RÉQUIEM DE MOZART
ANÁLISE ACÚSTICA - IGRJA DE ST. MICHAEL
  Mozart nasceu em 27 de janeiro de 1756 em Salzburgo. Considerado gênio da música, aos cinco anos de idade já compunha suas primeiras obras. Durante a infância viajou pela Europa com seu pai Leopold, também músico, se apresentando. Morou em Vienna onde casou-se com Constanze, com quem viveu toda a sua vida. Morre em 6 de dezembro de 1791, endividado e doente.
   Sua produção musical inclui mais de 600 obras, sendo que as mais importantes são “As bodas de Fígaro”, “A flauta mágica”, “Réquiem”, entre outras.
   O Réquiem, obra à qual esse trabalho se refere, é composta de 15 partes e foi deixada inacabada por seu compositor. Foi encomendado pelo Conde Walsegg em homenagem à sua amada esposa que havia falecido muito jovem.
   Foi executado pela primeira vez no dia 10 de dezembro de 1791 na Igreja de St. Michael, em Vienna em tributo à morte de seu idealizador.
   A Igreja de St. Michael foi construída no estilo Românico tardio, mas como sua finalização demorou mais de 500 anos possui a presença dos diversos estilos arquitetônicos que prevaleceram durante o período. Construída em alvenaria de pedra, possui um altar todo esculpido no estilo rococó com uma escultura do monte das oliveiras.
CÁLCULO DO TEMPO DE REVERBERAÇÃO DA IGREJA
VER TABELA DE CÁLCULO
   É possível perceber que o ambiente interno da igreja possui um tempo médio de 3,95 segundos de reverberação. Analisando a construção com base em um trecho do Réquiem, intitulado Lacrimosa, é possível perceber o comportamento da edificação de acordo com a música. O trecho utilizado é caracterizado por uma riqueza em nuances, contendo trechos de contraste muito grande entre graves e agudos. Por ser um trecho que exige grande tensão, um calor maior, o fato de o tempo de reverberação dos graves ser maior que os agudos é um ponto positivo. Já nos casos da exigência de um brilho maior na música a facilidade de alcance do resultado não é tão eficiente quanto na exigência de potência maior nos graves. Porém o valor encontrado para os agudos é muito alto para a execução de músicas produzidas no período, afinal um valor ideal, que permite uma vivacidade correspondente ao caráter da música é de 1,7 s.
   Como o tempo de reverberação da igreja é relativamente alto, a obra perde em intimidade. Mas visto que é uma peça composta para ser executada em igrejas, por ser uma missa, o fator da intimidade pode não ser tão relevante. Já o fato de um coeficiente menor para agudos garante uma maior clareza à música, ponto positivo, visto que a execução de peças em igrejas possui um grande problema em relação à clareza do som devido ao alto tempo de reverberação.
Vista interna
fachada Corte esquemático da igreja
Planta esquemática da igreja
  Referência:
- JOSSE, R. La Acústica en la Construcción. Ed. Gustavo Gili, Barcelona.
- Enciclopédia Mirador, Volume 14 pag. 7921-7923
- www.infonet.com.br/mozart
- http://wien.info/article.asp?IDArticle=3025
- http://www.vienna.cc/english/michaelerkirche01.htm

Equipe:
- Lílian Galvão Gomes
- Monize Carrara de Lima
- Ronaldo da Silva Belo
1