Joanna de Angelis 21
 


Com Dignidade

Queixosos expelem, intermináveis, o amargor das 
aflições, cultivando-as, no entanto, prazerosamente. 
Conhecem os meios de libertação do sofrimento e se 
afervoram à insânia.

Pessimistas espalham fartamente a indigência moral a 
que se apegam, embora saibam que a esperança agasalhada 
no imo lhes concederia tranqüilidade.

Enfermos insistem na descrição dos males a que se 
vinculam, apesar de identificarem nominalmente os 
antídotos para as mazelas que descrevem.

Viciados lamentam a própria "sina", enquanto se firmam 
nos propósitos da auto-piedade sem o menor esforço pela 
recuperação deles mesmos. Sabem dos métodos curadores 
mas prosseguem inveterados.

Inquietos comentam a instabilidade emocional de que são 
vítimas, solicitando excusas, todavia perseveram na 
sementeira da irresponsabilidade como se ignorassem os 
males que praticam.

Mendigos da piedade exibem chagas imaginárias e enredam-
se em problemas que estão longe de possuir.

Entretanto, podendo seguir a rota da ação enobrecedora, 
insistem no círculo estreito da infelicidade que 
engendram.

Outros mais, acalentando viciações mentais diversas, 
formam a caravana dos cômodos da realização superior, 
aguardando comiseração e socorro que, no entanto, se 
negam a aceitar.

Solicitam auxílio dos outros e possuem em si mesmos os 
recursos necessários para o equilíbrio.

Desejam cooperação sem a idéia de oferecer pelo menos 
receptividade.

Pedem e não doam sequer a quota mínima de esperança.

São os que aprenderam felicidade pelas vias tormentosas 
da fraude.

Preferem o parasitismo.

Agradam-se em viver assim, vítimas hipotéticas da vida e 
da Lei Divina; herdeiros, porém, da preguiça que elegem 
como nubente ideal.

Estão sempre contra, do outro lado, revoltados quando a 
migalha da compaixão real de alguém ou da falsa piedade 
geral não lhes chega à arca da insatisfação.

Acautela-te!

Junto a ele ajuda em silêncio, sem perda de tempo.

Convivendo ao lado deles, ora em silêncio para não te 
identificares com a sua vibração.

Fazendo o exame de consciência habitual, corrige as 
disposições mentais quando amolentadas para te não 
incorporares à malta deles.

Confunde-se amor, a todo instante, com sentimentalismo 
injustificável e pretende-se que o Evangelho, 
apresentando o amor como o excelente filão da vida, 
seja um valhacouto de caracteres irresponsáveis e 
espíritos fáceis.

Se assim fosse, seria o mesmo que transformar a ordem 
do Universo, em nome do amor, ao capricho dos tíbios e 
dos parvos.

Em passagem alguma da Boa Nova, encontramos o Rabi na 
usança da falsa piedade ou na acomodação com a indolência.

Construtor do Orbe, não pode ser considerado um incipiente.

Administrador da Terra, não poderia ser confundido com 
um acolhedor de néscios.

Foi, por excelência, a ação dinâmica.

De atitudes firmes e caráter diamantino, em hora alguma 
se manifestou como um fraco ou fez a apologia da cobardia.

Se preferiu a morte, fê-lo pelo heroísmo de não chafurdar 
as coisas elevadas do Espírito indômito com as 
dissipações do corpo frágil.

Se se deixou conduzir a um julgamento arbitrário, fê-lo 
para não postergar os direitos de exemplificar o valor da 
verdade, passando-os a mãos de acumpliciadas com a 
criminalidade.

Se permitiu docilmente a traição de um amigo, teve em mente 
lecionar vigilância, oração e dignidade, prescrevendo, em 
silêncio, que sublimação é tarefa pessoal, intransferível.

Se conviveu com a gente dita de "má vida", ensinou, 
através disso, que as aparências físicas não refletem as 
realidades básicas da existência...

E em todo instante foi forte: na multidão, em soledade; no 
aparente triunfo, no abandono aparente; pregando a esperança, 
sorvendo o vinagre e o fel; no instante supremo, na 
ressurreição insuperável...

A mensagem que nos legou, ofertou-no-la vibrante, estóica.

O Evangelho é repositório de força, vitalidade, vida. 
Vazado em termos de meiguice, mudou a rota dos tempos.

Desvelado, agora, pelos Espíritos Imortais, modificará a 
face do Orbe...

"Reconhece-se o verdadeiro Espírita - disse Allan Kardec - 
pela sua transformação moral, pelos esforços que emprega 
para dominar suas inclinações más".

Imanado ao espírito do Espiritismo, que te liberta da 
ignorância e das sombras, elevando padrão moral da tua vida, 
preserva-o dos que o utilizam com chocarrice e dele se 
servem como arrimo para esconderem as misérias espirituais 
em que se comprazem.

De referência ao amor, não dês lugar à zombaria e não zombes, 
não agasalhes superstições nem permitas paralelismos 
deprimentes, não te concedas leviandades nem perfilhes 
dissipações alheias, subestimando esse Consolador que 
enxuga suores e lágrimas mas que, acima de tudo prescreve 
dignidade na luta, inspirada no Herói da Ação Incessante, 
como normativa segura para a construção de um Mundo Melhor e 
de uma humanidade mais ditosa.

(Espírito e Vida - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 



*********


Exaltação do Natal

Se já consegues perceber a sublime mensagem do Natal 
de Jesus, faze um exame dos benefícios que fruis com o 
conhecimento e dos resultados produzidos na tua vida.

Refaze, mentalmente, o caminho percorrido, desde que a 
sinfonia do Natal permeou teu espírito de alegrias, e 
considera as tuas atitudes.

Embalado pelo cântico da esperança cristã, rememora 
quantas lágrimas estancastes, quantos companheiros 
soerguestes da queda moral lastimável, quantos corações 
vitalizaste com a fé clara e pura, quantas vezes 
silenciaste se ultrajado, se perseguido, se instado ao 
revide, quanto desculpaste reatando liames de afeto com 
o ofensor, quanto confiaste embora aparentemente perdido, 
apesar das tentações de toda ordem!... 

Tens elegido a serenidade como companheira nas horas 
difíceis, o amor como sustentáculo das tuas aspirações, a 
caridade como normativa fraternal e a fé como lâmpada 
sempre acesa no curso das tuas horas?!

O Natal evoca o Rei divino descendo à Terra para amar, 
como uma lição viva e inconfundível de como se devem 
conduzir os amados que conseguem amá-Lo.

Esses, os que ensaiam amá-Lo, experimentam gáudio pelo 
Seu nascimento, mas não convertem a alegria em estroinice 
nem a gratidão afetuosa em repasto exagerado, motivando 
desequilíbrios e abusos de variada contextura.

Buscam, à semelhança d'Ele, aqueles que não têm tido 
ensejo de ser amados nem socorridos e cujo leitos de 
dores se encontram à mercê das escuras tormentas da aflição 
em que eles se debatem, convertendo os sentimentos de que 
se encontram possuídos em alavancas de socorro e proteção.

Não se queixam, nem lamentam, pois que têm os olhos n'
Aquele que tudo cedeu e todas as honras desdenhou para 
exaltar o amor e elevá-lo à condição de astro-rei no 
arquipélago das conquistas humanas.

Se ainda não consegues sentir a glória do Natal de Jesus 
vibrar nas íntimas fibras do teu ser, porque a tua 
coleta há sido de desencantos e tristezas, perversidades 
e incompreensões, ou porque as amarras do cepticismo 
cedo te enovelaram aos pélagos da indiferença pelas 
questões transcendentais do espírito, evoca a história 
daquele Homem que medrou como lírio imaculado em chavascal 
odiento e não se conspurcou, que vivei sitiado pelo 
sofrimento de todos e não desanimou, que sofreu zombaria e 
apodo de toda natureza e não descreu, que se viu a sós 
quando mais era convocado ao testemunho ímpar e não se fez 
amargo nem decepcionado.

Recorda-O, simples e majestoso, face crestada pelo sol, 
cabelos ao vento, pés sangrentos, esguio e nobre, misturado 
à plebe, enxugando suor e lavando feridas, limpando raízes 
morais, acolitado por mulheres mutiladas nos ideais da 
maternidade e reduzidas à condição mais dolorosas, e por 
homens vencidos por impostos exorbitantes ou dominados por 
misérias sem nome... 

Elegeu esses, os sem-ninguém, à condição de amigos, sem 
se voltar contra aqueles outros, também infelizes, 
momentaneamente guindados ao poder ou enganados pela ilusão.

A cruz em que o cravejariam mais tarde, simbolizou-a sempre, 
de braços abertos, aconchegando ao peito afável quantos 
desejassem paz e, descrentes, necessitassem de luz e vida.

Evoca-O, e deixa que cheguem ao teu espírito e o penetrem, 
neste Natal, as vibrações d'Ele, o amigo por quase todos 
esquecido, que jamais se esqueceu de ninguém.

Aquieta o turbilhão que te atordoa, e, enquanto se espraiam 
no ar as sutis vibrações do Natal de Jesus, escuta a voz 
dos anjos e alça-te dos sítios sombrios onde te demoras para 
as culminâncias do amor clarificador de rotas em homenagem 
ao Governador da Terra, quando da sua visita, no passado, 
para que, agora, novamente Ele te possa visitar, sendo o 
conviva invisível e presente na formosa festa de paz em que 
se converterão tuas horas de agora em diante.

O Natal é mensagem perene que desceu do Céu para a Terra e 
que agora, em ti, se levanta da Terra na direção do Céu.

(Lampadário Espírita - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Soberanas Leis

Jesus, o Homem excelente, chegou à Terra e defrontou a 
ignorância em predomínio trazendo a mensagem de amor que 
jamais fora apresentada antes na formulação de que Ele se 
fazia portador.

O amor era considerado sentimento feminino, próprio da 
fragilidade atribuída à mulher, porque se ignorava a força 
existente na anima que existe em todos os homens, 
prepotentemente submetidos ao férreo jugo da brutalidade. 
Da mesma forma, o animus que compõe psicologicamente o ser 
feminino era propositalmente ignorado, a fim de não ser 
vítima de punição, que atribuía à mulher culpa e 
responsabilidade pelo delíquio inicial do homem, portanto, 
a degradação de toda a Humanidade.

Esse barbarismo conceptual encontrava a sua extravagante 
inspiração na Bíblia, interpretada de forma conveniente e 
dominador em desserviço das admiráveis imagens que revestem 
o pensamento original e podem ser decodificadas pela 
moderna psicologia profunda, como também pela psicanálise, 
retirando os mitos nela existentes e configurando os 
arquétipos que prosseguem no inconsciente individual e 
coletivo de todas as criaturas humanas.

Jesus não foi o biótipo de legislador convencional. Ele 
não veio submeter a Humanidade nem submeter-se às Leis 
vigentes. Era portador de uma revolução que tem por base o 
amor na sua essencialidade mais excelente e sutil, e que 
adotado transforma os alicerces morais do indivíduo e da 
sociedade.

As do Seu tempo eram leis injustas e condenatórias, 
punitivas e impiedosas, que viam o ser humano apenas como 
um animal passível de domesticação, e quando se lhe 
patenteava a rebeldia, tornava-se merecedor de extermínio 
para o bem da sociedade. Mormente que as paixões da sombra, 
envolvente dos legisladores e seus tribunais, sempre 
preponderavam nas decisões criminosas, não menos merecedoras 
de reparação do que aquelas que pretendiam justiçar.

A superioridade espiritual e moral de Jesus entendeu a 
necessidade, não a primazia desse código perverso, e 
submeteu-se, pois que Ele viera também para dar exemplo dos 
postulados que recomendava, considerando respeitáveis os 
profetas e legisladores que as estabeleceram nos seus 
respectivos períodos. Todavia, ele trazia uma nova versão 
da realidade, centrada no ser imortal, procedente do mundo 
espiritual e a ele volvendo, o que alterava a estrutura da 
justiça, que não mais deveria ser punitiva-destrutiva, mas 
educativa-reabilitadora. 

(Jesus e o Evangelho – À Luz da Psicologia Profunda - 
Joanna de Angelis
Divaldo Pereira Franco)



*********


Sobre o Amor

O amor se expressa como sentimento que se expande, 
irradiando harmonia e paz, terminando por gerar plenitude 
e renovação íntima. Igualmente se manifesta através das 
necessidades de intercâmbio afetivo, no qual os indivíduos 
se completam, permutando hormônios que relaxam o corpo e 
dinamizam as fontes de inspiração da alma, impulsionando 
para o progresso.

Sem ele, se entibiam as esperanças e desaparece o objetivo 
existencial do ser humano na Terra.

As grandes construções do pensamento sempre se alicerçam 
nas suas variadas manifestações, concitando ao 
engrandecimento espiritual, arrebatando pelos ideais de 
dignificação humana e fomentando tanto o desenvolvimento 
intelectual como o moral.

Valioso veículo para que se perpetue a espécie, quando no 
intercurso sexual, de que se faz o mais importante 
componente, é a força dinâmica e indispensável para que 
a vida se alongue, etapa-a-etapa, ditosa e plena.

Sob a sua inspiração as funções sexuais se enobrecem e a 
sexualidade se manifesta rica de valores sutis: um olhar 
de carinho, um toque de afetividade, um abraço de calor, 
um beijo de intimidade, uma carícia envolvente, uma 
palavra enriquecedora, um sorriso de descontração, 
tornando-se veículo de manifestação da sua pujança, 
preparando o campo para manifestações mais profundas e 
responsáveis.

A harmonia e a satisfação de ambos os parceiros constituem 
o equilíbrio do sentimento que se espraia e produz plenitude.

Quando o sexo se impõe sem o amor, a sua passagem é rápida, 
frustrante, insaciável...

(Amor, Imbatível Amor - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 177

Deixa o outro terminar o assunto, sem interrupção.

Certamente, há um limite para deixá-lo falar. Não obstante, 
ouvindo-o, te equiparás mais de argumentos para 
esclarecê-lo.

Se o interrompes, talvez concluas equivocadamente o tema 
e não consigas entender o que ele desejou dizer.

Nem todos explicam o que pensam com facilidade, 
complicando-se, às vezes ou falando de maneira nebulosa. 

Busca penetrar na idéia e dialoga, sem enfado nem 
exasperação.

Não imponhas os teus pensamentos, nem tentes impedir a 
apresentação de outras idéias que não as tuas.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 178

Controla a tua ansiedade.

A ansiedade mal dirigida produz danos orgânicos de 
variada classe e gera mal-estar onde se apresenta;

Irradia uma onda inquietante e espalha insegurança 
em volta.

A pessoa ansiosa requer mais atenção, que nem sempre 
se lhe pode dispensar; está sempre queixosa e 
acarreta problemas para as demais.

Vê o que ainda não está ocorrendo e precipita-se a 
situações indesejáveis, para arrepender-se depois.

A calma é o abençoado antídoto da ansiedade, que advém 
quando desejas esforçar-te para viver em paz e 
confiança em Deus.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 179

A cobiça dos bens alheios é um mal que se generaliza.

Lentamente, as pessoas se apresentam insatisfeitas, 
cobiçando os pertences que não possuem e de que não têm 
real necessidade.

Se cada um bastar-se com os recursos de que dispõe, a 
vida se tornaria mais rica de beleza e de experiências.

Há uma falsa proposta de felicidade muito propalada 
nestes dias, que chamaremos de posse mesmista.

Todo mundo deseja as mesmas coisas que o próximo possui, 
e a imitação das fantasias e quimeras produzidas pela 
imaginação passou a ser a meta a alcançar-se.

Quem não consegue o mesmismo, considera-se rejeitado, 
infeliz.

Não cobices ninguém.

Realiza-te em ti mesmo e frui de paz.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Velho Arrimo

Emaranhado nos cordéis das próprias limitações, o 
candidato à Boa Nova gravita em volta de interesses 
subalternos, mesmo depois de notificado sobre as 
legítimas aspirações que devem animar o espírito encarnado. 
E perde ocasiões de serviço preciso, em que poderá agir 
com segurança, construindo a alavanca que o impulsionaria 
a alturas morais expressivas.

A linguagem do Cristo, no entanto, não enseja qualquer 
equívoco.

"Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça — falou, 
incisivo, o Mestre, — e tudo mais vos será acrescentado
."

A busca, todavia, entre os homens por enquanto, com raras 
exceções, resume-se invariavelmente, na perseguição à 
mordomia dos bens transitórios.

"Devo acautelar-me e preparar o amanhã" — afirmam, 
previdentes, muitas vozes.

"Creio e necessito de Jesus, mas a família me impõe deveres 
de preservar algo para o futuro
" — esclarecem, seguros, 
diversos aprendizes.

"Buscar primeiro o Reino dos Céus... mas não esquecer que 
se vive na Terra
", informam, sardônicos, os mais 
acomodados.

Passa o tempo e as oportunidades de realização íntima 
se transferem, sem que se reatem com a segurança que seria 
de desejar, para uma ação elevado e libertadora.

Arrimados ao velho desculpismo, no qual ocultam a 
indolência e a própria aceitação da inércia, preocupam-se 
com o futuro que não passa de um hoje um pouco mais 
elástico.

Busca-se amontoar dinheiro sem que, no entanto, com ele 
se consiga paz.

Busca-se alimentar vaidades de variada catalogação, e o 
tempo se encarrega de despojar dos caudais da ilusão.

Busca-se poder, e nele empedernece-se o sentimento.

Busca-se autoridade, falindo, desastradamente, nas 
diretrizes de aplicação.

Busca-se prestígio social e político, para despertar-se 
com o caráter envilecido.

Busca-se admiração, fugindo-se a si mesmo.

As buscas não vão além dos vagos e atormentados limites 
do imediato.

Todos os bens, em primeira plana, pertencem a Nosso Pai, 
e Ele sabe o que mais nos é necessário para o lídimo 
progresso.

O homem inteligente não se afadiga pelos tesouros que 
sobrecarregam de preocupações inúteis e não podem ser 
transportados.

Os valores evangélicos são-lhe meta, as realizações da 
Terra constituem meios de uso que se consomem, e se 
empenha na conquista do continente a desbravar do 
próprio espírito.

Nessa busca — o Reino de Deus dentro de nós — tudo 
encontra por misericórdia acrescentado.

Quando Teresa d´Ávila, a abnegada mística espanhola, 
deu início à campanha para angariação de meios, a fim 
de erguer um mosteiro para ensinar austeridade moral e 
dignificação cristã às jovens noviças, saiu como 
esmoleira.

Visitando garboso nobre a quem solicitou auxílio, deste 
não recebeu a mínima consideração.

"Do que valem Teresa e três coroas?" — teria inquirido, 
sarcástico, considerando os parcos bens de que dispunha 
a lutadora cristã.

Inspirada, no entanto, respondeu a monja: "De nada valem 
e nada podem fazer Teresa e três coroas, mas Deus, 
Teresa e três coroas tudo podem
" e, buscando o Reino de 
Deus, seguiu o rumo das suas nobres tarefas, tendo-lhe 
sido "tudo mais acrescentado".

(Dimensões da Verdade - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 
 
 
  ********* 
 
 Mediuns e Investigadores

Transformam-se em consumidores da mediunidade, 
convertendo-a em objeto.

Pretendem manejar os Espíritos ao próprio talante.

Requerem atendimento a necessidades de vária procedência, 
normalmente de secundária importância, a que dão valor 
primordial.

Esperam revelações bombásticas em torno do próprio passado, 
sem excogitarem da situação e possibilidades que 
desfrutam no presente.

Comprazem-se em profetismo irrelevante, mesmo que se não 
cumpram tais arremedos precognitivos.

Aspiram por soluções fáceis para as embaraçosas situações 
que geram, por insensatez ou descaso, para com os deveres 
mais altos.

Desejam assessoria e acompanhamento espiritual constituídos 
por Entidades veneráveis, embora o comportamento pessoal 
deixe muito a desejar.

Carregam problemas que não querem resolver, mas requerem 
que sejam equacionados pelos Mentores, a pequeno esforço 
pessoal.

Anelam por dispor de médiuns infalíveis para as 
frivolidades e coisas falíveis.

Precipitadamente combatem a face religiosa do Espiritismo, 
afirmando-se cientistas e amantes da feição cultural, 
experimental da Doutrina Espírita.

Felizmente não constituem a generalidade dos que 
investigam nobre e conscientemente, a mediunidade.

Não os censuramos, por tal comportamento.

Cada Espírito é livre em si mesmo, no pensar, como no agir.

A maturidade ou infância espiritual de cada homem responde 
pelas suas preferências, sendo lícito o comportamento que 
melhor condiz com a sua situação evolutiva.

Estão, porém, confundidos, no que tange à interpretação 
dos fins da mediunidade, quanto dos objetivos do 
Espiritismo.

A feição moral da mensagem espírita ressalta da própria 
informação mediúnica, dando ênfase aos valores éticos 
conforme as diretrizes evangélicas, que não devem ser 
relegados a plano secundário.

Demonstrada a imortalidade da alma, é natural considerar-
se o seu estado moral, sua situação evolutiva, como se 
sente - se feliz ou desventurada -, do que decorre todo 
um processo filosófico de comportamento existencial, em 
que a própria vida se estrutura.

Injustificável ignorar-se os efeitos das atitudes, quando 
em contato mediúnico com os Espíritos.

São ditosos ou infelizes em decorrência da vida que se 
permitiram.

A morte não os modificou.

Um pouco de reflexão convida a quem com eles dialoga a 
resultados de profundidade, retirando proveito e linhas 
de ação para si mesmos.

Resguarda tuas faculdades mediúnicas das investidas 
insensatas.

Impõe-te a coerência haurida na Doutrina, não te 
submetendo a essas estranhas investigações, que 
disfarçam mesquinhez e desconsideração pela imortalidade.

Reserva as tuas forças psíquicas para o superior trabalho 
do bem, com vistas ao progresso espiritual do próximo, 
teu irmão.

São insaciáveis, esses companheiros, e estão em toda 
parte, ora dizendo-se cépticos, noutros momentos 
afirmando-se interessados.

A morte os surpreenderá, quando menos esperem, e terão 
ensejo de constatar, por experiência pessoal, o que 
agora não querem considerar.

... E retornando à Terra, pela bênção da reencarnação, 
certamente virão com faculdades mediúnicas, talvez 
atormentados, refazendo o caminho e crescendo em 
experiência, qual ocorre contigo, no rumo do equilíbrio 
e da paz.

(Oferenda - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 180

Irradia a caridade da tua fé, através do teu sorriso, 
das tuas palavras, e da tua atitude perante a vida.

O mundo necessita de luz para superar as sombras 
dominantes.

Distende a tua presença confiante e rica de luminosidade, 
auxiliando os tímidos e os desanimados, os que caíram e 
os revoltados.

a luz atrai sempre, enriquecendo de beleza. Não deixes 
que se apague essa estrela, porque haja fatores 
dissolventes e agressões em volta.

Deixa brilhar, apontando rumos ditosos para os que 
anelam por uma oportunidade de realização.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 181

A máxima lição da vida é o amor.

Sem ele os objetivos a alcançar perdem a finalidade, 
deixando a criatura à mercê das suas paixões interiores.

O amor dilui as sombras dos sentimentos negativos, 
imprimindo o selo da mansidão em todos os atos.

Ama, portanto, tudo e todos.

Exercita-te no amor à Natureza, que esplende em Sol, ar, 
água, árvore, flores, frutos, animais e homens.

Deixa-te enternecer pelos convites silenciosos que o Pai 
Criador te faz e espraia as tuas emoções por sobre as 
coisas, dulcificando-te interiormente.

Quanto mais ames, menos serás atingido pelas farpas do 
mal, pois que a tua compreensão dilatada abrirá os espaços 
à vida, colhendo somente os efeitos da paz.
 
(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 182

Há uma permanente luta íntima, quando o homem se 
resolve por abraças a vida nobre.

Quais dois exércitos em fúria, no campo mental, surgem 
constantes confrontos.
Os guerreiros habituais - o egoísmo, o orgulho, a 
violência, a ambição - tentam superar os novos combatentes 
- o amor ao próximo, a humildade, a pacificação, a renúncia.

O indivíduo sente-se dividido e angustiado.

Nesse terreno áspero brilha, porém, a luz da inspiração 
superior que lhe aclara a alma e a estimula a insistir 
nos propósitos elevados.

Investe na batalha da vida os teus esforços nobres e não 
desistas.

Cada dia de resistência representa uma vitória até o 
momento da glória total.


(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)


*********

Vida Feliz 183

Desculpa sinceramente, a ignorância dominante.

Não esperes justificação do outro, o teu ofensor.

Supera os ingredientes indigestos da agressão dele e 
mantém-te bem, buscando esquecer de fato a ocorrência má.

Quem guarda mágoas do-se com os miasmas que elas exalam.

O agressor está muito desequilibrado e necessita da 
medicação da bondade para recuperar-se.

Perdeu a lucidez, e por isto agride.

Concede-lhe a oportunidade que ele não te dá.

É sempre mais confortável a posição de quem é generoso.

Melhor que sejas tu o doador, significando que já 
conseguiste o que ao teu próximo falta.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



********* 

Vida Feliz 184

No teu local de trabalho descobrirás, talvez, 
conspiradores da tua paz.

O mundo é uma arena ampliada, e as pessoas desprevenidas, 
ao invés de se amarem uma às outras, armam-se umas conta 
as outras.

Em algumas circunstâncias tornam-se feras inconscientes 
que apenas reagem, sempre assumindo posturas inadequadas à 
sua situação de humanidade, buscando tomar o lugar dos 
outros, derrubar, ver sofrer...

Evita essa competição criminosa, essa disputa 
desequilibradora, atuando com retidão e consciência.

A tua parte ninguém tomará, nem o teu mérito calúnia alguma 
ofuscará.

Age, pois, com correção e fica tranqüilo.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 185

Mais dias, menos dias, o sofrimento chegará ao teu 
coração, pois que ele faz parte dos fenômenos da 
vida em progresso.

Sem a sua presença a soberba, o despotismo, a 
agressividade se fazem insuportáveis.

Porque o homem ainda não entende a voz suave do amor, 
defronta a aflição que lhe lima as arestas e o persuade 
à reflexão, ao bem.

Às vezes, o indivíduo reage, blasfema, esperneia e 
termina por ceder, única maneira de liberar-se.

Desta forma, não te rebeles ante a dor piorando a tua 
situação e desgastando-te inutilmente.

A aceitação dinâmica, isto é, a transformação do 
sofrimento em experiência, realiza o milagre do êxito.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 186

O lar é o templo da família.

Os filhos são empréstimos divinos para a construção 
do futuro ditoso.

Toso o tempo possível deve se aplicado na convivência 
familiar, através dos diálogos, dos exemplos, 
tornando-se o método mais eficaz de educação.

Os hábitos adquiridos no lar permanecem por toda a 
existência e se transferem para além do corpo.

Educar é vive com dignidade, deixando que se impregnem 
dos conteúdos, com vigor, aqueles que participam da 
convivência doméstica.

tudo quanto invistas no lar, retornará conforme a 
aplicação feita.

Faze do teu lar a oficina onde a felicidade habita.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 187

Nestes dias agitados angústia caminha com o homem, 
disfarçada de medo, de ansiedade, de sentimento de 
culpa.

Naturalmente, as pressões a que a pessoa está sujeita 
respondem por tal situação.

a ansiedade pelo prazer exorbitante frustra; os fatores 
agressivos amedrontam, e a timidez encontra uma forma 
de levar ao complexo de auto punição.

Afasta da mente esses fantasmas responsáveis por males 
inumeráveis.

És filho de Deus, por Ele amado que te protege e abençoa.

Não te afastes das Suas Leis e se te enganares, ao invés 
de te entregares aos conflitos desnecessários, retorna 
ao caminho do dever, sem receio algum.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 188

Nunca te omitas ante a tarefa de auxiliar.

Não somente com o dinheiro, a posição social relevante, 
o poder se dispõe de recursos para ajudar.

A palavra gentil é geradora de estímulos e valores que 
logram resultados preciosos.

O verbo tem erguido civilizações, como levado multidões 
à guerra, à destruição.

Usa a palavra para socorrer, emulando as pessoas caídas 
a levantar-se, os que dormem a despertar, os errados a 
corrigir-se, os agressivos a acalmar-se.

Fala com elevação e bondade, tornando-te microfone fiel 
a serviço do bem.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 189

A tua vida não termina no túmulo.

Com esta consciência aprende para a eternidade, reunindo 
valores que jamais se consumam.

Toda lição que liberta do mal se incorpora a alma, como 
força de vide indestrutível.

Fosse a morte o fim da vida, e sem sentido seria o 
Universo.

A criação se esmaeceria e o ser pensante estaria 
destituído de finalidade.

Tudo, porém, conclama o se à glória eterna, à 
continuidade do existir, ao progresso incessante.

Estuda e trabalha sem cessar, com os olhos postos no 
teu futuro espiritual, vivendo alegre, hoje e pleno, 
sempre.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********

Vida Feliz 190

Os problemas são desafios para o homem.

Toda pessoa que pensa, enfrenta problemas, porquanto a 
vida no corpo transcorre sob a ação de variadas 
situações difíceis. 

Aprende a conviver com eles, tentando resolvê-los, quanto 
possível, sozinho. Se não conseguires, busca a experiência 
de outrem e luta até solucioná-los no momento próprio.

Não os transfiras para os outros, que os têm, embora não 
o demonstrem.

É desrespeito sobrecarregar o próximo com os nossos 
problemas, sem considerar as aflições que, certamente, lhe 
pesam sobre a existência.

Um problema hoje solucionado é lição para os que estão por 
vir.

Aprende a resolvê-los, para viver em paz.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********

Vida Feliz 191

A tua vida possui alto significado.

Descobri o sentido da existência e para que te encontras 
aqui, eis a tua tarefa principal.

Muitos indivíduos, por ignorância, colocam os objetivos que 
devem alcançar nas questões materiais e, ao consegui-los, 
ficam entediados, sofrendo frustrações e tão infelizes 
quanto aqueles que nada logram.

Se observas a questão espiritual da vida, a necessidade de 
te iluminares com o pensamento divino, toda a tua marcha 
se realizará segura e frutuosa.

Ninguém pode sentir-se completado, se não estiver em 
constante ligação com Deus, a Fonte Geradora do Bem.

Pensa nisso e segue o rumo da vida permanente.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Relacionamentos Saudáveis

Ninguém consegue viver sem a harmonia do grupo social 
no qual se encontra. Animal gregário, o ser humano 
nutre-se da vibração e da presença de outro igual, que 
o estimula para avançar na busca da sua auto-realização.

O relacionamento social é de grande importância para 
desenvolver os valores que se encontram adormecidos 
nos refolhos do inconsciente, aguardando os estímulos 
que os fazem exteriorizar-se, e isso, somente é 
possível, na convivência com outros indivíduos da 
mesma espécie.

O isolacionismo é sintoma de desajuste emocional, 
portanto de psicopatologia que necessita seja aplicada 
uma terapia competente.

Na convivência com o próximo, o ser humano lima as 
arestas anteriores e ajusta-se ao grupo, aprendendo que 
a sua perfeita sintonia com os demais resulta em 
produção e aperfeiçoamento moral para todos. O seu 
crescimento é conquista geral, o seu fracasso é 
desastre coletivo. Nesse mister, portanto, descobre a 
beleza da harmonia, que resulta da perfeita 
identificação com os componentes do conjunto.

Quem duvide do valor da renúncia pessoal em favor do 
aperfeiçoamento do grupo social, observa, numa 
orquestra, qualquer instrumento que se destaque, por 
exibicionismo, destoando da pauta musical, e teremos 
a tragédia do esforço de todos.

Assim, portanto, há uma necessidade ética, psicológica, 
moral, em favor do relacionamento entre as criaturas, 
particularmente quando este pode ser saudável. A sua 
proposta se faz mediante o intercâmbio fraternal, 
aspirações culturais, doações dignificadoras, que se 
convertem em esforço de construção de momentos 
enriquecedores.

Os estímulos humanos funcionam de acordo com os 
propósitos agasalhados, porque a mente, trabalhando os 
neurônios cerebrais, estimula a produção de enzimas 
próprias aos sentimentos de solidariedade ou às 
reações belicosas. Assim, portanto, aspirar e manter 
idéias de teor elevado, constitui meio seguro de 
conseguir-se relacionamentos saudáveis. 

(Vida – Desafios e Soluções - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)


*********


Auto-Encontro

A ansiosa busca de afirmação da personalidade leva o 
indivíduo, não raro, a encetar esforços em favor das 
conquistas externas, que o deixam frustrado, 
normalmente insatisfeito.

Transfere-se, então, de uma para outra necessidade que 
se lhe torna meta prioritária, e, ao ser conseguida, 
novo desinteresse o domina, deixando-o aturdido.

A sucessão de transferências termina por exauri-lo, 
ferindo-lhe os interesses reais que ficam à margem.

Realmente, a existência física é uma proposta oportuna 
para a aquisição de valores que contribuem para a paz 
e a realização do ser inteligente. Isto, porém, somente 
será possível quando o centro de interesse não se 
desviar do tema central, que é a evolução.

Para ser conseguida, faz-se imprescindível uma avaliação 
de conteúdos, a fim de saber-se o que realmente é 
transitório e o que é de largo curso e duração.

Essa demorada reflexão selecionará os objetivos reais dos 
aparentes, ensejando a escolha daqueles que possuem as 
respostas e os recursos plenificadores.

Hoje, mais do que antes essa decisão se faz urgente, por 
motivos óbvios, pois que, enquanto escasseiam o equilíbrio 
individual e coletivo, a saúde e a felicidade, 
multiplicam-se os desaires e as angústias ceifando os 
ideais de enobrecimento humano.
*
Se de fato andas pela conquista da felicidade, tenta o 
auto-encontro.

Utilizando-te da meditação prolongada, penetrar-te-ás, 
descobrindo o teu ser real, imortal, que aguarda ensejo 
de desdobramento e realização.

Certamente, os primeiros tentames não te concederão 
resultados apreciáveis.

Perceberás que a fixação da mente na interiorização será 
interrompida, inúmeras vezes, pelas distrações habituais 
do intelecto e da falta de harmonia.

Desacostumado a uma imersão, a tua tentativa se fará 
prejudicada pela irrupção das idéias arquivadas no 
inconsciente, determinantes de tua conduta inquieta, 
irregular, conflitiva.

Concordamos que a criatura é conduzida, na maior parte 
das vezes, pelo inconsciente, que lhe dita o pensamento e 
as ações, como resultado normal das próprias construções 
mentais anteriores.

A mudança de hábito necessita de novo condicionamento, a 
fim de mergulhares nesse oceano tumultuado, atingindo-
lhe o limite que concede acesso às praias da harmonia, do 
auto descobrimento, da realização interior.

Nessa façanha verás o desmoronar de muitas e vazias 
ambições, que cultivas por ignorância ou má educação; o 
soçobrar de inúmeros engodos; o desaparecer de incontáveis 
conflitos que te aturdem e devastam.

Amadurecerás lentamente e te acalmarás, não te deixando 
mais abater pelo desânimo, nem exaltar pelo entusiasmo 
dos outros.

Ficarás imune à tentação do orgulho e à pedrada da inveja, 
à incompreensão gratuita e à inimizade perseguidora, porque 
somente darás atenção à necessidade de valorização do ser 
profundo e indestrutível que és.

Terminarás por te venceres, e essa será a tua mais 
admirável vitória.

Não cesses, portanto, logo comeces a busca interior, de 
dar-lhe prosseguimento se as dificuldades e distrações do 
ego se te apresentarem perturbadoras.

(Momentos Enriquecedores - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 



*********


Busca de Silêncio


É no silêncio que se pode encontrar Deus, fruir de paz, 
desvendar os enigmas, auto-aprimorar-se.

Nem todos têm facilidades de silenciar afições e perguntas 
pungentes na balbúrdia, na alucinação do cotidiano, 
tornando-se preciso buscar um lugar que propicie as 
condições ambientais facilitadoras das emocionais.

Como providência terapêutica, todos devem afastar-se por 
algum tempo do contubérnio em que se encontra detido, 
refazendo caminhos de pensamentos, revitalizando disposições 
para o trabalho, a família e a sociedade, auto-encontrando-
se. Não se trata de buscar um tipo de repouso entediante, 
feito de ociosidade, mas de um retorno às suas origens, à 
pureza do coração, à simplicidade, à análise de como é 
morrer, deixando as inutilidades que recebem atribuição de 
valiosos tesouros.

(O Despertar do Espírito - Joana de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 
 
 
 ********* 
 
 
  Psicossíntese

A técnica apresentada pela psicossíntese é de perfeita
consanância com a realidade do Espírito, quando o
indivíduo pode afirmar que tem um corpo, mas não é o
corpo, que está no corpo, no entanto, a realidade
paira acima dele. Conseguir-se essa distinção de
linguagem, como por exemplo, quando se diz
costumeiramente: - meu corpo, minha casa, meus bens,
meu espírito...

Não é o Espírito uma posse do corpo, mas, esse que,
àquele pertence. O correto será afirmar-se: - Eu
Espírito, tenho um corpo, uma casa, bens, que afinal
são transitórios e mudam de mãos, menos o ser
essencial, que permanece após todas as conjunturas
e ocorrências.

(O Despertar do Espírito - Joana de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 192

Generaliza-se a idéia falsa de que o homem honesto e 
trabalhador é um idiota.

Assim afirmam diante da prosperidade material da injustiça 
e do furto, da ignomínia e do suborno, que assumem 
proporções devastadoras no organismo social.

Não têm, porém, razão aqueles que assim pensam e agem, 
porquanto, a abundância material sem a dignidade perverte 
os costumes, desorganiza o homem e envilece a alma.

Só a honra prevalece, e o bem subsiste a tudo.

Continua sábio, agindo com elevação.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 193

Em toda parte a astúcia, a violência e o crime se 
apresentam vitoriosos. Estes são os dias de insensatez 
e cálculo para o mal.

Certamente a avalanche de loucura ameaçadora.

Jamais, houve, no entanto na Terra, tanto amor e tanta 
bondade!
Veicula-se mais a calamidade do que a renúncia, o 
escândalo do que o bom senso. Todavia, há inumeráveis 
pessoas que acreditam e trabalham pelo seu próximo, 
promovendo a Era da felicidade.

Une-te a estes heróis anônimos do bem e proteja o homem, 
ajudando-o a ser livre e ditoso.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)


*********


Vida Feliz 194

Apregoa as vantagens de uma vida sadia, estimulando 
os companheiros a experimentá-la.

Divulgam-se com entusiasmo as excelências dos prazeres 
estonteantes, dos gozos desgastantes, dos excessos 
aniquiladores.

Não se comentam, todavia, com o mesmo ardor, a decadência 
dos ases e campeões do sexo desalinhado, a alucinação dos 
que viveram as experiências embriagadoras...

Os vitoriosos, considerados manchetes de jornais e revistas, 
sucessos de rádio e televisão de ontem, hoje estão no 
ostracismo e na queda, esquecidos e desprezados, 
substituídos por novos joguetes do mercado da loucura.

Vive com saúde moral e demonstra aos outros quanto isto é 
bom.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 195

Quem aspira um futuro melhor para a Humanidade, deve 
contribuir para a educação e a vida infantil.

O que se aplique na criança, será devolvido com juros.

O investimento de amor retornará em forma de bênçãos 
salvadoras e o de abandono volverá como delinqüência e 
desgraça.

Se te faltam recursos mais específicos para auxiliar a 
criança, oferece-lhe palavras lúcidas, que não corrompem. 
E exemplos que as estimulem a ser verdadeiros cidadãos 
mais tarde.
Constrói hoje os teus dias de amanhã.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)


*********


Vida Feliz 198


Em qualquer atividade que exerças, considera-te servidor 
de Deus.

Por mais humilde seja a tua profissão, ela é por demais 
valiosa no conjunto social em que te encontras.

Cumpre com os teus deveres com alegria, e consciente do 
seu significado, do valor que eles têm e de quanto são 
importantes para a comunidade.

Ilhas imensas surgem nos mares, construídas por humildes 
ostras.

Desertos colossais resultam de pequenos grãos de areia 
que se acumulam.

Oceanos volumosos são nada mais do que gotinhas de água.

a tua parcela no mundo é de grande relevância. Portanto, 
trabalha com disposição e nobreza.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz 199

Nunca te apóies no pessimismo para deixar de lutar.

O que os outros conseguem através do trabalho, obterás 
também, se tiveres paciência e perseverança.

Não pretendas iniciar a vida por onde os outros estão 
concluindo.

O êxito depende de muitas tentativas que não deram certo.

O fracasso sempre ensina o modo como não se devem fazer 
as coisas.

Insiste no teu serviço com otimismo e avança com vagar na 
direção da tua vitória. Cada dia vencido são vinte e 
quatro horas que ganhastes.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 
 
 
 
 ********* 
 
 
 Vida Feliz 200

Agradece a Deus a tua existência.

Louva-O através de uma vivência sadia.

Exalta-Lhe o amor de uma vivência sadia.

Dignifica-O, sendo-lhe um servidor devotado e fiel.

Apresenta-O à humanidade, tornando-te exemplo de 
amigo e irmão em todas as circunstâncias.

Glorifica-O, trabalhando pelo bem de todos, teus 
irmãos em humanidade.

Respeita-O, obedecendo às Soberanas Leus que governam 
a vida.

Reconhece-O em tudo e todos, mediante uma vida feliz, 
na tua condição de filho bem amado.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Conserva a Paz

A pretexto algum percas a paz. Tua paz — tua vida.

Quando a provocação te chegue, utilizando os ardis e os petardos de violência, permanece em harmonia. A tua paz é um tesouro de valor inestimável.

Quando a inveja te arroje calúnias e procure ferir os teus propósitos e atos de enobrecimento, não lha concedas atenção, perturbando-te. A tua paz é conquista que merece sacrifício a fim de ser preservada.

Quando os alcagüetes da irresponsabilidade semearem acusações indébitas contra ti, não desanimes nem envenenes a tua serenidade. A tua paz é relevante, a fim de que colimes os objetivos a que te afeiçoas.

Quando a anarquia do despeito arremesse pedradas contundentes contra as tuas tarefas e malsine o teu nome, mantém-te em clima de tranqüilidade. A tua paz é o sinal-vitória da tua conduta feliz.

Ninguém transita, no mundo, isento da agressão ou da impiedade, da malquerença ou do achincalhe...

As enfermidades morais se nutrem nas paixões dos espíritos torpes ainda carentes de saúde mental. Sempre estes constituíram os grupos de motejadores, de competidores pela perseguição gratuita.

Mesmo Jesus não esteve imune a eles e às suas tramas...

No entanto, passam com as infelizes artimanhas com que mais se estiolam e se infelicitam...

Não forneças, desse modo, material pelo revide ou pela sustentação da intriga aos adversários da tua paz.

O Senhor sempre tem soluções inesperadas para todos os problemas.

Tais companheiros, problemas em si mesmos, quando oportuno, serão convocados à reflexão mediante as enfermidades, os dramas morais, as surpresas dos acidentes ou a desencarnação, qual terapêutica valiosa e salvadora para eles mesmos, a fim de que não comprometam demais.

Persevera nos teus compromissos nobres, e, servindo ao bem, conserva a tua paz em Jesus.

(Sementes da Vida Eterna - Joanna de Angelis - 
Divaldo Pereira Franco)



*********

O Relacionamento

O ser humano necessita do valor afetivo de outrem, 
mediante cuja conquista amplia o seu campo de emotividade 
superior, desenvolvendo sentimentos que dormem e são 
aquecidos pelo relacionamento mútuo, que enseja 
amadurecimento e amor. Concomitantemente, espraia-se 
esse desejo de manter contato com as expressões mais 
variadas da vida, nas quais haure alegria e renovação de 
objetivos, por ampliar a capacidade de amar e de 
experienciar novas realizações.

O fluxo da vida humana se manifesta através dos 
relacionamentos das criaturas umas com as outras, 
contribuindo para uma melhor e mais eficiente convivência 
social. Nas expressões mais primárias do comportamento, 
o instinto gregário aproxima os seres, a fim de os 
preservar mediante a união de energia que permutam, 
mesmo que sem se darem conta.


(O Despertar do Espírito - Joana de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)



*********


Vida Feliz - 197

Reserva momentos para que se refaçam os teus equipamentos 
mentais.

Da mesma forma que o corpo se desgasta, a mente se cansa 
e desarmoniza.

A mudança de atividade, o espairecimento, os jogos que 
distraem, os desportos, a meditação, funcionam como 
recursos valiosos para o reajuste mental.

Dedica algum tempo à tua renovação interior, examinando o 
que fazes e como torná-lo mais agradável, ensejando-te 
equilíbrio e menos fadiga.

A mente é espelho que reflete o estado do espírito, 
merecendo carinho e desvelo, a fim de funcionar bem e com 
êxito.

(Vida Feliz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco) 



*********


Diversidade de Moradas

EV. Cap. III, Item 3
...Há muitas moradas na casa de meu Pai.
S. João, cap. XIV, v.2


[...] A ingenuidade medieval explicava que as estrelas 
fulgurantes no Infinito eram lâmpadas mágicas para 
iluminarem a noite por misericórdia de Deus.

O conceito geocêntrico do Universo expressava o limite 
imposto pelo grau de desenvolvimento cultural e intelectual 
dos seres ainda presos aos interesses da sobrevivência em 
ambiente físico, social, político e religioso hostil e 
castrador das expressões de liberdade, de conhecimento e 
de felicidade que sempre se encontram ínsitos nos seres 
humanos.

Os dogmas perversos naquela cultura ainda primitiva, na 
qual predominava a força do poder temporal, mesclado com 
o religioso disfarçado nas sombras coletivas dos 
dominadores, impediam a compreensão do ensinamento de 
Jesus que procedia de outras Esferas, portanto, de uma 
feliz morada que a mente humana de então não dispunha de 
meios para entender.

Vivendo níveis de consciência muito primitivos, em sono 
e com leves sonhos, não era possível alcançar outros 
degraus, em razão do conhecimento e do pensamento se 
deterem nos estágios primitivo e mitológico, que 
constituíram base para o estabelecimento de alguns 
princípios religiosos mais compatíveis com as necessidades 
existenciais relacionando-os interpretativamente com as 
propostas morais e espirituais neotestamentárias.

Sem recursos para libertar o espírito que vivifica da 
letra que mata, os teólogos mantinham as mentes 
encarceradas na sujeição às palavras e aos decretos 
audaciosos de reis e papas dominadores, antes que aos 
nobres postulados libertadores da consciência livre de 
peias, conforme Jesus viera ensinar, estabelecendo o 
primado do Espírito como fundamental para o progresso 
da Humanidade. [...]

(Jesus e o Evangelho – À Luz da Psicologia Profunda – 
Joanna de Angelis - Divaldo Pereira Franco)


*********


Idealismo Sacrifical

Todo aquele que se destaca no grupo social, de imediato 
passa a experimentar críticas e dissabores.

Chamando a atenção, provoca inveja e desperta os instintos 
competitivos vigentes na massa, graças aos quais enfrente 
aguerrido combate.

Se é portador de ideais superiores, logo vai taxado de 
louco, por colocar as suas ambições acima das vacuidades, 
renunciando às quinquilharias transitórias em favor das 
metas almejadas.

Raramente se faz aceito de imediato, tornando-se-lhe 
necessário o testemunho quando não se lhe impõe a imolação.

São, no entanto, esses homens e mulheres, audaciosos — 
que não temem as críticas ácidas nem a perseguição 
contumaz — que precipitam o progresso, abrindo espaços 
iluminados para todos aqueles que vêm depois.

Ridicularizados no início, passam como objeto de chocarrice, 
para depois impressionarem pela sua tenacidade e imporem-se, 
finalmente, pelas realizações e amor.

Vitalizados pelo combustível da afetividade, são imbatíveis, 
desde que legítimos se apresentem os empreendimentos em tela, 
alterando o status da sua época e conclamando os demais à 
renovação interior e ao cumprimento dos nobres deveres.

O mundo entroniza com alegria os histriões e os vândalos, os 
corruptos do poder e os ilusionistas, porque a realidade 
desagrada aos equivocados, por despertá-los para 
compromissos de alta gravidade.

Porque se encontram conscientes da tarefa a executar, os 
idealistas não cedem, não se atemorizam, nem recuam. Passo 
a passo avançam, e quanto mais dificuldades enfrentam, 
mais resistências adquirem.

O cristão, no atual contexto social, é alguém deslocado se 
pretende ser autêntico e se deseja desincumbir-se bem dos 
compromissos que lhe dizem respeito.

Diante de uma ética permissiva e de valores equívocos quão 
secundários, ele vê-se na encruzilhada de difíceis decisões. 
Enquanto a grande maioria corre, desenfreada, na busca do 
prazer sensualista, ele opta pela conquista da paz interior; 
enquanto os avaros acumulam coisas a que emprestam valor e 
utilidade preciosa, ele reparte; enquanto a disputa pelos 
aplausos cresce cruel, ele se oculta para servir, trabalha 
para ajudar, e se as circunstâncias lhe exigem comparecer 
sob o ofuscar dos refletores da vaidade terrestre, não se 
ensoberbece, buscando prosseguir inalterado e confiante, 
porque sabe relacionar o êxito de uma hora com o insucesso 
de largo curso.

Tem sido sempre assim.

Antes, pensava-se que a morte e o cárcere seriam os meios 
eficazes para silenciar-lhe a voz. Com o avanço, porém, 
das legislações — embora ainda permaneçam muitas práticas 
atentatórias à justiça e aos direitos humanos — as técnicas 
coercitivas se modificaram, permanecendo a mesma 
perversidade, agora disfarçada como maneirismos sociais-
elegantes, mal ocultando o desprezo e a zombaria que 
preservam no íntimo.

Desde que não espera ser compreendido, mas auxiliar em 
qualquer circunstância, o cristão percebe que o seu é o
caminho da solidão, qual ocorreu com o seu Mestre, e por 
isso não permite que depereçam o entusiasmo nem a fé na 
sua conduta.

O mundo e os seus habitantes avançam para a Grande Luz, 
dominados pelo divino tropismo.

E essa extraordinária saga se concretizará, quando as 
criaturas forjadas nos ideais de enobrecimento deixarem 
de aceitar os exploradores das massas, os gananciosos e 
astutos, exigindo transparência e cristalinidade naqueles 
cujas vidas sejam dedicadas à governança da sociedade.

Nesse cenário, o cristão autêntico se destacará pela 
fidelidade ao Bem, pela abnegação e pela renúncia a si 
mesmo, a fim de que todos saibam que Jesus está com ele, 
conforme se encontra no leme da barca terrestre.

(Fonte de Luz - Joanna de Angelis -
Divaldo Pereira Franco)





1