página inicial   

   ir para M até P  

 

 

 

 

 

 

 

...fortuna crítica ..........

...D até L ...............

...... 297 entradas .................................................................................................

DALE, Leslie Thomas. Self-reference and doubling in Machado de Assis’s Esaú e Jacó: a parable of reading. Romance Languages Annual, West Lafayette, IN, n. 2, 560-564, 1990.

DALE, Leslie Thomas. The double in three twentieth century novels: Machado de Assis’ Dom Casmurro, Nabokov’s Lolita, and Fuentes’ Aura. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, 1991. Degree: Pardue U.

DALL’AGNOL, Rosângela de Sant’Anna. Dom Casmurro: uma proposta de entendimento psicológico. Revista de Filosofia e Ciências Humanas, Passo Fundo, v. 16, n. 1, p. 121-135, 2000.

DAMANTE, Helio. A juventude de Machado. O Estado de São Paulo, Suplemento Literário, São Paulo, p. 2, 24 dez. 1972.

DANIEL, Guilherme Reginaldo. Machado de Assis and the meta-mulatto. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, 1987.

DANIEL, Mary L. But why Santa Monica? Romance Notes, Chapel Hill, NC, v. 28, n. 3, p. 187-193, mar./maio 1988.

DANIEL, Mary L. Two failed fortune tellers: Machado de Assis’s Cartomante and João Guimarães Rosa’s Mme de Says. Luso-Brazilian Review, Madison, WI, v. 23, n. 2, p. 47-59, 1986.

DÉCIO, João. Aspectos do romance realista de Machado de Assis. Alfa, Marília, n. 3, p. 45-55, 1963

DÉCIO, João. Retorno ao romance eterno: D. Casmurro, de Machado de Assis. Letras de Hoje, Porto Alegre, n. 7, p. 89-108, 1971. {DÉCIO, João; ANDREASSI, Lurdes. Retorno ao romance eterno: D. Casmurro de Machado de Assis. Ocidente, Lisboa, n. 82, p. 257-269, 1972.}

DÉcio, João; ANDREASSI, Lurdes. Retorno ao romance eterno: Dom Casmurro de Machado de Assis e outros ensaios. Blumenau: FURB, 1999. 219 p.

DECKER, Donald, M. Machado de Assis: short story craftsman. Hispanic World, [s.l.], n. 48, p. 76,81, 1965.

DEHN, Maria I. Duke. Análisis e ilustración de ciertos tipos de personaje que se encuentran en los cuentos de Joaquim Maria Machado de Assis. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, MI, 1970.

DELÁCIO, Célia Regina. A ciência e as fronteiras entre a loucura e a normalidade em “O alienista”. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho, 1996.

DELPECH, Adrien. Préface. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Quelques Contes. Paris: Garnier, 1910.

DESSAU, Albert. Der mexikanische revolutionsroman. Berlin: Rutten & Lening, 1967.

DIAS, Maria do Carmo Molina. A retórica do descompasso na crônica de Machado de Assis. Tese (Doutorado em Letras) Universidade Estadual de São Paulo, 2003.

DIMAS, Antônio. O espelho irônico de Machado: entrevista com John Gledson. Cult. Revista Brasileira de Literatura. São Paulo, n. 24, p. 42-50, jul. 1999. {El espejo irónico de Machado: entrevista com John Gledson. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 598, p. 35-45, abr. 2000.}

DINIZ, Alai Garcia. Máquinas, corpos, cartas: imaginários da Guerra do Paraguai. Tese (Doutorado em Letras). Universidade de São Paulo, 1997.

DINIZ, Camila; FIGUEIREDO, Fábio; OLIVEIRA, Anelito. O defunto e a escrita: Machado de Assis segundo Brás Cubas. Belo Horizonte: Orobó, 1999.

DIXON, Paul B. A auto-referência e o paradoxo em Dom Casmurro: Brasil, Brazil, Porto Alegre, Mercado Aberto, v. 1, n. 1, p. 30-40, 1988.

DIXON, Paul B. Abel Barros Batista: Em nome do apelo do nome: duas interrogações sobre Machado de Assis. Revista Machadiana. Porto Alegre; West Lafayette, Letras/UFRGS; Pardue University, n. 2, p. 63-66, 1996.

DIXON, Paul B. Esaú e Jacó: “o falar dobrado”. Espelho. Revista Machadiana, West Lafayette, n. 4, p. 5-22, 1998.

DIXON, Paul B. Feedback, strange loops and Machado de Assis’s O espelho. Romance Quarterly, Washington, DC, v. 36, n. 2, p. 213-221, maio 1989.

DIXON, Paul B. Fontes sobre o ensaio, a crônica e a correspondência: uma bibliografia anotada. Espelho. Revista Machadiana. Porto Alegre; West Lafayette, Letras/UFRGS; Pardue University, n. 2, p. 47-61, 1996.

DIXON, Paul B. Matriarchy and patriarchy in Machado de Assis’ Dom Casmurro. Discurso Literário, Asunción, v. 1, n. 2, p. 187-206, 1984.

DIXON, Paul B. Os contos de Machado de Assis: mais do que sonha a filosofia. Porto Alegre: Movimento, 1992. 116 p. (Coleção Machadiana ; 6)

DIXON, Paul B. Retired dreams: Dom Casmurro, myth and modernity. West Lafayette, Purdue UP, 1989.

DIXON, Paul B. Reversible readings: ambiguity in four modern latin american novels. Alabama: U. of Alabama Press, 1985. 185 p

DIXON, Paul B. Vehicle, driver and passenger: Machado de Assis’ metaphoric humor. Luso-Brazilian Review, Madison v. 29, n. 2, p. 59-65, jan./mar. 1992.

DOSSIER Machado de Assis. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 598, abr. 2000.

DOUGLASS, Ellen H. Machado de Assis’s A cartomante: modern parody and the making of a “brazilian” text. MLN, Baltimore, v. 113, n. 5, p. 1036-1055, dez. 1998.

DOURADO, Waldomiro Freitas Autran. A (in)desejada das gentes. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 6, 15 jul. 1989.

DOW, Carol L. Cinematographic characteristics in the prose of Machado de Assis. Hispania, Greeley, CO, v. 65, n. 1, p. 12-19, mar. 1982.

DOYLE, Plínio. Certo Alípio...: Quincas Borba, capítulo 47. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, n. 6, p. 11-15, 1961.

DOYLE, Plínio. O Espelho: revista de teatros. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, n. 7, p. 10-13, 1961.

DOYLE, Plínio. O inventário de Machado de Assis. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, v. 2, p. 12-21, 1959.

DOYLE, Plínio. O testamento de Machado de Assis. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, v. 3, p. 13-17, 1959.

DUARTE, Lélia Parreira. A personagem Conceição, de Machado de Assis: santa ou sedutora? Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 11, 4 nov. 1989.

DUARTE, Lélia Parreira. Artimanhas do bruxo: a ironia em alguns contos de Machado de Assis. Letras and Letras, Porto, v. 4, n. 37, p. 17, dez. 1990.

DUARTE, Lélia Pereira. A condição camaleônica do ser humano. Jornal de Letras. Artes and Ideas, Lisboa, v. 9, n. 390, p. 10, 26 dez. 1989; 1 jan. 1990.

DUARTE, Maria Abigail Viera Sidou. O Rio de Janeiro na crônica machadiana. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal Fluminense, 1997.

DUFFY, Mary Terese Ávila. Simbolism in Esaú e Jacó with emphasis on biblical implications. Revista de Letras, [s.l.], v. 5, p. 98-116, 1964.

DWYER, John P. Dom Casmurro and the Opera aperta. Revista de Literatura Hispanica, Providence, RI, n. 5-6, p. 157-162, 1977.

ECHEVERRIA, Lídia Neghme. Uma imagem quixotesca em Machado de Assis. Colóquio. Letras, Lisboa, n. 31, p. 41-48, maio 1976. 

EDWARDS, Jorge. La invención del narrador. Atenea. Revista de Ciencia, Arte y Literatura de la Universidad de Concepción, [s.l.], n. 483, p. 13-21, jan./jun. 2001.

EDWARDS, Jorge. La otra corrente latinoamericana: Joaquim Maria Machado de Assis. La Nación, Suplemento Literário, Buenos Aires, p. 1-2, 26 jan. 1992.

ELEUTÉRIO, Silvia Maria. Machado de Assis e a presença do analista. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1995.

ELIAS, Rita. De como teria sido o fim de Rubião, se ele tivesse lido O príncipe de Maquiavel. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 133/134, p. 35-48, 1998.

ESPINDOLA, Luciene Claudete. Introdução teórico-prática: a semiótica do texto: análise do Conto de escola de Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Lingüistica). Universidade Federal de Santa Catarina, 1990.

ESTRELLA, Hairton Miceli; MONTEIRO, Ivan da Costa. A metalinguagem em Quincas Borba. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1973. 78 p

EULÁLIO, Alexandre. Em torno de uma carta de Machado de Assis. Letterature d’America, Rome, v. 4, n. 18, p. 135-148, 1983.

EULÁLIO, Alexandre. Esaú e Jacó di Machado de Assis: narratore e personaggi davanti allo specchio. Annali di Ca ’Foscari, [s.l.], n. 10, p. 59-83, 1971.

EULÁLIO, Alexandre. Uma crônica do Brasil: quatro séculos de nossa cultura. Cultura, Brasília, n. 9, v. 3, 1973.

EUSTIS, Christopher. Time and narrative structure in Memórias póstumas de Brás Cubas. Luso-Brasilian Review, Madison, WI, n. 16, p. 18-28, 1979.

FACIOLI, Valentim. A crônica. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 86-87.

FACIOLI, Valentim. Aires: a consciência crítica do artista criador. Língua e Literatura, São Paulo, n. 2, p. 193-200, 1973.

FACIOLI, Valentim. Várias histórias para um homem célebre: biografia intelectual. In: BOSI, A. et al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 9-59

FANTINI, Maria Giovita. L'umorismo nel romanzo du Machado de Assis. Tese (Doutorado em Letras) Universitá di Roma, 1956.

FAORO, Raimundo. Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio. São Paulo: Nacional, 1974. 505 p. (Brasiliana; 326) {2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.} {3. ed. Rio de Janeiro: Globo, 1988. 496 p.}

FAORO, Raymundo. O espelho e a lâmpada: uma introdução a Machado de Assis. Revista Brasileira de Cultura, Rio de Janeiro, v. 2, n. 5, p. 153-172, 1970. {In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 415-426}

FARACO, Carlos Alberto. Um mundo que se mostra por dentro e se esconde por fora. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. O alienista. São Paulo: Ática, 1996. p. 1-30

FARIA, João Roberto Gomes de. Algumas notas sobre o tempo nas Memórias póstumas de Brás Cubas. Revista Letras, Curitiba, n. 25, p. 161-171, jan. 1976.

FARIA, João Roberto. Machado de Assis e a crítica teatral. O percevejo, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 38-39, 1994.

FARIA, Maria A. de Oliveira. Machado de Assis: o mito e a realidade. O Estado de São Paulo, Suplemento Literário, p. 4, 25 fev. 1973.

FEDERAÇÃO das Academias de Letras. Machado de Assis: conferências. Rio de Janeiro: Briguiet, 1939.

FEDERAÇÃO das Academias de Letras. Machado de Assis: estudos e ensaios. Rio de Janeiro: Briguiet, 1940.

FERREIRA, Delson Gonçalves. As duas epígrafes do Memorial de Aires. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 6, 15 maio 1976.

FERREIRA, Delson Gonçalves. Dois discursos. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 6, 15 maio 1976.

FERREIRA, Delson Gonçalves. Memorial de Aires e a Cidade e as serras. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 17, p. 181-208, 1968.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. A antecipação da identidade crítica literária brasileira. In: Anais. Jornadas andinas de Literatura Latinoamericana. Tucumán, v. 2, p. 546-552, 1997.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Cenas da crítica machadiana: a construção do vestido. In: Revista de Estudos de Literatura, Belo Horizonte: FALE, v. 5, p. 243-252, out. 1997. (Narrativas da contemporaneidade: culturas de expressão anglo-germânica)

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Entre a platéia e o tablado: Machado de Assis, crítico teatral. Aletria, Belo Horizonte, p. 58-68, 2000.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Esaú e Jacó: uma revisão crítica centenária.Disponível em: <http://www.interletras.com.br/dossie/critica_centenaria.html>. Acesso em: 21 nov. 2004.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis e as teorias do comparatismo na América Latina.  In: ANPOLL, Gramado. Disponível em: <http://www.ceud.ufms.br/litcomp/forum.htm>. Acesso em: [s.d.], 2002.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis e Du Bois: o conceito de “double consciousness”. In: TERRAS & Gentes. Anais. VII Congresso ABRALIC. Salvador: UFB, 2000. CD-Rom

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis e o parasitismo tradutório. In: ALVES, Cleudemar Alves Fernandes; SANTOS, João Bosco Cabral dos Santos (Org.). Análise Literária: tendências contemporâneas. Uberlândia: EDUFU, 2003.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis e os Estudos de Tradução. Gragoatá, Niterói, n. 13, p. 201-217, jul./dez. 2002.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis sob as luzes da ribalta. São Paulo: Editorial Cone Sul, 1998.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis, tradutor de peças teatrais. In: LIMA, Sônia Maria van Dijck; ARAGÃO, Maria do Socorro Silva de (Org.). XI Encontro Nacional da ANPOLL. Anais. João Pessoa: ANPOLL, 1996. p. 557-563.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis: cerzidor de textos. Scripta, Belo Horizonte, v.3, n. 6, p. 66-73, jan./jul. 2000.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis: teórico do traduzir, por subtração? Tese (Doutorado em Letras) Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001. {FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado de Assis: teórico do traduzir, por subtração? Em Tese, Belo Horizonte, 2003.}

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Machado e Camões: a citação enquanto tensão entre ficção e história. In: MENDES, Eliana Amarante de Mendonça; OLIVEIRA, Paulo Motta; BENN-IBLER, Veronika (Org.). Revisitações: edição comemorativa 30 anos da Faculdade de Letras/UFMG. Belo Horizonte: UFMG/FALE, 1999. p. 405-410.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. O teatro pedagógico de Machado de Assis. Cadernos de estudos em Letras e Pedagogia, Congonhas, n. 1, p. 33-35, 2000.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Para traduzir o século XIX: Machado de Assis. São Paulo; Rio de Janeiro; Annablume; ABL, 2004.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Um passeio, via tradução, pelos acervos machadianos. In: VIII Congresso Internacional da ABRALIC. Anais. 2002. CD-Rom

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Uma leitura irônico-semiótica do teatro de Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal de Mina Gerais, 1996. {FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Uma leitura irônico-semiótica do teatro de Machado de Assis. Em Tese, Belo Horizonte, v. 1, n. 1,. 111-120, dez. 1997.}

FERREIRA, Eliane Fernanda Cunha. Uma proposta de globalização do crítico literário Machado de Assis. Anais: Cânones e contextos. v. 2. Rio de Janeiro: ABRALIC, 1998. p. 449-452.

FERREIRA, Félix. José de Alencar e Machado de Assis. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, n. 7, p. 7-9, 1961.

FERREIRA, Lívia. Dom Casmurro: esboço de uma análise morfológica. Revista de Letras, Assis, n. 15, p. 113-128, 1973.

FERREIRA, Sandra Aparecida. Quem conta um conto, entrelaça os pontos: elementos de coesão textual em um conto de Machado de Assis. Alfa, São Paulo, n. 37, p. 127-134, 1993.

FIGUEIREDO, Luís Antônio de. Dom Casmurro: o texto emergente. Revista de Letras, [s.l.], v. 14, p. 177-186, 1972.

FIGUEIREDO, Maria do Carmo Lanna. O unreliable narrator em Dom Casmurro e The Aspern Papers. Cadernos de Lingüística e Teoria da Literatura, Belo Horizonte, n. 8, p. 191-202, dez. 1982.

FIORIN, José Luiz. As figuras de pensamento: estratégia do enunciador para persuadir o enunciatário. Alfa, Marília, n. 32, p. 53-67, 1988.

FISCHER, Luís Augusto. Contos de Machado: da ética à estética. In: SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes de; SOUZA, Ronaldes de Melo e (Org.). Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998. p. 147-166

FISCHER, Luís Augusto. Crônica dos vinte anos: estudo sobre as crônicas editadas em 1859. O Espelho. Revista Machadiana. Porto Alegre; West Lafayette, Letras/UFRGS; Pardue University, n. 2, p. 7-27, 1996.

FISCHER, Sibylle Maria. Geography and representation in Machado de Assis. Modern Language Quarterly, Durham, NC, v. 55, n. 2, p. 191-213, jun. 1994.

FISCHER, Sibylle Maria. Representation and the ends of realism. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, MI, 1996. Degree: Columbia U., 1995.

FITTS, Dudley. A masterpiece from Brasil: Epitaph of a small winner: book review. The New York Times, New York, 13 jul. 1952. {In: FRAGOSO, Augusto. Arquivo machadiano. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 219-224, set. 1958.}

FITZ, Earl E. Machado de Assis. Boston: Twayne, 1989.

FITZ, Earl E. Machado, Borges e Clarice: a evolução da nova narrativa latino-americana. Revista Iberoamericana, Pittsburg, [s.n], [s.p.], jan./jun. 1998.

FITZ, Earl E. Machado, Borges e Clarice: a evolução da nova narrativa latino-americana. Revista Iberoamericana, Pittsburg, v. 64, n. 182-183, p. 129-144, jan./jun. 1998.

FITZ, Earl E. Metafiction in latin american narrative: the case for Brazil or if Bras Cubas were here today?, what would he say about spanish american fiction? Mester, Los Angeles, n. 26, p. 43-69, 1997.

FITZ, Earl E. Paul Dixon: Retired dreams. Brasil-Brazil, Literatura Brasileira, Providence, RI, v. 5, n. 4, p. 79-93, 1991.

FITZ, Earl E. The Memórias póstumas de Brás Cubas as (proto)type of the modernist novel: a problem in literary history and interpretation. Latin American Literary Review, Pittsburg, PA, v. 18, n. 36, p. 7-25, jul./dez. 1990.

FODY III, Michael. The relation between distance and morality in some works of Machado de Assis and Eça de Queiroz. West Virginia University Philological Papers, Morgantown, WV, n. 23, p. 59-66, 1977.

FONSECA, Gondim da. Machado de Assis e o hipopótamo: uma revolução biográfica. 2. ed. São Paulo: Fulgor, 1960. 266 p. {Rio de Janeiro: São José, 1974. 327 p.}

FONSECA, Herculano Borges da. O pequeno mundo de Machado de Assis. Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, n. 3, s. d.

FONSECA, Laura Goulart. A sátira em Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade de Brasília, 1997.

FONSECA, Pedro Carlos L. Machado de Assis: pressupostos hermenêuticos para uma análise das intertextualidades em Memórias póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, n. 1040, p. 4-7, 21 set. 1986.

FORNAZARO, Antônio E. O avesso e o poder em O alienista. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 3, 31 jul. 1976.

FOTOS e fac-símiles. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 225-256, set. 1958.

FRAGOSO, Augusto. Achegas à bibliografia machadiana. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 137-139, set. 1958.

FRAGOSO, Augusto. Arquivo machadiano. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 219-224, set. 1958.

FRAGOSO, Augusto. Milliés: um pseudônimo de Machado ainda não conhecido? Revista da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis, Rio de Janeiro, v. 7, p. 4-6, 1961.

FREITAS, Bezerra de. Forma e expressão no romance brasileiro. Rio de Janeiro: [s. ed.], 1947.

FREITAS, Deise Joelen Tarouco de. A revolução do estilo de Machado de Assis: uma análise de quatro contos. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, 1998.

FREITAS, Enivalda Nunes. O risco do galo em Autran Dourado. Espelho. Revista Machadiana, Porto Alegre; West Lafayette, n. 1, p. 51-69, 1995.

FREITAS, Luís Paula. Perfil de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ancora, 1947. 92 p.

FREITAS, Luiz Alberto Pinheiro de. Freud e Machado de Assis: uma interseção entre psicanálise e literatura. Tese (Doutorado em Letras). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2001.

FREITAS, Marcus Vinícius de. Imaginação, história e política: em torno as crônicas de Machado de Assis. Espelho. Revista Machadiana, West Lafayette, n. 4, p. 23-40, 1998.

FREITAS, Maria Eurides Pitombeira de O grotesco na criação de Machado de Assis e Gregório de Mattos. Rio de Janeiro: Presença, 1981. 110 p

FRIEIRO, Eduardo. Páginas de crítica. Belo Horizonte: [s. ed.], 1957.

FRIZZI, Adria. O enxadrista e os seus trabalhos: the interplay of narrator and character in Esaú e Jacó. Dactylus, Texas, n. 4, p. 53-56, set./nov. 1985.

FURLAN, Stelio. O enigma de um rio sem margens. Letras de Hoje. Estudos e Debates de Lingüística, Literatura, e Língua Portuguesa, [s.l.], v. 37, n. 2, s. 124, p. 331-338, jun. 2001.

Gai, Eunice Terezinha Piazza Sob o signo da incerteza: o ceticismo nas obras de Montaigne, Cervantes e Machado de Assis. Santa Maria: Ed. da UFSM, 1997. {Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1996.}

GALVÃO, José. Faustino Xavier de Novais e Machado de Assis. Estudos Portugueses e Africanos, Campinas, n. 15, p. 43-54, jan./jun. 1990.

GARBUGLIO, José Carlos. A linguagem política de Machado de Assis. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. 526 p. (Coleção Escritores Brasileiros; 1. Antologia e Estudos) p. 461-467

GARCIA, Ana Lúcia A. Gazolla de. Dom Casmurro: a obra como espelho da própria obra. Hispanofila, Chapter Hill, NC, v. 27, n. 3, p. 71-78, maio 1984.

GARCIA, Ana Lúcia Gazolla de. Schopenhauer e Machado de Assis. Romance Notes, Chapel Hill, NC, n. 19, v. 3, 1979. p. 327-334.

GARCIA, Ruben. The unexpected correspondences: a paixão Segundo G. H. and Dom Casmurro. Hispanofila, Chapter Hill, NC, v. 29, n. 2, p. 55-61, jan. 1986.

GARTH, Todd. The authority of the elegiac in Machado de Assis Councelor Ayres’ Memorial. Cincinnati Romance Review, Cincinnati, OH, n. 14, p. 138-143, 1995.

GERLACH, Carmen Lúcia Cruz Lima. O imortal de Machado de Assis. Travessia, Florianópolis, v. 2, n. 19, p. 119-124, 1989.

Gheller, Erinida Gema Unidade e autonomia dos Papéis avulsos. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1978. {Porto Alegre: Ed. PUC, 1978. 78 p.}

GIGANTES: Machado de Assis. Lisboa: Verbo, 1972. (Gigantes da Literatura Universal)

GILL, Anne Marie. Dom Casmurro and Lolita: Machado among the metafictionists. Luso-Brazilian Review, Madison, WI, v. 24, n. 1, p. 17-26, jun./ago. 1987.

GINWAY, M. Elizabeth. Iaiá Garcia: romance de transição na obra machadiana. Hispania, Greeley, v. 78, n. 1, p. 33-43, mar. 1995. 

GIRON, Antonio. Minoridade crítica. São Paulo: Ediouro, 2004.

GLEDSON, John (Ed.). Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Contos: uma antologia. 2 v. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

GLEDSON, John. A História do Brasil em Papéis avulsos de Machado de Assis. In: CHALHOUB, Sidney; PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda (Org.). A História contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Histórias do Brasil)

GLEDSON, John. Apresentação. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Machado de Assis & confrades de versos. Organização: John Gledson. São Paulo: Minden, 1998. p. 7-11

GLEDSON, John. Casa Velha: a contribution to a better understanding of Machado de Assis. Bulletin of Hispanic Studies, Edinburgh, v. 60, n. 1, p. 31-48, jan. 1983.

GLEDSON, John. Introdução e notas. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Bons Dias! São Paulo: Hucitec, 1990.

GLEDSON, John. Machado de Assis and Graciliano Ramos: speculations on sex and sexuality. In: QUINLAN, Susan Canty; ARENAS, Fernando (Ed.). Lusosex: gender and sexuality in the Portuguese-speaking world. London: U. of Minnesota Press, 2002. p. 12-34

GLEDSON, John. Machado de Assis and the abolition of slavery: an almost unknown ‘Crônica’. Letterature d’America, Rome, v. 4, n. 18, p. 117-133, 1983.

GLEDSON, John. Machado de Assis between romance and satire: A parasita azul. In: BACARISSE, Salvador (Ed.) et al. What’s past is prologue: a collection of essays in honor of L. J. Woodward. Edinburgh: Scottish Academic P., 1984. p. 57-69.

GLEDSON, John. Machado de Assis e a história brasileira: dialogando com Roberto Schwarz e Sidney Chalhoub: resumo da conferência. In: CHIAPPINI, Lígia; AGUIAR, Flávio Wolf de (Org.). Literatura e História na América Latina. São Paulo: EDUSP, 1993.p. 195-222

GLEDSON, John. Machado de Assis: ficção e história. v. 56. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. (Coleção Literatura e Teoria literária)

GLEDSON, John. Machado de Assis: impostura e realismo: uma interpretação de Dom Casmurro. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. {The deceptive realism of Machado de Assis: a dissenting interpretation of Dom Casmurro. Liverpool: Cairns, 1984, 215 p.}

GLEDSON, John. Machado de Assis: os vários nomes. Colóquio Letras, Lisboa, v. 127-128, p. 248-150, jan./jul. 1993.

GLEDSON, John. Machado de Assis’ view of brazilian history: the determining factor in the evolution of his later fiction. In: BALDERSTON, Daniel (Ed.). The historical novel in Latin America. Gaithersburg, MD: Hispamerica, 1986. 229 p.; p. 97-105.

GLEDSON, John. The last betrayal of Machado de Assis: Memorial de Aires. Portuguese Studies, Londres, n. 1, p. 121-150, 1985.

GLEDSON, John. Uma lição de história: "Conto de escola", de Machado de Assis. In: JOBIM, José Carlos (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2001. p. 359-372

GOES, Lilian Darze de Araújo. O amor na transferência e um recorte na obra de Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1992.

GOMES, Danillo. Aprendizado e ascensão de Machado de Assis. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 4, 13 fev. 1982.

GOMES, Danilo. A dívida vencida de Machado de Assis. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 5, 11 jul. 1981.

GOMES, Eugênio. A arte do conto em Machado de Assis. Cadernos Brasileiros, Rio de Janeiro, v. 6, n. 3, p. 27-36, 1964.

GOMES, Eugênio. Apresentação. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Crônicas. Rio de Janeiro: Agir, 1963. p. 5-15.

GOMES, Eugênio. Aspectos do romance brasileiro. Salvador, Universidade da Bahia, 1958.

GOMES, Eugênio. Crônicas de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Livraria Agir Editora, 1972.

GOMES, Eugênio. Espelho contra espelho. São Paulo: Ipê, 1949.

GOMES, Eugênio. Influências inglesas em Machado de Assis. Salvador: Regina, 1939. {GOMES, Eugênio. Machado de Assis: influências inglesas. Rio de Janeiro: Pallas; MEC, 1976.}

GOMES, Eugênio. Introdução às crônicas de Machado de Assis. Cadernos Brasileiros, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 15-20, 1963.

GOMES, Eugênio. Machado de Assis. Rio de Janeiro: São José, 1958.

GOMES, Eugênio. Machado de Assis: contos. v. 70. Rio de Janeiro: Agir, 1963. 121 p. (Nossos Clássicos)

GOMES, Eugênio. Machado de Assis: crônicas. Rio de Janeiro: Agir, 1963. 103 p. (Nossos clássicos; 9)

GOMES, Eugênio. O enigma de Capitu: ensaio de interpretação. Rio de Janeiro: José Olympio, [1966 ou 1967]. (Documentos Brasileiros;.131)

GOMES, Eugênio. O microrealismo de Machado de Assis. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 31-36, set. 1958. {In: GOMES, Eugênio. O microrrealismo de Machado de Assis. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 369-373}

GOMES, Eugênio. O testamento estético de Machado de Assis. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1962.

GOMES, Eugênio. Prata da casa: ensaios de literatura brasileira. Rio de Janeiro: A Noite, 1953.

GOMES, Eugênio. Schopenhauer e Machado de Assis. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 6 ago. 1955.

GOMES, Eugênio. Shakespeare no Brasil. [S.n.], [s.l.], [s.n.], [s.p.], [ antes 1965].

GOMES, Eugênio. Uma fonte francesa: Victor Hugo. [Cf. Brayner, Sônia. Labirinto do espaço romanesco: tradição e renovação da literatura brasileira: 1880 – 1920. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979. p. 114.]

GOMES, Roberto. O alienista: loucura, poder e ciência. Tempo Social, São Paulo, v. 5, n. 1-2, p. 145-160, 1994.

GONÇALVES, Aguinaldo José. Dom Casmurro: mímesis das categorias narrativas. Revista de Letras, São Paulo, v. 29, p. 1-10, 1989.

GONZALIS, Fabiana Vanessa. A protagonista feminina em “Memórias póstumas de Brás Cubas” e “El amigo manso”. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, R. Preto, 1999.

GRACIOTTI, Mario. Introdução. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Ricconti di Rio de Janeiro [Contos fluminenses]. Tradução: AGHITO, Lorenza. Milan: Casa Editrice, 1962.

GRAHAM, Richard (Org.). Machado de Assis: reflections on a brazilian master writer. Austin: Univ. of Texas Press, 1999. {Resenha: http://www.tau.ac.il/eial.html }

GRAIEB, Carlos. Sujeito oculto: os motivos que levaram muitos autores a escrever artigos e livros sob pseudônimos. Veja, São Paulo, 12 jul. 2000. p. 140-141.

GRANJA, Lúcia. A língua engenhosa: o narrador de Machado de Assis, entre a invenção de histórias e a citação da História. In: CHALHOUB, Sidney; PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda (Org.). A História contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Histórias do Brasil)

GRANJA, Lúcia. Machado de Assis: escritor em formação.

GRANJA, Lucia. Machado de Assis: primeiras crônicas: o surgimento do grande ironista. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Estadual de Campinas, 1992.

GRAUOVÁ, Sarka. Machado de Assis na Mitteleuropa: notas à margem da tradução checa de Memórias póstumas de Brás Cubas. Leitura, São Paulo, v. 19, n. 3, mar. 2001.

GRAVINA, Darisa Leonora de Matos. O leitor na obra de Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal Fluminense, 1998.

GRIECO, Agrippino. Amigos e inimigos do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954. 320 p. (Obras completas de Agrippino Grieco; 9)

GRIECO, Agrippino. Machado de Assis. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959. 317 p.

GRIECO, Agrippino. Viagem em torno de Machado de Assis. São Paulo: Martins, 1969. 220 p

GROSS, Maria do Carmo Campos. O recanto psíquico. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, n. 1030, p. 8, 21 jul. 1986. 

GRUND, Sônia de Almeida Barbosa. Intertextualidades em Memórias póstumas de Brás Cubas: as múltiplas vozes em Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras) Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2003.

GRZEGORCZYK, Marzena. Making room for oneself: space, subjectivity and the quest for knowledge in nineteenth century latin american literature. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, mar. 1994. Degree: Stanford U., 1993.

GUERRA, José Augusto. Testemunhos da crítica. Recife: Editora Universitária U. F. Pernambuco, 1974.

GUIDIN, Márcia Lígia. Armário de vidro: a velhice de Machado de Assis. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 133-134, p. 49-64, 1998.

GUIMARÃES, Denize Azevedo Duarte. Perspectiva narrativa e estatuto do personagem Brás Cubas. Revista de Letras, Curitiba n. 24, p. 139-151, dez. 1975.

HABERLY, David. Machado de Assis and Saint Clair das Ilhas. In: BICHAKJIAN, Berard H. From linguistics to literature: romance studies offered to Francis M. Rogers. Amsterdam: Benjamins, 1981. p. 185-193.

HAMILTON, Russell G. Chronology. Review, New York, n. 16, p. 36-38, 1975.

HANSEN, Marise Soares. “Helena” e “Memórias póstumas de Brás Cubas”: romantismo e paródia. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade de São Paulo, 1999.

HELENA, Lúcia. Narrando o Brasil: configurações do Brasil na ficção. Letras de Hoje, Porto Alegre, n. 106, p. 99-110, dez. 1996.

HENRIQUES, Ana Lucia de Souza. Machado de Assis, leitor de Ossian. In: JOBIM, José Carlos (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2001. p. 275-302

HENRIQUES, Claudio Cezar. As idéias ortográficas de Machado de Assis. Palimpsesto,Rio de Janeiro, n. 2, p. 13-23 , jan./dez. 2002.

HENRIQUES, Claudio Cezar. Machado de Assis, estudioso da língua. In: JOBIM, José Carlos (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2001. p.349-357

HENRIQUES, Claudio Cezar. Quando se fala de Machado. In: LITERATURA: esse objeto objeto do desejo. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1997. p. 133-139; 164-169

HERVOT, Brigitte M. Em busca da verdade estética. Revista de Letras, São Paulo, n. 29, p. 47-54, 1989.

HILL, Amariles Guimarães. A crise da diferença: leitura das Memórias póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Cátedra; INL, 1976. 141 p.

HOHFELDT, Antônio. Machado de Assis: "A crônica é um pedaço da eternidade". Contato, Brasília, v. 2, n. 6, p. 89-98, jan./mar. 2000.

HOLANDA, Aurélio Buarque de. Linguagem e estilo de Machado de Assis: 1: linguagem. Revista do Brasil – 3. fase, [s.l.], v. 2, n. 13, p. 54-70, jul. 1939.

HOLANDA, Aurélio Buarque de. Linguagem e estilo de Machado de Assis: 2: estilo. Revista do Brasil – 3. fase, [s.l.], v. 2, n. 14, p. 17-34, ago. 1939.

HOLANDA, Sérgio Buarque de Holanda. A cobra de vidro. São Paulo: [s. ed.], 1944.

HOUAISS, Antônio. Estudos vários sobre palavras, livros, autores. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979. 248 p.

HUGHES, John B. El princípio Brás Cubas: contemporaneidad de Machado de Assis. Nueva Narrativa Hispanoamericana, Long Island, NY, v. 3, n. 1, p. 25-30, 1973.

ISHIMATSU, Lorie Chieko. The poetry of Machado de Assis. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, MI, 1983.

IVO, Lêdo. O mar e o pirilampo. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 11, p. 131-136, set. 1958.

IVO, Lêdo. Teoria e celebração. São Paulo: Duas Cidades, 1977.

JACKSON, K. David. (Ed.). Transformations of literary language in Latin American literature: from Machado de Assis to the vanguards. Austin: U. of Texas at Austin, Abaporu, 1987.

JACKSON, K. David. A metáfora antropófaga. Cult. Revista Brasileira de Literatura. São Paulo, n. 24, p. 51-55, jul. 1999. {La metáfora antropófaga. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 598, p. 27-33, abr. 2000}

JACQUES, Alfredo. Machado de Assis: equívocos da crítica. Porto Alegre: Movimento, 1974.

JAFFE, Janice Ann. Lovers’ play/L’ouvre se plait: the love story in the digressive tradition of Sterne, Machado de Assis and Cortazar. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, 1990.

JOBIM, José Luís (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topboks, 2001.

JOBIM, José Luís. Introdução. In: JOBIM, José Carlos (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2001. p. 9-19

JOBIM, José Luís. Machado de Assis, membro do Conservatório Dramático Brasileiro e leitor do teatro francês. In: JOBIM, José Carlos (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2001. p. 373-393

JOBIM, José Luís. Por que é importante pesquisar a biblioteca pessoal de Machado de Assis? In: ANDRADE, Ana Luíza; CAMARGO, Maria Lúcia de Barros; ANTELO, Raúl (Org.). Leituras do ciclo. Florianópolis; Chapecó; ABRALIC, Grifos, 1999.

JOSÉ, Elias. Um Machado de Assis menos prestigiado. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 3-4, 15 jul. 1989.

JUCÁ Filho, Cândido. O pensamento e a expressão em Machado de Assis. Rio de Janeiro: L. Fernandes, 1939.

JUSTO, Marco Antônio Guahyba. O narrador em Machado de Assis e a sombra gruta-grotesca. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal de Minas Gerais, 2000.

KAISER, Wolfgang. Fundamentos da interpretação e da análise literária. Coimbra: Armênio Amado, 1948.

KAYSER, Wolfgang. Excurso: A posição do narrador "Brás Cubas" de Machado de Assis. In: ______. Análise e interpretação da obra literária. v. 2. Coimbra: A. Amado, 1967. p. 223-228.

KELLEY, Linda Murphy. An Analysis of the development of the feminine image in selected novels by Machado de Assis. Tese (Doutorado) - Faculty of the Graduate School of Saint Louis University, 1978.

KELLUM, Sharon Smart. The art of self-incrimination: studies in unreliable narration. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, MI, 1977.

KELLY, Celso. Machado de Assis: e outros pretextos.... Rio de Janeiro: São José, 1972. 164 p.

KINNEAR, J. C. Machado de Assis: to believe or not to believe? Modern Language Review, Edinburgh, Scotland, v. l, n. 71, p. 54-65, 1976.

KINNEAR, J. C. The role of Dona Fernanda in Machado de Assis’ novel Quincas Borba. Aufsätze zur Portuguiesischen Kulturgeschichte, [s.l.], p. 118-130, 1966/1967.

KLOBUCKA, Anna. A narração de Missa do galo de Machado de Assis: uma (re)leitura demagógica. Plaza, Cambridge, MA, n. 13, p. 65-74, 1987.

KNOWLTON Junior, E. C. You, love, and love alone. Boletim do Instituto Luís de Camões, Macau, v. 6, n. 3, p. 143-175, 1972.

KNOWLTON Junior, Edgar C. Mickiewicz and Brazil Machado de Assis. The Polish Review, New York, NY, v. 26, n. 1, p. 46-57, 1981.

KOCH, Ana Maria. Intertextualidade em Memórias póstumas de Brás Cubas. Tese (Doutorado em Letras) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004.

KOCH, Ana Maria. Narrativa: sítio de encontro e de desvio entre Literatura e História. In: Trans/versões comparatistas: anais/I Colóquio Sul de Literatura Comparada e Encontro do GT de Literatura Comparada da ANPOLL. Org.: Gilda Neves da Silva Bittencourt. Porto Alegre: UFRGS, Instituto de Letras, PPG/Letras, 2002. p. 329-331

KOCH, Ana Maria. O espelho de Machado de Assis: sátira do Mito da caverna.. In: Trans/versões comparatistas: anais/I Colóquio Sul de Literatura Comparada e Encontro do GT de Literatura Comparada da ANPOLL. Org.: Gilda Neves da Silva Bittencourt. Porto Alegre: UFRGS, Instituto de Letras, PPG/Letras, 2002. p. 435-443

KOHLER, Florent. Avanto-propos.  In: KOHLER, Florent;  CASTRO, Sílvio. Machado de Assis en Europe Latine. Tours: Presses Universitaires François Rabelais, 2004. (Littérature et Nation; 29)

KOHLER, Florent. La jeune fille et la mort : étude des narrateurs machadiens. In: KOHLER, Florent;  CASTRO, Sílvio. Machado de Assis en Europe Latine. Tours: Presses Universitaires François Rabelais, 2004. (Littérature et Nation; 29) p. 9-70

Komosinski, Lionira Maria Giacomuzzi. Humor e ironia na narrativa literária: o exemplo de Quincas Borba, de Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1979.

Kraemer, Armando Os romances de Machado de Assis. Porto Alegre: Sulina, 1971. 85 p. (Coleção Pereira Coruja)

KRAUSE, Mauricio Nogueira. A história dos subúrbios: o feminino burguês em Machado de Assis. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1993.

KRAUSE, Maurício. O feminino burguês em Machado de Assis. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 133/134, p. 65-82, 1998.

 LACERDA, Virgínia Côrtes de. Machado de Assis: influências e temas. Serviam, São Paulo, n. 9, p. 78-80, 1959.

LADEIRA, Ana Marta dos Santos. O conto sem descontos. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal de Juiz de Fora, 1996.

LAFETA, João Luiz. Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Iaiá Garcia. São Paulo: Ática, 1977. 127 p.

LAJOLO, Marisa. Machado de Assis. São Paulo: Abril Educação, 1980. 108 p. (Literatura comentada)

LAJOLO, Marisa. Machado, Graciliano e Rubens Fonseca: diferentes itinerários do escritor brasileiro. In: REIS, Roberto; SOUSA, Ronald W. (Ed.). Toward socio-criticism: selected proceedings of the Conference Luso-Brazilian Literatures, a socio critical approach. Tempe: Center for Latin-American Studies; Arizona State U., 1991.

LARSEN, Kevin S. Dom Casmurro and the elective affinities. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 8, 21 jul. 1986.{Luso-Brazilian Review, Madison, v. 28, n. 2, p. 49-57, jan./mar. 1991.}

LAURIA, Márcio José. A propósito de Emigram as andorinhas. Minas Gerais, Suplemento Literário, Belo Horizonte, p. 8, 31 jan. 1976.

LAWTON, Aaron. Propos sur Memórias póstumas de Brás Cubas. Cahiers du Monde Hispanique et Luso-Brasilien, Tolousse, n. 22, p. 91-104, 1974.

LE MOING, Monique.  Le regard jaloux: Machado de Assis, Alain Robe-Grillet. Les Langues Neo Latines, Reuil-Malmaison, v. 80, n. 3-4, p. 79-93, 1986. {Le regard jaloux de Machado de Assis : confrontation avec Alain Robbe-Grillet. In: KOHLER, Florent;  CASTRO, Sílvio. Machado de Assis en Europe Latine. Tours: Presses Universitaires François Rabelais, 2004 (Littérature et Nation; 29) p. 103-122}

LEAL, Anabella Azevedo. Dois contos de Machado de Assis à luz das idéias de Mikhail Bakhtin. Espelho. Revista Machadiana, Porto Alegre; West Lafayette, n. 1, p. 7-17, 1995.

LEAL, César. Machado de Assis: poeta. Estudos Universitários, Recife, v. 6, n. 1, p. 61-78, 1966.

LEAL, César. Os cavaleiros de Júpiter. Recife: UF Pernambuco, 1969. p. 205-210

LEAL, Cláudio Murilo. Um poeta todo prosa. In: SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes de; SOUZA, Ronaldes de Melo e (Org.). Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998. p. 205-214

LEÃO, Múcio. Ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Coelho Branco, 1925.

LEÃO, Múcio. O contista Machado de Assis. In: CURSO de conto. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1958.

LEÃO, O romance de Machado de Assis. In: CURSO de romance. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1952.

LEITE Filho, José Barreto. Introdução a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir, 1947. 270 p. {2. ed.: 1980}

Leon, Jorge Romero. Retórica de imaginación urbana: la ciudad y sus sujetos en Cecilia Valdes y Quincas Borba. Caracas, CELARG, 1997. 78 p. (Colección Cuadernos)

LIMA Sobrinho, Barbosa. A língua portuguesa e a unidade do Brasil. Rio de Janeiro: [s. ed.], 1958.

LIMA Sobrinho, Barbosa. A timidez de Machado de Assis. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 3. nov. 1929.

Lima, Alceu Amoroso [ATAÍDE, Tristão de].Três ensaios sobre Machado de Assis. Belo Horizonte, Paulo e Bruhm, 1941. 94 p.

LIMA, Herman. Variações sobre o conto. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, Serviço de Documentação, 1952.

LIMA, José Cunha. Revisão de Machado de Assis: exame de erros e ardis literários. Rio de Janeiro: Americana, 1973.

LIMA, Luiz Costa. D. Casmurro: o realismo lógico de Machado de Assis. Humboldt, Hamburg, v. 4, n. 9, p. 72-76, 1964.

LIMA, Luiz Costa. Machado e a inversão do veto. In: ______. O controle do imaginário: razão e imaginação no Ocidente. São Paulo: Brasiliense, 1984.

LIMA, Luíz Costa. Machado: mestre de capoeira. In: SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes de; SOUZA, Ronaldes de Melo e (Org.). Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998. p. 183-190 [Espelho. Revista Machadiana, West Lafayette, n. 3, p. 37-43, 1997.}

LIMA, Luiz Costa. Palimpsesto de Itaguaí. Jose. Literatura, Crítica, Arte, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 27-33, 1976.

LIMA, Luiz Costa. Sob a face de um bruxo. In: ______. Dispersa demanda: ensaios sobre literatura e teoria. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1981.

LIMA, Manuel de Oliveira. Machado de Assis e sua obra literária. Revista do Livro, Rio de Janeiro, v. 2, n. 8, p. 171-189, dez. 1957. {original de 1909: Machado de Assis et son oeuvre littéraire} {Jornal do Comércio, Rio de Janeiro, 9 maio 1909.}

LIMA, Manuel de Oliveira. O cético. Estado de São Paulo, 21 jun. 1939.

LIMA, Rogério. A metaficção historiográfica e a dessemiotização ficcional da narrativa em Memorial do fim: a morte de Machado de Assis. Letras, Curitiba, n. 46, p. 53-62, 1996.

LINDSTROM, Naomi. Creation in criticism, criticism in creation: four ibero examples. Discurso Literário, Revista de Temas Hispánicos, Asunción, s. d.

LINHARES Filho A metáfora do mar no Dom Casmurro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1978. 175 p. (Coleção Temas de Todo Tempo; 21)

LINHARES Filho, José. Ironia, "humour" e latência nas Memórias póstumas. Revista de Letras, Curitiba, v. 14, n. 1-2, p. 83-117, 1989.

LINHARES, Temístocles. Ainda e sempre Machado de Assis. O Estado de São Paulo, Suplemento Literário, p. 5, 5 set. 1970.

LINHARES, Temístocles. Capitu inocente ou culpada? O Estado de São Paulo, Suplemento Literário, p. 5, 14 set. 1968.

LISBOA, Maria Manuel Gabão. Casa cedo e cedo morrer amor e matrimônio no Dom Casmurro de Machado de Assis. Letras and Letras, Porto, v. 5, n. 67, p. 12-14, 18 mar. 1992.

LISBOA, Maria Manuel Gabão. Just like a woman: Machado de Assis and feminism: re-reading the heart of the companion. Dissertation Abstracts International, Ann Arbor, abr. 1992. Degree: U. of Nottingham.

LISBOA, Maria Manuel. Machado de Assis and the beloved reader: squatters in the text. In: WHITE, Nicolas; SEGAL, Naomi (Ed.). Scarlet letters: fictions of adultery from antiquity to the 1990s. Houndmills; New York: Macmillan; St. Martin’s, 1997.

LISBOA, Maria Manuel. Sei de uma criatura antiga e formidável: maternidade, origem e fim nas Memórias póstumas de Brás Cubas. Espelho. Revista Machadiana, West Lafayette, n. 3, p. 45-65, 1997.

LOBATO, Eliane Cunha Tavares. As categorias da sátira menipéia em “Memórias póstumas de Brás Cubas”. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal Fluminense, 2000.

LOBO, Luiza. As metáforas do humor em Machado de Assis. Letterature d’America, Rome, v. 4, n. 18, p. 65-81, 1983.

Longhi, Mainar O uso do pretérito- mais-que-perfeito do indicativo em Corção e Machado de Assis: algumas considerações. Veritas, Porto Alegre, v. 10, n. 1, 1965. p. 20-45

LOPES, José Leme. A psiquiatria de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir, 1974. {2. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1981.}

LOPES, Lúcia Leite Ribeiro Parado. Machado de A a X: um dicionário de citações. São Paulo: [s. ed.], 2001.

LOPES, M. Angélica Guimarães. Estátuas esculpidas pelo tempo: imagética como caracterização em Quincas Borba e The portrait of a Lady. Chasqui, Williamsburg, VA, v. 16, n. 1, p. 55-75, fev. 1987.

LOPEZ Alfonso, Francisco Jose. Pero esto no es mas que el principio: de Fernández de Lizardi a Machado de Assis. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 570, p. 45-57, dez. 1997.

LOYD, Antonio Olliz. The social and ethnic contexts of Machado de Assis’ Dom Casmurro. Afro-Hispanic Review, Columbia, v. 11, n. 1-3, p. 34-41, 1992.

LOYOLA, Cecília. O teatro de Machado de Assis: legado póstumo. In: SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes de; SOUZA, Ronaldes de Melo e (Org.). Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998. p. 191-204

LUCA, Heloísa Helena Paiva de. Apresentação. In: BALAS de estalo de Machado de Assis: edição completa e comentada. Organização: H. H. P. de Luca. São Paulo: Annablume, 1998.

LUCA, Heloísa Helena Paiva de. Propósito e fantasia: a presença francesa nas crônicas machadianas. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade de São Paulo, 1996.

LUCAS, Fábio. A condição feminina de Capitu. Revista Numen, [s.l.], v. 1, n. 1, s. p., 1989.

LUCAS, Fábio. Apresentação. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria Dom Casmurro. São Paulo: Ática, 1985.

LUCENA Filho, Jaime Pereira de. Cartografias da loucura: uma micro-política machadiana. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1992.

Luft, Celso Pedro A arte velada de Machado de Assis: análise estilística de “A Carolina”. Veritas, Porto Alegre, v. 3, n. 3-4, 1958. p. 264-285

Luft, Celso Pedro Uma metáfora desenvolvida em "Quincas Borba". Porto Alegre: Tip. Champagnat, 1956-1958. 12 p.

LYRA, Bernadette. A nave extraviada. São Paulo: Annablume, 1995. 128 p.; il. (Selo Universidade; 29)

  página inicial   

   ir para M até P  

1 1