Entrevista n. 19
Sobre GGB e movimento gay

1. Quais as maiores conquistas do GGB em relação à dignidade e à cidadania homossexuais?
Mott - O Grupo Gay da Bahia foi fundado em 1980, e neste mesmo ano começamos uma campanha de apoio médico às travestis pobres de Salvador e conseguimos tirar do ar um anúncio da tv-local onde um vendedor de sapatos ameaçava gratuitamente um gay efeminado com um revólver. Na qualidade de grupo mais antigo em funcionamento no Brasil, acumulamos vários pioneirismos: a primeira ONG/gay a ser registrada com sociedade civil e a iniciar a prevenção da Aids no país; a receber o diploma de utilidade pública municipal. Considero que nossa principal vitória foi a exclusão da homossexualidade da classificação internacional de doenças, em 1985, após a coleta de mais de 16 mil assinaturas de artistas vips, políticos, intelectuais. Entre estes, o então senador Fernando Henrique Cardoso e Ulysses Guimarães. Outra vitória fundamental por nós liderada foi a inclusão da proibição de discriminar por orientação sexual em 73 leis municipais, em 1990.

2. Quais são as atividades regulares do GGB?
Mott - O GGB possui uma sede própria no Pelourinho, Centro de Salvador, 3 andares, doada gentilmente por um membro do grupo. Dispõe atualmente de 12 voluntários remunerados, graças a 4 projetos destinados a prevenção da aids e defesa dos direitos humanos. Funciona todos os dias, no horário comercial, com uma freqüência diária de 60 a 100 pessoas, jovens em sua maioria, mais da metade heterossexuais à busca de preservativos e material informativo. Temos reuniões de debates todas 4as e 6as das 20hs as 22hs, e reunião de travestis às 5as a tarde e de soropositivos as 4as a tarde. Somos uma espécie de sindicato dos gays, e Caetano Veloso declarou certa vez no jornal que "o ggb é o orgulho da Bahia!" Temos também trabalhos de prevenção junto a candomblés, universitários, soropositivos e profissionais do sexo.

3. Você acredita que estamos no caminho certo para um exercício pleno de cidadania?
Mott - Sim. Desde nossa fundação seguimos o exemplo bem sucedido do movimento homossexual internacional, primeiro lutando para abolir leis anti-homssexuais, depois propondo legislação protetora da livre orientação sexual e divulgando na grande mídia informações positivas e cientificas sobre a homossexualidade. Tais objetivos tem sido amplamente obtidos. Outra área exitosa tem sido a consolidação do movimento homossexual, hoje com mais de 100 grupos funcionando de norte a sul do país, incluindo a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis, a principal entidade do gênero na América Latina.

4. A sociedade brasileira está preparada para uma crescente visibilidade homossexual?
Mott - O Brasil costuma ser apontado como país latino americano onde os homossexuais são mais visíveis e assumidos. Exportamos travestis para a Europa... Ajudamos países vizinhos da América do sul a se organizar. Infelizmente a televisão continua divulgando imagens extremante estereotipadas e negativas dos gays e lésbicas, não obstante, quando homossexuais são mostrados com dignidade, são bem aceitos pela sociedade de consumo. A principal oposição, contudo, vem de setores ultra-conservadores, como evangélicos e a CNBB, que boicotam as iniciativas de mostrar os homossexuais com dignidade, inclusive impedindo a aprovação do projeto de parceria civil pelo congresso.

5. A quantas anda a premiação que vocês dão anualmente aos maiores incentivadores/ apoiadores/ simpatizantes da causa gay?
Mott - Há 12 anos o GGB lançou o Oscar Gay, divulgado logo após o Oscar de Holywood, conferindo o Diploma Triangulo Rosa as pessoas ou instituições que mais se destacaram na defesa dos direitos humanos dos homossexuais e o Diploma Pau de Sebo, aos homófobos, aqueles que prejudicaram a causa de libertação homossexual. Entre os agraciados nossos amigos, Marta Suplicy, Xuxa, Luiz Eduardo Magalhães, Caetano Veloso, o bispo D.Moreli, o Programa de Aids do Ministério da Saúde, por terem apoiado publicamente a dignidade dos gays e lésbicas. Entre os inimigos dos gays, Os Carecas do Abc, Hélio Bicudo, o Deputados Severino Cavalcanti e Inocêncio de Oliveira, a Novela A Próxima Vítima - por discriminarem os homossexuais. Neste próximo ano estão na lista dos amigos Sandy e Júnior, o embaixador Gilberto Sabóia, Filipão, o juiz Brant de Minas Gerais - por declarações positivas ou ações concretas a favor dos homossexuais.

6. Por que você acredita que celebridades ainda ficam em cima do muro na hora de sair do armário?
Recentemente Cauby Peixoto perdeu a oportunidade de sua vida, de assumir ser gay, coisa que todo mundo comenta e está cansado de saber. Mais uma vez, saiu pela tangente. Quem não se assumir neste início de milênio, vai morrer sufocado dentro do armário. Os vips enrustidos são cúmplices do sofrimento e até suicídio de milhares de jovens gays que por não terem modelos positivos e bem sucedidos em se espelhar, tornam-se marginais ou homossexuais egodistônicos, fora de sintonia com sua essência existencial. No fundo, os vips que não se assumem demonstram burrice e ignorância, pois se fossem pesar o que poderiam perder com a confirmação do que todo mundo já está cansado de saber, concluiriam que ninguém deixaria de ser macaca de auditório e fã simplesmente por ter tido a coragem de assumir o que hipocritamente continuam escondendo. No próximo ano, o GGB vai lançar a campanha "Saia do armário já!" , no dia 2 de abril, Dia da Verdade Homossexual, logo depois do dia da mentira, estimulando a vips enrustidos assumirem a homossexualidade.


7. Quem você acha que já deveria ter saído do armário há muito, por evidências/comportamento/coerência?
Mott - Adoro o saudoso sociólogo Gilberto Freire, por ter assumido em entrevistas e livros, que havia tido experiências homossexuais e fumado maconha. Isto não quer dizer que ele era gay, mas teve a hombridade de assumir que numa fase de sua vida, amou o mesmo sexo. Gostaria que muitos mais brasileiros célebres tivessem a honestidade e modernidade de ao menos falar que apóiam os direitos dos gays e eventualmente, que já tiveram, ou não, experiências afetivas e sexuais com o mesmo sexo, entre eles, Cauby, Ivon Cury, Nilton Nascimento, Falabela, Xuxa e Marlene, Gal Costa, Renata Sorrah, Valmor Chagas, Betania, Zizi Possi, Collor, Claudia Ximenes, Gugu, Emilio Santiago.

Voltar

1