A colheita da cápsula

Após se passarem alguns meses, se a polinização foi
bem sucedida,a cápsula começará a se abrir. Em
algumas espécies ela começa a ficar amarelada quando
está ficando madura. Se a polinização não der certo
ela ficará amarela, passando a marrom, e não se abrirá.

clique para ampliar O primeiro passo é retirar a cápsula da planta mãe, com cuidado para não perder muitas sementes. Elas são muito pequenas e voam com muita facilidade. Deve-se usar uma lâmina descartável para evitar possíveis contaminações. Pode-se também usar uma faca esterilizada com maçarico.
clique para ampliar A cápsula começa a se abrir pelas laterais como ilustrado acima. Os frutos das orquídeas podem conter milhões de sementes, sendo que apenas uma parte delas é fértil. Dependendo do cruzamento pode ser que todas ou uma parte delas sejam estéreis.
clique para ampliar Para conseguir retirar o máximo de sementes do interior do fruto, aconselho cortar a extremidade inferior para que ela abra completamente. Deve-se cortar do lado oposto ao que estava preso a planta. Faça esse procedimento sobre uma folha de papel.
clique para ampliar Aberta, ela libera facilmente as sementes.
clique para ampliar Apenas algumas batidinhas na cápsula são suficientes para que ela desprenda as sementes. Pode ser necessário ajudar raspando de leve o seu interior.
clique para ampliar Depois de retiradas as sementes, devem ser acondicionadas em um envelope de papel e levadas a geladeira. Na geladeira procure colocar o mais distante do congelador possível para evitar o congelamento das sementes.
clique para ampliar Finalmente, antes de levar a geladeira, identificamos o envelope com a data da colheita e o nome das plantas envolvidas no cruzamento. É importante não demorar muito para fazer a semeadura pois as sementes perdem a fertilidade rapidamente. Mesmo com a diminuição da fertilidade, tive sucesso ao plantar sementes armazenadas há 2 anos.
clique para ampliar Você conseguirá verificar a fertilidade das sementes facilmente com o auxílio de um microscópio. As sementes férteis tem o interior escuro e as estéreis são translúcidas. Com um pouco de experiência, em alguns casos, será possível fazer essa verificação a olho nú.

Voltar