...::::OSPB Organização Social e Política Brasileira::::....
 

Organização Social e Política Brasileira
Colégio Diocesano Seridoense
Professor Gilberd Soares

 
 
  Caicó,  
 
 Home
 Artigos
 Apostilas
 Portal de História
 Curiosidades
 Textos
 Fale Conosco
 
 
 
 
 
 
 
:: Fome Zero ::
 
:: Projeto Genoma ::


Banco de Questões de História

Período Regencial

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO

(Fuvest 92) A(s) questão(ões) seguinte(s) é(são) composta(s) por três proposições I, II e III que podem ser falsas ou verdadeiras. examine-as identificando as verdadeiras e as falsas e em seguida marque a alternativa correta dentre as que se seguem:

 

a) se todas as proposições forem verdadeiras.

b) se apenas forem verdadeiras as proposições I e II.

c) se apenas forem verdadeiras as proposições I e III.

d) se apenas forem verdadeiras as proposições II e III.

e) se todas as proposições foram falsas.

 

 1. I. A política de recolonização proposta pelas Cortes portuguesas foi um dos fatores que levaram à proclamação da Independência.

II. As rebeliões ocorridas durante o Período Regencial permitiram que as camadas mais pobres da população tivessem representação e participação política junto às instituições imperiais.

III. A abdicação de D. Pedro I significou a vitória dos liberais e a consolidação do poder da aristocracia rural.

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

(Ufpr 91) Na(s) questão(ões) a seguir, escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos.

 

 2. A abdicação de D. Pedro I traduziu-se na vitória das tendências liberais sobre as forças absolutistas representadas pelo Imperador, completando também o processo de emancipação política do Brasil em relação a metrópole portuguesa.

O período regencial, que segue à abdicação do Imperador, preparou o caminho para a consolidação do Império. Sobre esse processo é correto afirmar que:

 

01) A iniciativa mais importante do início do período regencial foi desencadear vigoroso processo de industrialização

02) Foi consolidada a unidade política e territorial do Brasil, apesar dos movimentos provinciais de autonomia.

04) O latifúndio e a escravidão permaneceram como bases da sociedade brasileira naquele período.

08) A abdicação de D. Pedro I foi possível porque havia sido instalado formalmente o regime de parlamentarismo.

16) Pelo Ato Adicional de 1834, foram criadas as Assembléias Legislativas nas diversas províncias.

 

soma = ( )

 

 3. No período compreendido entre a Independência e 1849, o Brasil foi marcado por agitações sociais e políticas. Sobre essas agitações, é correto afirmar que:

 

01) A "Cabanagem" no Pará (1835-1840) foi um movimento que teve forte participação das camadas populares.

02) Também no Maranhão houve violência social na rebelião conhecida por "Balaiada" (1838 - 1841), com forte participação popular.

04) Apenas na Bahia não houve agitação social ou movimentos visando à emancipação regional.

08) A revolta dos liberais em 1842, em São Paulo e em Minas Gerais, contribuiu para que mais tarde fosse praticada a alternância no poder dos partidos Liberal e Conservador.

16) A mais longa das revoltas brasileiras desse período foi a Revolução Farroupilha (1835 - 1845), na qual se chegou a proclamar uma república independente.

32) A "Revolução Praieira" (1848) foi o último grande movimento nordestino revoltoso, de caráter popular, democrático e de influência ideológica.

 

soma = ( )

 

 4. (Fgv 97) Associe os fatos político-militares do Primeiro Reinado e da Regência brasileira a seguir, com suas localizações:

 

Coluna A

1 - Balaiada

2 - Cabanagem

3 - Ato Adicional

4 - Sabinada

5 - Confederação do Equador

 

Coluna B

I - Pará

II - Bahia

III - Maranhão

IV - Pernambuco

V - Rio de Janeiro

 

Escolha a alternativa que tem a associação correta:

a) 1 - III; 2 - I; 3 - V; 4 - II; 5 - IV;

b) 1 - II; 2 - V; 3 - II; 4 - I; 5 - V;

c) 1 - III; 2 - II; 3 - V; 4 - IV; 5 - I;

d) 1 - IV; 2 - I; 3 - V; 4 - III; 5 - II;

e) 1 - V; 2 - III; 3 - IV; 4 - II; 5 - I;

 

 5. (Ufpr 2000) No Brasil imperial:

 

01) A "Missão Francesa", que chegou ao Brasil em 1816, trazendo artistas plásticos como Debret e Taunay, contribuiu para a transformação da fisionomia cultural do país.

02) Segundo a organização político-administrativa, as províncias eram administradas por governadores-gerais eleitos pelos membros dos Conselhos Municipais.

04) Os primeiros anos do Império constituíram-se em um período de rápido crescimento econômico, especialmente em razão das receitas obtidas com as tarifas de importação e com o crescimento da exportação.

08) O período regencial foi marcado por grandes disputas entre grupos políticos e por intensa agitação social em quase todas as províncias.

16) Durante o Segundo Reinado, paralelamente à existência do Poder Moderador e do Conselho de Estado, predominou um regime de governo nos moldes parlamentaristas, no qual o Gabinete era liderado pelo primeiro ministro nomeado pelo Imperador.

32) A entrada de imigrantes, a partir da segunda metade do século XIX, esteve relacionada à expansão da cultura cafeeira no oeste paulista e às medidas legais que conduziram à abolição do trabalho escravo.

 

 6. (Ufpe 2000) Esta questão diz respeito a fatos políticos ocorridos no Império brasileiro.

 

(0) O Período Regencial foi uma fase de grande turbulência política no Brasil, com movimentos sociais e revoltas.

(1) O Golpe da Maioridade que levou Pedro II ao poder foi uma trama política dos liberais.

(2) Manifestações liberais surgiram no Sudeste do Brasil como represália à política imperial e à dissolução da Câmara Liberal, escolhida pela chamada "eleição do cacete".

(3) Durante o processo de independência, dois "partidos políticos" tiveram importante atuação. Foram eles o Partido Liberal e o Partido Moderador Republicano.

(4) Após a independência brasileira surgiram revoltas em Minas e em Pernambuco a favor da volta do pacto colonial.

 

 7. (Ufmg 2001) A organização do sistema político foi objeto de discussões e conflitos ao longo do período imperial no Brasil.

Com relação ao contexto histórico do Brasil Imperial e aos problemas a ele relacionados, é CORRETO afirmar que:

a) a centralização do poder foi objeto de sérias disputas ao longo de todo o século XIX e explica várias contendas internas às elites imperiais, como a Rebelião Praieira.

b) o Constitucionalismo ganhou força, fazendo com que o Legislativo, o Executivo e o Judiciário se tornassem independentes e harmônicos, o que atendia às queixas dos rebeldes da Balaiada.

c) o Federalismo de inspiração francesa e jacobina foi uma das principais bandeiras do Partido Liberal, a partir da publicação do Manifesto Republicano, o que explica, entre outras, a Revolução Liberal de 1842.

d) os movimentos de contestação armada - como a Revolução Farroupilha, a Sabinada ou a Cabanagem - tinham em comum a crítica liberal às tendências absolutistas, persistentes no governo de D. Pedro II.

 

 8. (Fuvest 2002) No Brasil, tanto no Primeiro Reinado, quanto no período regencial,

a) aconteceram reformas políticas que tinham por objetivo a democratização do poder.

b) ocorreram embates entre portugueses e brasileiros que chegaram a pôr em perigo a independência.

c) disseminaram-se as idéias republicanas até a constituição de um partido político.

d) mantiveram-se as mesmas estruturas institucionais do período colonial.

e) houve tentativas de separação das províncias que puseram em perigo a unidade nacional.

 

 9. (Ufg 2001) O processo de formação do Estado brasileiro encontra várias possibilidades de leitura, dada a diversidade de projetos políticos existentes no Brasil, nas primeiras décadas do século XIX. Entre as conjunturas da independência (1822) e da abdicação (1831), o País conviveu com projetos diferentes de gestão política.

Sobre as conjunturas mencionadas anteriormente e seus desdobramentos, julgue os itens.

 

(     ) O acordo em torno do príncipe D. Pedro foi uma decorrência do receio de que a independência se transfigurasse em aberta luta política entre os diversos segmentos da sociedade brasileira. A Monarquia era a garantia da ordem escravista.

(     ) Ao proclamar a independência, o príncipe D. Pedro rompeu com a comunidade portuguesa, que insistia em ocupar cargos públicos. A direção política do País foi entregue aos homens aqui nascidos, condição essencial para ser considerado cidadão no novo lmpério.

(     ) Em 1831, as elites políticas brasileiras entraram em desacordo com o Imperador, que insistia em desconsiderar o legislativo, preocupando-se, excessivamente, em defender os interesses dinásticos de sua filha em Portugal, o que irritava as elites políticas locais.

(     ) Com a abdicação, iniciou-se um período marcado pelo crescimento econômico decorrente da produção de café, o que possibilitou a execução de uma reforma política, o Ato Adicional (1834), que deu estabilidade ao Império.

 

 10. (Puc-rio 2001) As alternativas abaixo apresentam exemplos de permanências ou continuidades na formação social brasileira, ao longo da primeira metade do século XIX, À EXCEÇÃO DE:

a) a família patriarcal extensa.

b) o trabalho escravo negro.

c) o exclusivo comercial.

d) a economia de base agrícola.

e) o regime de padroado.

 

 11. (Unesp 91) O resultado da discussão política e a aprovação da antecipação da maioridade de D. Pedro II representou:

a) o pleno congraçamento de todas as forças políticas da época.

b) a vitória parlamentar do bloco partidário liberal.

c) a trama bem-sucedida do grupo conservador que fundara a Sociedade Promotora da Maioridade.

d) a anulação da ordem escravista que prevalecia sobre os interesses particulares.

e) a debandada do grupo político liderado por um proprietário rural republicano.

 

 12. (Fuvest 94) "Sabinada" na Bahia, "Balaiada" no Maranhão e "Farroupilha" no Rio Grande do Sul foram algumas das lutas que ocorreram no Brasil em um período caracterizado

a) por um regime centralizado na figura do imperador, impedindo a constituição de partidos políticos e transformações sociais na estrutura agrária.

b) pelo estabelecimento de um sistema monárquico descentralizado, o qual delegou às Províncias o encaminhamento da "questão servil".

c) por mudanças na organização partidária, o que facilitava o federalismo, e por transformações na estrutura fundiária de base escravista.

d) por uma fase de transição política, decorrente da abdicação de Dom Pedro I, fortemente marcada por um surto de industrialização, estimulado pelo Estado.

e) pela redefinição do poder monárquico e pela formação dos partidos políticos, sem que se alterassem as estruturas sociais e econômicas estabelecidas.

 

 13. (Unicamp 94) "Dois partidos lutam hoje em nossa pátria: O Restaurador e o Moderador. O primeiro foi leal ao monarca que abdicou e defende os inquestionáveis direitos do Sr. Pedro II. O segundo é partidário do sistema republicano e quer reduzir o Brasil a inúmeras Repúblicas "fracas" e "pequenas", e assim seus membros poderiam tornar-se seus futuros ditadores."

                (Adaptado do jornal O CARAMURU de 12 de abril de 1832, citado por Arnaldo Contier, Imprensa e Ideologia em São Paulo, 1979)

 

A partir do texto, responda:

a) Em que período da história política do Brasil o texto foi escrito?

b) Qual o regime político defendido pelos partidos citados no texto?

c) Quais são as críticas que o jornal O CARAMURU faz ao Partido Moderado?

 

 14. (Fuvest 93) Sobre a Guarda Nacional, é correto afirmar que ela foi criada:

a) pelo imperador, D. Pedro II, e era por ele diretamente comandada, razão pela qual tornou-se a principal força durante a Guerra do Paraguai.

b) para atuar unicamente no Sul, a fim de assegurar a dominação do Império na Província Cisplatina.

c) segundo o modelo da Guarda Nacional Francesa, o que fez dela o braço armado de diversas rebeliões no período regencial e início do Segundo Reinado.

d) para substituir o exército extinto durante a menoridade, o qual era composto, em sua maioria, por portugueses e ameaçava restaurar os laços coloniais.

e) no período regencial como instrumento dos setores conservadores destinado a manter e restabelecer a ordem e a tranqüilidade públicas.

 

 15. (Unesp 92) "Diante do Trono vazio defrontavam-se as províncias, com a propriedade territorial lhes ditando a contextura política, sequiosas de comandar o governo-geral, espreitadas por um gigante tolhido, mas ameaçador: o elemento monárquico, agarrado, em parte, ao manto roto de D. Pedro I e às fraldas do Imperador menino."

 

Identifique o período de nossa história a que se refere o texto acima e ofereça subsídios adequados à compreensão dos motivos para as agitações políticas e sociais.

 

 16. (Unesp 95) "Mais importante, o país é abalado por choques de extrema gravidade; não mais os motins... mas verdadeiros movimentos revolucionários, com intensa participação popular, põem em jogo a ordem interna e ameaçam a unidade nacional. Em nenhum outro momento há tantos episódios, em vários pontos do país, contando com a presença da massa no que ela tem de mais humilde, desfavorecido. Daí as notáveis conflagrações verificadas no Pará, no Maranhão, em Pernambuco, na Bahia, no Rio Grande do Sul."

                               (Francisco Iglésias, "BRASIL, SOCIEDADE DEMOCRÁTICA".)

 

Este texto refere-se ao período

a) da Guerra da Independência.

b) da Revolução de 1930.

c) agitado da Regência.

d) das Revoltas Tenentistas.

e) da Proclamação da República.

 

 17. (Faap 96) Iniciado por holandeses e ingleses, o povoamento consolida-se com os portugueses. Em 1835, é palco do movimento popular da Cabanagem. A economia fica estagnada até o fim do século XIX. O crescimento é retomado com o ciclo da borracha e continua com a produção de madeira e castanha.

a) Paraíba

b) Paraná

c) Mato Grosso do Sul

d) Pará

e) Minas Gerais

 

 18. (Faap 96) "Em 1627, jesuítas espanhóis criam missões na margem oriental do rio Uruguai, mas são expulsos pelos portugueses, que, em 1680, criam a colônia de Sacramento, às margens do rio da Prata. Em 1687, os jesuítas instalam novos povoados, os Sete Povos das Missões Orientais. A partir de 1824, a chegada de imigrantes alemães e italianos dá uma feição especial ao desenvolvimento da região. No século XIX, vive diversas rebeliões, como a Guerra dos Farrapos, que dura dez anos."

a) Piauí

b) Pernambuco

c) Rio Grande do Sul

d) Rio de Janeiro

e) Rondônia

 

 19. (Faap 96) "A ocupação começa pelo interior, com a instalação de fazendas de gado vindo da Bahia, em busca de pastagens. Na independência, em 1822, os portugueses revoltam-se e passam a combater os brasileiros. Cerca de 4 mil homens participam da Batalha dos Jenipapos, vencida pelos portugueses. O movimento espalha-se pela região, mas os brasileiros terminam vitoriosos. Mais tarde, rebeliões como a Confederação do Equador e a Balaiada abalam a província."

a) Rondônia

b) Rio de Janeiro

c) Rio Grande do Sul

d) Pernambuco

e) Piauí

 

 20. (Faap 96) A Guarda Nacional foi organizada por:

a) José Bonifácio para consolidar a Independência

b) Feijó para garantia e ordem interna durante a Regência

c) Caxias como apoio à ação centralizadora no II Império

d) Floriano Peixoto para obstar as tendências descentralizadoras

e) Rui Barbosa, quando candidato à Presidência da República

 

 21. (Uel 94) "... explodiu na província do Grão-Pará o movimento armado mais popular do Brasil (... ). Foi uma das rebeliões brasileiras em que as camadas inferiores ocuparam o poder..."

 

Ao texto pode-se associar

a) a Regência e a Cabanagem.

b) o I Reinado e a Praieira.

c) o II Reinado e a Farroupilha.

d) o Período Joanino e a Sabinada.

e) a Abdicação e a Noite das Garrafadas.

 

 22. (Unaerp 96) Assinale a alternativa incorreta:

a) O Clube da Maioridade tinha como objetivo lutar, junto à Assembléia Nacional, pela antecipação da maioridade de Pedro de Alcântara.

b) Os principais representantes do Clube da Maioridade eram os irmãos Martin Francisco e Antônio Carlos de Andrada e Silva.

c) O Clube da Maioridade teve o apoio das classes dominantes e uniu políticos progressistas e parte dos regressistas.

d) Em 1840, a Assembléia Nacional aprovou a tese da Maioridade e Pedro Alcântara apesar de seus 15 anos incompletos, foi considerado apto para assumir a chefia do Estado Brasileiro.

e) O Clube da Maioridade, permitiu que D. Pedro assumisse o poder no dia 20 de dezembro de 1840, marcando o início do Primeiro Reinado.

 

 23. (Unesp 89) No período de 1831 a 1845, ocorreram vários levantes armados no Brasil. Cite alguns deles. Por que ocorreram? Procure caracterizá-los.

 

 24. (Udesc 96) Os conflitos do período regencial e dos primeiros anos do governo de D. Pedro II revelam que a emancipação política do Brasil trouxe consigo o risco da fragmentação do território em vários países independentes, tal como havia acontecido na América espanhola.

Que exemplos podem ser dados acerca dessa situação difícil pela qual passou o nosso país e como ela foi superada?

 

 25. (Uece 96) "O período regencial foi um dos mais agitados da história política do país e também um dos mais importantes. Naqueles anos, esteve em jogo a unidade territorial do Brasil, e o centro do debate político foi dominado pelos temas da centralização ou descentralização do poder, do grau de autonomia das províncias e da organização das Forças Armadas."

                (FAUSTO, Boris. HISTÓRIA DO BRASIL. 2 ed. São Paulo: EDUSP, 1995. p. 161.)

               

Sobre as várias revoltas nas províncias durante o período da Regência, podemos afirmar corretamente que:

a) eram levantes republicanos em sua maioria, que conseguiam sempre empolgar a população pobre e os escravos

b) a principal delas foi a Revolução Farroupilha, acontecida nas províncias do nordeste, que pretendia o retorno do Imperador D. Pedro I

c) podem ser vistas como respostas à política centralizadora do Império, que restringia a autonomia financeira e administrativa das províncias

d) em sua maioria, eram revoltas lideradas pelos grandes proprietários de terras e exigiam uma posição mais forte e centralizadora do governo imperial

 

 
 
 
 
 
 

 

»

 
 
 
 
 
 
 
 © Copyright 2005 Gilberd Soares
   
1