Fotos da Enchente

 

Rodízio na ponte da Lapa e trem para transporte de passageiros

 

Diomarcelo Pessanha

Sem a ponte General Dutra, autoridades vêm buscando soluções para amenizar os problemas de trânsito e de pedestres que precisam cruzar o rio Paraíba. E ontem, o prefeito Alexandre Mocaiber, que sobrevoou as áreas atingidas do município pela cheia do rio, anunciou que, na próxima semana, quem precisar atravessar o Paraíba terá a disposição um trem, com três vagões, que transportará passageiros das 5h30 às 8h30 e entre 16h e 19h. Com relação às pontes, a Saturnino de Brito, da Lapa, continua sendo a única alternativa para veículos, porém, a partir de sexta-feira, também com novidade. O tráfego continua apenas para automóveis leves, mas será em sistema de rodízio. Nos dias pares, passam os carros de placa final par, já nos dias ímpares, os de número final ímpar. Exceção nos sábados à tarde e nos domingos, quando o esquema não será utilizado. Ontem também, técnicos do Exército vistoriaram a General Dutra, para ver a possibilidade de construir uma ponte metálica, o que avaliaram como difícil, por causa da extensão da ponte. Já Mocaiber anunciou a construção de duas pontes, uma ligando as ruas Estilac Leal e Espírito Santo, e outra, para tirar a BR 101 do centro da cidade, no distrito de Santa Cruz.

 

Campistas atravessarão Paraíba do Sul de trem 

 

Nem por terra, nem por água. A partir da próxima semana, a população de Campos que reside ou precise se deslocar até a margem esquerda do rio Paraíba do Sul irá de trem. Na tarde de hoje chegam ao município três vagões e uma locomotiva cedidos pela Ferrovia Centro-Atlântica, que farão o transporte de passageiros pela manhã e à noite pela ponte de ferro. A medida é uma das ações paliativas anunciadas pelo prefeito Alexandre Mocaiber para minimizar os efeitos das interdições das pontes que ligam o centro da cidade a Guarus. A recuperação da ponte General Dutra — trecho urbano da BR 101 na ligação com o Espírito Santo e que cedeu cerca de três metros sábado — irá demorar de três a seis meses. Mocaiber anunciou, também, medidas para preservar a ponte Saturnino de Brito, na Lapa, que está com o trânsito controlado pela Emut. O fluxo de veículos passará a funcionar em sistema de rodízio, a partir de sexta-feira. 

Engenheiros também estudam a possibilidade de liberar a ponte de ferro para caminhões. Para isso, seria preciso colocar asfalto nas cabeceiras e um “pranchão” de madeira, por onde passariam as carretas. Mocaiber ainda anunciou a construção de duas novas pontes sobre o rio Paraíba do Sul. Uma ligando a rua Estilac Leal, no Fundão, à Espírito Santo, no Caju, o que aliviaria o trânsito da General Dutra. Segundo o prefeito, o projeto já está pronto e será colocado em prática assim que o nível do Paraíba descer. A outra ponte é a que retirará o trânsito da BR 101 do centro da cidade. A ponte começará no distrito de Santa Cruz, terminando próximo a Furnas, na margem esquerda do rio. 

O prefeito esteve reunido ontem com secretários, Polícia Militar e com o promotor Marcelo Lessa, para explicar as medidas que estão sendo tomadas pela Prefeitura. Em seguida, Mocaiber conversou com diretores da Centro-Atlântica, quando ficou resolvido o transporte de passageiros através de trem, entre 5h30 e 8h30 e das 16h às 19h. Por este meio, será possível transportar 1.350 pessoas. 

No rodízio adotado pela Emut, em datas ímpares, fica permitida somente a passagem de veículos leves com placas de final ímpar. Os carros com placas de final par ficam autorizados a passar pela ponte em datas pares. Veículos oficiais e de empresas privadas para serviços essenciais, como ambulâncias, carros de reportagem e de empresas de eletricidade, telefonia e de água e esgoto, ficam dispensados do rodízio. 

Gradual — A ponte Barcelos Martins foi liberada ontem para pedestres, bicicletas e motos, além de ambulâncias e viaturas dos bombeiros e polícia. 

 

Bairro da Pecuária já sem água nas ruas 

 

A diminuição de quase três metros no nível do Paraíba possibilitou a volta para casa de centenas de moradores das regiões ribeirinhas. As ruas do bairro Pecuária, que já não eram mais vistas devido ao volume de água, voltaram ao normal durante a madrugada de ontem, fazendo com que o dia fosse de muito trabalho para os que perdeu a maioria dos móveis. 

Além da destruição dentro das residências, quatro casas da rua Senador Salgado Filho tiveram seus muros derrubados por uma onda, formada por dois caminhões que cruzaram a pista alagada no sábado. 

— Só agora, sem a água, pudemos ver melhor a destruição da rua. Vamos entrar com uma ação indenizatória contra a transportadora — disse o atendente comercial, Vicente Reis, 55. 

Moradora da Ilha do Cunha, a dona-de-casa, Eliane Rodrigues Sardinha, 50, viu a casa ser invadida pela água no sábado e se mudou para a casa da mãe, no segundo andar. Horas depois, a água também já chegava no local.

 

Campos ainda sofre com as água

  

Diomarcelo Pessanha

TRISTE - No bairro Chatuba do Lebret a situação ontem ainda era crítica, com muita água nas ruas 

O prefeito de Campos, Alexandre Mocaiber, sobrevoou de helicóptero, na manhã de ontem, as áreas mais atingidas pelo transbordamento do rio Paraíba do Sul. Apesar da diminuição do nível do rio, cuja última medição registrou 9,42 metros, as conseqüências das chuvas no município e na região Sudeste continuam causando problemas aos moradores. Agora, os principais danos são sentidos nos bairros Chatuba do Lebret e Parque São Mateus. Enquanto isso, o dia de ontem foi de retorno para casa e limpeza para parte dos moradores da Pecuária, Ilha do Cunha, Coroa e Matadouro. Cinco mil pessoas continuam desalojadas. 

Segundo Mocaiber, a atual prioridade da cidade é a utilização dos recursos destinados aos desalojados e desabrigados. “Todos os colégios e pontos que estão servindo de abrigo recebem cestas básicas, colchonetes, cobertores, leite e roupas, doadas pela população. A situação ainda é deplorável, mas o nível do rio começou a baixar, o que vai ajudar nas próximas medidas e serem tomadas”, disse Mocaiber, após o pouso do helicóptero na sede da secretaria de Esportes. 

Ainda de acordo com ele, a distribuição das cestas básicas está sendo controlada de acordo com o quantitativo de famílias abrigadas. “Estamos em estado de emergência e a ordem é que não falte nada. De qualquer maneira, o valor total desses investimentos é contabilizado”, finalizou. 

Segundo o subsecretário de Promoção Social, Paulo Cassiano, o número de desalojados ainda é grande na escola municipal José do Patrocínio e em Lagoa de Cima. “Além disso, em Santa Cruz, no Ciep do Parque Esplanada e nos Colégios Félix Miranda e Francisco Salles, o número de desalojados ainda é grande”, afirmou. 

O atendimento médico às famílias cujas casas foram alagadas está sendo intensificado. O secretário de Saúde, Rodrigo Quitete, fez ronda nos postos de saúde da rede. O objetivo foi verificar a falta de medicamentos e vacinas que tiveram aumento na demanda e fazer reabastecimento. 

A nova enchente, que começa a acometer casas dos bairros Chatuba do Lebret e Cidade Luz, foi provocada pelo transbordo do Brejo do Matadouro, que cerca toda área final de Guarus. Segundo os moradores, a água começou a avançar no início da noite de domingo, após o rompimento de uma barragem na BR 356. 

O subsecretário de Meio Ambiente e Defesa Civil, Henrique Oliveira, disse que irá sincronizar o nível do rio com os bairros mais atingidos para que as comportas dos canais sejam abertas. Assessoria do CCZ informou que moradores do Cidade Luz devem ligar para o 0800-2828822.  

Fonte Geral: http:// fmanha.com.br/

 

 

Arquivo do dia 08/01/2007

Fotos da enchente Arquivos

Arquivo do dia 07/01/2007

Fotos do rio 07/01/2007

Fotos pessoais dentro d’água

Fotos do rio no dia 06/01/2007

Arquivo do dia 06/01/2007

Fotos do rio no dia 05/01/2007

 

 

Comunidade Campos Orkut

Comunidade Praça de Travessão

 

 

 

 

 


| Fale conosco| Hosting by Miquéias Santos  |  Divulgação comunidade Campos dos Goytacazes  |

© Copyright 2007 Mickey

1