bacterioscopia
EXAME BACTERIOSCÓPICO

 
A presença de bactérias no sêmen é um achado comum no exame e, assim como a leucocitospermia, é indicativa de infecção genital, embora esta não seja totalmente caracterizada na maioria dos exames. Em meu exame este procedimento é efetuado de rotina, através de um simples pesquisa  bacterioscópico, em esfregaço seminal corado pelo Gram, que detecta as seguintes estruturas bacterianas: 

Cocos gram positivos - São indicativos de bactérias aeróbicas (estafilococos, estreptococos) e anaeróbica (Peptococcus sp e Peptostreptococcus sp).

Bacilos gram positivos - geralmente são bactérias anaeróbicas ou aeróbicas facultativas, por exemplo, Lactobacillus sp, Corynebacterium sp, Bifidobacterium sp, Eubacterium sp, Clostridium sp, Propionibacterium sp.

Bacilos gram negativos - são bactérias aeróbicas (enterobacteriáceas) e anaeróbicas ( Bacteroides sp + Fusobacterium sp)

Cocos gram negativos - indicativos de Veillonella sp .

Bacilo gram negativos pleomórficos - característicos de Gardnerella vaginalis. Também são detectados aderidos às células do epitélio uretral.

Bacilos curvos gram negativos - são raríssimos e indicativos de Mobiluncus sp.

Diplococos gram negativos - são indicativos de Neisseria sp..

Formas de leveduras - São também encontradas com certa freqüência no exame na forma de hifas e micélios e sugerem Candida sp (Candida albicans, Candida tropicalis e Torulopsis glabrata). Algumas vezes também são vistos conídios sugestivos de Rhodotorula sp.

Inclusões típicas de Chlamydia trachomatis - Em alguns exames podem ser visualizadas, principalmente, em semens com leucocitospermia.

Trichomonas sp - Esporadicamente são encontradas na rotina do exame.

A freqüência destas bactérias no sêmen é muito variável. De um modo geral, na maioria das amostras são encontrados alguns cocos gram positivos. Outras estruturas morfológicas aparecem às vezes em maior ou menor intensidade. Em algumas amostras a freqüência bacteriana é grande e vários tipos morfológicos são detectados, nas mais variadas estruturas morfológicas, como citado acima.. Quando indicativos de infecção, alterações podem ser encontradas em alguns marcadores funcionais, caracterizando seus efeitos nocivos na fisiologia seminal. Entretanto, a presença de infecção assintomática, com alterações seminais bem características, mas com reduzida flora bacteriana também é comum. Portanto, a caracterização destes processos infecciosos usando a bacteriospermia como referencia é relativa e bastante limitada. Muitas vezes detecta-se uma bacteriospermia acentuada sem uma resposta inflamatória. Em termos de diagnóstico é muito importante a associação de todos os fatores envolvidos (leucocitospermia, alterações em marcadores funcionais, bacteriospermia, alterações em características espermáticas, etc.), para se chegar a uma conclusã
o.
1