão calejadas
Minha alma está cansada
Já não aguento esse lugar
O Quilombo dos Palmares
Ajude a me curar
Coro
Sem mim não tinha riqueza
Conheci fome e tristeza
E o chicote a me espancar
Vou prá perto de Zumbi
Ele está a me esperar


A Palha do Coqueiro

(Coro)
Vento balançou a palha do coqueiro
Vento balançou a palha do coqueiro
Coco que tava maduro
Despencou caiu primeiro
Lá na praia tem coqueiro
Quem plantou foi Iemanjá
Se o coco tiver maduro
O vento vai derrubar
Coro
Coco maduro tomara que você caia
Mais não quebre a sapucaia
Quando o vento balançar
Coro
Na praia de Amarelina
Na sombra do coqueiral
Tem roda de capoeira
No toque do berimbau


Capoeira de Angola

(Coro)
Jogar Capoeira de Angola
Não é brincadeira
Menino vem ver lelê
Com a cabeça no chão
Vai saindo de aú
Completando rolê
Eu fui lá no cais da Bahiia
Jogar capoeira
Lembrei de Pastinha s Seu Aberê lelê
Capoeira de Angola
Não é brincadeira menino vem ver
Coro
Camisa sempre me falou
Solte o corpo menino
Deixe ele falar
Tem que ter sentimento
Para Capoeira de Angola jogar
Coro
Você diz que entra na roda
Com ginga de corpo sabe balançar
Tem que ser mandingueiro
Para Capoeira de Angola jogar


Aruanda ê

(Coro)
Aruanda ê
Aruanda ê, aruanda
Aruanda ê camará
Vem de dentro do peito
Essa chama que acende
Meu corpo inteiro não pode parar
Eu sou mandingueiro de lá da Bahia
Axé capoeira salve Abadá
Coro
Oxalá que me guie
Por todo caminho
Não deixe na roda a fé me faltar
Sou vento que sopra eu capoeira
A luta de um povo prá se libertar


A Onda Rolou na Praia

(Coro)
A onda rolou na praia
E voltou correndo ao mar
Capoeira balançou
No rolê voltou a jogar
Capoeira balançou
No rolê voltou a jogar
Meia-lua cortou o vento
Rasteira foi lá buscar
Capoeira balançou
No rolê voltou a jogar
Capoeira balançou
No rolê voltou a jogar
Coro
Segura seu moço
Deixa o corpo balançar
No toque do berimbau
Capoeira vai ter que rolar
Na cadência do atabaque
Quero ver nego pular


Festa da Penha

Quatro domingos de outubro
Quatro domingos de outubro
Tem festa na padroeira
Tem camelô vendendo argola
Tem beata rezadeira
E no meio da pracinha
Tem roda de capoeira
(Coro)
Pau pau, madeira pra lenha
São quatro domingos de roda na Penha
Pau pau, madeira pra lenha
Vem chegando a roda da Penha
Quando chega o mês de outubro
Você tem que preparar
Reza pro santo
Acende vela
Pra poder ir lá jogar
Coro
Vem chegando a roda da Penha
Vem gente pagar promessa
Vem gente prá passear
Eu que sou capoeirista
Vou pra roda jogar
Pau pau, madeira pra lenha
Quatro domingos de roda na Penha


Na vida se cai

(Coro)
Na vida se cai
Se leva rasteira
Quem nunca caiu não é capoeira Coro
Na capoeira
Eu cresci com o passado
Desse tempo tão ligeiro
Rápido como um piscar
Ontem eu era um menino iniciante
Um capoeira errante
Mais nunca deixei de treinar
Coro
Eucaí sim
Eu caí me levantei
Tropeçei caí de novo
Consegui me afirmei
Coro
A vaidade é ruim pro capoeira
Faz ele se achar o bom
Não escapa da rasteira


Põe no chão

(Coro)
Põe no chão
Que eu quero ver caboclo
Põe no chão
Que eu quero ver sinhá
O cabra tá assustado
Tá com medo de apanhar
Tá se escondendo na roda
Mais não vai me escapar
Coro
O caboclo já fez sua jura
Partiu pro jogo de corpo fechado
No pescoço tinha um patuá
E pedia forças para Oxalá
Coro
Oi me dê forças pra jogar capoeira
Oi me dê forças pra tocar o berimbau
O desafio já está lançado
Faca de ponta vai lhe furar


Põe Tempero

(Coro)
Põe tempero nesse jogo
Que a baiana já mandou
Do dendê e acarajé todo mundo já provou
Coro
É no Rio de Janeiro
Camisa quem me falou
Tem que ser camaleão
Pra ser bom jogador
Coro
Bahia terra de santos
Você tem que nela provar
Quem não joga capoeira
Tem que saber requebrar
Coro
Na América do Norte
A terra faz balançar
E a ginga da capoeira
Também já chegou por lá
Coro
No centro do meu Brasil
É onde fica a capital
Também tem capoeira pura
No Distrito Federal
Coro
Capoeira é minha arte
Pelo mundo se espalhou
O jeito do brasileiro
Nela já incorporou


Arte Secular

Mais um dia amanheceu
Eu fiquei a perguntar
Como foi que começou
Essa arte secular
Surgiu com a vontade
De querer se libertar
E hoje é no mundo inteiro
Quem se aprende a jogar
Onde o rico vira pobre
Sabe tocar e cantar
E o pobre tem suas riquezas
Sabe se valorizar
Mais a verdade não é essa
Nem eu sei pra lhes contar
Tem coisas que eu entendo
E não consigo explicar
Sei que um dia era criança
E ficava a procurar
Muitas coisas que até hoje
Continuo a buscar
(Coro)
Roda de capoeira
Capoeira a rodar
Eu vou rodar o mundo
Com essa arte de lutar
Coro)


O Berimbau

O Berimbau
Na roda de capoeira
Certa vez silenciou
Até parece que isso é coisa do passado
Ver um homem ajoelhado
Porque seu gunga quebrou
Ai que tristeza
Como dói no coração
Também sofri, chorei
É porque eu compreendia
É também naquele dia
Eu ganhei meu berimbau
Perguntei qual o seu nome
Ele então me respondeu
Eu me chamo capoeira
Da pedra de Camafeu
Será que meu Deus conhece
Que essa tristeza padece
Quando eu toco o berimbau
Se berimbau não falasse
Eu não falava também
Não jogava Capoeira
E nem gostava de ninguém
Mais o meu berimbau fala
Fala berimbau, joga capoeira
Camafeu está chorando
Dizendo dessa maneira
Camará
Lê viva meu Deus
Lê viva meu Deus camará
Coro
Lê viva meu Mestre
Lê viva meu Mestre camará
Coro
Lê viva a Bahia
Lê viva a Bahia camará
Coro


Mãinha

(Coro)
Ê Mãinha
É madrugada eu vou pro mar
Navegando pro horizonte
No reino de Iemanjá
Coro
É maré cheia Coro
Tempestade sem parar
Peço a Deus que me proteja
Do mistério desse mar
Coro
Pelo a Deus que me proteja
Do mistério desse mar
O mandingueiro
Que chegou de velejar
Pede licença pro Mestre
Reza prá seu Oxalá
A roda já está formada
O jogo vai começar
Coro
Navegando pro horizonte
No reino de Iiemanjá
Nome do Pai coro
Berimbau chama prá jogar
Roda pião de cabeça
Rasteira prá derrubar
Meia-lua e cabeçada
Você tem que mandinga


Cuidado Moço

Cuidado moço que essa fruta tem caroço
Cuidado moço que essa fruta tem caroço
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Mais vale nossa amizade
que dinheiro no meu bolso
Pra quem sabe viver
Essa vida é um colosso
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Ando com corpo fechado
E um rosário no pescoço
Fui criado lá na roça
Tomando água de coco
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cachorro que é esperto
Come a carne rói o osso
A mulher quando não presta
Mata o homem de desgosto
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Você pulava muito
No tempo que era moço
Mas já está ficando velho
Veja as rugas no seu rosto
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )
Cuidado moço que essa fruta tem caroço ( CORO )


Lavadeira

Lava, lava, lavadeira ( CORO )
A roupa do capoeira ( CORO )
Porque hoje é Domingo
Amanhã Segunda feira
Hoje a festa é no Bonfim
Amanhã é na Ribeira
Oi, vai Ter roda de samba
E jogo de capoeira
Moleque, tome cuidado
Com o tombo da ladeira
Sua roupa está limpa
Coitada da lavadeira
Lava, lava, lavadeira ( CORO )
A roupa do capoeira ( CORO )


Negra Ana

Falar de Rio de Janeiro
Não é tão difícil assim
Misturar com a capoeira
É mais simples digo sim
É voltar no tempo atrás
Ir na Lapa visitar
Conhecer a malandragem
Toda a cria do lugar
Enquanto bonde passava
Muita coisa acontecia
Era o brilho da navalha
Era gente que morria
Hoje em dia bem mais tarde
Tudo isso teve fim
Negra Ana é testemunha
Ela que contou pra mim
Esse tal de Manduca da Praia
Madame Satã isso é coisa ruim
Nego tá danado


Lemba

Eu vou lhe contar um fato
Que há muito ocorreu
No tempo do negro escravo
Quando uma lenda nasceu
Foi lá no Barro Vermelho
Que isso tudo aconteceu
Covardia ou maldade
Isso só quem sabe é Deus
Foi levado sem querer
Castigado sem parar
Teve a língua cortada
Que é pra nunca mais falar
Teve seu corpo
Todo coberto de mel
Foi posto num formigueiro
Teve uma morte cruel
Foi nesse dia
Que do sofrimento humano
O Exú Lemba nasceu
Lemba ê Lemba
Lemba de Barro Vermelho
Lemba ê Lemba ( CORO )


Beijo na Boca

Berimbau de ouro que eu mandei buscar
Lá na Vereda, na serra do luar
Lá na chapada cachoeira, no sertão arapuá
Morena case comigo
Que eu nasci só pra te amar
Se eu pedir você me dá morena
Um beijo na boca ( CORO )
Dá, me dá, me dá, morena
Um beijo na boca ( CORO )
Mas se eu pedir você me dá morena
Um beijo na boca ( CORO )


Capoeira, Arte e Magia

Vem, começou a roda iôiô
Iôiô ( CORO )
Começou o canto iáiá
Oi do sangue que corre nas veias
Do corpo que baila no ar
Da malícia do negro escravo
Que luta pra não apanhar
Vem, começou a roda iôiô
Iôiô ( CORO )
Começou o canto iáiá
Capoeira é arte é magia
É força pra se libertar
É um canto que ecoa na areia
Embalando as ondas do mar
Vem, começou a roda iôiô
Iôiô ( CORO )
Começou o canto iáiá
Berimbau tá chamando menino
Chamando você pra jogar
Oi do toque que toca no peito
Levando o corpo a gingar
Vem, começou a roda iôiô
Iôiô ( CORO )
Começou o canto iáiá


Instrumento Genial

Ê berimbau instrumento genial
Ê berimbau você é fenomenal
Ê berimbau instrumento genial ( CORO )
Ê berimbau você é fenomenal ( CORO )
Berimbau instrumento que tem som
Toca paz e toca guerra
e também chula de amor
Entro na roda
logo vou te acarinhando
com a baqueta e a moeda
minha chula eu vou cantando
Ê berimbau instrumento genial
Ê berimbau você é fenomenal
Ê berimbau instrumento genial ( CORO )
Ê berimbau você é fenomenal ( CORO )


A Solidão

A solidão quando chega ao capoeira
Quanta tristeza lhe traz
Solidão não vem sozinha, vem
Sofrimento
Dói dentro do coração
Tem que ser forte
Pra acabar com a solidão
Basta pensar positivo
Solidão é ilusão
Capoeiristas prestem muita atenção
Se dediquem a um bom tempo
Toda noite uma oração
Eu garanto, dou certeza
Vai embora a solidão
Capoeiristas, temos muito que aprender
Cada dia que se passa
Mais aumenta o saber
Solidão é mais um teste
Com a capoeira vou vencer
Camarada...


Menino da Pero Vaz

Eu mandei
Um recado lá pro céu
Pedindo a nosso senhor
Que olhasse ao chegar
Que recebesse com glória
Nosso Mestre Waldemar
A roda deve estar pronta
Pra quando ele chegar
Dê-lhe um berimbau vozeiro
E por favor deixe-o cantar
Diga lá menino velho
Como lá na Pero Vaz
Na Bahia de outrora
De seus tempos de rapaz
Lá se foi Pastinha e Bimba
E Besouro Mangangá
Deus achou que era hora
De levar seu Waldemar
Atenção capoeiristas
Não é hora pra chorar
Feche os olhos e imagine
A roda vai começar, camará
Ê viva meu mestre...


Mistérios

Responda escravo
Quantos peixes têm no mar
Quantas estrelas no céu
E o mistério do luar
E porque que o fogo queima
E a água quer molhar
Responda negro
E tu me responde certo
Foi com quantos grãos de areia
Que nosso Deus fez o deserto
Se tu não sabe
Então vou te responder
Pois eu jogo capoeira
E me lembro de Aberrê
Tudo é como a capoeira
A arte e magia pode crer
São mistérios dessa terra
Que só quem já foi pode entender, camará Iê viva meu Deus...


Linguado

Nome de peixe
Vim pra falar de você
E desse mundo velho
Que muitas surpresas traz
Do menino de Recife
Que partiu pra não voltar
Que deixou sua capoeira
E seus irmãos a lamentar
Nesse dia estranhamente
Berimbau emudeceu
Ele soube que lá longe
Um capoeira morreu
Um capoeira morreu
Toda vida pela frente
Sonhos pra realizar
Mas não sabia que Deus
Dele ia precisar
Mas onde estiver
Podem sempre se orgulhar
Pois seu mestre seus amigos
De você vão se lembrar
Do linguado capoeira
Meu irmão meu camarada
E o consolo pra quem fica
Além de poder chorar
É saber que lá no céu
Tem capoeira também
Nosso guerreiro foi embora
Foi pras terras do além
Foi guardar Nossa Senhora
E a seu filho também
Camarada...


Faca de Ponta

Faca de ponta quer lhe furar
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar
Faca de ponta quer lhe furar ( CORO )
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar ( CORO )
Esse negro mandingueiro tá lhe armando uma emboscada
Espera você passar sozinho pela estrada
Escondido numa moita
Com sua faca amolada
Faca de ponta quer lhe furar
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar ( CORO )
No toque do berimbau
o jogo é alei do cão
o negro levou rasteira
na roda caiu no chão
Agora jura vingança
Com sua faca na mão
Faca de ponta quer lhe furar
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar ( CORO )
Berimbau tocou São Bento
Hoje o jogo é pra valer
Se você não der no negro
Ele vai dar em você
Faca de ponta quer lhe furar
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar ( CORO )
Mas você é capoeira
E tem que usar mandinga
No molejo da esquiva
Pra que a faca não te atinja
Faca de ponta quer lhe furar
Cuidado moço que o negro quer lhe pegar ( CORO )


Negro Guerreiro

Eu vou fugir, eu vou
Capitão do mato
Eu vou fugir, eu vou ( CORO )
Capitão do mato ( CORO )
Minhas mãos tão calejadas
Minha alma está cansada
Já não aguento esse lugar
O Quilombo dos Palmares
Ajude a me curar
Eu vou fugir, eu vou
Capitão do mato
Eu vou fugir, eu vou ( CORO )
Capitão do mato ( CORO )
Sem mim não tinha riqueza
Conheci fome e tristeza
O chicote a me espancar
Vou pra perto de Zumbi
Ele está a me esperar
Eu vou fugir, eu vou
Capitão do mato
Eu vou fugir, eu vou ( CORO )
Capitão do mato ( CORO )







1