Objetivo e objeto de estudo da psicologia:

Objetivo e objeto de estudo da psicologia:

 

            O Psicólogo estuda alem do comportamento humano. Enxerga as atitudes, as crenças.

            Mecanismo de defesa: se enxerga no outro, não olha para si, se projeta no outro.

            Algumas atitudes estao alem do consciente.

            Objetivo: amenizar o sofrimento humano.......estudar o comportamento humano.

            Objeto: sofrimento humano.

            Pessoas que já sofreram mto sozinho não consegue desejar alguém

            Pessoas estao presas em si, refém de seus medos, preconceitos.

            FREUD: repetiu o erro é a tentativa de entender, pq vc ainda não elaborou.

            Tem gente que transforma dor em amor, raiva, arte. Exemplo: Rita Ribeiro, colocou a dor no titulo de sua arte.

 

            Senso comum é diferente de Bom Senso.

           

            Delírio não é qdo vc tem uma ilusão diotica. Acreditar que só será feliz qdo namorar já é delírio.

            Qdo alguém descobre que esta doente sente mais dor. Ate perceber que melhorou.

            Para esquizofrenia, depressão é preciso traze- lãs para vida. Mostrar que é bom viver.

 

Medo de viver esta ligado ao medo de viver: (problematizacao)

 

 

            Discutimos a recuperação do individuo, com opiniões bem diferentes.

            Pessoas pré-dispostas estao mais sujeitas ao meio.

            Investir na infância permite que o adulto tenha uma criança dentro de si.

            INSTINTOS de vida: quer crescer, desenvolver

            INSTINTOS de morte: não quer nada.

            Tem pessoas que usam mascaras não por defesa, mas também por falta de percepção.

            O caminho ate um psicólogo, questão monetária, o psicólogo não traz respostas e sim soluções, conceito de felicidade.

            Caminho entre senso comum e critico: necessidade de terapia, comum diferente de normal...pessoas normais fazendo terapia.Aceitação, influencia da maioria, como tratar sem mudar seus conceitos.

            Julgamentos: lidar com a opinião dos outros, bom sendo, exclusão de problemas (inclusive pessoas) é o meio mais fácil.

            Tudo precisa desembocar na preocupação do ser humano.

            Certas idéias e valores, não conseguirem modificar, mas teremos mais que o tempo da faculdade para tentar.

 

            Td mito esconde um buraco afetivo.

            Idéia fixa relacionado à fobia que é relacionado à neurose...transferência de angustia.

            Nem td esta em nosso controle.

 

            Psicanálise: estudo do inconsciente, abrange outros aspectos.

            Psicologia: tem varias outras linhas...estuda o comportamento.

 

            Primeiro se torna boa pessoa, depois bom psicólogo. Se vc vir um paciente com a sua neurose...

            Quem acha terapia desnecessária se torna ignorante, limitado. Só aprendemos por meio afetivo.

            Felicidade é diferente de euforia (que pode esconder problemas)

            Psicólogo acredita no outro, se enxerga, ajuda a acreditar na recuperação.

 

Audi- Magazine: (problematizacao)

 

             Uma pessoa resolvida lida bem com as diferenças.

            Cultura de Massa: tentativa de camuflar as estruturas mais essenciais, convencendo-nos a investir apenas em aparência.

            As pessoas se protegem da miséria.

            Discriminação: perceber as diferenças.

 

Áreas da Psicologia:

 

            45,5% : consultório particular.

            11,8% : hospitais, ambulatórios, saúde.

            10,1% : escolas e universidades

            9,7%   : clinicas (area variada de profissionais)

            7,1%   : órgãos públicos (próximo à psicologia social)

            2,3%   : sistema penal

            1,6%   : atendimento a criança e ao adolescente

            3,3%   : outros (esporte, transito, forense- permite investigação, na area criminal)

            12,5% : empresas(RH, projetos)

 

Setor de atuação em São Paulo (1980-2000)

 

 

Saúde:

 

            1980 – 0%

            1984 – 5,9%

            1988 – 8,36%

            1995 – 12,31%

            2000 – 12,5%

 

Organizacional (empresa):

 

            1980 – 7.32%

            1984 – 18.3 %

            1988 – 16.92%

            1995 – 12.58%

            2000 – 12.4%

 

Docência / Pesquisa:

 

            1980 – 19.1%

            1984 – 0%

            1988 – 2.61%

            1995 – 9.22%

            2000 – 2.8%

 

 

Escolar Educacional:

 

 

            1980 – 10.97%

            1984 – 18.7%

            1988 – 9.46%

            1995 – 7.88%

            2000 – 9.2%

 

 

Clinica/ Consultório Particular:

 

 

            1980 – 38.2%

            1984 – 46.01%

            1988 – 48.81%

            1995 – 41.1%

            2000 – 54.9%

Hoje desceu um pouco e há procura maior pela organizacional e saúde alem de ONGs.

 

Psicologia Social:

 

 

            1980 – 0%

            1984 – 0%

            1988 – 0%

            1995 – 0%

            2000 – 1.7%

 

 

Analise Psicológica do Filme: (problematizacao)

 

            Perna (soldado): para jogar viveu algo muito diferente. Ele ri porque para ele é engraçado, a gente acha feio, e ele já superou essa limitação pessoal.

            ESTRUTURA PSICOPATA: em massa, sociopata, não sente culpa, sem escrúpulo.

            Um cara cheira cocaína (se enche de lixo por dentro) não deixa jogar lixo no chão..perceber que para os outros, outras coisas são importantes..MORALISTA, quem controla o outro, sem perceber si mesmo.

            FICA DO FILME: sentimento e preocupação para não ficar assim.

            O soldado já estava fradmentado, então não se importa de ver o outro fragmentado ou o fragmenta.

            Diferente disso, numa cidadezinha, uma menina perdeu o braço e enterraram o braço dela, com procissão.

            Social: ensina a dirigir bem

            COMPORTAMENTAL: regras, quando quebradas as pessoas são punidas.

 

            Sentir-se VIVO: o cemitério é um símbolo para gente ver que às vezes nos somos mortos vivos.

 

Psicologia Educacional:

 

 

            Primeiro aprende, dps conceitua.

            Ao inverter essa ordem há uma confusão mental, resultando, por ex, uma cola.

            Colar: resultado de um fracasso. Finge que aprendeu o que não foi ensinado ou aprendido.

 

            O dia – a – dia nos obriga a viver esclarecendo mal entendidos.

            Ex: homens acham que mulheres bonitas são arvores de natal.

 

            Ser interessante, atraente é diferente de ser um esteriotipo.

 

            Descartes: achar um jeito possível de colocar seu desejo na realidade.

            Neurose: reclamar de não conseguir realizar, culpando alguém.

            Não adiante julgar. Estas pessoas tem medo de aprofundar, não conseguem fazer autocritica..Psicólogo: O que significa? É sintoma de que?

 

Psicólogo na escola e os problemas que isso acarreta

 

            Ética: se perguntar o que faz bem e o que faz mal e não o certo e o errado.

            Na escola, visa-se a saúde mental.

 

            O psicólogo tem que lidar sem criar uma situação.

            Tudo faz mais sentido quando trazido para a realidade.

            Professores que não explica, normalmente não sabem, criando prepotência e irritabilidade como defesa.

 

·         O Mauro tinha um projeto..tratava de temas ligados a drogas (não ela em si); relacionamentos – sexualidade. Percebeu dificuldades religiosas, visões dos filhos pelos pais.

 

 

Gravidez: todo mundo quer ser pai e mãe inconscientemente.

 

O psicólogo precisa cavar um espaço na escola e ganhar a confiança da direção.

Atendendo os alunos, percebe-se a rede de acontecimentos que atrapalha a escola em geral.

Alem de questões pedagógicas trazem questões pessoais, que nas classes mais altas são camufladas.

 

Situação:

 

·         Filho único com mãe e pai:

 

 

O pai mudou com a namorada e a mãe mudou com o namorado, que colocou como condição deixar o filho.

A mãe deixou o filho, e este acabou ficando sem limite.

Na escola os professores passaram a odiá-lo.

Ele se abriu com o psicólogo...

Passava o fim de semana na casa do pai. A namorada do pai passou a assedia-lo.E qdo o pai descobriu, ele adorou. No fim, o menino sentia culpa, sendo que o pai tinha conduzido essa situação.

O menino pediu que o psicólogo conversasse com o pai...

É preciso imaginar o que acontece com a pessoa para se comportar de uma maneira certa.

 

 

Questão melhor aluno:

 

            Melhor?!São arrogantes ou não?! Prepotentes?!Se forem, são melhores?

           

            Gabarita-se como melhor por uma sorte, fuga, nota?!Estuda demais para não entrar em contato com questões interiores.

 

 

 

Os psicólogos podem localizar os funcionários sem contar o que sabe.

Na escola é preciso também trazer os pais para escola, trabalhar a vocação dos filhos.

 

-          manha é manifestação de alguma coisa que incomoda a criança

-          cada um enxerga como consegue

-          melhor aluna é diferente de melhor pessoa

-          cultura é diferente de poder

 

 

 

 

Psicologia Hospitalar:

 

            Para ajudar alguém, não se pode entrar junto no problema. É preciso servir de ponto – de – apoio.

 

            Como funciona a estrutura de quem sofre um acidente:

 

                        Fica mais confusa pela proximidade com a morte; por alguns segundos acredita que quase morreu. Fica entre a vida e a morte psicologicamente

                        Inconscientemente, não sabe se esta viva ou morta.

                        Precisamos fazer a pessoa entender o que esta acontecendo.

                        Tudo o que dava segurança para a pessoa, no momento não protege.

                        Faz a pessoa saber que esta viva, ler o prontuário e localizar a pessoa.

                        Depois disso voce diz que é psicólogo. Normalmente pede para chamar alguém da família, e voce precisa saber quem ela prefere.

                        Deve acalmar a família e orienta-la, inclusive para não se mostrar abalada ao ver o estado do paciente (às vezes não pode se olhar no espelho).

                        O Psicólogo segura a mão do paciente por cima da mão dele, sentindo se  pessoa solta ou não a sua mão e respeita. Isso transmite segurança para pessoas que esta desestruturada.

                        No hospital as pessoas tem seus valores muito alterados.

                        Para contar para alguém: Ta td bem, td sobre controle, não é nada grave, seu filho sofreu um acidente.

                        Ao contrario é sadismo.

                        Não se fala de Deus antes de saber se o cara é ateu.

                        Depois, da um tempo antes de rever a pessoa, para esta não reviver o acidente.

 

-          Frieza ou arrogância dos médicos: é defesa..timidez é confundido com orgulho, quando pessoa se preocupa com o que vão achar dele. Fuga do contato.

-          Tempo de vida: se não fica deprimido tende a não ter depressão imunológica....stress e tristeza baixam a imunidade (herpes)

-          Precisamos acreditar que a pessoa possa se curar ou controlar a doença.

-          O tempo é ligado ao psicológico.

-          No caso de idosos é preciso ocupa-los.

 

 

ATAVISMO: coisas herdadas dos antepassados, justifica a questão da culpa.

 

-          doença não é só espiritual, nem só psicológica, nem só física

-          achar q a pessoa é culpada por um doença é atávico.

-          Qdo alguém ta doente, inconscientemente se sente culpado. Essa culpa tem que ser trabalhada

-          Muitos médicos culpam os pacientes (“ vc tem que se ajudar” ) e só lembram da psicologia quando o que fizeram não da certo.

-          Alguns médicos por pré-potencia não investigam os tratamentos e seqüelas.

-          Quando após anos julgamos uma ação antiga devemos lembrar a cabeça que tínhamos.

-          Culpa é bom para dispertar consciência.

-          Ate onde pode se ter afeto?!

-          Temos essa duvida com todos, não só com o paciente.

-          Precisa sentir a necessidade e espaço que ele tem

-          Carinho é diferente de caricia (esta tem envolvimento sexual)

-          Carinho= sexual, tem libido, energia sem erotizacao. Não faz mal,mas se a pessoa não entender é preciso recuar.

-          Tem doente que confundem os dois

-          É preciso saber o limite, sentir o paciente

-          Distante é diferente de distanciado

-          Apesar dos outros interpretarem mal vc tem que saber continuar a expressar carinho.

 

 

Espaço no Hospital:

 

 

-          é preciso conquistar um espaço

-          o respeito vem depois de provar competência (senso comum, primeiro desconfia ate que provem o contrario...Ética, primeiro confia ate que provem o contrario.)

-          Termina depois da alta.

-          Normalmente, mas não impede que a pessoa te procure para um seguimento.

 

 

E a Família:

 

 

-          também tem acompanhamento.

-          Não se fala que a pessoa vai morrer, é um estado delicado, critico, corre, risco de vida. Mas que estamos fazendo de td para vc sair dessa!

-          Não se fala que não tem o que fazer

-          Quem sou eu para dizer que ele vai morrer

-          Mesmo quando a pessoa não quer tentar devemos acreditar ainda assim na pessoa, ficar do lado dela.

-          TUDO  é sigilo (o que o medico diz, a família e o paciente)

 

 

O paciente pode negar ajuda?

 

-          SIM, não só psicológica, como medica também

-          Quando os médicos conhecem podem ate pedir ajuda para o psicólogo.

-          Quando alguém sai do coma não tem sempre a mesma recuperação.

 

 

 

Psicologia Jurídica:

 

            Jurídica: psicólogo trabalha com as relações sem desrespeitar as leis. Pode trabalhar em delegacias, ONGs, alem das cadeias. Na cadeia, os presos tendem a proteger do que atacar.

            Forense: estudam perfis psicológicos para as investigações e prevenções dos crimes...Quem desestruturou a mente é doente.

Para trabalhar nessa area é preciso prestar concurso. A remuneração é mto baixa. Às vezes é de R$800,00 por mês. A pessoa tem que manter sigilo: a ética não revelar os contextos. Pode orientar, mas não contar. Só conta se arriscar vidas.

Aceitação e rejeição : são pessoas, não só detentos. Todo mundo primeiro desconfia, para depois confiar. A confiança tem que ser conquistada. A rejeição é natural, não só presos. Entre os presos, há hierarquia e regras ditas por eles.

 

-          Não tem apoio para todos os presos, muitos dos psicólogos de presídios são antiéticos ou também criminosos

-          A pena de morte se baseia na descrença da recuperação do individuo.

-          O que mostra que a pessoa se recuperou é quando esta apta a conviver como cidadão.

-          A pena de morte é informal

-          Auto Estima do preso fica acabada. Esta preso e vê mais crimes.

-          Liberdade do psicólogo: precisa desenvolver caminhos porque não vai encontrar nenhum lá

-          Psicologia jurídica: deve e pode ajudar na recuperação

-          Exemplo de Psico Jurídica: em lugares mais tolerantes. Pode ate ser intolerante, contato que tenha condições de acompanhamento.

-           

1