DESENVOLVIMENTO INFANTIL

 

DESENVOLVIMENTO INFANTIL – SEGUNDO JEAN PIAGET

 

     “A inteligência surge de um processo evolutivo no qual muitos fatores devem ter tempo para encontrar seu equilíbrio” (PIAGET, 1972 apud ALMEIDA, 2000)

        Para aplicar corretamente os softwares educativos, usando o computador como uma ferramenta didática na educação para o trânsito, de forma que o professor possa atuar como facilitador no processo de ensino aprendizagem é preciso levar em consideração a fase de desenvolvimento da criança.

        Segundo estudos realizados por Piaget sobre o pensamento das crianças, foram identificadas muitas habilidades e inabilidades mentais. Piaget formulou a teoria do desenvolvimento cognitivo da criança.

        Segundo o autor, a aprendizagem ocorre com base em dois processos que perduram por toda a vida: assimilação e acomodação (PIAGET,1986, p. 23). “A assimilação é o processo de entrada, seja de sensações, alimentos ou experiências”. A assimilação refere-se a um processo de entrada, que proporciona habilidade ao homem para lidar com situações novas, problemas e informações sobre o mundo, seja com pessoas, objetos, fato ou acontecimento.

      

    A acomodação é o processo no qual o indivíduo passa por um ajustamento das suas vivências e por uma mudança mental, onde ocorre a capacitação de administrar problemas antes difíceis de serem solucionados.

As primeiras contribuições de Piaget para a informática Educativa

     Os estudos de Piaget (2002), muito contribuíram para a compreensão das práticas pedagógicas. Papert trabalhou no Centro de Epistemologia Genética de Piaget e depois transferiu-se para o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusets) onde desenvolveu a proposta construcionista e a linguagem logo, que é uma linguagem de programação para ser usada na educação. (WEIS e CRUZ 2004)

        Papert considera as crianças (baseado em Piaget), como “construtores ativos de suas próprias estruturas intelectuais”

        Papert entusiasmou-se com a perspectiva de Piaget e seus colaboradores, que consideravam a criança como ‘’ser pensante’’ e que mesmo sem ser ensinada, seria capaz de construir suas próprias estruturas cognitivas, porém, há pouca pesquisa no sentido de como criar condições para que mais conhecimento pudesse ser adquirido por esta criança.

Para tal, Papert desenvolve uma linguagem de programação, chamada Logo, de fácil compreensão e manipulação por crianças ou por pessoas leigas em computação e sem domínio em matemática. Ao mesmo tempo, o Logo tem o poder das linguagens de programação profissionais. Papert vem desenvolvendo, entre seus colaboradores, uma metodologia de ensino-aprendizagem no ambiente computacional (CONSTRUCIONISMO, 2004).

     “A contribuição fundamental de Piaget às idéias de Papert relaciona-se à teoria do conhecimento da aprendizagem e a sua inserção no ambiente informatizado”. (ALMEIDA, 2000)

        A preocupação de Papert em entender como a criança aprende fica bem claro quando ele enfatiza sobre a estrutura daquilo que está sendo aprendido, e que no ambiente informatizado é fundamental trabalhar a compreensão através da reflexão e da depuração.

1