Aperitivo

 

 

 

Ensinar a Pensar

 

O trecho seguinte é parte de uma conversa entre Piaget e uma menina, em um famoso experimento. É possível notar como transparece um interesse real pelas colocações da garota, além de perguntas direcionadas à reflexão, a fazer pensar. Esse mesmo princípio pode ser usado com êxito no ensino de outro idioma.

 

Piaget: O que produz o vento?

Julia: As árvores.

- Como você sabe?

- Eu as vi balançando seus braços.

- Como isso produz o vento?

- (balançando as mãos em frente ao rosto): Assim. Só que elas são maiores. E há muitas árvores.

- O que produz o vento no oceano?

- Ele sopra lá vindo da terra. Não. São as ondas...

(Trecho retirado do especial 100 Scientists, da revista Time – 29 de março de 1999)

 (Revista Educação, número 66, outubro de 2002)

Início

 

 

 

 

 

 

 

Por que razão foi concedida a luz ao infeliz,

e a vida àquele cuja alma está desconsolada,

os quais esperam a morte sem que ela venha

e a procuram com mais ardor do que um tesouro,

que saltariam de júbilo

e se encheriam de alegria se encontrassem o

sepulcro?

(Job, 3, 20-22)                                             Início

 

 

 

Poemas do Livro de Catulo1 (Roma - ~87 - 54 a. C.)

Poema 5

Vamos viver, minha Lésbia, e amar,
E aos rumores dos velhos mais severos,
A todos, voz nem vez vamos dar. Sóis
Podem morrer ou renascer, mas nós
Quando breve morrer a nossa luz,
Perpétua noite dormiremos, só.
Dá mil beijos, depois outros cem, dá
Muitos mil, depois outros sem fim, dá
Mais mil ainda e enfim mais cem - então
Quando beijos beijarmos (aos milhares !)
Vamos perder a conta, confundir,
Para que infeliz nenhum possa invejar,
Se de tantos souber, tão longos beijos.

 

1