ESPECIAL MÊS DE SETEMBRO

MÊS DA BIBLIA


“O tentador aproximou-se e disse-lhe: ‘Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães’. Ele respondeu: ‘Está escrito: ‘Não se vive só de pão, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4, 3-4).

Caríssimos irmãos e irmãs, companheiros de caminhada, “rumo à pátria definitiva”! (Hb 13,14)

Não há como não levar em conta nas Cartas mensais de setembro de cada ano, a importância fundamental da Palavra de Deus, pois que este é o “Mês da Bíblia”. Portanto, neste como nos demais setembros passados, vamos-nos deter em breves reflexões sobre a Palavra de Deus em alguns dos seus aspectos.

1. A Palavra está escrita e se faz ouvir no Antigo e no Novo Testamento – de fato, Jesus afirma: “Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para cumprir” (Mt 5, 17). Ele mesmo, sendo a Palavra do Pai, a cumpre integralmente. Cumpre, vive, executa, plenifica-a e dela dá testemunho com sua vida permeada com sinais sensíveis do seu poder divino, bem como a torna manifesta através do seu sofrimento, de sua morte e de sua gloriosa ressurreição.

2. Um seguidor de Jesus, como você, meu irmão, minha irmã, esforça-se para “Viver da Palavra que sai da boca de Deus.” – ela pode ser buscada e encontrada em todas as circunstâncias da vida e em todas as situações de nossa caminhada de maneira especial

√ na Bíblia, sobretudo no Novo Testamento, saída da boca do próprio Filho de Deus;

√ nas pessoas que nos rodeiam, ainda que nem sempre isto seja fácil;

√ nos acontecimentos, desde os pessoais, até os mais próximos ou distantes;.

√ nos “sinais dos tempos” que, segundo o Concílio Vaticano II, são o dedo de Deus na história;

√ nas incertezas, angústias, alegrias e esperanças de cada dia.

3. “Viver a Palavra” supõe a aceitação, entre outros, de alguns exigentes compromissos:

a) criar um clima favorável - isto é, deixe-se envolver pela Palavra de Deus de tal forma que o seu próprio subconsciente tenha como referência fundamental os critérios e valores bíblicos: o amor, a fraternidade, o perdão, a solidariedade, etc. Criar clima significa, ainda, preparar o terreno. Clima mais terreno bem preparado são garantias de bons frutos (cf Mc 4,1-20).

b) digerir a Palavra – o termo é forte. Digerir é iniciar um processo de deglutição. Em Ezequiel Javé ordena a seu servo que dê seu recado ao povo, mas, antes, deve alimentar-se de sua palavra: “Filho do homem, come o que tens diante de ti! Come este rolo e vai falar à casa de Israel”. Eu abri a boca e ele me fez comer o rolo, dizendo: “Filho do homem, alimenta teu ventre e sacia as entranhas com este rolo que te dou”. Eu o comi, e era doce como mel em minha boca” (Ez 3, 1-3). Claro que o conteúdo do “rolo” consiste na palavra de Javé. Pois então, é nossa tarefa “comer” a palavra de Deus, assimilá-la, degustando-a aos poucos, sentindo-a no paladar “doce como mel”, saboreando-a numa leitura meditada, refletida, paciente e consciente, com a certeza de que ela é o mais puro alimento para a vida de todo cristão. .

c) respirar a Palavra – deixe que ela penetra nos seus “pulmões”, isto é, no mais profundo do seu ser, como o ar que você respira, como o oxigênio que purifica o seu sangue. Ela renovará sua vida, seu dia-a-dia, restaurando suas forças, dando novo vigor ao seu testemunho, fortalecendo-o, enfim, para que você, a cada dia renovado, possa enfrentar as situações cada vez mais “poluídas” desta nossa cultura contemporânea.

d) testemunhar a Palavra – coerente com a sua fé, o cristão busca manifestá-la através do seu testemunho de vida. Não basta saber a Bíblia de cor, citá-la com detalhes ou explicá-la teoricamente com esbanjamento de muita sabedoria e grande erudição. Mais do que nunca, o mundo, hoje, exige a coerência, isto é, exige que traduzamos a Palavra na qual dizemos crer, em atitudes concretas de vida: “Minha mãe e meus irmãos são estes aqui, que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 8,21; cf Lc 11,28).

e) anunciar a Palavra – “Então os discípulos foram anunciar a Boa Nova por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra pelos sinais que a acompanhavam” (Mc 16, 20). Exigência fundamental de Jesus é o anúncio da Palavra. De fato, Ele nos envia como missionários e anunciadores de sua mensagem de salvação. Aumenta nossa responsabilidade ao nos darmos conta do privilegio que temos de viver na era da comunicação. Deus nos concede, através da tecnologia, todas as ferramentas para que o anúncio da Boa Nova atinja com mais eficácia o coração e a vida dos homens e das mulheres de hoje e da nossa própria cultura. Portanto, viver a Palavra de Deus significa sermos missionários portadores da Boa Notícia!

Meu irmão, minha irmã: sobretudo neste Mês da Bíblia, crie em sua vida o clima favorável para a Palavra de Deus; digira, respire, testemunhe e anuncie a Palavra. Eu lhe garanto que todo o seu ser será purificado, transformado e preparado a fim de que você contribua eficazmente para que surjam “um novo céu e uma nova terra!” (Ap 21,1).

A todos deixo meu abraço fraterno no amor do Senhor Jesus Cristo,

Pe. José Gilberto Beraldo
Assessor Eclesiástico Nacional
e Mundial do Movimento
de Cursilhos de Cristandade

 

 

1